História A Lua que nos cerca - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Bella Swan, Billy Black, Brady Fuller, Charlie Swan, Claire Young, Collin Littlesea, Jacob Black, Jared Cameron, Kim, Leah Clearwater, Paul Lahote, Quil Ateara, Rachel Black, Rebecca Black, Sam Uley, Seth Clearwater, Sue Clearwater, Victoria
Tags Bella, Crepusculo, Romance, Seth
Visualizações 26
Palavras 3.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Lendas


Seth

O dia foi maravilhoso, ficar com Bella ao meu lado, me divertir com meus amigos e não me preocupar com muitas coisas. Sam havia suspendido as rondas daquela noite, então todos estavam na mais bela paz.

Eu estava deitado em um colchonete ao lado do colchonete de Bella, minha vontade era abraça-la e enterrar meu nariz em seus cabelos, absorver seu cheiro e dormir ao seu lado.

Mas eu não podia, eu tinha que conter meu lobo e impedi-lo de lhe agarrar.

Eu respirei fundo e me levantei, precisava de ar então fui até a varanda em frente da minha casa e fiquei ali, observando a chuva fina que ainda caia.

Eu inspirei o odor morno da terra molhada e ouvi o som das gotas de chuva tamborilando na telha acima de minha cabeça, eu podia ouvir a respiração calma das pessoas dormindo a poucos metros atrás de mim, sentir o odor que eles liberavam...

Eu estava tão distraído que só a percebi quando ela estava ao meu lado.

- Uou, você me assustou. - Eu disse e ela sorriu timidamente.

- Desculpe, não foi a intenção.

-O que te trouxe aqui?

- Não sei, eu apenas senti que precisava respirar. - Ela disse dando de ombros.

O imprinting era algo magnífico mesmo, nossa ligação fez ela sentir o mesmo que eu.

- E você? - Ela perguntou se encostando ao meu lado.

- Eu gosto de observar a reserva durante a noite. - Eu disse dando de ombros.

Ela sorriu e me olhou de forma interrogativa, eu retribui seu olhar e ela desviou rindo.

- O que foi?

- Você. - Ela falou e eu ergui as sobrancelhas. - É que você me trata tão bem, vocês todos na verdade, acho que nunca me senti tão acolhida assim.

- E saiba que sempre estaremos aqui Bells, eu sei o que o Edward lhe fez, sei que ele e a família dele, te feriram bastante, - Eu disse escorregando minha mão até ter a dela entre as minhas. - Mas agora você tem uma nova família, todas aquelas pessoas lá dentro sempre estarão aqui por você.

Eu beijei as costas da mão dela e olhei em seus olhos, tentando mostrar que aquilo que eu disse realmente era verdade.

- Obrigado. - Ela disse em um sussurro, que seria inaudível se não fosse minha super audição de lobo. - Boa noite Seth.

E da mesma forma que ela veio, ela se foi. Eu fiquei por ali mais um tempo, até que a chuva engrossou e eu entrei, pulando entre meus amigos, até o meu colchonete. Bella já dormia profundamente, eu me deitei o mais próximo possível dela e em questões de segundos também adormeci.

Bella

Eu acordei novamente por volta das 6, Sue e Emily já estavam na cozinha preparando o café, eu pulei por cima dos meninos e entrei na cozinha.

- Bom dia. - Eu disse me sentando em uma cadeira. Emily estava batendo uma massa de bolo enquanto Sue fritava ovos e bacon.

- Bom dia flor, dormiu bem? - Sue disse me servindo uma xícara de café.

- Como a muito não dormia. - Eu respondi sorrindo.

Ficamos ali conversando por um tempo, até que a porta se abre e um Jacob apressado entrou saltando pelos corpos esparramados pelo chão da sala.

- Olá Bells. - Ele disse beijando minha bochecha. -  Desculpe eu entrar assim, é que eu precisava dar uma notícia.

- Algo muito sério? - Emily perguntou secando as mãos em um pano de prato.

- Por ora não, mas uma árvore gigante caiu na estrada e bloqueou o caminho, ninguém entra e ninguém sai da reserva. - Ele disse e eu arregalei os olhos.

- Como assim ninguém entra e ninguém sai? - Eu perguntei exasperada. - Não da pra pular por cima dela?

- Quero ver alguém tentar. - Jacob disse rindo com aquela risada de trovão. - Não dá nem pra contornar, porque outras árvores cairam juntas, mas fique tranquila Bella, já falei com Charlie e ele vai avisar na escola.

