1. Spirit Fanfics >
  2. A Light in the Darkness - The Walking Dead >
  3. Não irei desistir.

História A Light in the Darkness - The Walking Dead - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


"Vocês não imaginam o prazer que é, estar de volta."

Eae pessoal, se acalmem e guardem suas armas e facas.
Eu sumi? Sim! Mas foi por que eu estava sem ânimo para nada, eu estava bem ble e então me perdoem pela sumida repentina ;-;

Lembrete:
Não esqueçam que quando nao tem quebra de tempo, é por estar acontecendo tudo ao mesmo tempo galera '-')b

Capítulo 19 - Não irei desistir.


Carl pov:

- Aslam, não corra tanto na frente. - Falo um pouco alto enquanto corria atrás do mesmo, assim que amanheceu meu pai saiu e aproveitei para pegar minha mochila e corri para a casa que Chris e Sam dividiam com Eugene, peguei uma roupa de cada um e dei para Aslam cheirar, sai com o mesmo para fora de Alexandria e esperava que ele fosse bom em rastrear, assim eu iria conseguir achar o lugar onde eles estão. - Aslam! - O chamo que para de correr e se vira para mim, ele da alguns pulos no lugar alegre e corre em minha direção pulando em mim. - Eu sei que você está feliz em correr assim mas temos que achar os seus donos, você entende?! - Falo o olhando e acaricio sua cabeça enquanto o mesmo me encarava com a língua para fora. - Tente sentir o cheiro deles, está bem?! - Aslam late e pego a camisa do Chris o deixando cheirar novamente, eu me achava a pessoa mais louca por tentar falar com um cachorro mas era a minha única opção, assim que ele termina de cheirar volta pro chão e começa a cheirar o mesmo, guardo a camisa e o sigo quando o mesmo volta a correr, faço uma careta, quanta energia meus Deus.

Narrador pov:

- Sam, o que está fazendo? - Tanya perguntava com uma expressão confusa em seu rosto, a mesma tinha encontrado Samantha no meio da sala sentada no chão em posição de lótus mas o tronco de seu corpo estava todo para frente e seu rosto virado para o chão enquanto suas mãos estavam no mesmo.

- Me alongando. - Samantha murmurou e sua voz saiu um pouco abafada.

- Acordou dolorida? - Frankie perguntava enquanto segurava uma bandeja com comida em suas mãos.

- Não. - Ela volta a ficar reta e estica suas pernas, a mesma logo volta a esticar seu corpo para frente e coloca suas mãos em seus pés.

- Bom, a Frankie trouxe seu café da manha já que você estava dormindo quando fomos a acordar. - Sherry comentou enquanto a olhava, as três mulheres se entreolharam por um momento, desde que a garota acordou a mesma estava bem diferente e sentiam que a mesma estava a um passo de entrar em um colapso nervoso.

- Obrigada, já irei comer. - Samantha falava com extrema calma, a mesma abriu suas pernas até fazer um escapate dobrou sua perna de trás e a levou até sua cabeça onde ficou a segurando com sua canhota.

- Sam, você está bem mesmo? - Frankie perguntou tentando esconder seu tom preocupado enquanto colocava a bandeja sobre a mesa.

- Sim. - Foi tudo o que ela respondeu mas antes que a questionassem novamente as portas se abrem revelando a figura de Negan, a expressão em seu rosto estava um pouco cansada mas seu sorriso irônico não deixava seus lábios.

- Bom dia minhas adoráveis esposas.

- O que faz aqui tão cedo Negan? - Tanya perguntou enquanto cruzava seus braços.

- Falando assim parece que não gosta da minha adorável companhia querida. - A mesma apenas revirou os olhos de forma discreta. - Mas respondendo sua pergunta, vim para ganhar uma massagem de Samantha. - Ao ouvir o que o mesmo falou, a garota soltou seu pé de repente o fazendo bater no chão e um gemido de dor escapar de seus lábios. - Não precisa ficar assim querida, não vai ser nada de mais.

