1. Spirit Fanfics >
  2. A little super teens >
  3. Eles quem?

História A little super teens - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


primeiro cap, com a co autora ênia / prima
e Macy é tp maisei

Capítulo 2 - Eles quem?


Fanfic / Fanfiction A little super teens - Capítulo 2 - Eles quem?

-- Cait, já vou indo. você fecha?

-- sim. pode deixar Cisco! - e bocejou. enquanto o latino se retirava.

mais uma vez a doutora passava da hora no laboratório. estava super focada em terminar uns ajustes no app de metas do Ramon.

' vem cá, por que é tão importante mesmo esse... negócio? "

- nevasca... já disse om milhão de vezes! com tantos metas novos na cidade, o app de metas deu defeito. então, eu me ofereci pra fazer umas mudanças.

" e tinha que ficar a noite toda sentada aí? "- a doutora rolou os olhos, ignorando a platinada.

-- não é possível! o app de metas ta´mostrando extrema quantidade de matéria escura. que nem um ser humano seria capaz de suportar!

' pode ser um erro. reinicia. "

- já fiz. deu o mesmo resultado.

" o que você acha que pode ser? "

- não sei...

' acha que podem ser... pessoas? "

- vamos descobrir!

" wow! calma aí! não acha melhor chamar os meninos?"

- não dá tempo! E eles devem estar dormindo...

" você também devia! "

- nevasca...- disse a doutora, cansada - não vou discutir com você. - e foi andando, com o tablet, em direção a saída do córtex. 

caminhou até o estacionamento, entrou em seu carro dando a partida e seguindo o trajeto, traçado pelo GPS do tablet, onde estava indicando a localização do " ser da matéria escura" [ como era chamado pela nevasca]

Caitlin parou o carro em frente a uma rua escura.

" tem certeza que é aqui? "

- bom, é onde o GPS aponta...- de repente, elas escutam uns gritos de " socorro ".

Caitlin não pensou duas vezes. correu em direção aos gritos. Ao chegar perto, avistou uma menina que aparentava ter uns 13 anos, loira, com os olhos azuis cheios de lágrimas. abraçada a uma menina de 12. essa cena partiu o coração da doutora.

- o que aconteceu com vocês?

- não dá tempo... de explicar...ela tá piorando...- caitlin baixou o olhar pra garotinha, que respirava descompassadamente e logo começou a tossir.

- temos que levá-la ao hospital...- começou, mas foi interrompida pela mais nova.

-NÃO! ela não pode ir pro hospital!

- por que?

-porque... somos metas!

" pera, elas são o ser da matéria escura? "

- não sei...- sussurrou - então vamos pros laboratórios star!

a menina pensou em não ir, mas se não fossem, elas poderiam morrer ali mesmo.

- ok... nós vamos. - cait abriu um pequeno sorriso. E disse:

- bom., meu nome é caitlin. e vocês são...

- skye e macy.

a mais velha então, ajudou Skye a levantar e pegou Macy no colo, já que a pequena estava tão fraca que mal conseguia se mover.

                                                                                    xxx

Ao chegar ao laboratório. A primeira coisa que fizeram, foi colocar um cateter nasal de oxigênio, para auxiliar na respiração, depois Caitlin a pôs no soro, fez uns exames e virou-se pra Skye e disse:

- bom... agora é sua vez.- e vai chegando perto de skye.

a mesma puxa o braço e diz sarcástica:

- Olha que laboratório legal. É aqui que vocês usam os meta-humanos que capturam? interessante... vou lembrar da próxima vez que vir.

- Não... olha eu só quero ajudar...

- você ajudaria ficando bem longe de mim! que tal?

- você pediu ajuda pra Macy e eu ajudei... confia em mim... 

-ajuda pra Macy, e não pra mim! e não é como se um exame fosse me ajudar... faz a sua parte, que eu faço a minha!- e foi saindo da sala. A doutora caminha até ela e diz:

- Ei não vai embora!- a mais nova para e se vira, enquanto a mais velha continua. - olha só... já tá tarde, não posso deixar nem você, e muito menos Macy saírem daqui!

-não me diga o que fazer!

" cait deixa eu falar com ela. " - pediu a platinada. Logo seus cabelos se tornam brancos e os olhos azuis.

- Uau, você é mais gata de cabelo branco.

- olha só querida, você pode ir em frente e sair por essa porta. mas, onde vai passar a noite?

- não tenho onde passar a noite.

- ótimo! Mais um motivo pra você ficar!... ou você pode ir. mas vai sozinha, porque daqui, a Macy não sai! - disse após a loira ficar em silêncio.

- não suporto essa caitlin... o problema é ela.- disse cruzando os braços.

-eh.. eu também era assim... mas você  aprende a gostar com o tempo.

- vamos ver... o que tem de legal pra fazer por aqui?

