História A lista de ciúmes do meu namorado - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bottom!jimin, Bts, Jealous, Jeon, Jikook, Jimin, Jungkook, Jungkook Ciumento, Kookmin, Minkook, Park, Side!vhope, Top!jungkook
Visualizações 323
Palavras 1.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


o cap é curto, eu sei, mas é meio que um cap de transição, é isto, e eu também tinha que att essa fic né Kkkk
uma leitora comentou algo parecido com o que ocorre nele e quase falei "olha o spoiler" >< obgd pelo feedback aaaaa <3 okay, boa leitura ciumentinhasxx

Capítulo 7 - Living room


Fanfic / Fanfiction A lista de ciúmes do meu namorado - Capítulo 7 - Living room

ʟɪᴠɪɴɢ ʀᴏᴏᴍ

"Podemos conversar depois, hyung?"

Essa era a frase que o moreninho mais ouviu em apenas um dia. Jungkook não era mal educado com os outros e do nada fica o colocando de segunda opção?, Jimin pensava dessa maneira, angustiado.

Ele tinha algo muito importante para falar com o mais novo e toda vez que tinha a bendita oportunidade, pessoas apareciam e roubavam o garoto de si pelo campus. Bufava frustrado toda vez, seus fios escuros estavam quase sendo arrancados quando não medido o esforço em puxá-los.

Mas esperança é a última que morre, o Park iria aproveitar da, talvez até a última, oportunidade e teria que ser ágil antes que alguém chegasse e destruísse sua ambição. 

Á sua vista, podia ver o garoto alto com uma leve pressa no andar, também carregava alguns livros e apenas uma alça da mochila ponderada no ombro esquerdo. Jimin não deixava passar de notar a feição exuberante que Jungkook tinha, seu olhar junto ao mover de uma das sobrancelhas era algo que mexia com o mais baixo àquele momento, era sentimentos conhecidos mas a cada dia era como se aprofundassem a cada vez que se olhavam.

— Jungkook, eu queria falar uma coisa pra você. — fora direto ao que o garoto se aproximou, indo em sua direção e beijando a sua testa singelamente.

Mas o Jeon parecia estar atrasado para algo e isso era perceptível. 

— Hyung, só vim te dar oi e mais tarde a gente se fala. E não é pra ficar sem atender minhas ligações. Tchau, tchau e beijos. 

Incredulidade da parte de Jimin, que nem ao menos tivera tempo de retribuir ou retrucar o outro, já que assim que dera o beijo carinhoso em sua testa, este sequer parou ao seu lado e passou a andar reto, sem rodeios.

Tratou de se sentar no banco, estava em uma cantina dali, após o ocorrido e  cansaço de praticamente "correr" atrás do moreno, nem iria para casa e também não iria pedir nada. As suas músicas do seu celular já estavam enjoadas, nem mesmo os fones de ouvido o Park carregava mais, e não parou ali com intenção de beber ou comer mas sim para repor a mente em coordenada e de uma vez seguir em frente no que decidiu.

Mesmo Jungkook sabendo ou não. 

Mesmo Jungkook aceitando ou não. 


{...}

Já estava escuro quando Jungkook fora pra casa, jogando a mochila no sofá e indo no seu quarto para pegar a toalha e tomar um banho rápido. O moreno mais alto queria se livrar de "afazeres" e ir o mais rápido na casa ao lado. Nunca tinha acontecido de mais de uma hora pra fazer um trabalho, seja sozinho ou em grupo, mas levar mais de três horas já era um colapso para o Jeon, quem dirá seis horas consecutivas?

Estava com fome, então, assim que se aprontou de se arrumar pós banho, usando a sua blusa branca de praxe e uma bermuda preta com um bolso para baixo do pano, fora comer pelo menos uma maçã e tomar uma caixinha de leite de banana.

Jungkook teve um leve sobressalto na cadeira quando ouviu a campainha da porta ecoar na cozinha. Não havia recebido ligação ou recado de que teria visita, também sabia que não era o Park pois este havia lhe enviado mensagem dizendo que não iria em sua casa hoje. Achou estranho esse fato mas ele podia ir onde ele, certo? Nada o impedia e além de querer saber o motivo de Jimin estar assim, queria beijá-lo e abraçá-lo.

Levantou da cadeira, teve desvio apenas da ala da cozinha e em passos longos abriu a porta. Mastigou o resto da maçã na boca de maneira agoniante e forçado quando avistou a pessoa na sua porta.

— Vai se ferrar, garoto.

Era Yoongi.

Jungkook deu espaço para o mais baixo entrar e este empurrou o Jeon com o braço, sua careta de nojo na cara era hilária pelo que o moreno mais alto fazia, de pirraça. 

— O que você quer? Saiba que a casa do seu primo é a do lado. — Jungkook fechou a porta sem desviar de olhar o Min indo até o seu sofá e se jogar no móvel.

