1. Spirit Fanfics >
  2. A Kombi que vendia sonhos >
  3. Uma senhora azul idosa

História A Kombi que vendia sonhos - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Sejam bem vindos, mortais!

Após o sucesso de nossa tag sussurros, a Caverna Ryuchi em conjunto com seu STAFF trouxe um conteúdo exclusivo para o último dia da nossa tag especial de Férias.

Como muitos sabem, a #SussurrosdaCaverna veio para substituir a #milpalavras e em sua nova proposta trouxemos o tema: FÉRIAS! onde belíssimas histórias ambientadas em um ambiente road trip foram construídas no decorrer desse mês. Ao total foram quinze histórias que totalizaram esse mês e os links estarão a disposição de cada leitor nas notas finais.

Enfim, vamos a essa linda one escrita pela Supervisora dos Betas Reader: @Julie_diaal.

Capítulo 1 - Uma senhora azul idosa


Fanfic / Fanfiction A Kombi que vendia sonhos - Capítulo 1 - Uma senhora azul idosa

Enquanto se olhava no espelho realçando os lábios carnudos com um batom vermelho mate, Sara se via como realmente era: uma mulher de trinta e cinco anos, com os sonhos despedaçados por um casamento fracassado, mas forte como todas as mulheres que tem coragem de dar a volta por cima. Assim, terminou a maquiagem, conferiu seu reflexo uma última vez e saiu porta afora rumo a festa de despedida de solteira da irmã caçula.

Quem a visse toda produzida não desconfiaria do estado em que ficou quando três meses atrás chegou em casa numa tarde de sexta, depois de um dia exaustivo na creche onde trabalhava e deu de cara com um envelope barato sobre a mesa. Uma carta, tudo que havia sobrado de seus nove anos de casamento, era uma maldita carta, com uma desculpa mal elaborada, onde Edson dizia sentir muito. Uma ova, quem sente muito não raspa uma conta bancária com nove anos de economias suadas e vai embora.

Ela chorou, claro, a primeira semana mal conseguia trabalhar, encarando aquelas salas de aula que foram seu sustento por tantos anos, o lugar onde fez estágio e por graça divina havia conseguido ser registrada logo ao final do curso. Era ali que fazia planos enquanto as crianças se pintavam com tinta guache, era ali que havia sonhado matricular seu filho um dia, filho esse que nunca veio.

Passou, na terceira semana já se recompunha. Vergonha não tinha nenhuma, a culpa não era dela, quem devia se envergonhar era ele. Arrependimentos tinha vários, em especial de não ter ouvido sua querida avó quando lhe disse sabiamente “mulher quando casa deve ter suas próprias economias, além daquelas em conjunto com o marido”, pobre dona Cida que era sábia e não valorizada pelas netas.

No mês seguinte tomou uma decisão, ia reformar a velha Kombi do saudoso pai e sair pelo mundo, venderia livros, a estrada seria seu novo lar. A casa onde morava seria vendida e o dinheiro seria investido eu sua nova vida, mas primeiro, sua irmãzinha ia se casar e como uma boa irmã mais velha, ia ajudá-la em tudo.

Desceu rapidamente os degraus que davam acesso à rua, subiu a pé as duas quadras que separavam sua casa da casa dos pais, onde a irmã e a mãe moravam, a festa seria lá, simples, nada de striptease, apenas a boa e velha noite das garotas. Bebidas, comidas e fofocas, sabia que podia se tornar um alvo delas, mas nada que uma boa bofetada não resolvesse. 

Assim adentrou o portão lateral da residência onde cresceu, viu de relance na garagem o contorno da velha Kombi azul e aproximou-se. Saindo do portão interno vinha o mecânico que a mãe havia contratado para dar suporte ao que chamava de “maluquice pós-divórcio”. Porém, demonstrando seu apoio incondicional a filha, chamara o Dinho, que Dona Carla insistia em tratar de “garoto” por ter sido colega de Sara no ensino médio e crescido ali na vila, na oficina mecânica do pai. Pediu a ele que desse uma boa olhada na Azula e arrumasse o que fosse preciso para a viagem sem rumo da primogênita.

– Boa noite Dinho, tudo ok com minha Azulinha? 

Ele não tinha lhe visto, tomou um pequeno susto, mas se recompôs rapidamente ao reconhecer sua voz, apenas para espantar-se ao vê-la realmente, ainda que sob a fraca luz da entrada da casa.

– Boa noite, Sarita.