- Mas eu não tenho nem roupas aqui. - Eu exclamei indignada.

- As meninas não acharão ruim de lhe emprestar algumas peças, afinal, é por uns dois ou três dias, até conseguirem remover a árvore. - Sue disse alisando meus cabelos.

- Não haverá aulas na escola também. - Jacob disse atraindo a atenção de Sue. - Caiu um raio lá, abriu um buraco gigante no teto e molhou tudo. No mínimo uma semana até constarem.

- Os meninos vão adorar essa notícia. - Emily disse rindo.

- Que notícia os meninos vão adorar? - Sam disse parando na soleira da porta da cozinha, cumprimentou Jacob e olhou sorrindo para Emily.

- Até parece que você não ouviu. - Emily disse revirando os olhos, mas em seguida tapou a boca com a mão e voltou sua atenção para o forno, onde o bolo assava.

- Enfim, gostaria de convidar a todos para um churrasco lá em casa, Billy me disse que ficaria feliz em os receber. - Ele disse dando de ombros.

Quando Sam ia responder animado, Harry entrou tenso.

- Sam, posso falar com você? - Ele disse sem nem mesmo cumprimentar os hóspedes.

- Está tudo bem meu amor? - Sue perguntou olhando na direção do marido.

- Não, mas falo com você depois. - Ele disse beijando a testa da esposa e saindo com Sam.

- O que será que aconteceu? - Emily perguntou ansiosa.

- Não sei, mas vamos acordar o pessoal para tomar café. - Sue disse colocando os pratos na mesa.

Eu, Emily e Jacob caminhamos até a sala e começamos a tentar acordar os garotos. Enquanto eu e Emily nos abaixavamos e os sacudiamos pelos ombros, Jacob os chutava nas costelas.

-Jake! - Eu o repreendi sem conseguir segurar o riso.

Leah foi a primeira a acordar e nos ajudou a acordar os outros, mas como Jacob ela chutava as costelas dos garotos.

- Vou subir acordar o Jared e a Kim. - Emily disse correndo escada acima.

- Vamos seus preguiçosos acordem. - Jacob disse e tombou ao chão.

- Vai chutar as costelas da sua mãe Jake. -Paul disse ainda segurando a perna de Jacob.

- Quem sabe se ela estivesse viva. - Jake disse com um sorriso ácido.

- Vamos vocês dois, levantem. - Leah disse recolhendo os colchonetes.

Em poucos minutos todos estavam sentados na mesa, recebendo de Emily e Sue ovos, bacon e torradas.

- Cadê o Sam? - Seth perguntou observando a pequena cozinha.

- Conversando com seu pai. - Sue disse se sentando ao meu lado.

Todos comeram em um silêncio confortável, pontuado por brincadeiras e comentários ácidos. Somente quando Kim disse que iria pra casa se arrumar pra escola, Sue se lembrou de dar a notícia a eles.

- Seria errado comemorar? - Seth disse rindo.

- Se ninguém se machucou eu acho que não. - Quil disse cortando um pedaço de bolo.

- Precisamos conversar. - Sam disse entrando na cozinha parecendo tenso, os ombros retos e o rosto com um expressão tempestuosa. - Emy, leve a Bella e a Kim lá pra casa, eu converso com vocês depois.

- Certo, vamos garotas. - Emily disse se levantando.

Emily deu um beijo singelo nos lábios de Sam, da mesma forma que Kim fez com Jared.

Saímos nervosamente pela porta e no momento em que estávamos do lado de fora Kim explodiu.

- Eu não entendo o porque a gente teve que sair.

- Sam disse que falaria com a gente depois. - Emily disse dando de ombros. - Vamos ver um filme e fazer coisa de garotas enquanto esperamos notícias.

- Porque Leah pode ficar? - Eu perguntei com minha mente dando um clique.

Emily me olhou nervosamente, mas a tensão foi quebrada pelo toque do meu telefone no bolso do meu short.

- Podem ir andando, eu alcanço vocês. - Eu disse vendo o nome do meu pai no visor.

- Certo, minha casa é a casa vermelha no fim da rua. - Emily disse voltando a caminhar com Kim.

- Oi pai.

"Tudo bem Bells?"

- Sim, e por ai?

"Tudo bem também. Só liguei pra perguntar se está tudo bem."

