História A Lenda de Montes - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Combate, Fantasia, Medieval, Novel, Romance
Visualizações 5
Palavras 3.631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shounen, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Versão revisada e melhorada do capítulo 5, mais capítulos em breve.

Capítulo 5 - Más Noticias.


Os 3 heróis voltam até a vila de Biran, depois de terem ouvido o que o velho  feiticeiro tinha para lhes informar sobre tanto os ‘’Espectros’’ que atacaram a cidade de Santiago como sobre o futuro que os aguarda.

Louis – O que Terryn disse, é muito importante, estão ouvindo? Montes, Gwen?

Montes – Sim senhor.

Gwen – Sim.

Louis – Vamos voltar a Biran e começaremos o treinamento de vocês.

Montes – Pensei que já tinha começado.

Louis – Não, acredite, vai começar.

Gwen – Será que vou poder participar do torneio?

Montes – Só tem um jeito de descobrir.

Louis – É claro que pode, e se não puder, daremos um jeito de te fazer participar.

Os 3 chegam novamente na cidade de Biran, que agora já está mais calma, o sol está se pondo e os mercantes estão seguindo seus rumos de volta para casa ou já se recolheram, a cidade está pacata e com pouco movimento.

Louis – Vamos até a estalagem de Harald passar a noite, o que acham?

Montes – Boa ideia, to cheio de fome.

Gwen – Eu também!

Os 3 chegam na estalagem de Harald e são recebidos pelo  mesmo.

Harald – Então? Conseguiram o que queriam?

Louis – Sim e não.

Montes – Descobrimos o que atacou Santiago, mas não para onde foram.

Harald – Então, o que eram?

Louis – Espectros.

Harald – Espectros?

Louis – Basicamente são soldados que morreram que foram de alguma forma trazidos de volta a vida por algum necromante ou algo do tipo, mas diferentes de mortos-vivos, eles tem consciência e mantém a sua experiência de combate por exemplo.

Harald – Necromante.. como aquele que comandou as tropas da escuridão na grande guerra?

Louis – Sim, mas esses soldados não são os mesmos que ele usou, são cavaleiros humanos.

Harald – E podem ser mortos?

Louis – Sim, um ferimento fatal dá um jeito neles, mas para que nunca mais voltem o invocador precisa ser parado.

Harald – Entendi, então e agora?

Louis – O feiticeiro disse para esses dois se concentrar no agora, preciso deixar eles em forma se um dia querem encontrar quem está por trás disso e mais, derrota-lo.

Louis e Harald olham para Montes e Gwen que estão sentados em uma mesa conversando sobre o que aconteceu hoje e sobre o que Terryn disse sobre os destinos de cada um.

Harald – Esse garoto lembra muito o Martin não é? – Pergunta Harald cutucando com o cotovelo Louis.

Louis – Até demais. – Diz Louis com um sorriso no rosto.

Louis – Harald, podemos passar a noite aqui?

Harald – Mas é claro.

Louis – Montes, Gwen, venham aqui. – Louis chama os dois que se aproximam do balcão onde estão Louis e Harald.

Montes – O que foi? – Pergunta Montes com uma cara de sono.

Louis – Comam alguma coisa e depois vão descansar, temos um dia longo amanha.

Montes  e Gwen fazem o que Louis pediu e sobem um andar vão até seus quartos que Louis tinha conseguido com Harald, não são quartos muito luxuosos, tem apenas uma cama simples e ao lado uma mesa com uma cadeira e uma única vela sobre a mesa.

Harald – A propósito Louis, o Lord da cidade veio hoje aqui atrás de vocês. – Disse Harald enquanto passava um pano no balcão sujo da estalagem.

Louis – O lord? O que queria? – Pergunta Louis com um olhar preocupado.

Harald – Era algo relacionado ao ataque em Santiago, mas não falou nada, além disso. – Respondeu Harald.

Louis – Certo, mais essa, o que eu fiz agora? – Pergunta Louis para si mesmo coçando a cabeça.

