História A lenda do amuleto azul - Reverse Falls - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Candy Chiu, Dipper Pines, Gideon Gleeful, Grenda, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Personagens Originais, Soos Ramirez, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Wendy Corduroy
Tags Reverse Falls
Visualizações 263
Palavras 1.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLHA EU AQUI DENOVOOO, DEPOIS DE TER SUMIDO POR 89 ANOS!!

Espero que gostem desse tipo de escrita.

P.s. os que estão em itálico (um pouco deitado) é meio que uma narração, que ele faz, mas na verdade ele não sabe. Tipo, ele não conhece a Pacífica (ainda).

De qualquer modo, espero que tenham entendido, e fiquem com o capítulo!

Capítulo 5 - Capítulo 5


Caros leitores, sinto muito, mas a garotinha não está aqui nesse momento para narrar tudo a vocês. Então, a autora me colocou no lugar dela. Por isso, hoje, vocês irão ver/ler uma parte, da vida de um Gleeful. 


- O show começa em 15 minutos.

 

Conhece ele? Acho que sim. Mas para facilitar vou dar uma dica. Começa com a letra S. 


- Ok, retire-se Soos. 


Ele mesmo. Soos Ramirez. O nosso "mordomo", mas parece mais um calendário humano. 

Ele sabe de toda agenda de horário dos shows, entrevistas, ensaios, etc... 


Ele saiu e fitei minha irmã, com cara de tédio. 

Ela apenas revirou os olhos e continuou a lixar sua unha. 


Aqui vai um tutorial de: como enganar os caipiras dessa cidadezinha. 

1- seja lindo

2- tenha um sorriso lindo

3- finja que é perfeito

4- esconda sua real identidade

5- seja rico

6- seja eu. 

E se você segue essas 6 regras, parabéns, você consegue controlá-los na palma da sua mão. 


- Idiotas - penso enquanto termino de arrumar para o show. 


[...]


Como sempre, minha irmã sempre aparecia primeiro, andando pelo lado esquerdo do palco. 

- Boa tarde, Reverse Falls! - disse estendendo os braços para frente, com um sorriso. 


Um sorriso falso. 


E como sempre, os caipiras aplaudem. 

Fui andando lentamente pelo lado direito, até onde estava minha irmã, e falei a mesma frase de sempre. 

- Obrigado por virem ao nosso show! 



Incrível como as pessoas daqui são manipuladas facilmente. 


Depois, fizemos o de sempre. 

- Eu sou Mabel Gleeful. - disse se curvando

- E eu Dipper Gleeful - me curvei também

Nós erguemos nossas cabeças, e falamos: 

- E nós somos os gêmeos da telepatia! 

Depois de isso dito, vários pombos brancos apareceram voando por trás de nós. 

 Eles acham que isso é real. 


  - Hoje, vamos começar com um truque até que simples. - disse ela andando pelo palco. 


Gosto dessa apresentação. É hilário ver a cara dos panacas. 


  - Qual seria, irmãzinha? 


Isso é a parte ruim. Ter que atuar. Mas... Depois sempre ganhamos uma recompensa. 


  - Hm... Vamos ver... - fez uma cara de pensativa - que tal... Essa?


No momento que ela disse isso, o tempo simplesmente para. Não, não somos nós que fazemos isso. Quem faz isso, se chama Will. Will Cipher. Acho que já conhecem. 

Depois que ele parou o tempo, eu fui pro meu posto, e minha irmã ajeitou a faca na mão dela. 

O Will deixa um boneco meu bem onde eu estava, e segurava com magia.

Ele descongelou o tempo, e os panacas vêem a "mim" no chão. 


Ver a cara deles é a melhor. 


Fiquei quieto por uns 3 segundos, e então finalmente falei: 

  - Errou feio, irmãzinha. 


Todos os olhares foram atraídos para onde eu estava. 


- Tem como alguém ser enganado tão facilmente? - pensei enquanto fazia o meu melhor sorriso falso. 


Mas não se engane, a vontade foi de rir da cara de cada um deles. Mas iria demorar muito. 


Fui andando até o palco e fiquei aos lado da minha irmã. 


  - Obrigada, Reverse Falls! Mas agora, vamos fazer uma apresentação, que sei que todos vocês adoram!


Ou melhor... Que nós adoramos. 

 

  - E qual seria, minha irmã? 


Não sei como eles ainda não perceberam a falsidade no nosso tom de voz. 


  - O truque da caixa, claro. 


  - Vamos escolher uma pessoa da platéia para entrar numa caixa... Quem pode vir? - perguntei


E agora começa a gritaria. 


