1. Spirit Fanfics >
  2. A Magia Entre Nós >
  3. Batalha - Final

História A Magia Entre Nós - Capítulo 42


Escrita por:


Notas do Autor


Eu nem acredito que vou falar isso,mas chegamos ao final dessa fic😭 Quero fazer um agradecimento especial quando realmente chegarmos ao final,mas saibam que não existem palavras o suficiente para expressar a minha gratidão a cada um de vocês ❤️ vai ter epílogo, talvez dois
E uma pergunta, se eu postasse mais fanfics ou histórias originais, vocês iriam ler???
Boa leitura!

Capítulo 42 - Batalha - Final


!!!LEIAM AS NOTAS INICIAIS!!!

POV Lizzie

Primeiro de maio,um pouco antes do início da batalha

Voltar a morar na Toca e voltar para a Ordem foi a melhor coisa que eu podia ter feito. Tirar minha cabeça daquele tempo na Mansão era tudo o que eu precisava. E tudo o que Draco,Pansy e Blaise precisavam também.

São raros os dias em que não saímos de casa para enfrentar Comensais nas ruas. Mas acontece,nos ocupamos com outras coisas.

Pansy adorava visitar Luna durante as tardes,e acredite,eu adorava a provocar sobre isso. Blaise gostava de visitar a loja dos gêmeos e ver todo o tipo de coisa que aquelas coisas conseguiam aprontar. Draco ia visitar o primo recém nascido,que também era meu afilhado,e eu o acompanhava. Apesar de ainda não ter nem um mês de vida,Teddy já mudava a cor dos cabelos a cada cinco minutos.

- Sinto em te dizer,Tonks,mas é a cara do pai. - digo pegando o menino no colo,depois de o roubar de Draco.

- Acha que não sei? A única coisa que essa criança herdou de mim foi ser metamorfomago. - Tonks bufa e Draco ri da indignação da prima. - Vai passar pela mesma coisa,minha querida Liz. Todo Malfoy nasce igual.

Draco se engasgou com o chá que estava tomando e eu o encarei.

- Algum probleminha, doninha?

- Um pouco cedo para falar sobre isso, não? - eu gargalhei alto de seu desespero,com Tonks me acompanhando.

Paramos de rir com o barulho de mudança na mensagem do Galeão que cada um da Ordem carregava. Tonks o pegou,e nos disse que avisava que Harry estava em Hogwarts. Que iríamos lutar. 

Rapidamente entreguei Teddy para Tonks que iria levar o filho para a mãe. Ela disse que nos encontraríamos depois.

- Vamos passar para levar o Blás,Pansy deve ir com a Luna. Onde ele está? - pergunto para Draco, enquanto pego em sua mão para aparatarmos.

- Com os gêmeos.

Aparatei na fachada da loja,os três já saiam.

- Receberam o bilhete também? - Fred ou George pergunta.

- Recebemos. - eu e Draco respondemos juntos. - Vão direto para lá,eu consigo aparatar com os dois. - disse essa última parte sozinha. 

- Vão na frente,vamos passar em casa e ver se tem algo a mais para levar. Não esqueça de ter certeza que os feitiços anti-aparatação estejam derrubados. - apenas assinto com a cabeça. Me pediram aquilo, porque para mim era como derrubar penas.

Blaise logo vem para o meu lado e agarra meu braço,em um segundo estamos em Hogsmeade. Assim que chegamos,pudemos ver três Comensais nas ruas. Puxei os dois para um beco alí do lado,e apenas nos encaramos logo saindo do beco de surpresa e derrubando os três. Logo depois garanto que os escudos estejam derrubados.

Enquanto íamos em direção ao bar,mais barulhos de aparatação e a Ordem já havia chegado. Todos corremos e atravessamos o quadro rapidamente. Me junto ao lado de Pansy com Draco,Blaise não demora dois segundos até chegar a Neville e o abraço tão apertado que achei que iria esmagar o Grifinório.

- Como... Como chegaram aqui tão rápido? - Harry pergunta.

- Repliquei os Galões que Hermione fez para a Armada de Dumbledore,cada um deles tem um. - Neville explicou por cima do ombro de Blás.

- Replicou? - Hermione pergunta surpresa.

- Não temos tempo,vamos para o Salão. Luna,leve Harry na comunal. - Gina interrompe.

- Aí - sussurrei para Draco que estava do meu lado - Tá afim de ganhar uma guerra hoje? - ele só sorriu de lado.

Os que já estavam em Hogwarts vestiram as capas,e nós esperamos aqui. Após algum tempo,tendo certeza que todos já estariam no Salão ( Harry também,mas esse detalhe só eu sabia) corremos para a entrada,e quando Harry revelou onde estava,entramos.

- Como ousa se colocar na posição dele? 

Um duelo entre a professora McGonagall e Snape começou, até que ele fugiu.

- Me diga do que precisa,Potter. 

- Tempo,professora. Preciso de tempo.

- Vou dar o máximo que conseguir. Vamos,vamos proteger a escola!

Entre alunos indo para as Comunais,sendo aparatados para longe,corremos pela escola para erguer os escudos. Parei ao lado do Professor Flitwick repetindo os feitiços que ele fazia. Minha respiração estava pesada,tensa.

Como se fosse automático,parei ao lado de Draco de novo e nos olhamos. Não era preciso dizer nada para que soubéssemos que aquilo significava "Não morra". Lancei o mesmo olhar aos meus melhores amigos.