Harald – Ele não parecia zangado nem nada, acho que só queria conversar mesmo, afinal a cidade já sabe que Santiago foi saqueada.

Louis – Já sabem?

Harald – Noticias assim tendem a se espalhar Louis.

Louis – É o que parece, eu vou descansar um pouco Harald, obrigado pela ajuda.

Harald – Não foi nada, fique a vontade, tudo pelos velhos tempos não?

Louis – É, pelos velhos tempos.

Louis e Harald brindam com suas canecas de hidromel e depois de algum tempo pensando e bebendo, Louis decide subir para descansar um pouco, já fazia algum tempo que Montes e Gwen já haviam subido. Montes e Gwen estão no mesmo quarto, montes está sentado na cadeira de seu quarto e Gwen está deitada na cama olhando para o teto, eles discutem sobre o que ouviram sobre de Terryn, Montes teria que seguir seu sonho antes de querer fazer o que ele chama de justiça pelo seu pai e Santiago, e Gwen descobriu que o seu destino está de alguma forma ligado ao de Montes, o que Terryn queria dizer com isso?

Montes – Gwen, o elfo disse que o seu destino esta ligado ao meu, porque? – Pergunta Montes olhando fixamente para a vela sobre a mesa.

Gwen – E eu vou saber? – Responde Gwen intrigada.

Montes – Bem, acho que é por que temos o mesmo sonho não acha?

Gwen – Talvez, ou...

Montes – Ou?

Gwen – N-nada, boa noite Monty. – Gwen pega suas coisas, e sai do quarto indo em direção ao seu próprio quarto.

Montes – Boa noite Gwen. – Responde Montes confuso.

Depois de algum tempo Louis chega no mesmo quarto onde está montes, que já está dormindo. Louis deixa suas coisas sobre a mesa e se senta na cadeira, e ali ele adormece.
Mais um dia começa e Louis como sempre é o primeiro a acordar e Montes o ultimo.

Louis – Vamos acordando! Temos um dia cheio hoje então é melhor se levantar, Montes.

Gwen – É levanta logo!

Montes – Hã?

Montes – Ah, já acordei.

Louis vai ao quarto ao lado para acordar Gwen, que já estava esperando acordada. Ela arruma suas coisas e se junta aos dois.

Montes – Então, qual é a missão hoje?

Louis – Falar com o Lord local, ir até a arena e começar o treinamento de vocês.

Gwen – Falar com o Lord local? Aconteceu alguma coisa? – Pergunta Gwen preocupada.

Louis – É o que vamos descobrir.

O trio desce até o saguão da estalagem que já esta movimentado, a vida em Biran começa cedo afinal é uma cidade mercante, eles cumprimentam Harald e avisam que estão de saída para ver o que o Lord da cidade queria que era tão importante a ponto de ele em pessoa vir vê-los.
Eles caminham pela cidade movimentada e bonita como sempre, o dia está lindo, o céu está azul e sem nuvens, os pássaros cantam e o povo alegre completa a paisagem. Depois de algum tempo caminhando eles chegam até o palácio, que fica no centro da cidade, não é um castelo luxuoso e sim apenas uma espécie de forte de pedra onde fica o Lord e a sua família. Mesmo não sendo grande coisa ainda assim é bem feito e cuidado, uma estrutura de pedra com torres de guardas e uma ponte de madeira, que separa a rua do palácio. Algumas bandeiras azuis e brancas com o emblema do Lord de biran, uma pomba, representando a paz que esta cidade tem e que é tão importante para ela, por ser uma cidade que recebe mercantes de todas as partes do continente. O trio se aproxima do portão do castelo que tem dois guardas com armaduras completas com elmos cobrindo seus rostos, cada um armado com uma alabarda, um dos guardas vê o trio se aproximando e faz um sinal com a mão para que eles parem.

Guarda – Então? O que querem no palácio? – Pergunta o guarda suspeitando do trio.

Louis – Viemos falar com o Lord.

Guarda – Com qual intenção?

Louis – O Lord nos procurou na estalagem ontem mas não estávamos presentes, queríamos saber se algo aconteceu.

