História A máfia - interativa - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags A Mafia, Assaltos, Revelaçoes
Visualizações 47
Palavras 2.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um capítulo, desculpem o atraso.

Enfim boa leitura!😊

Bjs da juuh❤

Capítulo 21 - Conversando com o inimigo?!


•No galpão abandonado•

_______________________________________


*América narrando*


Bom havia acabado a mordomia para nós, voltamos a nossa velha rotina, e nesse momento estávamos discutindo o nosso próximo crime.


Bom, recebemos uma missão um pouco mais arriscada, nós teremos que ir pessoalmente assaltar o banco da cidade - diz Ryan explicando a nossa nova missão.


Todos olharam um pouco abismados, claro que já fazíamos essas coisas com uma certa facilidade, mas dessa vez tínhamos os investigadores e o governo e eu tinha certeza que alguém estava os ajudando enquanto a nós.


Era um sentimento de desconfiança mas não sei o certo…


Como assim ? E o que iremos fazer com a polícia, os investigadores e o governo que estão na nossa cola?! Sem contar que esse banco é hiper protegido, não estou duvidando da nossa capacidade sei que somos mais espertos que eles, mas com eles sempre na vigia fica difícil - Diz Mai um pouco afobada.


Fique tranquila Mai , teremos alguém para despistar eles da nossa cola quando formos assaltar o banco - diz Dafny


E quem é ? - pergunta Mai


Será o luka e a Maellie , ela vai tentar invadir o sistema do governo e desligá-los e o luka vai colocar bombas de fumaça no local e nos carros da polícia, que vai causar uma certa sonolência neles - explica Ryan


Entendi… E quando pretendem fazer isso? - pergunta Mai


Ainda não temos um dia certo, irei conversar com o chefe para marcarmos um dia ideal pra isso, e fica mais difícil ainda agora que Misuya e Damian voltaram… - responde Ryan


Todos nós apenas assentimos, não sei bem o por quê mas estava com um mau pressentimento em relação a essa missão, será que eu deveria mesmo me preocupar?


Bom todos estão dispensados, mas lembrem-se teremos uma outra reunião amanhã - diz Ryan por fim.


Todos apenas balançam a cabeça em sinal de concordância e se retiram um a um.


Mas parece que aquele pressentimento ruim ainda me corroia, não sei se os outros sentiam a mesma coisa, acho que é melhor guardar apenas para mim. Bom pelo menos por enquanto…


_______________________________________


*Mai narrando*


Depois da nossa reunião, decidi dar uma volta de moto pela cidade.


Estava Entardecendo, e o sol já estava se pondo.


Passava pelos carros, apenas observando ao redor, estava distraída.


Até que parei perto de uma lanchonete, pois estava com fome. Adentrei ao local, e me sentei em uma das mesas, até que uma garçonete veio até a minha mesa.


Com licença senhorita, o que vai pedir ? - perguntou a garçonete


Olhei o cardápio até eu ver o que me agradava.


Eu quero esse x-burguer aqui, uma batata dupla e um refri - eu disse


A garçonete apenas olhou para a minha cara e anotou meu pedido. Deu para perceber a sua cara de entojo, dava vontade de perguntar “ perdeu o cu na minha cara?” mas eu tenho que ser uma menina de classe nesses lugares ( por mais que eu queira mesmo é mandar tudo se fuder).


Até que sou despertada dos meus pensamentos malucos por um indivíduo que sentou na minha mesa, folgado hein!


Até que presto total atenção ao indivíduo, na verdade olhei ele com uma expressão ameaçadora, era o tal do Damian o cara misterioso que está envolvido no passado da máfia e deve conhecer os podres do Luka e do Ryan e bla bla bla…


O que você está fazendo aqui, filhote de cruz credo ? - perguntei desconfiada.


Nossa que jeito mais hostil de receber um amigo, eu vim apenas conversar albina - ele diz com um sorriso de canto em seu rosto.


Primeiro eu não sou sua amiga, e segundo eu não quero conversar com você, por isso eu peço humildemente que você saia daqui ou eu mesmo o tiro - eu disse bravamente.


Credo tá de Tpm hein? Eu só vim ter uma conversa de paz, afinal dentro da máfia foi você a que mais me chamou a atenção - diz ele sorrindo para mim.


Desista eu não vou cair nesses seus joguinhos fajutos - eu falei fria


É pelo visto terei mais trabalho para conquistá-la, gosto assim, garotas que me desafiam são as que mais me atraem - ele disse


Sério mesmo? Sério mesmo que eu vou ter que aguentar isso ? Meu Deus o que eu fiz? Eu só quero me vingar do meu primo e matar ele pronto! Não mereço passar por isso!


Tá eu não perguntei se as garotas que te desafiam são as que mais te atraem, eu tô pouco me fodendo pra isso - eu disse, o olhando com ódio.


Devia tentar ser mais calma, desse jeito não irá concluir seus objetivos… - ele disse pausadamente


O que ele quer dizer com isso?


Até que somos interrompidos pela garçonete que havia trago meu pedido.


