1. Spirit Fanfics >
  2. A Mafiosa - Swanqueen >
  3. Capitulo 28 - Sensível

História A Mafiosa - Swanqueen - Capítulo 28


Escrita por: HeraHorn

Notas do Autor


Amores vocês são fodas..... 15 comentários....suas lindas perfeitas.....espero que gostem do presente.....boa leitura amores 📚

Capítulo 28 - Capitulo 28 - Sensível


Fanfic / Fanfiction A Mafiosa - Swanqueen - Capítulo 28 - Capitulo 28 - Sensível

Regina não tinha muito o que pensar, ela ficou na casa de Emma, as roupas ela podia buscar depois. Depois de falar bastante com só filhos elas foram pro quarto.  A morena estava lá deitada na cama esperando Emma, e não conseguia parar de pensar que sua demora no banheiro poderia ter motivos,  ela respirava fundo tentando tirar a imagem dela se masturbando da cabeça.  E então a loira apareceu. De calcinha e sutiã.

— Nossa Senhora. — Regina falou e Emma deu risada.

— Espero que isso seja bom.

— É algo tipo, nossa como você  é  linda.

— Linda ?

— Gostosa.— Regina corrigiu um pouco tímida e fez sinal para que Emma fosse para cama. E a loira apenas tirou uma pulseira ficando de costas para ela enquanto a colocava sobre um móvel, Foi natural a morena morder os lábios olhando ela de costas. Se bem que Regina estava ficando excitada a olhando de qualquer ângulo.

— Sabe. Chegou uma hora que era difícil não ficar trancada no quarto chorando. Então eu comecei a focar em academia, corrida, luta.  E até que compensou. Porque eu nunca tive um corpo assim, nem nos meus melhores dias.

— Você sempre foi linda.

— Linda sim. Mas hoje eu posso dizer que me sinto gostosa para cacete.— Ela foi para cama e se deitou perto de Regina que respirou fundo. E chamou ela pra perto.— Você não faz ideia de como eu estava querendo você aqui. Para poder dormir agarrada em você.

— Juro que se eu estivesse segura de que não vou surtar no caminho, a única coisa que eu não faria é  dormir. Minha cabeça tem todos os problemas mais meu corpo surta perto de você assim.— Emma se inclinou e beijou ela lentamente e sentiu a mão  tímida de Regina em sua cintura a fazendo carinho.

— Eu tenho todo tempo e paciência do mundo amor, quando você estiver pronta vamos matar essa saudade bem lentamente. Sem presa. Só eu e você  até cansar.— A forma que Emma falava beirava a sensualidade insana. Era difícil se conter mais ela sabia que Regina precisa ir ao seu tempo. O problema era o tempo que isso já estava levando. Todas as noites eram iguais, elas se deitavam juntas, a morena a abraçava  e fazia carinho em sua cabeça até que ela dormisse. Mas Regina mesmo não conseguia pregar os olhos. No inicio ela achava que era a falta de costume de dormir em uma cama boa, ou que talvez tivesse se acostumado a estar sozinha. Mas com os dias passando e as consultas na psicóloga avançando Regina foi se entendendo melhor e entendendo melhor seus medo, ela conseguia se encher com clareza, e graças a psicóloga ela conseguia se ver como se tivesse uma lupa sobre a própria cabeça.

Durante essas muitas noite, Emma as vezes acordava no meio da madrugada e percebia a esposa acordada, mas preferia não dizer nada e voltar a dormir em seu peito. Mas depois de tantas noites ela já estava preocupada. Preocupada que talvez tivesse forçado Regina a dar um passo que ela ainda não estava pronta para dar.

— Amor?

— Oi. Eu te acordei?— Regina falou colocando o livro de lado e se referindo a luz acessa do abajur.

—Na verdade não.  Mas porque ainda esta acordada?

— Estou sem sono amor. Mas pode dormir, que vou ficar aqui te fazendo cafune.— Regina falou beijando o topo da cabeça da loira.

— Eu tenho te visto acordada  praticamente todas as noites. O Henry e a Alice falaram que as vezes você tira alguns cochilo durante o dia. E eu tenho me pego pensando que talvez o problema seja dormir comigo.— Emma se levantou bocejando e se sentou de frente para morena que se ajeitou para sentar também.— Se eu avancei demais nisso, pode me falar. Não tem problema. Se quiser eu posso arrumar o quarto se hospedes para você.  Até você se sentir bem pra dormir aqui comigo.— Emma era extremamente  doce e compreensiva com a esposa, mas falar que aquilo não afetava de forma alguma, era mentira. Era claro que ela sentia. Porque tudo que ela mais queria era Regina com ela. Ela queria a mulher mais que tudo, e sempre ter que passar em ovos a feria por dentro e foi natural seus olhos se enxergam de lágrimas e ela olhou pro lado.— Droga. Amor é  sério, pode me falar... eu ...eu— Emma foi se levantar e Regina segurou a mão  dela.— Está tudo bem, eu só vou lavar o rosto e vou ir ver as crianças.  E dormir no outro quarto

— Eu tenho medo Emma!— Emma a olhou bem e limpou a primeira lágrima que caiu.— Tenho medo constantemente. Eu tenho dormido durante o dia por cansaço.  Não por desejo. Eu tenho medo de estar abraçada com você  e pegar no sono, e acordar dentro do presídio. Tenho medo de que isso tudo seja um sonho bom que vai acabar quando eu dormir e acordar. Eu durante todos esses anos tive tantos desses sonhos. Eles pareciam reais. Eu acordava com o cheiro do seu perfume perto de mim. Como se fosse tivesse realmente estado ao meu lado. E eu tenho medo. Eu sei que parece loucura ou idiotice. Mas meu corpo se programou desse jeito e eu estou tentando desprogramas ele.

