História A lua mais brilhante - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Warrior Cats (Gatos Guerreiros)
Visualizações 8
Palavras 1.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção Científica, Fluffy, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, eu sei, eu sei... passei mais de um mês sem postar(por favor não me matem!) Mas eu tive um bloqueio de criatividade e toda vez que tentava escreve algo interessante ficava péssimo! Mas bem... espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 14 - Conflito


Fanfic / Fanfiction A lua mais brilhante - Capítulo 14 - Conflito

As patas da pequena aprendiz já doíam enquanto ela corria em pânico. Em sua cabeça apenas se passava as imagens horripilantes do represetante estrangulando a líder. Pequenas gotas de lágrimas se formavam em seus olhos mas não chegaram a molhar o pelo escuro da felina, foram afastadas pelo vento. Uma pedra alcançou seu campo de visão e ela tensionou os músculos pronta para pular. Aterrisou na rocha, escorregando e formando uma ferida em sua pata.

Malditas chuvas de renovo! Pensou. Apertou os olhos e lambeu a ferida tentando apaguizar o ardor. Enrugou o nariz quando sentiu o gosto ruim de sangue e terra úmida. Pousou a pata, com cuidado, no chão novamente percebendo que já não doía tanto. Voltou a correr, respirando descompaçadamente. Viu de longe a entrada do acampamento que ficava escondida entre amoreiras selvagens. Sorriu por dentro, pronta para adentrar o acampamento quando algo, ou melhor, alguém se esbarrou nela. Ainda no chão ela desembainhou as garras e olhou para cima. Então se deixou relaxar um pouco ao perceber quem era.

_Penugem? Não sei o que está fazendo aqui, mas saia imediatamente!- sibilou para o amigo cinzento. Ela se levantou, sacudiu a poeira de seu pelo e passou pelo gatão o empurrando. Ele franziu o cenho e sorriu de canto.

_Pra que a pressa Gatinha?- ronronou em tom provocante. As orelhas de Pata da Noite tocaram a nuca quase que imediatamente. Ela não queria falar com ninguém, já tinha um problema muito grande para resolver e Penugem não podia tirar sua atenção. Então ela se virou, o encarando com seus olhos apertados, os deixando parecidos com fagulhas de gelo. O gatuno cinzento arregalou as órbes verdes e retesou as orelhas. Era certo que a pequena amiga era assustadora algumas vezes mas, naquele momento, ela mas se parecia com uma fera. Essa era uma das armas secretas de Pata da Noite: ir de fofa à monstro em segundos. Os pelos os ombros da aprendiz preta se arrepiaram e ela deu um passo a frente vendo Penugem recuar com medo.

_Saia daqui.- A voz baixa e grave da pequena felina fez o grande gato cinzento engolir um seco, concordando com a cabeça e sumindo entre as folhagens. No mesmo instante sentiu a culpa se arrastar pelo seu corpinho e ela deve que se segurar para não ir atrás do amigo e lhe pedir desculpas. Deu uma última olhada nas folhagens que Penugem havia pisado e se virou, passando pelas amoreiras e penetrando o acampamento. Um rosnado ameaçador se formou em sua garganta assim que viu Vento Frio em cima de Carvalho Caído. Monstro, Assasino! Pensou. Então notou que praticamente o Clã inteiro estava reunido ali. Ousou dar um passo para frente e apertou os lábios tomando coragem para miar.

_O que está acontecendo aqui?- uivou. Dezenas de pares furiosos de olhos se viraram em sua direção e ela sentiu vontade de evaporar no mesmo instante. Silvos e sibilos a rondaram e a pequena foi se encolhendo cada vez mais.

_Assasina!- Cuspiam. Assasina? Eu não sou assasina! Vocês enlouqueceram?! Gritava em sua mente.

_Tão confiável quanto uma raposa!- uivavam sarcásticamente outros.

_Ela não é assasina!- sibilou alguém no meio da multidão. As orelhas da aprendiz empinaram e ela relaxou os músculos. Sentiu a garganta dar um nó e seus olhos lacrimejarem. Pé Manso foi atingida por milhares de olhares furiosos mas ela apenas olhou ternamente para sua filha adotiva como se disesse no olhar: Eu acredito em você. Pata da Noite afirmou com a cabeça, se levantando e lançando um olhar de puro ódio para Vento Frio. O representante apenas assistia tudo com sua postura perfeita e olhos opacos sem emoção. Em uma oração silenciosa, a pequena pediu coragem ao Clã das Estrelas.