- Ah, tudo ótimo. O senhor sabe quando vão tirar a árvore?

"Vão ter que mandar uma equipe dos bombeiros de Seattle, vão chegar ao meio dia, então provavelmente em uns dois dias"

- Eu vou ter que ficar por aqui nesses dois dias então... Queria ao menos ter algumas roupas.

"Sinto muito Bells, eu até acho bom que você fique na reserva. Estão acontecendo coisas estranhas por aqui, mas tudo já está se resolvendo"

- Certo pai, nos falamos depois então, eu te amo.

"Também te amo Bells"

Eu desliguei o telefone e sorri, voltando a caminhar pela estrada, observando as casinhas. Tudo ali era tão lindo...

Eu seguia distraída pela rua quando senti o impacto em meu corpo, me jogando para o lado de encontro ao chão de terra. Eu levantei meus olhos, em busca do que havia me atingido e o vi, a pele mortalmente pálida e os olhos de um vermelho sangrento, faminto...

Eu achava que aquele seria o meu fim, só consegui forças para soltar um grito agudo antes do vampiro voltar pra cima de mim, ele me arrastou pela perna para o meio da floresta, eu me debati e gritei. E então eu os vi, correndo em minha direção, Jake e seus amigos vindo de encontro a morte.

- Voltem, vocês não podem vir pra cá. - Eu gritei, meus gritos abafados pelo meu corpo arrastando na relva.

Eu tentei me agarrar as raízes das árvores, enquanto era arrastada cada vez mais fundo na floresta, eu já não tinha mais forças. A última coisa da qual me lembro e de Sam Uley dizendo que deveriam capturar o vampiro vivo.

Eu tive a impressão de ver os garotos se transformando em lobos gigantes, senti o vampiro soltar minhas pernas e se afastar, e então eu apaguei.

Seth

Depois que as garotas saíram da casa, Sam se serviu de uma caneca de café e um pedaço de bolo, parecia que ele não sabia o que iria dizer.

- Bom, tem algum vampiro matando em Forks. - Ele disse após um grande tempo. - Apesar de em nossas rondas não acharmos nada, tem algum maldito sanguessuga atacando as pessoas que deveríamos proteger.

- Como soube disso papai? - Leah perguntou passando as mãos pelos cabelos curtos.

- Fui até a delegacia falar com Charlie, ele me disse que pessoas estavam sendo atacadas, mortas, estavam desconfiando de algum urso ou lobo. - Meu pai disse tamborilando os dedos na mesa, um claro sinal de nervosismo. - Pedi a ele para ver fotos, e qual não é minha surpresa ao ver que os claros sinais de ataque de vampiro. Então, cortei caminho pela mata e vim direto falar com Sam.

- M-mas... O que vocês acham que eles querem? - Sue perguntou temerosa.

-Bella já se envolveu com vampiros, pode ser que eles estejam atrás dela. - Sam disse e eu senti meu corpo tensionar.

- E o que vamos fazer? - Eu falei, minhas mãos instintivamente se fechando em um claro sinal de raiva.

- Primeiro precisamos saber quantos são e o que querem, precisamos vigiar melhor os arredores da cidade e nos atentarmos aos odores... - E então ele parou de falar, os músculos de seu corpo tensionados, as veias em seu pescoço latejando perigosamente.

Eu logo entendi o porque! O cheiro doce invadiu meus pulmões como uma grande e enorme cortina de fumaça.

- Tem um deles em nossa terra. - Jacob disse, os dentes cerrados e as mãos em punhos.

Eu ouvi um grito, um alto grito na doce voz de minha Bella...

- Bella está em perigo. - Eu exclamei já correndo pela porta, os tremores em meu corpo quase incontroláveis.

- Vamos, mas não se transformem até estarmos escondidos. - Sam nos deu uma ordem direta.

Corremos até onde ouvimos o grito, e vimos o sanguessuga arrastando Bella pra dentro da floresta, ele não era burro de ataca-la ali, onde qualquer pessoa podia vê-los.

- Voltem, vocês não podem vir pra cá. - Ela gritou, fazendo meu coração saltar e falhar uma pequena batida.

- Capturem ele vivo. - Sam disse tirando as calças e se transformando no enorme lobo negro. Nós fizemos o mesmo e começamos a correr.

