1. Spirit Fanfics >
  2. A liberdade é azul >
  3. 22

História A liberdade é azul - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - 22


Fanfic / Fanfiction A liberdade é azul - Capítulo 22 - 22

-Você tem mesmo que ir embora? - 


-Sim, eu preciso. Tenho que atualizar o conselho sobre a reunião. 


Gaara respondeu segurando o riso diante da expressão quase magoada do outro. O amanhecer estava dando seus primeiros sinais, e por mais que quisesse permanecer ali, Gaara sabia muito bem que ambos tinham responsabilidades nas suas vilas.


-O conselho da sua vila deve me odiar, não é?


-Eu não escuto o que eles dizem, a menos que tenha a ver com a vila.


Conhecendo bem o loiro, sabia o quanto ele se culparia se soubesse o quanto os membros do seu conselho odiavam a relação dos dois. Uma hora precisaria lidar com eles, mas agora não era a hora de se preocupar com velhos preconceituosos.


Naruto terminou de se enxugar, fazendo o mais lentamente que conseguia, talvez uma forma de evitar se afastar do namorado. Gaara conseguiu notar as pequenas mudanças nele que o novo status lhe trouxe. Naruto parecia mais calmo e principalmente seus olhos estavam mais vivos, queimando em chamas azuis outra vez. Ele não podia negar que estava extasiado em ser o motivo da mudança dele.


Naruto se abaixou para alcançar as sandálias, mas endireitou a postura segurando a região da lombar, uma expressão sofrida enquanto sugava o ar entre os dentes.


-Puta merda! Isso doeu, tebayo.


Gaara se culpou por ter exigido tanto dele, mas não conseguiu deixar de sorrir. Ele puxou Naruto para perto sem se levantar de onde estava sentado, abraçando seu quadril, o queixo apoiado na barriga dele.


-Isso é muito bom.


O loiro falou, quase ronronando quando o ruivo começou a fazer uma massagem calma na sua lombar.


-Desculpe raposinha. Prometo tomar mais cuidado na próxima.


-Nem pense nisso!


Gaara fechou os olhos quando o loiro mexeu no seu cabelo, pensando se Naruto tinha noção do poder que tinha sobre ele. Gaara não achava exagero dizer que sua alegria e liberdade giravam em torno dele.


-Está melhor?


-Muito! - Respondeu sorrindo.


Gaara desceu as mãos para o vão entre as nádegas dele, e adorou ouvir o gemido do outro e seu rosto todo vermelho. Naruto puxou o cabelo dele, e antes de se descontrolar, Gaara levantou e foi terminar de se arrumar.


-O que? - Perguntou confuso.


-Eu preciso ir amor. Daqui a pouco a Tema vem como uma louca atrás de mim.


-Mas… eu achei que…


-Achou? 


Gaara perguntou, mesmo sabendo do que ele estava falando. Ninguém conseguia controlar sua expressão tanto como ele, mas Gaara precisou se concentrar para não rir da decepção evidente no seu rosto.


❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃


Na entrada da vila, Naruto sentiu que estava em um dejá vú, já que outra vez os dois irmãos estavam olhando ameaçadoramente Temari e Shikamaru, que conversavam calmos um pouco afastados deles.


-Eu ainda não sei lidar com minha irmã namorando - Kankuro comentou emburrado.


-Vai odiar saber que seu irmão está namorando comigo - Naruto comentou ao abraçar o ruivo ao lado dele.


-Gaara, diz que isso é mentira.


-Foi mal - O ruivo falou com um sorriso - Mas é verdade.


Naruto riu da expressão insultada do moreno, mas antes de conseguir falar alguma Temari puxou a gola do seu moletom e pressionou o Kyodai Sensu na sua garganta.


-Não fique cheio de risinhos assim! Se você magoar o meu irmão, eu te mato!


