História A Jornada de Nate - Fryed - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Lendas Urbanas, Mitologia Egípcia, Mitologia Grega, Mitologia Nórdica
Personagens Personagens Originais
Tags Addewid, Fryed, Nate
Visualizações 13
Palavras 1.397
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Eats meio comprido, mas assim é mais legal, ou não, depende. Caso tenha alguma palavra em inglês, eu gostaria de me desculpar, mudei o idioma do celular para inglês e o corretor também está em inglês, daí ferra comigo algumas vezes.
OBS: não copiei do Zelda, soube q tinha no jogo só depois de procurar uma imagem pro capítulo no Google.

Capítulo 4 - A Máscara da Verdade - Parte 1


Fanfic / Fanfiction A Jornada de Nate - Fryed - Capítulo 4 - A Máscara da Verdade - Parte 1

 Alguns dias depois, Nate andava pelas ruas combatendo o crime, porém, depois de um tempo ele percebeu que nem todos os bandidos mereciam a morte, mesmo fazendo o mal, eles faziam aquilo sem muita escolha. Vários deles eram ladrões que roubavam para se alimentar ou assassinos que queriam apenas matar outros mal-feitores; então ele teve uma ideia. Nate iria recrutar e treinar esses bandidos e assassinos para a Revolução de Fryed. O problema era descobrir quem era merecedor da chance de redenção. Após pensar, Nate se lembrou que havia guardado em um local seguro a Máscara da Verdade, que havia recebido de sua antiga Rainha e escondido com segurança nas Masmorras do Tempo; um local subterrâneo escondido em seu antigo lar. Mas agora sua antiga casa se tornou parte do território inimigo, cheio de guardas e cães do deserto nevado, animais raros. Sua única chance seria se ele obtesse os poderes da Escuridão, mas para isso, teria que encontrar o Major novamente e matá-lo.

Como isso era muito complicado, Nate teve um plano que era literalmente suicída; ele iria morrer e voltar ao Inferno para conversar com Lúcifer.

Quando voltou ao Inferno, Lúcifer começou a conversar:

-Olá, não faz muito tempo desde a última vez que nós nos vimos. O que o traz de volta aos portões do Inferno? Matou outro Major ou foi morto? Realmente espero que não seja a última opção.

-Eu vim aqui por um motivo, preciso de sua ajuda para localizar seu sobrinho e matá-lo, conseguindo os poderes da escuridão.

-Então você está mais louco do que eu imaginei que fosse.

-Vai me ajudar ou não? Não tenho tempo sobrando.

-Não posso lhe ajudar, mas conheço alguém que pode. Vai querer esta informação?

-Adoraria tê-la. Quem é capaz de localizar um dos 7 Majores?

-Um dos 3 Semi-Lordes, não gosto muito dele, mas mesmo assim é necessário para o Inferno ser um dos 4 Reinos.

-4 Reinos? O que quer dizer com isso?

-Nunca leu a Divina Comédia de Dante? Inferno, Purgatório (Limbo) e Paraíso (Céu), o quarto Reino é o seu mundo, o mundo dos mortais, Midgard.

-Entendo. Qual o nome do Semi-Lorde capaz de me ajudar?

-Você realmente quer saber? Ele é um ser muito mal e temido por todos. Além disso, das 4 Bestas, ele criou 3 delas.

-De acordo com a minha mãe, eu não sou todo mundo.

-Então se é isso que deseja, terá que me fazer um favor antes.

-Como assim? Achei que havíamos virado amigos e que me daria a informação de bom grado.

-Primeiro, eu sou um Lorde Infernal. Segundo, amigos se ajudam, não é mesmo? E estou precisando de uma ajuda.

-Caramba. Tudo bem, o que você quer?

-Preciso que encontre qualquer um dos Cavaleiros Infernais, eles vagam pelo Inferno. Não é difícil, mas é chato.

-Tudo bem, qual o mais fácil de se achar?

-Bem, Guerra demorará um tempo para despertar novamente, Morte e Fome são quase impossíveis achá-los, já que sempre estão se movimentando, acho que o mais fácil é o Cavaleiro da Peste.

-Sabe onde posso encontrá-lo?

-Eu soube através da Coruja da Meia-noite que no sudoeste do Inferno está tendo uma praga nos campos de tortura.

-E você acha que é culpa da Peste?

-Sim. Gostaria que, quando você a encontrasse, pediria para ela vir até os Portões do Inferno, eu gostaria de conversar com ela.

-Sem problemas.

Nate havia falado que era sem problemas, mas o problema era que o Inferno é gigante, e ir de uma ponta à outra demora muito.