Aqui está seu pedido senhorita… Desculpe atrapalho algo? - ela perguntou ainda com a sua cara de nojo.


Percebi que ela olhava excessivamente para Damian, que pena mal sabe ela que esse cara é um canalha. Bom acho que eu também não podia falar nada, era o sujo falando do mal lavado.


Vai querer alguma coisa senhor ? - ela perguntou, sorrindo para ele.


Tirando o seu telefone, nada - ele disse sedutoramente.


Ela apenas corou, e pegou sua caderneta e anotou alguma coisa e entregou a Damian, tenho certeza que era o número. Então depois disso a garçonete com cara de cu se foi.


Você é um canalha mesmo hein ! - eu disse com repulsa.


Tá com ciúme bebê? Fica tranquila meu coração só tem lugar para você albina - ele disse desafiador.


Sério, pare com isso antes que eu vomite aqui de tanta besteira que você tá falando - eu falei


Ok gatinha - respondeu ele por fim.


Eu apenas comecei a comer meu lanche e fingi não ter ouvido aquilo.


Seria errado eu pegar uma cadeira e tacar nele? Ou sei lá pegar uma faca e perfurá-la em sua barriga?


Claro que sim né Mai você vai presa e ainda reencontra giroshi antes do tempo, aí adeus vingança.


Como faz falta meu bastão nessas horas


Mas nada me impedia de fazer isso mentalmente, então pelas minhas contas eu matei ele 7 vezes mentalmente.


Assim que terminei meu lanche, fui pagá-lo, e tentei sair o mais rápido possível dali.


Mas o indivíduo me seguiu até o lugar onde havia estacionado a minha moto.


Será que dá pra parar de me seguir porra?! - eu falei brava


Eu só estava garantindo que uma nobre dama como você chegasse até aqui em segurança - ele disse


Sério, isso foi tão brega que a minha vontade de te socar triplicou - respondi


Olha, eu só estou tentando ser um cara legal, eu me arrependi do que eu fiz no passado eu só quero voltar pra máfia novamente que é meu verdadeiro lar, e também eu te achei uma garota interessante por isso decidi conversar com você - ele disse um pouco cabisbaixo


Eu tinha certeza que aquilo era puro teatro, não posso acreditar nesse truque fajuto dele.


Nossa acredito muito, bom se me der licença adeus - eu disse me preparando para subir em minha moto, mas um alvoroço a frente me chamou um pouco a atenção.


Corri para ver oque se passava, e Damian veio logo atrás de mim.


Era uma mansão que havia sido incendiada, pelo que eu ouvi as pessoas comentando parecia que era uma família extremamente rica e a casa havia sido assaltada. Pelo que eu ouvi 3 morreram e um membro da família estava desaparecido.


Pude vir os corpos cobertos pelo pano preto serem retirados da casa. Parece que ainda continuariam investigando para ver se encontravam o corpo do desaparecido.


As pessoas comentavam que se tratava da ação de uma facção, mas pelo que eu me lembre a máfia não havia tido nenhuma missão hoje, a não ser que… Eles tivessem vindo sem mim ou se tratava de outra facção.


Eu apenas olhava tudo sem demonstrar uma reação, até que pude perceber que dos corpos retirados um se tratava de uma criança, fiquei meio sem chão ao ver aquilo por causa da morte do meu irmão.


Eu o perdi tudo por culpa daquele maldito do giroshi!


Mas eu irei me vingar, eu esperei isso por anos , isso vai se concretizar.


Ei albina, você está chorando?! - perguntou Damian um pouco surpreso.


Toquei o meu rosto e percebi que ele estava certo, havia algumas lágrimas ali. As limpei rapidamente.


E continuei a prestar atenção no que estava acontecendo ali junto com as outras pessoas que também se recusavam sair dali. Até que vi algo meio desagradável, era giroshi que estava ali no meio da multidão ele saiu acompanhado de mais um cara e a polícia.


Queria apenas correr e matá-lo  ali mesmo mas me controlei.


Não me siga! - eu disse para Damian, e sai sem olhar para trás


Eu apenas queria ir embora dali!


_______________________________________

*Damian narrando*


Sai a procura da minha presa, eu conhecia a máfia com a palma da minha mão então retornei ao lugar de localização do galpão e fiquei esperando todos saírem para assim ver a garota que iria enganar.


Sempre fui bom em me infiltrar e me esconder sem ser descoberto.


Até que vejo finalmente a garota sair, ela era uma albina e baixinha, tinha uma aparência inofensiva mas acho melhor ficar atento, mas tenho certeza que essa já tá na minha mão.


Até que pude ver ela ir em direção a uma moto, só faltava eu descobrir a que lugar ela iria agora.


Fui direto ao meu carro e tentei ao máximo segui-la, depois de algum tempo de percurso ela parou em uma lanchonete. Decidi esperar um pouco antes de entrar, se não ela poderia desconfiar que eu a estava seguindo.


Passou-se alguns minutos e eu decidi entrar. Assim que entrei a avistei sentada em uma das mesas, então apenas andei e sentei ali sem mais nem menos.


