História A Mafiosa e o Dono Do Morro - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Leiam as notas Finais é importante

Boa Leitura ✨💘✨

Capítulo 12 - Rio de janeiro


Fanfic / Fanfiction A Mafiosa e o Dono Do Morro - Capítulo 12 - Rio de janeiro

Rio de Janeiro

Pov Victor

 Acordo com meu radio tocando. 

Eu - que porra. falo já puto de raiva

Pego o radio e falo:

Eu-  o que é porra? 

Marcos - já tá  estressada Cinderela? 

Eu - vai se fuder, Mob. 

Mob - chefe tu não vai vir trabalhar não? Já  São 9 horas,  seu horário e as 6 horas querido. Fala com deboche

Eu - Marcos eu sou o chefe, não você. Eu vou a hora que eu quiser , mas como eu sou legal marca 10 que eu chego ai. Desligo

Eu - levantei da cama e fui pro banheiro lavo o rosto escovo  meus dentes  e entro pra tomar banho, tomo  uma ducha rápida e saio

Visto uma cueca box, uma bermuda, jogo uma blusa nas costas e saio do quarto.

Fui andando lá pra baixo e sinto cheiro de café, fui pra cozinha e a mesa já tá posta, a dona Fátima Fez. 

 sento, tomo um café e pego um pão com presunto e queijo e como  rapidamente. 

Levanto Vou ate a sala, pego na mesinha de sentro minha pistola e coloco na cintura

 Abro a porta de casa, saio cumprimento os seguranças, fui subir na minha moto mais alguém pula em cima de mim,  já sei até quem é . Revirei os olhos


Eu - Ana clara sai de cima de mim porra

Ana - Desculpa. Diz arrumando o minúsculo chortes dela

olho pros guardas e eles tão olhando pra bunda dela, bando de vagabundo. 

Eu - perderam alguma coisa aqui? acho que não né?  então parem de olhar. Falo bravo e eles obedecem 

Ana - Victorzinho do meu coraçãozinho.  diz sorrindo

Olho pra ela e sorriu,Ana é como uma irmã pra mim. 

Eu -  o que tu que Ana, e essa roupa cade o resto  do pano dela?

Ana - Ridículo, essa roupa e nova.  deu uma voltinha

Olho e bufo

Eu - Teu irmão nem deve saber que tu saiu com essa roupa, mais desenrola ai o que é que tu quer? 

Ana - ele não sabe mesmo e ele não manda em mim. Eu sei  que tu  vai trabalhar então me deixa na entrada,  vou sair. 

Eu - tá sobe. falo e sento na moto, ela sobe asselero a moto e vejo que as ruas já estão bem  movimentadas, olho pros bares que já bêbados e as mulheres me olhava com desejo.Chego na entrada paro a moto, a ana desde e eu pergunto a onde ela vai. 

Ana - bom eu vou eu vou no cabeleireiro... Cortar minhas pontas duplas... Essas coisas. 

Eu - Ana você não sabe mentir. Olho nos olhos dela

Ela bufa

Ana - aí você e chato em,  tá eu não vou no cabeleireiro eu vou sair pra trabalhar, você sabe que meu irmão não gosta que eu trabalhe, mas eu quero ter minha responsabilidade,  tô cansada de viver as custa dele. bufa frustrada

Ela tá certa, essa é minha princesa

Eu - vai lá e eu espero que seja um trampo certo, seu irmão não vai ficar sabendo por mim.  pisco e saiu acelerando a moto

chego na boca, desço da moto, cumprimento os parceiros e entro na Minha sala  e pego na gaveta trancada da mesa  o caderno de contabilidade da boca. 

Alguem entra e bate a porta com força  levanto meu olhar,  tinha que ser as duas gazela do Gilson e Arthur 

Gilson - fala chefia demorou hoje em, já fomos ver as drogas e a armas que chegou hoje de manhã, só falta cobrar as drogas. 

Eu - tá legal isso deixa com migo daqui a pouco eu vou. falo 

Eu -  quantas armas tem? 

Gilson - 900 armas, tem Glock, G18,umas Ak,  metralhadora e mais algumas coisas sorriu animado,  ele ama armas. 