Naruto recuou alguns centímetros, não sabia muito sobre mulheres mas tinha certeza que elas eram assustadoras. Ele olhou para o ruivo, suplicando sua ajuda com o olhar e o ruivo apenas deu de ombros.


-Tema, se acalme.


Shikamaru pediu segurando o ombro dela e o efeito foi imediato. A loura soltou sua gola para apontar o seu leque contra o moreno, reclamando sobre ele não se intrometer nos assuntos dela. Sorrindo, Gaara se aproximou dele.


-Ela é sempre assim?


-Normalmente um pouco pior.


-Kowai - Naruto falou antes de beijar o topo da cabeça dele.


Naruto o abraçou apertado - Não quero te deixar ir…


-Eu também não quero, mas eu tenho que ir.


-Vou sentir saudades baixinho. Eu te amo.


O beijo de despedida entre eles foi manso e demorado, o loiro estava receoso de exagerar e deixar ela irritada. Cedo demais, eles se afastaram, mas o sorriso permaneceu nos rostos dos dois.


-Eu te amo, Naruto. Mas não me chame de baixinho. Você quem é muito alto!


-Desculpe amor, você é baixinho sim… Aí! Não precisava me bater!


Gaara sorriu outra vez, e Naruto sentiu seu coração aquecer ao reparar o quanto ele estava sorrindo desde o amanhecer. Ver ele feliz daquele jeito, e saber que ele era o motivo trouxe um orgulho e uma onda de paixão sem igual nele. Enquanto via eles se afastarem, não conseguia deixar de sorrir.


-Eu já estou com saudades dele - Resmungou para Shikamaru.


-Eu também, a Tema é… problemática demais, mas de um jeito bom.


-Acho que eu consigo entender. Foi graças a ela que eu consegui fazer as pazes com o Gaara.


-Vocês estão namorando mesmo?


-Sim - Naruto falou ainda sorrindo.


-Por isso você está andando estranho?


-Sim - Respondeu antes de se dar conta do que tinha falado.


-Neji me deve cem ienes! - Shikamaru falou calmo e caminhou de volta para a vila.


-Espera. Vocês apostaram?


Naruto gritou a pergunta várias vezes, mas Shikamaru continuou o ignorando, mesmo que as pessoas ao redor olhassem estranho para os dois.


❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃


Quando decidiu lutar contra a Kyuubi, Naruto sabia que seria difícil, mas não pensou que ela usaria Gaara para o abalar.


A Kyuubi fez Naruto ver Gaara sendo morto para o proteger, caído nos seus braços e sangrando, não importava a pressão que ele fizesse nos seus machucados, o sangramento não parava. Naruto implorou, não suportaria ver os olhos verdes dele perdendo a vivacidade. Ele tentou repetir que era só uma ilusão, que Gaara estava bem, tudo em vão.


O desespero causou dor emocional e física. Ele se sentiu numa caixa que o apertava cada vez mais, o impedindo de sair, de respirar. Uma luz tão clara quanto o brilho reluzente do ouro, cegou seus olhos por um segundo.


-Tudo bem. Você pode ficar aqui, Naruto.


Ele nunca tinha ouvido aquela voz reconfortante antes, mas se sentiu tão bem, indefeso, mas não de um jeito ruim.


-Quem é você? Como você sabe o meu nome?


Uma mulher jovem e bonita estava diante dele. O que mais chamou sua atenção foram os cabelos compridos e tão vermelhos quanto o de Gaara, caindo como uma cascata de fogo pelas suas costas. Ela parecia delicada, mas a força que ela emanava dela era assustadora.


-Verdade! Você consegue adivinhar quem eu sou, Naruto?


-Não pode ser… Você é a verdadeira forma da Kyuubi?


A mulher precisou de curvar e segurar o ventre com a crise de riso que ela teve, e só serviu para irritar ainda mais Naruto.


-Essa risada foi péssima! Você não vai conseguir me enganar assim, Kyuubi!