Assim que viu ela me fez uma expressão ameaçadora.


O que você está fazendo aqui, filhote de cruz credo ? - perguntou.


Nossa que jeito mais hostil de receber um amigo, eu vim apenas conversar albina - eu disse dando um sorriso de canto.


Primeiro eu não sou sua amiga, e segundo eu não quero conversar com você, por isso eu peço humildemente que você saia daqui ou eu mesmo o tiro - ela disse irritada.


Pelo visto essa vai ser mais difícil que eu imaginei...


Credo tá de Tpm hein? Eu só vim ter uma conversa de paz, afinal dentro da máfia foi você a que mais me chamou a atenção - eu digo sorrindo para ela.


Desista eu não vou cair nesses seus joguinhos fajutos - ela disse fria


Eu só posso ser pé frio, tantas garotas e eu escolho a mais complicada! Mas não vou desistir agora...


É pelo visto terei mais trabalho para conquistá-la, gosto assim, garotas que me desafiam são as que mais me atraem - eu disse


Tá eu não perguntei se as garotas que te desafiam são as que mais te atraem, eu tô pouco me fodendo pra isso - ela disse, me olhando com uma expressão nada agradável.


Devia tentar ser mais calma, desse jeito não irá concluir seus objetivos… - eu disse pausadamente


Ela ficou meio pensativa quanto aquilo, já tinha um ponto a atingi-la, se eu descobrisse o objetivo dela poderia chantageá-la com isso assim a minha vingança quanto a máfia seria mais interessante… Como seria ter uma membro traidora que trai a facção revelando informações ao inimigo? Sem dúvida isso seria interessante.


Até que somos interrompidos pela garçonete.


Aqui está seu pedido senhorita… Desculpe atrapalho algo? -  perguntou a garçonete.


Não, não está atrapalhando - respondeu a albina de imediato


Até que vi que a garçonete me encarava, quando encontrei o seu olhar ela apenas desviou um pouco corada.


Vai querer alguma coisa senhor ? - ela perguntou, sorrindo para mim.


Tirando o seu telefone, nada - eu disse.


Ela apenas corou, e pegou sua caderneta e anotou alguma coisa e entregou para mim, era o número, que fácil pensei que as garotas se davam mais valor… Pois entregar o número para um estranho, é meio que uma falta de bom senso.


Você é um canalha mesmo hein ! - ela disse com repulsa.


Tá com ciúme bebê? Fica tranquila meu coração só tem lugar para você albina - eu disse a provocando.


Sério, pare com isso antes que eu vomite aqui de tanta besteira que você tá falando - ela falou


Ok gatinha - respondi, percebi ela ficar brava e começar a comer seu lanche.


Assim que ela terminou seu lanche, ela saiu rapidamente da mesa e foi paga-lo, saindo rapidamente do estabelecimento.


Me apressei em segui-la, não poderia perdê-la de vista.


Será que dá pra parar de me seguir porra?! - ela falou brava


Eu só estava garantindo que uma nobre dama como você chegasse até aqui em segurança - eu falei, mano que desculpa bosta


Sério, isso foi tão brega que a minha vontade de te socar triplicou - respondeu


Olha, eu só estou tentando ser um cara legal, eu me arrependi do que eu fiz no passado eu só quero voltar pra máfia novamente que é meu verdadeiro lar, e também eu te achei uma garota interessante por isso decidi conversar com você - eu disse fazendo meu melhor teatro, teria que ser o mais convincente possível.



Nossa acredito muito, bom se me der licença adeus - ela disse se preparando para subir em sua moto, mas um alvoroço a frente chamou nossa atenção.


Ela correu até o local que estava ocorrendo o alvoroço, e eu fui logo atrás.


Era uma mansão de uma família rica que havia sido incendiada, pelo que eu ouvi as pessoas comentando a casa havia sido assaltada. Pelas informações 3 morreram e um membro da família estava desaparecido.


As pessoas comentavam que se tratava da ação de uma facção. Não poderia ser a máfia não é?


Eu olhava tudo, um pouco sentido confesso, posso até fazer coisas consideradas “ilegais” mas também ainda era humano e sabia como devia ser sofrido aquilo. Imaginar os parentes dessa família saberem de sua morte, era simplesmente de cortar qualquer coração, ao menos que a pessoa seja feita de gelo de tão fria… Mas quem sabe né? Vai ver os parentes nem se importam…


Até que percebi que a garota estava estática e com lágrimas em seu rosto.


Ei albina, você está chorando?! - perguntei surpreso.


Ela apenas tocou o seu rosto, e secou as lágrimas rapidamente. Então ela se virou em minha direção.


Não me siga! - ela disse, e saiu sem olhar para trás.


Eu não a segui, afinal de tudo que tinha acontecido agora, sei que ela havia ficado um pouco sentida por alguma coisa pois ela olhava para uma direção com uma expressão não muito boa… Bom melhor eu não me meter nessa bobagens e me concentrar apenas no meu plano!




Notas Finais


Honestamente eu não sei se esse capítulo ficou bom, mas enfim espero que gostem😊

Bjs da juuh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...