- A Sam ainda nem comeu, pode ser uma de nós. - Frankie se adiantou mas Negan balançou seu indicador em negação.

- Ela ainda é minha esposa, tem que fazer as coisas para mim. - A garota se endireitou enquanto colocava uma mecha atrás de sua orelha. - Vamos lá doçura, depois você poderá comer, já que irá precisar. - Samantha revirou seus olhos e reprimindo a careta de nojo.

- Certo. - Ela respondeu e se levantou arrumando sua blusa, todos no quarto ficaram surpresos em especial Negan, ele esperava alguma reação mais alarmante mas nada disso veio. Negan andou ate a mesma e segurou sua mão e começou a puxa-la em direção ao quarto da garota.

- Então vamos querida. - Deu um minimo sorriso enquanto falava, entrou no quarto da garota e fechou a porta mas não sem antes perceber a expressão temerosa no rosto das mulheres e acabou revirando os olhos de forma debochada. Negan deixa Lucille em uma cadeira e retira sua jaqueta de couro enquanto via a garota andar de forma perfeita em direção a sua cama e subir na mesma. - Essa é uma cena maravilhosa, você parece tão inocente assim querida.

- Se senta logo.

- Mandona, também gosto. - A garota suspira tediosa e coloca seu cabelo para tras de seus ombros, Negan deixa sua jaqueta na poltrona e retira sua camisa também e a deixa junto, caminhou ate a cama e deitou no espaço que a garota tinha deixado. - Pode começar querida. - A garota desceu suas mãos de suas coxas e encontrou os braços de Negan e seguida levou suas mãos até as costas do mesmo percebendo que o mesmo estava sem sua camisa o que resultou em seu rosto vermelho enquanto comceçava a massagem, nesse momento a garota se arrependia de ter aceitado aquilo mesmo que não tivesse uma escolha.

Carl pov:

- Aslam, você precisa se focar. - Digo enquanto suspirava frustado com as mãos em minha cintura o olhando se esfregar nas folhas secas, corremos por um bom tempo mas parecia que ele se distraia com qualquer barulho, desse jeito nunca iriamos achar nada. - ASLAM! - Acabo gritando e o mesmo para de se esfregar e levanta a cabeça para me olhar, me aproximo e me agacho em sua frente enquanto respirava fundo. - Precisamos achar seus donos! Eu preciso do... Nós precisamos deles, a Sam e o Chris podem estar em perigo ou até pior. - Ele inclinava a cabeça para os lados enquanto erguia suas orelhas mas então o mesmo começou a rosnar e ficar em posição de ataque. - Ei amigo, sou eu o Carl! - Digo um pouco assustado mas então escuto galhos quebrando e um grunhido e me viro rapidamente encontrando um walker, puxo minha faca enquanto me levantava e ando em direção ao bicho o acertando na cabeça fazendo seu corpo ir em direção ao chão enquanto eu puxava a faca para fora de seu crânio e me volto para o Aslam. - Esse tipo de coisa que esta atras do Chris e da Sam, você tem que me ajudar Aslam! - Deus me livre Christopher me ver implorando pra um cachorro mas então, Aslam fez algo que me surpreendeu o mesmo se sacudiu retirando a folhagem de seu pelo e voltou a cheirar o chão e a andar enquanto cheirava ainda. - Ok, isso é assustador. - Digo para mim mesmo e volto a segui-lo, espero que sem interrupções dessa vez.

Negan pov:

Sentia as mãos de Samantha em meus ombros e as vezes em minhas costas e puta merda as mãos dela eram maravilhosas. Percebi que a mesma ficou calada o tempo todo e viro meu rosto para poder olha-la.

- Tão quieta querida.

- Não tenho nada para falar. - A mesma apenas da de ombros "olhando" para frente.

- Sabe cantar? - Ela nega com a cabeça e solto um gemido de prazer ao sentir ela apertar um parte de minha nuca e passo minha lingua entre meus lábios. - Não sabe ou não quer que eu escute?

- Não sei e se soubesse, não cantaria. - Solto um riso baixo e a vejo se arrumar na cama.