- por agora... nada. - diz se jogando em uma cadeira.

- sério? aff. vou dormir então...

-vai. la´em cima tem um sofá enorme e comida também se quiser.

- valeu... até amanhã nevasca.- se retirando, mas é interrompida pela platinada, que diz.

- eh... skye, antes de você subir... tinha mais alguém com vocês?

" é melhor mentir por agora, se lembre que não pode confiar em ninguém. " pensou skye.

-não tinha ninguém... só nós duas.- mentiu

-ok... sobe lá então...

-até. - e some polo corredor em direção á varanda.

                                                                                               xxx       

 

Central city amanheceu tranquila. todos do time flash estavam entrando no laboratório, quando veem todas as luzes acesas e encontraram uma certa doutora "deitada" toda torta numa cadeira ao lado da maca na enfermaria, onde em cima da maca tinha uma garotinha de 12 anos, de cabelo castanho, desacordada. Barry chama a castanha.

- cait...- sacudindo-a levemente até a mesma acordar.

- Barry?

- passou a noite aqui?- olhando ao redor.- E ... quem é essa menina?

- hum...essa é a Macy - fala se espreguiçando e levantando da cadeira.

- Macy? - pergunta o latino

- sim. Bem, eu explico. Ontem a noite, eu tava terminando de ajeitar o app de metas do cisco e o satélite mostrou 4 assinaturas, extremamente altas, de matéria escura. Então eu segui o rastro e encontrei a Macy e a skye. A Macy estava em um péssimo estado, aí eu trouxe ela pra cá. - contou o que houve, recebendo olhares confusos do time.

- tá bom. 3 coisas, - começou Joe - primeiro: se essa é a macy, cadê a skye?

-ohh! ela ta´lá em cima. acho que ainda tá dormindo.

- certo... segundo: cadê os pais delas? porque, eu tenho certeza que essa menina não tem mais de 12 anos! - perguntou fazendo a castanha dar um breve suspiro.

- elas não tem ninguém joe. Encontrei elas sozinhas, na beira da morte. - respondeu - não posso deixa-las na rua. - disse decidida.

- E por último, se eram 4 assinaturas e você só achou as duas... cadê os outros dois?

- eu não sei... mas vou encontra-los.

- nós, vamos encontra-los. - disse Cisco, também decidido.

- Cisco... começou Barry, mas fora interrompido pelo latino.

- não Barry! Caitlin tem razão. Não podemos deixa-los sozinhos na rua, sabendo que poderíamos ter feito algo pra ajudar! - falou o porto-riquento dando, e recebendo, um meio sorriso da doutora.

Barry virou-se pra menina desacordada, analisando-a bem. E não parecia ser perigosa! mas ele estava em dúvida. Então, lembrou do que caitlin disse, e perguntou:

- ela é meta? - virou-se pra castanha - você disse que havia encontrado uma grande quantidade de matéria escura. Ela é meta, não é?

- Sim... - confirmou

- Caitlin, ela pode ser perigosa!

- olha só pra ela Barry! Ela parece ser perigosa? - perguntou. o velocista abriu e fechou a boca várias vezes, sem consegui responder. 

então, ele foi se aproximando da maca. Até sentir uma mão macia e fria encostar na sua, ah como ele conhecia aquele toque... quando se virou, deu de cara com um par de olhos castanhos fitando-o.

- Barry, por favor, elas merecem uma chance...

- cait...

- Elas merecem uma chance de fazer algo incrível. Assim como você teve essa chance! - barry a fitou, fitou todos ali e depois olhou pra Macy, que começara a se mover, acordando.

Reparou que o tubinho de oxigênio, em seu nariz, estava saindo do lugar. Ela logo ficou com a respiração descompassada, fazendo as máquinas começarem a apitar. Ele então, chegou mais perto e ajeitou o cateter nasal.

Logo em seguida foi surpreendido, ao sentir suas costas baterem contra a parede. Olhou pra baixo e viu que uma menina loira havia o jogado contra a parede. E agora ele estava preso em um tipo de campo de força, que ia diminuindo á medida que a garota ia aproximando as mãos. E proc, proc,  sentiu uma dor. E gritou logo em seguida.

- SKYE PARA! - todos gritaram, porém foram ignorados. 

De repente Skye começou a sentir seus braços congelarem, e seus poderes enfraquecerem. O campo de força soltou Barry, que caiu no chão gemendo de dor.

- Fica longe dela! - falou skye, entre dentes.

As máquinas começaram a apitar novamente. Skye correu pro leito, ao lado de Macy.

- Skye... Doi... pra respirar... - falou com a voz fraca, olhando ao redor. Até ouvir algo. - eu ouvi... eles estão vivos... não é?

- Eles quem? - perguntou Barry. Fazendo Skye fechar os olhos, se amaldiçoando.  


Notas Finais


desculpem qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...