Eu - tá legal, Gs vai ensinar os novatos a atirar,Arthur vai vender drogas eu vou indo cobrar daqui uns minutos

Eles sairam,  termino os cálculos,  saio da sala e vejo o Marcos

Eu- eai Mob. 

Mob - fala Meu parceiro. fez um toque comigo

Eu - bora ir cobrar comigo .Falo, subo na moto ele sobe na dele

Fomos cobrar num beco

Coringa -  depois que cobramos os menor fomos pra boca de novo, chego lá e tá uma movimenta de noia Parado se drogando, Isso é sempre assim . 

Quando eles percebem minha presença abriram espaço pra mim,  passo olhando pra eles e falo

Eu - todo mundo circulando quero ninguém parado nessa porra não

falo e entro na minha sala

sento  e um bando de desocupado ja entraram, depois que sou ruim eles reclama.  Fico olhando pros bocos e eles conversando.

Gs- qual é vacilão, eu vi que tu levou um fora da novinha da casa 11, adimiti. 

Crusher - toma no cú, vou adimitir nada nessa porra não. 

Marcos - a princesinha não gosta de levar um fora não. Fez voz de gay

Ja falei que meus amigos não prestam, realmente eles não prestam. 

Crusher - você cala a boca Mob porque você também tomou um fora no baile da moreninha la. Disse jogando na cara dele

falo e entro na minha sala

Mob - Filhão, eu dei um fora nela,  ela é aquele tipo de patricinha mimada. mais e você , que toma fora de todas. 

Arthur Abriu um sorriso travesso. Isso vai da bosta eu tô só observando

Arthur - posso até tomar de todas mas tua irmã, libera pra mim bem rapidinho. disse provocando

Mob tava vermelho

Eu - ja chega dessa Porra. Resolvo cortar aquilo não vai acabar bem

Mob - respeita minha irmã vacilão,  ela vai morrer virgem, ela pode ate perde mais vai ser longe de mim. Disse bravo

Arthur - Bom, virgem ela não é. provocou

Eu - Já chega suas maricas,  o que diabo vocês vinheram fazer aqui?

Gs- Vinhemos ver o plano da invasão na mare e também pra vc ir nas armas e no desmanche

Olho pra eles

Eu - vocês tão nessa putaria meia hora ai discutindo não resolvemos nada, agora vocês vem fala de plano? toma no cú também 

Arthur- Calma Victor. 

Nego com a cabeça 

Calma o cacete, Arthur vai ver se as armas ta nos conformes, Mob vai fazer a ronda no morro e ver se o postinho ta precisando de alguma coisa e Gilson , vc vai cobrar e reunir os moleques no alto do morro mais tarde, agora eu quero ver todo mundo trabalhando. bufo e eles saem

 pego minha arma e saiu da sala também vejo os caras vendendo. 

Eu - fala Matheus,  como ta aqui as coisas tão vendendo muito? Eles tão pagando tudo no dia certo? 

Matheus - ta tudo certo chefia, eles tão comprando bastante, agora pagando é só com o Renan(Irmão gêmeo dele) 

Eu - pode crer então, depois eu Bato um papo com ele. falo e saio

  fui andando saindo da boca naquele sol do inferno,  paro na saída da boca e fico olhando o movimento, as crianças brincando  ja lembrando da minha infância.

Eu correndo por essas ruas, olho e vejo uma mulher pegando o filho pelo braço e sai com ele, me lembra minha mãe quando eu aprontava.   fui andando pego minha moto e fui pra minha casa.

Acelero a moto  e impino, Amo fazer isso . chego em casa bem rapido e estaciono  a moto e desso abro o portão e vejo a carolina sentada na grama. sorriu negando pra ela

Eu - o que tu tá fazendo aqui? 


Notas Finais


Capítulo pequeno mesmo só pra Apresentação dos meninos.

Eu Demorei pra atualizar por que comecei uma nova fanfic só que em outra conta, então estou postando um dia em uma e um dia na outra

Se quiserem conhecer ela se chama:
Centuries Klaroline

Não postei o capítulo da babi indo pro Brasil porque antes quero saber se vcs querem que o vulgo dela na máfia seja Alerquina, se preferem outro deixe sua sugestão

💘✨💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...