- Ai esta a minha garota que não segura a lingua.

- Não sou sua garota. - Ela revirou seus olhos.

- Então me cite algum livro. - Digo ignorando sua fala.

- Acho que isso pode afetar o seu QI e faze-lo subir muito e você entrar em um colapso.

- Incrivel como você me xinga de forma educada. - Ergo meu corpo e me sento na cama apoiando minhas mãos na mesma enquanto a olhava se sentar em posição de lótus. - Vamos, diga qualquer coisa, quero ouvir. - A vejo suspirar e coçar sua nuca com uma expressão pensativa.

- "Por um momento o coração de Anne vibrou estranhamente e pela primeira vez seus olhos vacilaram sob o olhar de Gilbert e um rubor rosado manchou a palidez de seu rosto." - Ela começou a falar e observava seus lábios se moverem. - "Era como se um véu pendurado diante de sua consciência interior tivesse sido levantado, dando a ela uma revelação de sentimentos e realidades insuspeitadas." - Acabo dando um sorriso discreto ao reparar nas expressões que ela fazia. - "Talvez, afinal de contas, o romance não entrasse em sua vida com pompa e clamor, como um cavaleiro gay cavalgando; talvez tenha se arrastado para o lado como um velho amigo através de caminhos calmos; talvez tenha se revelado em aparente prosa, até que algum súbito raio de iluminação jogado em suas páginas traísse o ritmo e a música, talvez ... talvez ... amor se desenrolasse naturalmente de uma linda amizade, como uma rosa de ouro escorregando de sua capa verde." - Samantha começava a gesticular com as mãos como se estivesse falando com alguem em sua frente. - "Então o véu caiu novamente; mas a Anne que subiu a rua escura não era exatamente a mesma Anne que a conduzira alegremente na noite anterior." Terminei.

- Isso foi incrivel pra caralho. - Ela revirou os olhos e deu para perceber que a mesma tentava reprimir um sorriso. - Tem mais algum? - Ela hesita por um momento mas assente.

- "Amor, o que é o amor ? Não creio que se possa realmente pôr em palavras. Amor é entender alguém, se importar, compartilhar as alegrias e tristezas. Isso pode incluir o amor físico. Você compartilha alguma coisa, dá alguma coisa e recebe algo em troca, seja ou não casada, tenha ou não um filho. Perder a virtude não importa, desde que você saiba que, enquanto viver, terá ao lado alguém que a compreenda e que não precisa ser dividido com ninguém mais!"

- Você é tão profunda querida. - Ela estreita o olhar e balança sua cabeça em negação.

- Como gosta de falar coisas em duplo sentido, parece um adolescente na puberdade. - Arqueio minha sobrancelha, o pior de tudo era que essa garota me fazia ter pensamentos assim e eu não ando gostando tanto. - Devia ler mais, vai ajudar a você a não ser esse ogro. - Acabo rindo e levo uma de minhas mãos ate minha barba a coçando.

- Do que você gosta?

- Como? - Perguntou ela confusa enquanto fazia uma leve careta.

- Quero saber do que você gosta. - Volto a apoiar minha mão na cama e a vejo sorrir, parecia que a mesma estava ate um pouco mais leve.

- Você ainda não é digno de saber, já sabe que gosto de livros e isso é o suficiente. - Balanço minha cabeça em negação dando um sorriso irônico, essa garota vai ser a minha ruina.

- - - - - - - - - - - - -

Carl pov:

Já fazia muito tempo que eu estava andando e nesse exato momento, estava parado afagando a cabeça de Aslam, ainda não acredito que implorar deu certo. Olho para frente encontrando uma fábrica com walkers na volta, algumas pessoas faziam a ronda. Agora tudo o que eu preciso é achar uma maneira de entrar, essa seria a parte dificil mas nao irei desistir tão rápido assim.


Notas Finais


Os trechos citados são dos livros:
- O diario de Anne Frank
- Anne de Avonlea - XXX - Um casamento na Casa de Pedra.

Espero que não tenha nem um erro e obrigado por ler '-')sz

-W


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...