1. Spirit Fanfics >
  2. A lince da solidão >
  3. Medo e tristeza

História A lince da solidão - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Medo e tristeza


O episódio da luta de Natty vs Yuna não parava de circular pela Palaestra. Muitos falavam do quão perigosa ela parecia e muitos nem amizade com ela queriam.

"Você viu o que ela fez com a Yuna? Quebrou o braço dela!" Comentava um dos alunos.

"Que medo dela. Ela parece ser um monstro". Comentava uma das alunas.

"Aposto que ela tem inveja da Yuna ser amiga do Ryuho hehehehe". Dizia o mesmo aluno dando uma risada.

"Claro, ele é um dos garotos mais lindos da Palaestra. Que garota não seria afim dele?" Perguntava outra aluna meio séria.

Aquilo irritava Ryuho que passeava por ali a noite. Quantos comentários maldosos deles. Mas ele se deparou com um que ofendeu não só a ela mas a ele também.

"Fiquei sabendo que ela dorme no mesmo dormitório do Ryuho. Espero que ele tenha sorte com esta monstra do lado dele". Comentava Spear de Peixe-Espada para seus amigos.

Ele queria falar algo sobre aquilo.

"Escutem aqui, eu vou ficar bem e ela não é quem vocês estão pensando que ela é!" Dizia Ryuho meio bravo com Spear. Os dois eram elemento água então meio que se davam bem.

"Depois de ela ter quebrado o braço da Yuna? Claro que desejariamos sorte a você". Dizia Spear em um tom irônico.

"Mas como eu disse, eu vou ficar bem. Além do mais viu que ela prefere a mim. Acho que ela só é assim por ser mal-compreendida. Talvez se eu falar calmamente..." Dizia Ryuho meio sem graça tentando dizer algo util até ser interrompido.

"Ryuho, te respeitamos e tudo mais mas...eu também era alguém que gostava de solidão e mesmo assim não cheguei quebrando o braço da primeira pessoa que vi na minha frente". Dizia um dos dois amigos dele.

Aquilo deixou Ryuho pensativo. E se eles estiverem certos? E se ela só quer mesmo Ryuho de amigo e não os demais?

Quando chegou ao quarto, ele se deparou com Natty mas....ela estava chorando.

"Natty...o que houve?" Perguntava Ryuho preocupado.

"Eu...nunca vou ser feliz. Nunca vão me deixar em paz. Eles não entendem que cada um tem seus gostos diferentes para amizade ou qualquer coisa!" Respondia ela com tristeza por baixo da máscara.

"Mas Natty...você quebrou o braço da Yuna. Isso é errado. Ela agora está com muita dor" Dizia Ryuho um pouco bravo com ela mas também triste.

"Ela mereceu por querer me empurrar a algo que não quero. Eu odeio eles". Ela dizia de modo sério com a voz embargada.

Aquilo deixou Ryuho triste. Eles eram seus amigos mas...também tem essa garota que se sentiu obrigada a algo que não queria.

"Não me diga que...você gosta dela. Você é apaixonado por ela?" Perguntava Natty com a voz ainda de choro mas um pouco brava.

"Não, eu só..." Tentava dizer Ryuho até ser cortado por ela.

"ENTÃO PORQUE ESTÁ COM ELES?? EU TE AMO, RYUHO!! ESTOU APAIXONADA POR VOCÊ DESDE TRÊS MESES ATRÁS QUE VOCÊ ME RECEBEU NA PALAESTRA!!" Natty gritava brava e triste com ele chorando mais e colocando seus dedos em sua máscara.

Pela primeira vez ela tirou sua máscara e podia-se ver seus olhos inchados de tanto chorar e sua tristeza no olhar.

Ryuho estava indeciso sobre o que fazer.

Mas depois viu ela colocando a máscara de volta.

"Já vi então que você a ama". Ela dizia em um tom de decepção deixando de chorar.

"Espere Natty, eu..."

"Vou pedir para os professores me trocar de dormitório. Felicidades ao casal". Ela dizia em um tom sério mas decepcionada.

Sem dar tempo para ele falar mais, ela saiu dali deixando ele sozinho no quarto.