Guarda – Vocês são os sobreviventes de Santiago? – O guarda pergunta assustado.

Guarda – Aguardem um instante.

O Guarda entra correndo no palácio e pergunta se tem ordens de deixa-los entrar, depois de alguns instantes ele volta de dentro do palácio e deixa o trio entrar.

Guarda – Ah sim, podem entrar, desculpem a demora, o Lord Clark irá vê-los agora.

Os 3 adentram o palácio que é muito bonito e elaborado em uma estrutura de pedra lisa, com bandeiras da família real, artes nas paredes e fartura nas mesas grandes e bonitas feitas em algum tipo de madeira escura. Uma escadaria de pedra logo depois da entrada do palácio leva eles até o segundo andar que é ainda mais elaborado, é onde fica o trono do Lord Clark, que está a espera do trio, Ele está obsevando por uma janela seu povo alguns andares abaixo do palácio, ele se vira e recebe os viajantes.

Lord Clark – Bem vindos amigos de Biran! Eu soube que vocês foram os sobreviventes de um ataque em Santiago, isso é verdade?

Lord Clark é um homem alto e forte de meia idade, ele tem um cabelo grande castanho preso em um rabo de cavalo, e olhos verdes. Ele veste uma túnica de ceda azul e branca com o brasão de Biran no peito.

Louis – Sim senhor. – Responde Louis.

Lord Clark – O que aconteceu?

Louis conta a história do ataque em Santiago para o Lord Clark que ouve atentamente até o final.

Lord Clark – Entendo, Cavaleiros negros, esta nuvem que disseram, poderia ser obra do Nercomante? Não, não pode ser – Diz Clark preocupado -. A cidade de Biran não estava recebendo mais mercantes de Santiago, imaginei que a cidade tinha sido atacado por bandidos que hoje em dia infestam essas terras, mas, não que tivesse sido destruída. Mas e agora amigos, o que vão fazer? – Pergunta Clark preocupado.

Louis – Estamos em uma aventura pelo país para acharmos o responsável por esse ataque e trazê-lo a justiça. Mas por enquanto estamos em Biran pelo torneio.

Lord Clark – Um motivo nobre, e fico feliz por estarem aqui pelo torneio, quem de vocês vai lutar.

Louis – Permita-me apresentar meus pupilos, Montes De Leon, e Gwen Valentine.

Montes – Majestade. – Montes, e Gwen se curvam diante de Lord Clark.

Lord Clark – Ah por favor, sem formalidades haha. As vezes eu me canso de toda essa história de ser Lord de uma cidade tão grande, é bom ver que os jovens hoje em dia ainda sonham em ser cavaleiros, um título nobre que foi perdendo o sentido ao longo do tempo. Para falar a verdade tenho inveja de vocês, gostaria de ter sua idade novamente haha!  - Exclama Lord Clark com um sorriso.

Montes/Gwen – Obrigado majestade.

Lord Clark fica pensativo por alguns segundos, ele leva a mão ao queixo, parece que tenta se lembrar de alguma coisa.

Lord Clark – De Leon, De Leon. Este nome não me é estranho, Martin? – Ele pergunta olhando para Montes.

Montes – Sim senhor, meu pai. – Responde Montes atento ao que o Lord perguntou.

Lord Clark – Que magnífico, você é filho de Martin? A muito tempo não ouvia o nome De Leon, seu pai já ajudou muito Biran.

Lord Clark conversa com o trio por algum tempo, principalmente com Montes, contando em que seu pai havia ajudado a cidade. Ele diz que Martin já foi um grande amigo de Biran que ajudou a cidade a chegar ao nível que está hoje, tanto em missões diplomáticas em outros países quanto em missões para assegurar as estradas de Biran que permitem que os mercantes viagem seguros, embora hoje em dia um infame grupo de bandidos tem dado trabalho para a cidade.

Lord Clark – Bom, eu não vou segurar vocês por mais tempo, devem estar ansiosos para participar do torneio. – Disse Clark se recompondo, ele se empolgou ao contar a história de Martin e Biran.

