História A luz da minha vida - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Stincy
Visualizações 119
Palavras 1.114
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Cap 15


 

Anteriormente

- Não se preocupe, continue olhando a albina que Rogue sempre olha, eu irei te proteger, junto do tigre, blondie.

 

E nesse momento o coração de uma loira bateu mais forte, junto de um enorme sorriso.

Atualmente

Duas grandes lutas aconteciam em somente um só lugar, no céu e na terra, duas forças distintas lutavam pelo mesmo objetivo, a aniquilação da espécie de seus inimigos. Pelo céu duas grandes forças negras enfrentando-se violentamente, com grande fúria, através das nuvens. Na terra quatro forças obscuras, lutando contra humanos determinados a ganhar. Um loiro acompanhado de um enorme tigre elétrico, lutavam cordialmente para proteger uma maga, que controlava o motivo e a consequência desta luta e futuro, sem recuar sequer uma vez, lutava bravamente.

Lucy on

Não havia mais nada em seu estado natural, havia grande destruição para todo lugar em que se olhava, possuía várias pessoas feridas, muita magia, era um caos.

Desde que Sting e Tim me defenderam, estão em meu lugar lutando. Os demônios estão ficando cada vez mais fracos, mas isso não significa muita coisa, em uma luta contra o caos e medo a qualquer instante o rumo pode mudar.

 - Blondie, consegue ver algo da luta nos céus? – Sting me tira de meu transe, fazendo eu voltar minha atenção ao céu.

 - Não, está muito alto, não enxergo nada – Ao me virar para ele, me assustei – Meu kami-sama.

 - O que foi? – Ele perguntou já assustado.

 - Você está todo machucado – Havia cortes por todo seu corpo – Esse sangue é seu??

 - Não, eu não sei de quem é – Pera, o que?

 - Como você não sabe de quem é o sangue que está em você? – Não acredito nisso.

 - Isso não acaba nunca, já estou ficando cansado – Ele já estava realmente acabado – Minha magia está quase esgotada.

 - Não seria melhor parar e descansar?

 - E deixar alguém te ferir? Não, ainda aguento por algum tempo – Sorri agradecida.

 - Obrigada – Seu olhar era confuso me encarando – Por tudo que está fazendo por min, sem mesmo ser sua obrigação.

 - Não é nada, Blondie – Seu sorriso estava mais radiante – Eu faria a mesma coisa novamente sem pensar duas vezes.

 - Saiba que sempre que precisar, estarei aqui para tudo.

 - Negaria, mas sei que me forcaria a aceitar – Seu olhar transmitia um sentimento muito confortante.

 - Eu realmente quero que isso acabe logo – Meu cansaço era notável se olhado bem perto.

 - E isso parece ser só o começo.

 - Isso não é nada, perto do que ainda virar – E eu temia com toda minha força.

 - O que quer dizer com virar? – Seu olhar de repente ficou repleto de preocupação.

 - Quando eles chegaram, Hitomi disse que eles estavam conseguindo abrir os portões – O que não é nada bom.

 - Que portões? – Seria tão mais fácil, se poucos soubesse sobre eles.

 - Há um portão que separa o inferno do mundo que nós vivemos – Me virei em sua direção para uma explicação mais complexa – Esse portão é escondido dos humanos, mas para os demônios ele fica bem em suas frentes.....

 - Como uma ironia – Assenti com a cabeça.

 - Mas é impossível, ou quase impossível pelo o que podemos ver, abrir – As histórias parecem estar erradas – Com esse portão, é proibida a passagem do inferno para nosso mundo. Ele foi criado a muito tempo somente para esse propósito, para impedir o massacre que acontecia nesse mundo....

 - Mas parece que ele tem uma falha – Ele havia razão.

 - Realmente parece, o que é um grande problema – Seu olhar se voltou para min completamente – Eles conseguiram passar com somente uma pequena abertura, e somente os mais fracos.....

 - Os mais fracos? – Sua expressão era de puro pânico.

 - Sim Sting, esses são os mais fracos – Ele parecia não querer acreditar que isso é verdade – Agora imagina se ele se abre muito mais e os mais fortes saem, e pior.....

 - Tem pior? Não acredito – que coisa que gosta de interromper.

 - Sim tem pior, agora para de interromper – Ele fez um bico enorme – Seria bem pior se o rei passasse.

 - Eles possuem um rei? – Mas é cada coisa.

 - Quem você achava que controlava aquele lugar de monstros? – Ele virou o rosto sem graça.

 - Achei que era cada um por sí, que se vire o resto – Não consegui segurar o pequeno sorriso, o que aumentou sua vergonha.

 - Há um Rei que controla tudo, nada passa sem a decisão e confirmação dele – Ele ainda me olhava de canto, em quanto eu ainda tinha um pequeno curvar de lábios – Ele é o mais forte entre todos, ou não estaria no trono.

 - Então ele é a preocupação – Não tão fácil.

 - A maior, mas...... – Ele me olhou descrente, o que me fez soltar uma pequena risada – Antes dele ainda há os quatro cavaleiros do apocalipse.

 - Já ouvi falar deles Peste, Guerra, Fome e Morte, e estão em volta do trono, em cada um de seus lados.

 - Exato, quando eles aparecerem, será quando a verdadeira batalha iniciara.

                Nesse momento um forte barulho se fez presente tremendo a terra, esse vindo do céus. Todos pararam no mesmo instante, direcionando seus olhares para cima. Um estrondoso rugido repleto de dor, assustou a todos se encolhendo no mesmo instante, nuvens negras cobriram totalmente os céus, e logo após um trovão acompanhado de um raio, o céu se dividiu em dois, e um corpo caiu. Um pouco de esperança inflou no coração dos magos, vendo que o corpo que caia e despedaçava era de Marcos, antes de chegar no chão ele já havia se tornado totalmente pó, logo Hi desceu e com seus pés descalços tocou o chão, os quatro demônios estavam apavorados, o olhar da albina focou neles.

 - last order of the queen of darkness – Do solo ergueu-se um cemitério, que em cada tumba havia uma bandeira estendida de reinos que já não existia a mais de século, só bastou o mexer de suas mãos, para os vindo do inferno se desesperassem, enfim bateu suas mãos uma contra a outra.

 - Execution – Do cemitério saiu quatro pares de mãos que prenderam os pés dos demônios, e os arrastaram para dentro de tumbas vazias, só pode ser ouvido seus corpos sendo quebrados e seus gritos de dor.

Hi olhou em volta após o cemitério sumir vendo o estado de todos, com um balançar de mãos todas as feridas haviam se curado, sobrando somente o desgaste mágico. Sua aparência voltou ao normal, veio em minha direção e sorriu me acalmando, virou se para todos, e com um suspiro cansado

 - Está na hora da explicação, não é mesmo? – E assim todos assentiram.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...