Quando Nate finalmente chega no sudoeste, uma vila de demônios de baixa-classe, fabricavam correntes e outras ferramentas de tortura, mas as fazendas não estavam bem, uma peste havia atacado a plantação fazia 3 dias. Perguntei para alguns demônios se eles sabiam onde encontrar a Peste, alguns me olhavam com um olhar meio torto, como se quisessem me torturar, mas antes de eu me separar de Lúcifer, ele me deu um emblema de visitante, que bom que ele me deu um desses. Após um tempo perguntando, finalmente descobri onde a Cavaleira da Peste estava, em um túnel subterrâneo nas plantações. Demorei um pouco para achar a entrada, já que ninguém quis me dizer, e eu não podia simplesmente aparecer e começar a cavar na plantação dos outros, né? Ou podia?

Os túneis eram imensos, se eu não possuisse uma boa memória, já teria me perdido. Depois de muito caminhar, encontrei uma luz no fim do túnel, literalmente; o caminho de túneis tinha um fim. Um fim com uma luz e uma sombra, me aproximei, ao fazer isso, a sombra rapidamente desapareceu, senti uma presença maligna atrás de mim (como eu estava no Inferno sentia isso sempre, mas dessa vez foi diferente, foi uma aura assassina muito perigosa), e antes que eu pudesse fugir, ela me agarrou. Percebi que a fuga era impossível e decidi falar o motivo de eu estar aqui, antes que me matasse. Percebi que não possuia a capacidade necessária para enfrentá-lo.

-Calma! Alguém me mandou aqui.

-Posso saber quem foi esse alguém?

-Acho que você o conhece, ele se auto-entitula como porteiro do Inferno, Lorde Lúcifer.

-O que MiLorde deseja comigo?

-Ele não me disse, mas era importante.

-Me chama logo agora que estou quase acabando com as plantações daqui.

-Você pode ir out não pode?

-É claro que posso. Me dê só um momentinho, fazendo o favor.

-Claro, por que não?

A Cavaleira da Peste se despede das pragas que ela mesma criou.

-Vamos indo?

-Vamos.

Ao voltar aos portões, Lúcifer lança um olhar para Peste, mas ao invés de um olhar mortal, foi lançado um olhar apaixonado. Lúcifer e Peste se amam e estão juntos.

-Nate, muito obrigado. Há tempos que não vejo minha amada.

-De nada, foi um prazer ajudá-lo. Agora, onde está o Major que procuro?

-Como você me fez um favor, acho que estou te devendo, mesmo tendo o ajudado da primeira vez. O nome dele é Loki, é um Semi-Lorde bem especial, já que também é um dos Arcanjos (o equivalente aos Imperadores do Inferno, mas os Arcanjos são do Céu).

-O Céu também possui um "exército"?

-Todos os mundos possuem, at mesmo Midgard, sua casa.

-Minha casa foi destruída, não tenho mais um lugar para chamar de lar.

-Ele se encontra nas Cavernas de Aga Mar Ak.

-Isso é bem longe. No Inferno não tem nenhum tipo de transporte? Algo para se locomover mais rápido?

-Temos os cães Infernais, os Cerberus.

-Acho que serve.

-É muito difícil domar uma criatura destas, acha que consegue?

-Um velho amigo me ensinou alguns truques.

Após Nate domar o Cerberus, o chamou de Infernus. Lúcifer e a Peste ficam impressionados.

Após muito viajar, finalmente chega nas cavernas de Aga Mar Ak. Ao caminhar um pouco dentro da caverna, percebe o quanto ela grande. Loki aparece imobilizando Infernus e atacando Nate.

-O que um mero mortal como você faz em minha casa? Quem te contou da minha localização?

-Eu preciso de ajudado para encontrar o Major da Escuridão, Lúcifer que me enviou.

-Minha proxima pergunta seria o motivo para eu o ajudá-lo, mas como foi um pedido de Lúcifer, já possuo a resposta.

-Então vai me ajudar?

-Vou.

-Então vamos.

-Ele está na entrada de seu antigo lar. Acredite em mim, ele está lá desde que ele o deixou na casa de Uketashi.

-Como sabe sobre Uketashi?

-Eu sei de várias coisas. Também sei o nome do Major da Escuridão.

-E qual seria? Por favor.

-Nemesis.

-Que sombrio. Obrigado, adeus!

-Até logo.

Quando Nate retorna para os portões, pede para Lúcifer para voltar para casa.

-Lorde Lúcifer, por favor, poderia me levar de volta ao meu mundo? Midgard?

-Não.

-Como assim?

-Nate, eu adoraria, mas são as regras.

-Como assim? Que regras?

-Você cometeu vários pecados e acabou morrendo sem interferência de nenhum outro mundo.

-Você não quer dizer o que eu acho que você quer dizer, né?

-Acho que sim.

-Mas que droga.

-Nate Addewid, de agora em diante, eu o declaro um habitan...

-Nate said correndo para atravessar o primeiro portal que viu, na esperança de que conseguiria escapar. Mas Lúcifer chega perto de Nate quando o mesmo estava bem perto do portal. Nate percebe que é seu fim. Mas por incrível que pareça, Lúcifer fica mais lento no último instante, permitindo que Nate atravesse o portal entre os dois mundos.


Notas Finais


Obrigado por ter lido até aqui, espero que tenha um bom dia e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...