Montes/Gwen – Sim senhor.

Louis – Bem, nós já vamos indo então, obrigado Lord Clark.

Lord Clark – Não foi nada, divirtam-se no torneio, estarei torcendo por vocês dois.

Montes/Gwen – Obrigado!

O trio se dirige a saída do palácio os portões se abrem e logo eles estão de volta as ruas da cidade.

Gwen – Sujeito legal ele não? – Diz Gwen com um sorriso.

Montes – Concordo, quem diria que meu pai havia ajudado essa cidade.

Louis – Bem, vamos até a arena.

Os 3 andam até a arena da cidade, que é grande e bonita em uma estrutura de pedras com uma tonalidade vermelha, ela é elaborada com estátuas de guerreiros e cavaleiros e bandeiras da cidade em algumas partes.

Louis – Estranho, será que o torneio já acabou? – Pergunta Louis com um olhar confuso.

Eles se aproximam mais da arena e encontram alguns soldados de Biran trazendo materiais para dentro da arena, e o que parece ser um capitão esta inspecionando o trabalho. Ele percebe a chegada do trio e pergunta:

Capitão – Posso ajudar vocês?

Louis – É aqui que vai acontecer o torneio da cidade?

Capitão – Sim, mas não vai ser tão cedo este ano, depois do ataque em Santiago estão sendo tomadas medidas de precaução, na verdade é difícil dizer se vai mesmo ter torneio este ano.

Louis – Entendo, então quando vai ter o torneio?

Guarda – Acredito que se tiver torneio mesmo, será daqui alguns meses.

Montes – Meses?! – Exclama Montes não acreditando naquilo.

Louis – Tudo bem, obrigado pelo seu tempo.

Capitão – Sem problema. – Responde o capitão voltando a inspecionar os soldados.

Montes – Ô droga, e agora?

Gwen – O que vamos fazer?

Louis – Bem, a noticia ruim é que o torneio de vocês é daqui alguns meses mas por outro lado, temos alguns meses para treinar, o que acham?

Gwen – É verdade! – Disse Gwen animada.

Montes – Faz sentido.  – Disse Montes com uma cara neutra, nem feliz nem triste com a situação.

Louis – Venham, vamos achar um campo para treinarmos.

Os 3 saem da cidade a procura de algum lugar perto da floresta para treinarem, alguma clareira ou algo do tipo. Eles encontram uma clareira perto de um riacho, o lugar perfeito para começarem o treinamento.

Louis – Ok, aqui esta bom. Certo, primeiro de tudo, proteção.  – Disse Louis revirando as coisas na carroça. Louis pega uma armadura que esta guardada em um compartimento na carroça deles.

Louis – Montes, você ganhou a sua malha com placas de seu pai, esta bem protegido, mas Gwen.

Louis entrega a armadura para Gwen.

Louis – A marca de um cavaleiro é uma boa armadura, tomei a liberdade de comprar essa para você.

Gwen – Louis não precisava.

Louis – Bem, é uma armadura leve de couro com algumas partes de aço, a sua maior qualidade é a agilidade, então use-a para te ajudar.

A armadura de Gwen é parecida com a de Montes mas ao invés de ser uma malha de aço com placas, é uma armadura de couro com algumas partes apenas de aço, como a ombreira direita, um equilíbrio perfeito entre proteção e agilidade, alem disso, a armadura de Gwen também tem uma túnica que a cobre por inteiro, mas, diferente da túnica de montes que vai até um pouco além de seus joelhos por inteiro, a de Gwen é mais parecida com uma saia. A túnica assim como a de montes é preta e branca mas em xadrez com uma água no lado esquerdo superior do peitoral.

Gwen – Obrigado Louis. – Diz Gwen abraçando Louis.

Montes – Ahem, podemos? – Diz Montes empunhando sua espada.

Gwen – S-sim, podemos.

Louis – Muito bem, prestem atenção, um cavaleiro...