Naruto não conseguiu ver a mudança súbita nela, por isso o cascudo o pegou desprevenido. 


-Você entendeu errado, tebane!


-Que dor… Hum… tebane?


Seu coração se acelerou e apertou no peito quando ela coçou a nuca, gesto que ele também fazia com frequência e sorrindo, ela começou a falar rápido e animada.


-Não consegui me segurar e acabei te batendo. Eu sou impaciente e falo rápido, por isso uso frases esquisitas. Eu tento me controlar mas escapam sempre que eu fico empolgada.


Naruto não conseguiu pensar em mais nada, só conseguia olhar a diversão por trás das íris mais escuras que a dele, as cores cinza e azul amálgamas focadas nele.


-E você? Eu queria muito que você não herdasse nenhuma das minhas frases idiotas.


Naruto não sabia que a felicidade podia doer, mas seu coração parecia prestes a explodir tamanho o esforço que ele fazia para manter seu corpo firme.


-O Minato não disse nada para você? Que malvado. Sim, eu sou…


Quando ele a abraçou, o cheiro de cerejeiras encheu seu pulmão, e ele se sentiu tão calmo e em paz que não ligou quando começou a chorar.


-Eu sempre, sempre quis te conhecer, tebayo, mamãe.


Falar aquela palavra pela primeira vez foi uma emoção sem igual. Ela retribui seu abraço, e ele sentiu o seu amor correndo por suas veias. Era a mesma sensação de equilíbrio perfeito que ele tinha quando estava naquela casa velha.


Quando ele ouviu Gaara dizer o amava, ele pensou que nunca se sentiria tão feliz outra vez, mas agora, dentro do conforto do abraço da sua mãe, Naruto sentiu transbordar na sua alma todo o amor, paz e felicidade, até completar o vazio que ele ignorou por todos aqueles anos.


❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃❃


-O Minato usou o meu chacra na fórmula de selamento para que quando chegasse a hora de você controlar o poder da Kyuubi, eu pudesse te ajudar.


Naruto tinha plena consciência que aquela conversa era importante, além do fato da sua mãe estar segurando a Kyuubi para que eles pudessem conversar, mas não conseguia prestar atenção em nada além da sua alegria.


-Você está me ouvindo?


-Mamãe, como você é linda! Eu não consigo prestar atenção!


-Ora, obrigada! Seu cabelo é igual ao do seu pai, mas me desculpe por você ter nascido parecido comigo, Naruto.


-Por que? Se eu sou parecido com você, isso me faz bonito também, não é? E você tem um cabelo liso e vermelho muito lindo, mais bonito do que o do Gaara. Queria que o meu cabelo fosse vermelho também, dattebayo.


-Você é o segundo homem que elogia o meu cabelo vermelho - Ela falou com a voz cheia de nostalgia.


-Sério? Quem foi o primeiro?


Kushina riu outra vez, as maçãs do belo rosto assumindo um tom rosa.


-Quem mais seria? O seu pai.


-Isso me lembra! - Naruto bateu o punho esquerdo na sua palma direita.


-O que foi?


Balançando o corpo de um lado para outro, assim como a criança que ele se sentia, ele fez uma pergunta que deixou ela mais vermelha ainda.


-Ei, ei. Eu sempre quis te perguntar uma coisa assim que te encontrasse! Como você e o papai se apaixonaram?


-Que coisa mais inconveniente para se perguntar, tebane!


-Você disse tebane! Está empolgada!


-Na verdade, estou mais abalada, tebane!


-Você disse de novo!


-Tudo bem. Mas só se você me contar quem é Gaara.


Agora foi a vez de Naruto corar, não fazia ideia de como conseguiria contar sobre ele para a sua mãe, ele tinha medo que ela perdesse o belo sorriso. Mas a forma que ela o olhava lhe passou toda confiança que precisava para se sentir à vontade com suas escolhas. Ele concordou e Kushina contou sua história.