"Paul e Quil vão pra direita, Jacob e Leah pra esquerda, Embry e Jared, tentem contorna-lo e o interceptar pela frente, eu vou ficar aqui para o caso dele tentar voltar."  Sam deu os comandos em nossas mentenes, eu esperei por um comando para mim, um comando que eu não recebi dê imediato.

"E eu?" Questionei com os olhos em Sam.

"Leve Bella até minha casa, chame sua mãe e seu pai, ela está muito ralada, precisa de cuidados, iremos contar tudo a ela quando ela acordar."

Eu voltei à minha forma humana, vesti meu shorts e a peguei no colo, seguindo com ela para a casa de Sam.

- Porque a deixaram? - Eu exclamei entrando na casa de Sam e deitando o corpo de bela desfalecido no sofá.

- Pelos deuses Seth, o que houve? - Kim se aproximou, colocando a mão na testa de Bela.

- Um vampiro atacou ela, a arrastou floresta a dentro, ela está fodidamente machucada. - Eu disse passando as mãos pelos cabelos, meus olhos avaliando as roupas rasgadas e os ferimentos que sangravam, manchando o forro do sofá de Emily. - Porque a deixaram?

- Ela estava no telefone com Charlie, achamos que ela estava segura na reserva, nunca pensei que eles cruzariam a linha. - Emily disse vindo da cozinha com a pequena maleta de primeiros socorros. - Tem muita terra, precisamos dar um banho nela.

- Kim, vá até minha casa, Sam pediu para minha mãe e meu pai virem aqui. - Eu disse me sentando no braço do sofá, ao lado da cabeça de Bella. Eu acariciei seus cabelos e senti seu corpo relaxar ao meu toque.

Kim saiu de casa e Emily me olhou com um sorriso singelo nos lábios.

- É lindo o jeito que você se preocupa. - Ela disse pegando na minha mão. - Como é a sensação do imprinting para o lobo?

- É muito forte Emy, eu me sinto culpado por isso que aconteceu com Bella. Sinto que eu deveria estar ao lado dela, se eu estivesse isso não teria acontecido. - Eu disse e uma lágrima solitária rolou de meus olhos.

- Ela vai ficar bem.

Ficamos em silêncio, até Kim chegar com meus pais. Eu contei a eles o que houve e minha mãe levou as mãos a boca abismada.

- Leve ela para o quarto Seth, para a gente limpar os ferimentos dela. - Minha mãe disse e eu peguei Bella nos braços, ela gemeu de desconforto, quebrando meu coração.

Eu deixei ela na cama de Emily e Sam, e sai do quarto, indo me sentar na sala ao lado do meu pai.

- Ela vai ficar bem filho. - Ele disse apertando meu ombro.

Enquanto Bella era limpada no cômodo ao lado, eu entrei em um debate com meu lobo.

"Vá até lá "

"Eu não posso"

"Claro que pode! Ela é sua companheira"

"Mas ela ainda não sabe"

"Eu preciso estar ao lado dela"

"Eu sei, mas eu tenho que esperar pelo Sam"

"Sam já tem sua companheira, eu preciso da minha"

"Se acalme ela vai ficar bem"

Consegui conter meu lobo e fiquei em silêncio, um silêncio pontuado por gemidos de dor no quarto ao lado.

Depois do que pareceram horas, Sam entrou na casa com uma expressão de ódio estampada em seu rosto.

- Isabella já acordou? - Ele perguntou parando em frente ao meu pai.

- Não sabemos, Emily, Kim e minha mãe estão limpando os ferimentos dela. - Eu disse colocando a cabeça entre as mãos. - Conseguiram pegar o vampiro?

- Sim, mas eu só direi algo quando Bella acordar. - Ele disse se sentando, aparentemente exausto. - Jake foi chamar o Velho Quil e o pai dele, vai ser importante eles ouvirem o que temos a dizer.

Eu concordei com um aceno de cabeça e voltamos ao silêncio. Emily saiu do quarto poucos minutos depois, com um sorriso mínimo nos lábios.

- Bella está acordada, acordada e morrendo de preocupação com vocês.

- Posso ir vê-la? - Eu disse me levantando de supetão.

- Vamos esperar Jake e o resto do bando. - Sam disse simplesmente, me fazendo gemer de frustração.

Depois de quase vinte minutos, Jacob entrou na casa da Emily empurrando a cadeira de rodas do Billy, o Velho Quil e o bando logo atrás.

