1. Spirit Fanfics >
  2. A lenda de Aang- Zukaang (histórias) >
  3. Bônus 1

História A lenda de Aang- Zukaang (histórias) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oi dobradores,
Levando em conta toda a situação atual do mundo, eu resolvi extender essa fanfic fazendo capítulos bônus (bem menor do q o normal).
Como os capítulos vão funcionar: Basicamente são vários Flashbacks de toda a história. não somente de Zuko e Aang, mas de coisas que mudariam o curso original para o nosso. São vários capítulos pequenos, divididos em varios, então ele vai seguir uma linha temporal. No final, quando todos os capítulos estiverem postados, eu vou compilar eles em um capítulo só. Mas por enquanto, são capítulos curtinhos para vcs passarem tempo.

Eu espero que vocês estejam bem e que aproveitem esses capítulos. Lavem as mãos e usem esse tempo pra ver Avatar de novo. Se possível não saiam de casa. Se cuidem. Usem a nossa dobra para o bem.

Perguntas pra vcs:
Estão gostando da história?
De qual tribo você seria? (Eu com certeza sou da tribo do fogo)
Querem spoiler da próxima fanfic?

Capítulo 9 - Bônus 1


Fanfic / Fanfiction A lenda de Aang- Zukaang (histórias) - Capítulo 9 - Bônus 1

Capítulo 9/1 – A caverna dos dois amantes

ZUKO


Depois da traição de sua irmã, contra seu tio e si mesmo, Zuko se encontrava fugitivo da própria nação. Andando em meio à floresta tentando achar alimentos para sobreviver, o príncipe sempre reclamava que não nasceu para ser um fugitivo. O seu tio sempre muito paciente tentava lhe convencer de que tomar uma xícara de chá de alguma planta diferente poderia acalmá-lo. infelizmente o seu tio acabou por tomar uma planta venenosa e os dois foram parar em um abrigo de uma garota que usa encontrou na floresta, foram tratados e recebidos para o jantar. A garota contou que a nação do fogo já havia ido visitar a sua aldeia, e levou o seu pai para longe dela, o que deixou o Zuko abalado. A simples menção a sua nação e ao seu pai, fez o garoto duvidar se era mesmo digno de estar ali, e de receber aquele tipo de tratamento, depois de tudo que já havia feito.

-Todos o homens foram levados. Essa foi a última vez que vi meu pai -o rosto de Zuko se fechou em uma expressão dolorida

- Eu não vejo o meu pai há muitos anos -a menina percebeu a sua perturbação

-Oh, ele está lutando na guerra? -aquelq conversa estava ficando mais pessoal e comovente do que deveria

-Esta -Zuko estava cada vez mais abalado. Tentava não olhar para a menina. Depois do jantar, o príncipe se retirou, sentando na varanda da casa desconhecida.

-Posso me sentar com você? -a menina apareceu na porta -Sei o que está passando. Todos nós já vivemos isso -Ela se sentou do lado dele -A nação do fogo te feriu -ela tentou tocar a cicatriz mas foi impedida pela mão de Zuko -Tudo bem. Também me feriam -ela levantou a saia e a calça de baixo, mostrando a perna direita toda queimada. Zuko estava apavorado. A meninao deixou sozinho.

Talvez Zuko não precisava ser assim. Ele não foi o único machucado pelo seu pai sem coração. Ele poderia se abrir, ele poderia... Que droga, como era difícil ser menos ranzinza. Talvez ele devesse aprender mais com seu Tio. Ele não precisava odiar o Avatar, nem tentar ser como seu pai. Ele podia ser quem ele queria ser. Seu pensamento havia mudado com a história de uma cicatriz, mas pela primeira vez, não era a sua.



AANG

Aang e Katara foram jogados ao chão por conta das rochas que caíram. Os dois estavam presos do lado de dentro da caverna junto com a Appa, e tentariam achar a saída. Quando Appa derrubou a pedra de dentro da parede, eles encontraram a história sobre a caverna dos dois amantes.