— Errei de casa. — ergueu as maçãs do rosto e mostrou seu sorriso gengival o mais falso possível para Jungkook. — Tá comendo o que?

— Seu primo. 

— Vai filho da pu-

— Vai, minha mãe tá no quarto, vai

O mais velho revirou os olhos. Era mentira do garoto mas o Min não precisava saber. 

Logo Jungkook fora na cozinha pegar uma maçã para o primo do seu melhor amigo e retornou com a fruta vermelha, jogando-a para o outro que pegou no alto. 

O celular do Jeon tocou e, em agilidade, se sentou no sofá livre e atendeu. Era Jimin. 

— Oi, hyung. — riu de soslaio. 

 Oi, Kook

— Você tá bem? Eu estava morrendo de saudades de ouvir sua voz. — como era um bobão, o loiro na sala pensava.

— Ah, eu tô bem.

— Que bom, se você tá então eu estou mais. 

— É, hm, eu até iria na sua casa como você me pediu mais cedo, mas...

— Mas..? — Jungkook franziu o cenho e segurou o celular direito, para poder ouvir melhor o mais velho do outro lado da ligação.

— Achei que você tava ocupado, assim como foi no resto do dia. — Jimin suspirou, e foi notável. 

— É, eu estava fazendo trabalho. Parece que tô passando pela sua pele agora. — riu baixo, e ignorando o revirar de olhos do Min à sua frente. — Mas ainda tem o resto da noite, uh? Você bem que podia vi agora, dormir aqui, além do mais eu não tô fazendo nada agora. 

— Estou me retirando. — Yoongi disse com semblante desgostoso.

— Não vai dar, Jungkook.

— Por que? Quer que eu vá aí, então?

— Não, eu... — o moreninho parou fora interrompido por uma voz feminina, possivelmente a mãe do outro, e o mais novo não entendeu muito bem mas ficou curioso. 

— Alguém chegou aí, Jimin?

— Já estou indo, mãe. — Jungkook ouviu o outro falar meio distante. — Não vai dá, eu tenho que sair e-

— Pra onde? — se levantou do sofá, indo até a janela aberta, tampada pelas cortinas brancas, avistando um carro vermelho parado ao lado de sua casa.

— Eu tentei falar com você, mas como não deu pra falar pessoalmente eu falo pelo telefone mesmo. — Jeon fitava, com os olhos espremidos, a senhora Park abrir a porta e se curvar para o homem que parou em sua porta. — Eu tô indo em um encontro. 

— Você o... que?

— Você é meu melhor amigo, deve me apoiar nas coisas e espero que não fique zangado por estar sabendo agora.

— Mas é o qu-que? Hyung, hyu-você poderia muito bem ter me falado de uma vez, como assim um encontro? E quem é esse cara com quem você vai sair? Eu não o conheço? Jimin responde minhas perguntas. 

Desespero, Jungkook se encontrava nele.

— Vou ter que sair, por favor, não pare de falar comigo... — Jimin suplicou. — Me deseje boa sorte, Kook. 

E a ligação fora encerrada. 

Jungkook inerte e imóvel, agora vendo e deixando aquele cara tocar nos ombros de Jimin e beijar sua bochecha ciosa, de jeito demorado e um Jeon mais deslocado ainda. Viu o Park entrar no carro esportivo e logo o outro rapaz fazendo o mesmo, em seguida ligando o automóvel e seguindo seu trajeto pista afora.

— Eae, vai ficar só olhando?

— Você sabe quem é aquele? — Jeon virou o corpo para trás, vendo Yoongi escorado na parede e dar de ombros. — Vocês são primos! Como assim não sabe?

— E você que é o melhor amigo dele, sabe muito menos ainda. Não me julgue.

— Droga. 

— Quer que eu compro bebida pra gente encher a cara? — opinou o loiro, notório.

— Não tô com vontade. — andou em passos arrastados até o sofá e se sentou. 

— Então essa é a sua reação depois de ver o Jimin-ah saindo com outro? Hilário. — Yoongi achara graça, mesmo não rindo. — Que tal a gente comer fora?

— Me poupe, Yoongi. — Jungkook revirou os olhos. — Aqui tem comida.

— Pra você não falar que sou um hyung chato, dessa vez eu pago tudo. — sentou no estofado do sofá e fitou Jungkook. — Ver se a comida de fora anima essa cara de tacho sua.

— Ah, tá, pode ser. — Jungkook blefou.

— Vai trocar de roupa? — o mais alto assentiu, olhando pros dedos inquietos. — Então se arruma que vou passar na minha tia e vê se ela empresta o carro dela. 

Yoongi estava tramando. Sabia onde Jimin estava indo e também sabia para onde ele e Jungkook iriam. 







Notas Finais


aiai joguei no ar skksks perdoa os erros rs

Já leram minha os fluffy jikook pais? não?? opa https://www.spiritfanfiction.com/historia/mantenha-distancia-13815879


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...