Todos começaram a gritar "eeeeu" "me escolhe Dipper!!! Eu te amooooo" "aquiiii seu lindooooo" "me escolheeeeeee"


Patéticos. 

Vi cada pessoa da nossa platéia, pra ver quem seria o nosso próximo alvo. 

Garoto loiro de olhos verdes? Não. 

Garoto moreno? Não. 

Garota pequena? Não. 

Garota loira? Não. 

Garota que está sentada na frente da loira? Pode ser. 


Apontei pra ela, que veio dando gritinhos irritantes. 

Perguntei seu nome, e ela disse ser Pricila. 

Falei o que ela tinha que fazer, e Soos trouxe a caixa que usamos. 

Era uma caixa de mais ou menos 1,80m de altura, toda de madeira, pintada de azul com uma estrela com pontas coloridas na parte de cima da frente, com um furo bem no centro da estrela. 

Pintura feita pela Mabel. 

Abri a caixa, e ela entrou. Depois que fechei ela, a Mabel disse: 

  - Platéia, agora quero que contém até 10 comigo! 

Dava para saber que ela estava feliz de verdade. Mas não é felicidade por causa do show. 

  1...

  2...

  3...


Esse é o nosso verdadeiro show. 


  4...

  5...

  6...


Mandaremos ela para o mesmo lugar que nos iremos quando morrer. 


  7...

  8...

  9...


Agora está claro? 


  10!!!! 


Depois de alguns segundos, Mabel foi andando em direção da caixa. 

  - Ops... Acho que mandamos ela à algum lugar. 


Sim, mandamos ela à "algum lugar" e depois a levaremos à sua morte. Incrível, não? 


  - Como a tratemos de volta, querida irmã? - disse, mas já pensando em como torturá-la. 

  - Simples, meu querido irmão! Mas a platéia precisa nos ajudar... Pode ser? 

 

Outra gritaria. 


SIIIIIIM


  - Então no 3, vocês falam "Gêmeos da telepatia". Prontos? 


  - Um... 

  - Dois... 

  - Três!


GÊMEOS DA TELEPATIIIIAAAAA


Eles não sabem a diferença de falar, e gritar. Só pode. 


  - Parabéns platéia! Vocês foram incríveis! Mas agora... Será que ela voltou mesmo?


Parabéns platéia, vocês foram incrivelmente irritantes. 


  - Vamos conferir, querida irmã. - disse andando até a caixa, e a abrindo.

A garota estava lá dentro, ofegante e meio pálida. 


Parabéns Will Cipher, você sabe muito bem fazer a miragem de uma garota. 


A platéia toda começou a bater palmas e assoviar. 


  - Obrigada, querida Reverse Falls! 

 - Ficamos contentes em saber que gostaram do nosso show! 


Ficamos não. Ficaremos. 


  - Nos vemos de novo, em algum lugar. Não sei onde, e nem quando. Mas eu sei que nos veremos de novo! 


Nos veremos de novo após a morte. 

Então as luzes se apagaram, e andei pra trás da cortina. 


Agora começa o verdadeiro inferno para nós. E depois para a tal de Pricila. 


Fotos, fotos, fotos. Não se cansam dos flashs? 

Autógrafos, autógrafos, autógrafos. Suas mãos não doem? 

Sorrisos, sorrisos, sorrisos. Não cansam ser falsos? 

Agora sejem boas pessoas, e vão ao inferno. 


Finalmente nossa diversão vai começar. 


- Mabel, eu lhe darei a honra de começar. - disse ironicamente

- Ai que irmão generoso. 


Ela foi andando are uma sala, onde iria começar a nossa recompensa. 


Uns 5 minutos depois, ela volta com sua roupa um pouco suja, e ela vai em direção do banheiro. 

Minha vez. 


Andei até a mesma sala que ela estava, e logo abri a porta. 

- Olá, princesa. 

Ela nem consegue falar mais. Mabel, você fez um bom trabalho. Mas bem que podia ter deixado um pouco para mim... 

Vejamos, braços... Feito. Pernas... Feito. 


- Eu queria muito poder fazer o que minha irmã fez em você, mas hoje serei bom. 

Fui até a estante, onde estão os meus lindos bebês. 

- Essa é boa - pensei enquanto peguei. 

Fui andando em direção dela. 

- Adeus, vou te encontrar quando morrer... Ou não. - e acertei a faca no lado esquerdo do peito. Exatamente no coração. 


Notas Finais


Então... O que acharam?
Se estiver ruim, me perdoem, é s primeira vez que eu escrevo algo mais "violento"

Até o próximo capítulo! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...