1. Spirit Fanfics >
  2. A jornalista >
  3. Quatorze

História A jornalista - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Quatorze


Fanfic / Fanfiction A jornalista - Capítulo 14 - Quatorze

Uma semana depois. 


Segurei firme em seu quadril e penetrei-a com força, suas mãos seguravam meus braços com força, e ela gemia alto, estava prestes a acordar minha família. O suor escorria pelas minhas costas, respirei fundo e tentei me concentrar, não consigo parar de pensar na Juliana, queria estar com ela nesse exato momento. 

— Geme mais baixo, Camila. — Sussurrei ofegante e ela assentiu sorrindo. Parei de penetrá-la e me joguei deitado na cama. — Não consigo mais. 

— O que você tem? — Perguntou passando a mão no meu peito e eu neguei com a cabeça. 

— Encontrei com uma ex-amiga e estou sem clima para transar. 

— Amiga? Aquela que você transava? Não era bem uma amiga, Marco. — Ela revirou os olhos e eu assenti. 

— Sim, ela mesma. Pega seu dinheiro e vai pra casa. — Apontei para a mesa de cabeceira e ela revirou os olhos.

— Vamos conversar, Marco. — Disse séria e eu neguei com a cabeça.

— Não quero, amanhã tenho que acordar cedo e preciso dormir. 

— Tudo bem, como quiser. — Beijou minha bochecha e se levantou enrolada no lençol. — Vou tomar um banho, ok? 

— Sem problemas. 

Conheço a Camila há muito tempo, fomos colegas na época da escola, mas ela acabou se tornando garota de programa, e há três meses estamos saindo, normalmente acontece quando eu e Sara estamos brigados. Já faz mais de uma semana que ela não fala comigo e eu já não sei mais o que fazer. 

×


Rever a Juliana botou tudo em jogo, meus sentimentos estão mais confusos, não sei de devo continuar com meu noivado com a Sara, ou se está na hora de acabar. Eu achava que a amava, mas depois da conversa com a Juliana e as mensagens trocadas no WhatsApp, eu não sei mais o que sinto. As vezes acho que estou criando expectativas onde não existem, tenho medo de estragar o casamento dela e depois acontecer algo que faça com que a gente não fique juntos, eu não sei se ela gosta de mim como antes. 

— Pai! — Ava estalou os dedos em no meu rosto e eu me assustei.

— Assim você me mata! — Falei colocando a mão no peito e ela e meu pai riram. 

— Desculpa, mas eu tava chamando você há uns cinco minutos. 

— É verdade, filho. — Meu pai confirmou e eu assenti sem graça. 

— Tava viajando nos meus pensamentos, desculpa! 

— Pai, chegou uma caixa pra você e eu abri. — Disse sem graça colocando a caixa branca com a maçã da Apple desenhada, em cima da mesa, na minha frente. 

— Você está me saindo mais curiosa do que eu pensava! — Exclamei sério e ela encolheu os ombros. 

— Deixa ela filho, pare de ser tão rígido. — Meu pai protestou e eu revirei os olhos e ignorei seu comentário. 

— Desculpa pai. 

— Sem problemas, só não faça isso novamente. Quando chegar caixas pra mim, a gente abre juntos, ok? — Beijei a testa dela e ela assentiu sorrindo empolgada.

— Ok. Eu queria te pedir uma coisa que veio nessa caixa. — Os olhos dela brilhavam de animação, eu e meu pai nos olhamos e rimos. 

— Peça.

— O airpods. — Disse abrindo a caixa e tirou o fone de dentro e me mostrou. 

— Pode ficar, o que veio além desses fones? 

— Você tem uma coleção de fones Ava, podia me dá esse. — Igor disse se sentando ao lado do meu pai. 

— Essa edição é especial e limitada tio. — Respondeu mostrando os fones a ele. Era na cor vermelha cintilante, eu nunca vi um dessa cor. 

— Mais um motivo pra me dá. — Ele deu de ombros e eu revirei os olhos.

— Igor, você compra um pra você. — Falei sério e ele bufou. 

— Deve custar um rim. — Ele pegou a jarra de suco e se serviu. 

— Vocês gostam de tanta futilidade, estão ensinando a Ava ser igual a vocês. — Comentou meu pai se levantando e eu engoli seco. Não concordo com isso, mas por um lado ele tem razão. 

— É verdade pai. Mas vou aprendendo a criar ela assim, errando e ouvindo seus conselhos. — Falei sério e ele assentiu sorrindo e saiu. 

— Tio, você pode ficar com o outro airpods que a tia Sara me deu. — Disse Ava tirando uma caixa pequena do iPhone 11 de dentro da caixa grande. 

— Não, princesa, não precisa. O tio sabe do seu amor por fones. — Respondeu tomando um gole do suco e eu sorri pra ele. — Mas esse iPhone eu não vou despensar. 

— Igor, Ava, fiquem com o que quiser que tiver nessa caixa. Vou tomar banho e buscar o bolo da sua festa. — Me levantei da cadeira e ela sorriu. 

— Obrigada pai! 

— Valeu, meu brother. 

Tirei o celular do bolso e fiquei olhando minhas redes sociais, primeiro fiquei no Instagram e procurei por uma foto minha com a Ava. Nunca publiquei essa foto antes, estávamos na piscina semana passada e ela mesma fez uma selfie nossa e eu estava com o meu rosto todo branco de protetor solar, parecendo uma máscara. Enviei a foto para o feed e comecei a digitar uma mensagem.

@_marcoasensio20: Feliz aniversário filha! Você foi o meu maior e melhor presente que a vida poderia me dá, só tenho a desejar a ti muita saúde, muitos anos de vida, e muitas felicidades e espero que continue essa garota doce que você é. Hoje comemoramos seus onze anos, e espero que continuemos comemorando todos os anos!  Te amo mil milhões(Você adora essa cena dos vingadores, eu sei!), e meu amor por ti é infinito. 

Publiquei a foto e sai do Instagram e fui para o WhatsApp, meu celular não para de vibrar chegando mensagens o tempo todo. Por esse motivo, eu detesto grupos. Li primeiro a mensagem da Sara, estava no topo.

Amor: Marco, hoje é o aniversário da Ava, quero saber se você está precisando de ajuda? 

Eu: Quanto tempo, hein! Lembrou que eu existo? E sim, preciso de ajuda. 

Amor: Pessoalmente conversamos melhor. Estou indo na sua casa. 

Eu: Ok. 

Enviei a mensagem para ela e fiquei respondendo outras do pessoal me confirmando a presença hoje no aniversário da Ava, convidei poucas pessoas, apenas meus parentes mais próximos, os amigos mais íntimos e os amigos dela do colégio. No total deu cem pessoas, mas nunca aparece todo mundo. Abri a conversa com a Juliana e comecei a ler a mensagem dela. 

Ju: Olá, bom dia! Chegamos em Madrid ontem a noite, a festa vai ser na sua casa? 

Eu: Bom dia! Sim, mas eu não moro mais no mesmo local. Estou no mesmo condomínio que o Marcelo mora. Cristiano sabe onde fica. 

Ju: Eu também sei. E o Cris não pôde vir comigo, apenas eu e a Verena viemos. 

Eu: Aconteceu alguma coisa Ju? 

Ju: Sim. Discutimos feio e eu decidi vim passar uns dias aqui em Madrid, até esfriar a cabeça e voltar pra casa. 

Eu: Que chato. Estou meio ocupado agora, mais tarde nos falamos, beleza? 

Ju: Ok, até mais!


Notas Finais


Tá chegando ao fim a fic hahahahah


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...