Ele ouviu cada palavra com atenção extra, ele sabia o quão valiosas e importantes elas eram, cada uma delas preenchendo os pequenos buracos que haviam no seu coração. Quando Kushina chegou no final da história, sentiu um calorzinho gostoso na sua bochecha com os detalhes sobre como ela foi salva pelo seu pai.


-Naquele momento o Minato pareceu o maior dos ninja para mim. Ele era o homem dos meus sonhos. Ele me transformou. Esse cabelo vermelho que eu costumava odiar, me trouxe o homem da minha vida, e se tornou o Akai Ito que nos ligou. Então, depois daquele dia, eu aprendi a amar o meu cabelo, e me apaixonei pelo Minato.


Naruto sorriu a ponto das suas bochechas doerem, eufórico em saber que seus pais se amavam desde tão jovens. Mal podia esperar para escrever sobre aquilo para Gaara.


-Só homens que elogiam o meu cabelo podem ouvir essas preciosas palavras. Você as aceita, Naruto?


-Sim! - Respondeu sorrindo novamente!


-Eu te amo.


Naruto sentiu que era a pessoa mais sortuda do mundo, um pouco acanhado por não conseguir conter suas emoções. Não sabia muito do amor fraternal, mas teve certeza que dentro da sua alma, o amor dos seus pais seriam como dois sóis, iluminando seu caminho e dissipando qualquer escuridão que ousasse se aproximar dele. Ele nunca havia se sentido tão forte como diante do sorriso dela.


-E então, quem é Gaara?


Ela perguntou com um sorriso divertido. Ele parou de se balançar, e começou a contar sobre ele e Gaara, cada desafio que eles passaram. Reviver aquela história fez com que ele percebesse o tamanho do sentimento que ele tinha por ele, diferente do amor que ele sentia pelo seus pais, mas tão robusto e denso quanto.


-Ai! - Kushina o tirou dos seus devaneios com outro cascudo - Por que isso?


-Não acredito que você ficou enrolando ele todo esse tempo, Naruto! Você passou muito tempo com o Jiraya-sensei!


-Mas eu estava confuso, mamãe! Eu ainda não sei que negócio é esse que eu tenho com o Sasuke, mas é difícil. Tem horas que eu me sinto dividido.


-Pode ser que vocês tenham uma ligação de alguma vida passada. Mas isso não importa, dattebane! Essa é a sua vida, Naruto. Você decide seu destino! Você gosta do Gaara, não é?


-Sim, eu amo ele, mamãe.


-Então deixe de frescura - Ela lhe deu outro cascudo, esse mais fraco que os anteriores - Se você já se decidiu, não se permita voltar atrás.


-Sim, mamãe! Mas, tudo bem pela senhora? Nós dois somos homens no fim das contas.


Naruto desviou os olhos, temendo a resposta dela, temendo ser rejeitado. Ele só voltou a respirar calmamente quando ela tocou seu ombro e o abraçou novamente.


-Eu não poderia estar mais feliz. Eu desejei no meu último suspiro que você encontrasse parecido comigo, sabe o por quê? Porque eu queria que você tivesse alguém pelo resto da sua vida ao seu lado, te protegendo e te amando assim como eu! Sou muito grata ao Gaara por ele estar cuidando do meu maior tesouro, Naruto.


Mães são incríveis, Naruto passou a ter certeza disso, e ele teve a honra de ter a mãe mais forte e incrível de todas. Aquele encontro, por mais breve que tenha sido, ficará para sempre na sua memória.


O amor dos seus pais protegeria sua alma para sempre, enquanto o amor do Gaara protegeria seu coração.


Movido e protegido por aqueles dois amores, Naruto conseguiu derrotar Kyuubi e dar mais um passo em direção ao futuro que ele almejava ao lado do seu ruivo.



*Eu chamo ele de Madara ainda porque eles não sabem que na verdade é o Obito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...