_Você...-rosnou para Vento Frio- Foi ele quem matou Estrela de Granizo! Eu vi com meus próprios olhos! Assasino!- gritou e cuspiu olhando para todos. As sobrancelhas do representante prateado se levantaram e ele fingia surpresa. Falso, arrogânte... grunhia em pensamento.

_Você acha mesmo que pode nos enganar?!- Cuspiu Garra de Carvão. A confusão nublou os olhinhos azuis de Pata da Noite e ela franziu o cenho. Não acreditavam nela?

_Gata vadia!- Sibilou um outro gato dando ênfase em suas palavras.

_Aruaçeira! Não se pode confiar nessa gata de rua...- rosnou uma gata. Então era isso... Pata da Noite olhava desesperadamente para todos os lados buscando um olhar de conforto, mas todos lhe lançavam o ódio e o nojo. Até mesmo Perna de Bambu lhe mandava um olhar decepcionado. Ela queria chorar, queria sumir dali imediatamente! Aqueles xingamentos faziam sua cabeça latejar, seus ouvidos doerem e seu coração apertar. Pressionou os olhos com força, assim como os dentes. Não é real! não é real! Dizia para si mesma dentro de sua mente. Logo ela sentiu as lágrimas rolarem contra sua vontade, molhando o pelo da bochecha. Ela se encolheu até sua barriga encostar no solo nu.

_Meus amigos, deixem-me resolver essa questão.- miou calmamente Vento Frio. Pata da Noite abriu os olhos e se levantou ainda tremendo, mas fingia não estar com medo. O representante desceu do tronco e caminhou até Pata da Noite tendo a passagem livre pelos gatos. A aprendiz o encarou quando ele parava diante dela. Ela mostrou os dentes e desembainhou as garras com raiva, sem deixar de o encarar. Em um movimento rápido, sentiu garras rasgando seu rosto e ela foi jogada no chão. Vento Frio havia lhe dado um tapa.

_Isso é pelo que fez com nossa líder.- cuspiu. A pequena sentia o sangue quente descer e escorregar por sua bochecha. Um coro de "Ohs" circulou pelo acampamento. A aprendiz negra se levantou e voltou a encarar os olhos verdes e opacos do novo líder.

_Assasino...-sussurrou para o gatão. Ela apenas levantou uma sobrancelha e chicoteou a cauda, levemente irritado.

_Está banida desse Clã. Para sempre. Se a encontrarem no nosso território até esse por-do-sol, matem.- as palavras cortaram Pata da Noite como a ferida em sua bochecha, só que de forma mais dolorida.

_Não!- chiou Pé Manso em desespero. Pata da Noite olhou para todos os felinos a sua volta e depois girou a cabeça para fitar a saída do acampamento.

_O...que...?- sussurrou.

_Fora! Saia daqui! Assasina!- sibilavam e silvavam os gatos.

 Entre morrer e viver mais um pouco, a pequena preferiu a segunda opção. Mas para onde iria? Retesou os músculos, deu passos para trás e correu em direção a floresta ainda ouvindo os gritos de fúria de seus ex-companheiros de clã. Para onde? Para onde? Latejava seu cérebro. Só tem um único gato que pode me ajudar!

Já se podia ouvir o som da cachoeira antes mesmo de chegar ao local, além da brisa úmida que sempre cincurdava aquela parte da floresta. Respirando pesadamente, a pequenina reduziu sua corrida a uma simples caminhada. Logo viu uma silhueta acinzentada bebendo água do rio. Sorrateiramente e envergonhada, a aprendiz se aproximou do amigo.

_Penugem...- o chamou sussurrando. O gatuno levantou o pescoço e olhou para trás um pouco surpreso. Suas órbes verdes foram direto para o grande corte que sangrava na bochecha da amiga. Franziu o cenho e tornou seu semblante sério.

_Gatinha? O que aconteceu?- Pata da Noite empinou as orelhas e o olhou assustada.

_Preciso de sua ajuda.


Notas Finais


Então, espero que tenham gostado! Comentem, o que vcs acham que Penugem vai fazer?
Lambidas!😛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...