Cinco meses se passou e a interação entre Natty e Ryuho não era mais o mesmo desde que ela trocou de dormitório. Daquele dia ela resolveu selar seus sentimentos.

Contou aos professores que deixou cair sua máscara antes de se mudar de dormitório o que eles deixaram bem claro: Se a amazona mostra o rosto para um cavaleiro, ela deve mata-lo ou ama-lo.

Ela claro que escolheu matar Ryuho. Só assim ele sairia de seu coração e a dor de estar distante dele iria cessar. Porque no fundo de seu coração ela escolheu amar ele.

Mas depois do que aconteceu ela não tinha mais como ter coragem de ama-lo de novo.

E começou mais um dia na Palaestra.

"Alunos...eu falarei os nomes de cada um e esse aluno responderá uma pergunta. Primeiro Yuna de Águia. O que é o sétimo sentido?" Perguntava o professor Diógenes a ela.

"O sétimo sentido é o sentido que ultrapassa os outros: audição, visão, tato, paladar e olfato. Incluindo o sexto que é a intuição. Ele também é chamado de cosmo supremo". Yuna respondia em um tom meio sorridente a ele.

"Muito bem, Yuna. Natty de Lince agora. O que é necessário para fazer um ataque?" Ele elogiava ela de modo sério e em seguida se virava a amazona de lince perguntando.

"Elevar seu cosmo, concentrar todos seus sentidos, sentir todas as células do seu corpo e reuni-las em um único ponto. E com isso, faça-as explodir". Natty respondia em seguida usando um pouco de seu cosmo em forma de punho e em seguida lançando um ataque de cor lilás.

Esse ataque fez quase derrubar a mesa do professor, mas como esse gostava de demonstrações, ele se impressionou.

"Muito bem, lince. Ganhou um dez". O professor dizia sorrindo para ela, o que surpreendeu Yuna.

"Muito obrigada, professor Diógenes". Ela agradecia em um tom alegre.

"Quero você depois da aula. Quero falar com você sobre algo". O professor Diógenes dizia em um tom meio sério mas sem deixar de estar empolgado com a aluna em potencial que tem em mãos.

"Sim, professor". Ela assentia a ele  por sua ordem.

Chegando no final da aula, ele pediu para que ela fosse até a arena da Palaestra, onde ela encontrou Ryuho e Yuna.

"Droga...porque?" Ela se perguntou pensativa meio brava.

"Natty...eu quero que como você está empatada de notas com Ryuho e Yuna, possa fazer algo por mim mas o assunto de hoje é outro". O professor Diógenes explicava de modo sério a ela.

"Olha professor...se é sobre eu ter quebrado o braço dessa putinha que voa há cinco meses atrás, foi ela que mereceu. Ela foi querer conversar comigo e eu odeio ela". Natty explicava em um tom bravo.

"Natty, eu so queria ser sua amiga. O que fiz para merecer seu ódio?" Perguntava Yuna meio preocupada.

Pra Natty ela não precisava de preocupação vindo dela e nem de Kouga ou Souma.

"Começou a falar comigo. Isso o que você fez. Isso foi o que vocês exceto Ryuho fizeram". Dizia Natty com muita raiva.

"Natty...eu..." Tentava Yuna dizer algo meio triste mas é interrompida por outro grito.

"POR SUA CULPA NÃO FALO MAIS COM RYUHO E TENHO QUE MATA-LO POR ELE VER MEU ROSTO!!" Esbravejava Natty com uma grande fúria.

"Natty de Lince. Silêncio. Se é isso que quer, então vamos lá. Vai ser Ryuho contra você. Agora mesmo". Dizia o professor de um jeito sério ajeitando seus óculos.

"Sim...professor". Dizia Natty em um tom de voz sério.

Na máscara não se podia ver, mas ela estava começando a chorar. Seria obrigada a matar a pessoa que está perdidamente apaixonada.

"Me desculpa, Ryuho. É o único jeito". Ela dizia com um tom de voz triste apesar da máscara não transparecer.


Será que Ryuho será morto ou será que ela parará no último minuto?


Notas Finais


Uuhhhh surpresa por aí.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...