"Eles se conheceram no topo das montanhas que dividiram suas aldeias. As aldeias eram inimigas, e eles não podiam ficar juntos. Mas eles se amavam tanto que deram um jeito. Os dois amantes aprenderam a dominar a terra com as toupeiras-texugo e viraram os primeiros dominadores de terra. Eles abriram tuneis elaborados para se encontrar em segredo. Quem tentase segui-los, ficaria preso para sempre no labirinto. Mas um dia o homem não apareceu, ele morreu na guerra entre as duas aldeias. Arrasada, a mulher uma mostra terrível de seu poder dominador de terra, ela poderia ter destruído tudo. Em vez disso, ela declarou o fim da guerra. As duas aldeias ajudaram a construir uma nova cidade, onde viveríam juntas em paz. O nome dela era Oma, e o dele, Shu. A cidade foi batizada de Omashu em homenagem ao amor deles.

O amor brilha mais no escuro."


Em meio aquela situação Katara propos que Aang e ela, tentassem seguir a lenda, para ver se conseguiram sair da caverna. O garoto apesar de assustado com a proposta, se sentiu estranho por não querer aquilo. Ele gostava de Katara, o que havia de errado? A tocha dos dois acabou apagando os deixando no escuro, os dois concordaram e não tentar seguir a lenda. E quando acharam que estariam presos, no escuro da caverna, pedras brilhantes no teto guiaram-os para fora da caverna. Apesar de não terem selado com a história, algo mudou em Aang. Algo na sua forma de ver Katara. Algo na sua forma de ver o amor.









Capítulo 9/2 - Zuko sozinho

Flashback.


A rainha Ursa estava passando sua tarde com seu filho mais velho, alimentando algumas tartarugas-patos no pequeno lago do palácio.

Zuko pergunta pra sua mãe se ela queria ver como Azula alimentava os tartaruga-patos, e em seguida joga o pão inteiro, que estava em sua mão, na água violentamente, querendo mostrar como Azula tinha feito, mas sem a intençãodr ser agressivo. A mão de Zuko o questiona, do porque ele ter feito isso, e em seguida Zuko é atacado, pela mãe dos filhotes atingidos pelo pão. Fazendo sua mãe rir da revolta do filho com o pato.

Zuko se pergunta de o porquê a mãe dos animais ter feito isso, e sua mãe explica que, "todas as mães são assim, se você mexe com os filhos delas, elas mordem" imitando uma mordida e assustando Zuko, em seguida o abraçando, fazendo o garoto rir junto com a mãe.

Passeando pelo palacio, Zuko e sua mãe, são parados por Azula, que convence sua mãe de que o irmão deveria brincar um pouco com as meninas. Zuko vai, a pedido de sua mãe. Mas Azula o engana, e essa brincadeira acaba com Zuko e Mai caindo em uma fonte. Fazendo garoto ficar muito raivoso e envergonhado. Não entendia porque Mai gostava dele, mas ele não gostava dela. Azula estava ficando louca.

Mais tarde, a familia recebe uma carta do tio Iroh, onde ele relata a conquista de Ba Sing Se e envia presentes para as crianças, "para Zuko, uma adaga de perola, de um general que se rendeu", onde na lamina esta escrito "nunca desista sem lutar", o garoto estava eufórico com o grande presente, nunca havia ganhando nada tão incrível. "E para Azula, uma nova amiga", uma boneca, "que veste a última moda das garotas do reino da terra". Azula não havia gostado do presente, e começou a andar pelo aposento dizendo que "se o tio Iroh não voltasse da guerra, o papai será o proximo tei do fogo, não é?" A mãe a repreende e diz que "nós não falamos assim". Depois de uma discussão de Azula com sua mãe e irmão, ela queima a boneca com raiva do que havia ganhado. Zuko era o queridinho da mamãe, odiava seu irmão. Iria faze-lo sofrer. Iria faze-lo pagar.

Ja Zuko, ainda pensava sobre oque sua mãe havia falado e como Mai e suas amigas se comportavam. Havia sido um dia confuso. Mas ele estava tão feliz pelo presente do seu tio.



Notas Finais


AGORA SIM, está aqui a primeira parte desse compilado de histórias. Espero que gostem e até a próxima ❤️
Comentem e respondam as perguntas lá de cima!!

Amo vocês dobradores, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...