*5 meses depois*

É inverno, os campos estão cobertos de neve, o rio parcialmente congelado, o céu branco e o sol escondido nas nuvens, a natureza está sólida, quieta, tudo esta quieto,isso até o som de lâminas se colidindo quebrarem o silêncio.

Gwen – Haha! Acha que lento assim vai conseguir acertar alguma coisa?

Montes – Fica olhando então espertinha!

Montes e Gwen estão duelando no mesmo campo que começaram seu treinamento, que agora está coberto de neve.

Louis – Lembrem-se que um cavaleiro deve saber lutar em todas as circunstancias e ambientes, o que vocês aprendem aqui e agora, pode salva-los em uma batalha real. Montes ainda duelando com Gwen pergunta a Louis:

Montes – Alguma noticia do torneio?

Louis – Ainda não, levanta essa guarda ai! – Responde Louis que está sentado num tronco de árvore caído.

Montes – Droga, já passaram 5 meses, nada de ataques ou de noticias de ataques ou de qualquer coisa.

Gwen – Achei que tínhamos passado por isso já Monty, não se distrair no meio do combate.

Montes – Ah me desculpe, é que você é tão fraca e insignificante que eu não luto sério.

Gwen – Ora seu!

Gwen e Montes agora estão com algumas partes de suas armaduras com pelos de animais, para aguentar o frio. Depois do árduo treinamento com Louis, Gwen agora usa uma espada curta e uma adaga para lutar, alem de ter deixado o cabelo solto e agora está mais linda que o por do sol em Biram. Montes deixou o cavanhaque  crescer para ficar parecido com seu pai,e ainda luta com a espada longa que herdou de seu pai. Louis cuidou de um intenso treinamento para os dois, passaram fome, aprenderam a sobreviver e a se adaptar.
Os dois agora tem 17 anos, e continuam com o mesmo sonho, se tornar um cavaleiro e lutar pela justiça e ordem.

Gwen – Sabe, até que esse cavanhaque te deixa bonitinho, você até parece homem!

Montes – Ah não, agora você vai ver!

Montes ataca Gwen sem pensar e acaba perdendo o equilíbrio, Gwen usa essa oportunidade para derrubar de vez Montes que está no chão e desarmado. Gwen manda um beijo para Montes e pisca seu olho direito para ele.

Gwen - *Mwa* ;), venci.

Montes – Rum. >:(

Louis – Muito bem, vamos voltar.

Os 3 voltam para Biran, neste tempo que ficaram em Biran treinando, os 3 cumpriram algumas missões para o Lord Clark, como escolta de caravanas e outras coisas do tipo para poderem manter algum dinheiro em seus bolsos. Em Biran novamente eles voltam para o lugar onde tudo começou, a estalagem de Harald.

Harald – Vocês são loucos treinando nesse frio, quem venceu? – Pergunta Harald tremendo tentando acender a fogueira.

Montes aponta para Gwen que esta com um sorriso no rosto.

Harald – Ótimo, ganhei  50 moedas.

Montes – haha!

Louis – Então, como esta o movimento hoje Harald?

Harald – Nada demais, com esse frio pouca gente vem e vai.

Louis – Imaginei.

Harald – Só um mensageiro de Yulus.

Montes – Yulus?

Harald – É, parece que Yulus foi atacada.

Gwen/Montes – Espectros!?

Louis – Acalmem-se vocês 2. Como assim Harald?

Harald – ele passou aqui e foi direto ao palácio, não disse muita coisa.

Louis, Montes e Gwen correm até o palácio para saber o que aconteceu. Chegando lá encontram o mensageiro exausto contando ao Lord Clark o que aconteceu.

Mensageiro – Então foi isso, eles vieram na cidade atrás do pessoal de Santiago e levaram o capitão.

Lord Clark – Ah, ai estão vocês. Acho que vão querer ouvir isso.

Mensageiro – É! São eles mesmo!

Louis – Então, o que houve? – Pergunta Louis assustado.

Mensageiro – Yulus foi atacada por bandidos, eles vieram atrás de vocês e como não encontraram levaram o Capitão Clasis para ter certeza que viriam até eles.

Montes – Clasis? Por que levariam o Clasis?

