História A Killing Smile - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Seokjin (Jin)
Tags Bts, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Namjin
Visualizações 15
Palavras 819
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eae galera! Tudo com Suga na veia, digo, com açúcar? KKKKKKKK
Preparem as bombas de asma e os calmantes porque hoje tá só o fogo! Aqui a tia ama soltar uns bultaoreune hihi
Então preparem aquela pipoca gostosa, aquela mantinha, sentem e Enjoy!

Capítulo 6 - O plano.


Eu sei que ele me deu motivos para confiar nele mas...ainda há coisas que não encaixam. Porque é que ele me salvou? Foi uma mera coincidência? Foi por já terem salvo minha família? E se ele inventou tudo para me manter aqui? E se eu nunca sair? E se ele pretende me deixar aqui até eu enlouquecer?
Necessito do meu celular. Preciso que ele confie o suficiente em mim para ter uma brecha e sair daqui, mesmo que isso dos palhaços seja verdade.

O meu plano estava tratado, agora era esperar pela manhã seguinte visto que já era tarde. Precisava dormir mas não tinha sono e "contar cordeirinhos" não surtia efeito pois minha mente estava a mil. Acabei por adormecer quando já era noite cerrada. Para minha sorte -coisa que não tenho tido muito nos últimos anos- estava uma noite relativamente quente e aconchegante. Sem cobertores e com frio já teria adoecido.

º*º

Amanheceu, por fim, e eu ponderava estratégias para o meu plano não ter falhas. Por ora, espero ele aparecer, como sempre. 
Ao fim do que me parece uma eternidade, ouço os passos do mais novo no chão areento do corredor, se aproximando e abrindo a porta vagarosamente.

-Como está hoje?- Pergunta, fechando a porta atrás de si, como sempre. E para não variar, enverga uma blusa larga que não favorecia seu corpo.

-Bem, acho eu. Como está isso dos palhaços?- Questionei, levantando-me.

-Não sei... na televisão não passa nada e ainda não falei com nenhum dos delatores.-Ele se encosta na parede, olhando nos meus olhos.

Agora se preparem. Vai ficar sério.

-Jack...Posso lhe pedir uma coisa?- O meu ar era doce e fofo, quase inocente como uma ovelhinha bebé. Mal sabia ele que por dentro estava um lobo.

-Ok...O que é?- Indaga ele, relutante.

-Eu...sabe que pode confiar em mim, não sabe?- Me aproximei passo a passo, calmamente.  Eu sou horrível nessas coisas...

-Seeeeei... Porquê?- Ele endireitou o corpo, suspeitando de mim.

Droga...

-Porque...eu estava pensando e...você falou que me quer ver bem, certo?- Ele assentiu, ainda desconfiado.-Então...pensei te pedir pata não trancar a porta. Eu fico com medo. Juro que não fujo.

O palhaço  ficou pensativo por uns segundos. Já até sei o que ele vai responder. Ele vai negar, mas tentar não custa e eu não perco nada mesmo. Mesmo que corra mal tenho sempre o plano B. 

-Ok. - Arregalei os olhos.

Ele deixou?!

-Mas!- Sabia...sempre tem um "mas".- Sabe que mesmo que eu não a tranque, ela fará um barulho enorme se a tentar abrir.

Como não saberia? Esse demónio faz um barulho dos infernos. Dá para ouvir até aos satélites da NASA. A carreta treme treme de 192 falantes* teria inveja do barulho que essa desgraça faz.

E é exatamente isso que eu quero que aconteça. 

-Eu sei. Eu não vou fugir. -Agora topem só a actuação da pessoa.- Eu nunca fugiria de você.- Fico o suficientemente perto dele e coloco os braços em volta do seu pescoço. Ele recua, tenso, o que significa que meu plano está dando resultado.- Nem agora...- Levanto a máscara até o seu nariz. Ele segura minha mão, tentando me impedir mas já era tarde.- Nem nunca.

-Jin...-Pronuncia ele, num fio de voz. Dava para reparar que estava se controlando. Que fofo.- Não podemos...- Antes que ele pudesse sequer terminar a frase eu selo nossos lábios o mais calma e apaixonadamente que consigo.

Ao início ele relutou mas passado um tempo correspondeu e colocou as mãos na minha cintura, me puxando para mais perto ainda. Na tentativa de recuperar o fôlego e não quebrar o clima dou um beijo a base do seu pescoço e em seguida deixo um chupão nessa área. Ouço ele soltar um gemidinho tímido e sorrio. 

-Jin...não me provoca. Eu posso não me controlar...

FODA-SE

-Eu não disse que queria que se controlasse.

Na verdade, naquele momento até eu não me controlaria. Mas o facto de ele me ter em consideração foi muito fofo.

-Não posso... não posso fazer isso com você.

O maior se libertou de mim e me deu as costas, ficando de frente para a porta.

Que amor.

Abraço-o por trás e solto num sussurro:

-E se eu quiser que faça?

Ele estremeceu e se arrepiou ao ouvir eu falar tal provocação mas resistiu.

Porra, ele é de ferro?! Porque se fosse eu, teria cedido naquele mesmo instante!

-Não posso. É errado e...eu sei o quanto você é frágil...Eu sou um monstro, acabaria por machucar você.

- Um coração como o seu não pertence a um monstro.

Ele se soltou do meu abraço e saiu porta fora. Pelo menos, não a trancou. Isso já é bom. Uma vitória é uma vitória. 
Só não planeei um beijo assim tão...envolvente. E com certeza foi, sinceramente um dos melhores da minha vida. O problema aqui é...como eu lido com a parte de mim que está pulsando para que eu faça alguma coisa?


Notas Finais


*pesquisem gente. Isso existe mesmo, e né que a desgrama é barulhenta, santa mãe de Deus.
Jin anda abusaJinho. Mas Namjoon também não se queixou kkkkk perdoem, parei.
Então, por agora é só, bye bye, amo vcs. Kisseus <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...