— Regina isso é  real, eu sou real, seus filhos são reais. E não  vamos sumir.— Emma pegou a mão  de Regina e colocou entre seus seios.— Meu coração esta batendo constantemente por você,  isso é  real amor.— Ela falou e as lágrimas caíram e Regina fez questão de seca las.

— Eu sei amor. Eu só  estou tentando colocar isso dentro da minha cabeça.  Eu não quero dormir no quarto de hospedes e nem quero que você durma. Eu quero estar com você.— Regina falou e olhou para sua mão  ainda parada entre os seios de Emma, ela fez um carinho antes de tirar a mão.  Emma falava algo sobre amar muito ela. E ela seguia hipnotizada pela esposa, e se lembrava da medica dizendo Você só vai saber que passou, e que está pronta quando tentar. Eu não posso te dar datas ou garantias." Ela respirou fundo. E se ajoelhou na cama, Emma a encarou, mas antes que tivesse tempo de perguntar alguma coisa Regina envolveu sua mão  em seu pescoço  e a trouxe pra perto.— Eu não quero mais ficar sonhando com as coisas. Eu quero viver elas.

— Ta bem.— Emma respondeu. Elas estavam bem próximas, e era natural Emma olhar os lábios de Regina e aquela maldita cicatriz que tornava tudo mais sexy.

— Quero você. — Regina disse aquilo sorrindo, respirou aliviada. Ela se aproximou mais de Emma beijou o canto de sua boca. Seu rosto. E voltou para o canto de sua boca.   Roçou seus lábios nos da loira que sorriu.

— Eu te amo tanto Regina. — Emma sussurrou aquilo levando sua mão  para o rosto da morena.

—Eu também amo você  amor.— Regina molhou os lábios e os mordeu sensualmente e Emma não resistiu, finalmente colocou seus lábios ao da morena. Regina controlava o ritmo do beijo, que começou timidamente. Enquanto suas mãos  percorriam o corpo de Emma estrategicamente tirando seu sutiã. Ela parou por um momento e encarou aquelas enormes esmeraldas. Emma sorriu.

— Posso ?— ela perguntou se referindo a camisola que Regina usava. E a morena apenas fez que sim com a cabeça. E Emma Logo tirou a camisola e deixou de lado. A morena estava apenas de calcinha, e a vontade de Emma era jogar ela na cama e ir pra cima mas se conteve. E foi quando Regina a puxou e voltou a beijar ela, agora não tão  inocentemente, ela deitou Emma na cama e delicadamente foi para cima de seu corpo, enquanto a beijava Regina deu um jeito de tirar sua calcinha e a da loira, e seus corpo se tocaram fazendo o corpo todo de Emma tremer. Elas sorriram entre o beijo. Quando Regina se ajeitou e seus sexos apenas se tocaram Emma suspirou ao sentir que Regina estava molhada e a morena a encarou.— Tem certeza Regina?

—Amor eu estou a tantos anos esperando por esse momento. Eu tenho certeza do que quero e que estou bem para isso. Mas se você não tiver....

— Tudo que eu mais quero é  que você  faça  amor comigo. Eu não consigo não pensar nisso. Todas as vezes que eu me toco é  pensando em você me tocando. Me beijando. Me tendo finalmente pra você. Me fodendo.— Emma se excedeu um pouco e as duas deram risada.

— A é? — Regina sorriu maliciosamente e arqueou uma sobrancelha. — Posso cuidar disso senhorita Swan Mills.