Mensageiro – Não sabemos, eu fui mandado para encontrar vocês e passar a mensagem.

Louis – Ainda bem que não foram os espectros, pelo menos isso esta do nosso lado, mas como esse ataque aconteceu? A guarda da cidade não conseguiu para-los?

Mensageiro – Aconteceu a noite, tínhamos poucos guardas, eles atacaram de surpresa matando vários dos nossos homens dormindo. Eles disseram que iriam vingar o irmão do líder dos ladrões da floresta.

Gwen – Quem era o irmão desse líder?

Mensageiro – Aquele que se disfarçou de um dos nossos soldados para nos emboscar.

Gwen fica assustada ao ouvir a noticia, ela tinha sido a responsável pela morte do homem que os bandidos estavam vingando.

Montes – Eu vou pra Yulus – Montes se vira e vai em direção ao portão do palácio, mas Louis o segura.

Louis – Espera ai, acha que vai conseguir alguma coisa sozinho?

Montes – O Capitão Clasis ta em perigo, pode estar até morto, por nossa culpa, eu não vou deixar isso assim. Mestre, você nos treinou para isso, é essa a nossa oportunidade.

Gwen – Eu também vou.

Louis – Gwen?

Gwen – Eu matei o irmão desse líder, eu sou responsável também. – Disse Gwen decidida do que iria fazer.

Louis – Argh, acho que não temos muita escolha. Marchamos até Yulus então.

Lord Clark – Querem ajuda?

Louis – Não precisa alteza, seremos  mais rápidos se formos sozinhos e se esses caras resolverem atacar Biran também? Eles conseguiram vencer a Guarda de Yulus e o capitão Clasis que é muito habilidoso.

Lord Clark – Como quiserem, peguem cavalos nos estábulos e levem suprimentos, Yulus é longe e o inverno esta rigoroso.

Louis – Sim senhor!

Os 3 se preparam, pegam as suas armas e suprimentos e preparam os cavalos para partir.

Harald – Aqui, levem isso. – Harald estende uma garrafa a Montes.

Montes – O que é isso?

Harald – Vinho, vai esquenta-los se precisarem.

Montes – Mas não pode-

Harald – Bobagem, vocês já tem 17 anos, leve Montes.

Montes – Obrigado!

Gwen – Obrigado Harald, prometemos que vamos voltar.

Harald – Eu espero! Se cuidem.

Louis – Até mais velho amigo.

Harald – Até!

Os 3 partem novamente em direção a Yulus dessa vez pegando um caminho diferente que contorna Santiago.

Louis – Vamos por esse caminho, eles devem estar nos esperando em Santiago com uma emboscada.

Montes – Concordo.

Gwen – É.

Passam-se 1 dia e meio, os 3 pararam para descansar por algum tempo e continuaram a cavalgar até chegar em Yulus. Os guardas de Yulus os reconhecem.

Guarda – Acredito que o Lord queira falar com vocês.

Lord Robert – Perdi alguns homens por culpa de vocês e meu melhor cavaleiro. Acredito que estão aqui para resolver esse problema não é?

Louis – Isso.

Lord Robert – Como o mensageiro disse a nossa pequena cidade foi atacada, estamos com menos da metade da guarda. Mas temos um prisioneiro, vão acha-lo na dungeon da cidade.

Louis, Montes e Gwen vão até a prisão que tem alguns guardas com apenas um prisioneiro.

Prisioneiro – Ahá! Ai estão vocês, o chefe adoraria ver vocês mortinhos.

Montes – Guarda, abra essa cela.

Guarda – Oque?

Louis – Queremos falar com o prisioneiro.

O Guarda abre a cela e Gwen enraivecida entra na cela. Ela puxa sua adaga e aponta no olho do prisioneiro.

Gwen – Eu vou perguntar só uma vez, Onde esta o Capitão Louis!?


Notas Finais


Gostou? comente, compartilhe e deixe sua nota! Encontrou algum erro? é só avisar que eu concerto assim que puder. Nos vemos no próximo capítulo ;).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...