 “Maldito sorriso de canto” pensou ela enquanto analisava o olhar dele sobre seu vestido colado e os lábios carmim. Lembrou-se involuntariamente da paixonite que nutriu por ele na adolescência e se perguntou por que nunca tinham ficado. Porque ele era bonitão e popular, ela era tímida e recatada. Bem, agora ela era uma mulher prestes a rodar a América do Sul numa Kombi de uns trinta anos, restaurada, e ele continuava bonitão, principalmente a olhando e sorrindo assim de canto.

Lembrou-se do que a irmã lhe dissera quando tentava convencê-la de ir a sua festinha, qual era mesmo a bendita frase que Lidi afirmou que deveria ser seu mantra para repetir no espelho todas as manhãs?

Algo sobre... hum... bebidas e homens? Ah sim, talvez Lidi tivesse razão. “Talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor”. “Não, não! Eu preciso é mudar de vida”, pensou.

“Mas talvez não faça mal realizar um sonho antigo”. Foi com esse pensamento que chamou Dinho para a garagem usando como desculpa um pedido para que lhe mostrasse as melhorias feitas na Kombi. 

Travou a porta atrás de si e ele entendeu a deixa, encurtou a distância entre eles em poucas passadas.

O som alto ecoava na casa ocultando das convidadas da irmã os sons entrecortados que emitiam nos bancos de couro do veículo.

A sensação das mãos grandes dele tocando seu corpo teria feito sua versão antiga ficar sem reação, mas sua nova eu apreciava cada toque lhe trazendo sensações que ela não recordava ter sentido antes, uma delas, no entanto, ela descobriu depois, era liberdade. Ela recordaria para sempre dessa sensação, pois era a mesma que sentia no momento em que ouviu seu telefone tocar, era a mãe novamente, queria saber quando iria voltar, “nunca”, queria dizer, não dizia para não magoá-la, mas sua decisão era convicta.

Nunca voltaria, pois aquela Sara já não existia, tinha se tornado outra. 

Havia seguido o conselho da irmã, tirado férias permanentes de seu trabalho e tomado seu porre, naquela mesma noite em que transou com Dinho nos bancos de sua preciosa Azula. Mas era ali, na estrada, que ela havia encontrado seu novo amor.

A sensação de liberdade e independência que ela nunca teve na vida pacata de Coraci, havia encontrado ali, a estrada.  Nunca mais abriria mão disso. Agora viajava a América Latina com sua inseparável Kombi azul, vendia livros, seus clientes lhe diziam que estava vendendo o saber, no entanto o que mais lhe alegrava era a ideia de que sua preciosa companheira vendia sonhos, talvez não aos seus clientes, mas a ela, com certeza. 

 


Notas Finais


One-shot por: @Julie_Diaal
Betagem por: @Neart
Capa por: @Kaah_ChanUchiha

Lembrem-se em Setembro voltamos com mais um tema incrível.
Fiquem atentos aos nossos jornais informativos!

***********************************************************************************************************************************

E se você ainda não teve a oportunidade de ler as Ones postadas, click nos links abaixo:

♣ CARMA, por @Fleurdemavie_ >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/carma-19792651

♣ ROTA 91, por @Kaah_ChanUchiha >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/rota-91-19796859

♣ NOSSA VIAGEM FALHA, por @Kory_Uchiha >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/nossa-viagem-falha-19805055

♣ RECOMEÇO, por @ZerotPires >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/recomeco-19806145

♣ COLVILL - SASUSAKU, por @Neart >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/colvill--sasusaku-19811667

♣ A GAROTA NA ESTRADA, por @NandaSK >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-garota-na-estrada-19821426

♣ LEMBRANDO, por @NandaSK >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/lembrancas-19833452

♣ ESTRADA DE PENSAMENTOS, por @lele_pereira2020 >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/estrada-de-pensamentos-19844612

♣ NO CAMINHO, por @Mula-san >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/no-caminho-19856892

♣ QUASE FÉRIAS NO SAARA, por @ZeroCult >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/quase-ferias-no-saara-19871358

♣ LOVER, por @heizerr >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/lover-19880025

♣ A PRIMEIRA VISTA, por @RollLorac >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-primeira-vista-20043107

♣ AMIZADE VIRTUAL - A VIAGEM (I), por @julie_diaal e @Mih6493 >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/amizade-virtual--a-viagem-one-i-20060957

♣ AMIZADE VIRTUAL - O ENCONTRO (II), por @julie_diaal e @Mih6493 >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/amizade-virtual--o-encontro-one-ii-20061117

♣ AMIZADE VIRTUAL - O PASSEIO (III), por @julie_diaal e @Mih6493 >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/amizade-virtual--o-passeio-one-iii-20061236


Beijos envenenados.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...