— Pode ? — Ela fez que sim com a cabeça e voltou a beija lá. O beijo já tomava novas proporções agora, suas línguas brigavam por dominância tornando aquele beijo quente. Uma das pernas da morena estava entre as pernada da loira e conforme ela se mexia roçava  delicadamente em seu sexo fazendo Emma morder os lábios de Regina durante o beijo conforme sentia aquela sensação deliciosa. Conforme Regina sentia sua coxa ficar molhada do sexo de Emma ela ficava mais e mais excitada.  Desceu seus beijos até o pescoço  da loira onde devorou alguns minutos de seu tempo enquanto sentia as unhas dela em suas costas. Regina fazia questão do contato visual enquanto deixava seu pescoço e descia até seus seios. Ela passou seus dedos em um deles lentamente e Emma mordeu os lábios e ela então desceu mais e passou a língua calmamente no outro  e pode sentir ele ficando rígido em sua língua. Regina começou a chupar ele lentamente e circular a língua enquanto acariciava o outro com sua mão.  Emma tentava se conter, mas era impossível, era tão gostoso sentir Regina ali chupando seus seios daquele jeito, a morena as vezes a olhava e ficava claro em seus olhos o desejo que ela tinha por Emma. E mesmo tentando se conter Emma estava gemendo baixo com aqueles carinhos. Regina sugava os com destreza e Emma segurava em seus cabelos com certa força  de um jeito gostoso, Regina mordeu de leve antes de deixar os seios de Emma e beijar seu abdômen,  ela passava a língua lentamente pelo corpo da loira causando arrepios. Enquanto fazia isso se ajeitou se colocando inteiramente entre as pernas dela. Ela voltou a chupar um dos seios da loira e sua mão descia para seu sexo, totalmente molhado Regina sorriu e foi beijar a loira. Enquanto sua mãos ganhava espaço entre seus lábios, ela logo começou a massagear o clitóris dela, e bastou um toque apenas para que Emma soltasse um gemido entre o beijo. Regina descia e subia a mão  lentamente por todo sexo da loira a fazendo gemer e esfregar seu corpo contra a mão dela, Emma rebolava buscando por mais contato enquanto se perdia entre gemidos e beijos. Regina desceu mais procurando sua entrada, circulou ela lentamente e começou a penetra lá com um dedo, ela estava quente, molhada, deliciosa. Ela a penetrou e  Emma mordeu seus lábios com força. E quando Regina tirou o dedo de dentro dela ela a olhou.— Não se atreva! — Ela falou e Regina riu.

— Não vou parar.— Regina disse safada  e voltou para sua entrada com dois dedos e penetrou ela bem devagar enquanto olhava suas expressões.  Ela fazia um vai e vem lento que logo foi ganhando maiores proporções. Emma já não controlava seus gemidos, conforme os movimentos da mão  de Regina se tornavam mais rápidos ela perdia o controle  e gemia alto, pouco se importando se alguém ouvisse ela. Emma queria demorar mais, mas seu corpo estava com tanta vontade daquilo .

— Eu vou gozar.

— Pode gozar. Temos o resto da madrugada amor.— Regina falou enquanto aumentava os movimentos e sentia seus dedos serem apertados dentro dela. O corpo da loira tremeu, e Regina tirou os dedos lentamente de dentro dela e antes que ela falasse qualquer coisa ela se abaixou até seu sexo e começou a passar a língua ali lentamente e então começou a chupar ela. Emma gemia deixando Regina com mais tesão.  Ela a lambia com vontade. Segurava seu quadril a trazendo mais para si.

— Amor.... eu vou.... amor— Emma nem conseguia completar a frase. E Regina continuou até sentir seu corpo tremer outra vez. E só ai Regina subiu até ela e a beijou.

— Sem duvidas você  é  deliciosa.— A morena completou. Indo beijar ela.

— Seu sorriso é  a coisa mais linda sabia.

— Ele fica mais bonito com você sentando nele sabia ?— Regina falou maliciosa.

— Quer me matar ?— Regina deitou e puxou a mulher pra cima dela.

— Matar não.  Mas que quero ouvir mais um pouco você gemer isso eu quero. — Regina deitou e puxou Emma para cima dela a fazendo ficar na altura de sua boca. E logo a morena a puxou e começou a chupar ela. Penetrava sua língua em seus sexo lhe arrecadando gemidos. E foi quando Emma de repente se afastou respirando fundo.— Fiz algo de errado ?

— Fez. Vamos deixar isso justo.— Emma se virou ainda com o sexo na altura da boca dela mais se abaixou coloca do o rosto perto do dela. Ela queria sentir a morena também.  E sem aviso simplesmente começou a chupar a morena que gemeu e voltou a chupar ela, logo seus corpos estavam no mesmo ritmo, Emma rebolava na boca dela enquanto se deliciava em seu sexo , as duas continuaram até ambas gozarem. A loira saiu de cima da morena. Mas antes que Regina saísse dali Emma se colocou sobre ela, e encaixando ambos os sexos. — Minha vez. — Regina tentou mudar as posições  mais quando Emma começou a rebolar ela apenas sorriu e segurou o quadril da loira gostando do que estava acontecendo.

— Puta merda.— Regina estava sensível  mas estava gostoso.

—Esta ruim?— Emma perguntou de olhos fechado gemendo em cima dela.

— Continua. — Emma pegou as mãos de Regina e guiou para seus seios. Ela rebolava cada vez com mais força.  E não levou muito tempo até que ambas gozassem outra vez e Emma caísse ao seu lado exausta.

 

.— Ficou claro a saudade que eu estava de você?— Emma perguntou rindo. E Regina a puxou para perto e a beijou.

— Claro. Mas pode me lembrar sempre que quiser, de preferência todos os dias.

— Não precisa pedir duas vezes. E amore, é  real. Não é  sonho. E agora é  o nosso momento juntas.

— Eu te amo Emma. Te amo te amo te amo.


Notas Finais


E aí? E aí? E aí?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...