-Olá a todos, vamos acabar logo com isso!- O Velho Quil disse se sentando na poltrona onde Sam estava sentado. - Emily, faça-me um chá por favor, e você Seth traga a garota aqui, acho que todas essas pessoas não cabem no quarto do Samuel.

Eu fui até o quarto e encontrei Bella deitada, as roupas rasgadas e sujas, substituídas por um vestido florido, que eu reconheci ser de Emily. Seu corpo ralado, limpo e marcado.

- Seth! Você está bem. - Ela disse com um sorriso sincero.

- Ah, todos nós estamos. - Eu disse beijando sua mão. - Agora vamos, temos coisas pra te contar.

Eu ajudei ela a caminhar até a sala, onde ela parou alguns minutos antes de se sentar no sofá ao lado de Jake, que ela abraçou.

- Oh meu deus, vocês estão bem, estão vivos. - Ela disse observando meus amigos, lágrimas rolando por seu rosto.

- Claro que estamos. - Paul disse com um sorriso irônico nos lábios.

- Antes de falar-mos sobre isso borboletinha, você precisa saber algumas coisas. - O velho Quil disse bebericando seu chá. -Nós sabemos o que aquele cara era, ele não era apenas um maluco. Nós sabemos que ele era um maldito vampiro.

- N-ão... Como vocês sabem?

-Ó, como nós sabemos. - O velho homem disse com um leve sorriso. - Há uma lenda em nossa tribo, uma lenda que diz que os nossos ancestrais tinham o poder de separar o espírito do corpo.

        "Mas tinha um homem em nossa tribo, que tinha o coração mau, em uma noite, quando o espírito de nosso líder estava fora de seu corpo, esse homem introduziu seu próprio espírito no corpo adormecido do líder"

Ele fez uma pausa na história, para bebericar seu chá. Todos o observavam em silêncio, apesar de já sabermos essa história de cór (afinal, era a nossa história), ele conseguia nos prender com apenas algumas palavras.

- Bom, o espírito desse homem tomou decisões ruins, que trouxeram desgraça para nossa tribo, se aliou aos frios e permitiu que eles entrassem em nossas terras. Vendo que não poderia fazer nada somente em sua forma espectral, ele pediu licença a um lobo, um enorme lobo negro, para dividir seu espírito com o corpo do animal.

       "Então no corpo do lobo, ele começou a procurar pelo corpo do homem que ocupava o seu. E ele o achou, em uma caverna no fundo da floresta. Tomado pelo rancor e pelo ódio de ver sua tribo reduzida a migalhas, o nosso líder destroçou o corpo de seu antigo amigo.

        "No momento em que isso foi feito, o espírito do homem se desprendeu de seu corpo e foi embora, os espíritos precisam de seu próprio corpo presente ou então se vão. Sentindo que seu corpo estava livre ele agradeceu o lobo e voltou a seu corpo.

         "Ele expulsou os vampiros de nossas terras e contou para toda tribo o que havia acontecido. Os frios não ficaram felizes, voltaram e atacaram a tribo. Quando a mulher de nosso chefe foi assassinada a sangue frio, o ele voltou a dividir o corpo com o lobo, só que dessa vez o corpo humano."

Mais uma pausa para um gole de chá, eu observei as feições de Bella, seus olhos estavam escancarados com a surpresa da aceitação.

- Ele se transformou em um lobo, um gigante lobo negro, os deuses o presentearam com o espírito do lobo, para defender e cuidar de nossas terras. E isso foi passado de geração para geração, desde então, quando o perigo dos vampiros se aproximam, os genes se agitam e nos transformamos em lobos.

    "O que você viu hoje pequena borboleta, são os nossos protetores. Esses garotos, e garota, são os protetores de La Push, os protetores da reserva e seus moradores."

Bella estava com as mãos na boca, o corpo tenso e a expressão de surpresa em seus olhos.

Seth a entendia, afinal, também se surpreenderia caso soubesse que seus amigos são lobisomens gigantes.

- Mas ainda somos nós Bella. -Jacob disse afagando o braço da amiga. - Sei que pode ser difícil, mas nós vamos cuidar de você, te proteger de Victória.

- A-aquele vampiro era dela? - Bella questionou, os olhos cheios de lágrimas.

É... Agora era a segunda parte da história, a parte que não conhecíamos.


Notas Finais


Gente... E eu que esqueci que postava essa história aqui tb...

Me desculpem pela demora, em breve pretendo trazer o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...