Quando a ponte começou a explodir,corremos para dentro do castelo e nesse momento eu já os havia perdido de vista. Alunos mais novos ainda corriam escada acima, então parei ao pé da escadaria e comecei a atacar todos os Comensais que apareciam em minha frente. Um deles, desconhecido por mim, conseguiu bloquear meu ataque,o revidando logo em seguida. Caí no chão desviando do feitiço,e revidei. Ele caiu logo de cara e passei para escada e eu corri para o pátio,com um único objetivo em mente.

Quando cheguei,Tonks duelava com a prima Bellatrix e Lupin duelava com Dolohov. Não hesitei em lançar um Fianto Duri entre as duas, erguendo um escudo. Lancei Impedimenta em Dolohov,que foi de encontro a uma parede. A cabeça dele sangrou.

- Vão para outro lugar! Agora! - gritei para os dois,que não questionaram e obedeceram.

Bellatrix grunhiu quando percebeu que não conseguia chegar até mim. Eu não tinha tempo para lidar com ela agora, então aparatei no corredor da Sala Precisa. No tempo perfeito, graças a Merlin. Quando vi as pedras começarem cair, empurrei com magia Fred e Percy para longe e dei um último golpe em nosso amado Ministro.

Mas eu não conseguia ver os ruivos daqui,os destroços tampavam minha visão. Então gritei,mas levei um susto com a voz que me respondeu.

- Fred?! Fred, está bem?

- Está. Desacordado por conta do empurrão,mas completamente vivo. - Era Draco.

- O que diabos você está fazendo aqui?

- Tentando fazer com que esses dois babacas se tocassem,mas Crabbe tacou fogo na Sala Precisa. - meu coração parou por um segundo,ele poderia ter entrado e ... Aparatei do lado dele, passando pelas pedras.

- Vem comigo!

Descemos as escadas correndo, mas em um certo andar Draco segurou meu braço.

- O que? O que foi?

- Olha!

Olhei em um corredor quando vi cabelos loiros como os meus passarem rapidamente. Harriet.

Não perdi tempo questionando como,por Merlin,ela teria chegado ali antes de sair correndo atrás dela com Draco em meu encalço.

Virei no mesmo corredor que ela,mas era sem saída,ela só poderia ter entrado em uma das salas. Abri a primeira porta,uma sala qualquer fora de uso e nada de minha prima. 

Poderia simplesmente chamar, mas não sei quem estaria por perto. Abri a segunda porta,uma sala de aula que nunca tinha visitado antes. Devia ser de uma das mil matérias que Mione estudou.

Quando cheguei perto da terceira porta escutei passos e uma voz. 

- Onde você está,garotinha?

Nem sequer pensei,apenas escancarei a porta e petrifiquei o Comensal. Harriet saiu de onde estava escondida vindo me abraçar.

- Como veio parar aqui?

- Papai estava vindo. Ele não queria que eu fosse,mas quando ele aparatou,me agarrei a ele e caímos em lugares separados da escola.

- Ele está aqui também? Droga. Vamos,vamos para o Salão.

Quase chegando perto do Salão,a voz de Voldemort soou, fazendo com que tivéssemos que parar para tampar os ouvidos. Os Comensais se retiraram do castelo.

- Tragam... Tragam os corpos para cá. - Professora McGonagall pediu gaguejando.

- Harriet,vai ficar aqui,entendeu? Vou ajudar e procurar o tio Carter. 

- Pode ir,eu fico com ela. - Draco ofereceu e eu sorri fraco em agradecimento.

Entrando pelo salão,vi Pansy e Blaise chegarem juntos e suspirei aliviada. Coloquei a mão no ombro dos dois antes de passar pela porta.

Tantos corpos,levitei cada um deles que podia até conseguirmos trazer a maioria do andar. Nada de meu tio ainda.

No andar de cima, saí por todos os corredores e nada também. No quarto andar,eu já estava perdendo as esperanças.

Mas no sexto andar vi,um homem alto com o rosto virado para baixo no chão,com os cabelos castanho claro ondulados. Paralisada. Não movia um um músculo por mais que tentasse de todas as maneiras. Quando finalmente consegui chegar,agachei e virei o homem confirmando minhas suspeitas. Mas Carter ainda respirava,e eu soltei a minha respiração que não percebi estar prendendo. Usei o feitiço de levitação e o levei para o Grande Salão. Harriet arregalou os olhos quando me viu entrar, coloquei ele junto com os outros feridos. Fred estava entre eles. 

Ferido. Não morto.

- Ele está bem, só desacordado. - ela sentou ao lado do pai.

- Lizzie. - George chamou - Salvou a vida de Fred. Nunca vou poder te agradecer o suficiente.

- Não precisa me agradecer, George. - ele me abraça e diz no meu ouvido.

- Obrigado. É parte dessa família,sabia? - a última parte fez com que lágrimas surgissem em meus olhos.

Tonks e Lupin me agradeceram também,e mais várias pessoas. Algumas nunca havia sequer visto na escola ou lembrava de ter salvado aquela noite.

Era de manhã já. Quantas horas eu devo ter passado carregando corpos, ajudando a curar quem pudesse,atacando Comensais que venceriam alunos?

Draco ajudava Madame Pomfrey com os conhecimentos que tinha. Ele vai ser um ótimo curandeiro. Pansy,Luna,Blaise e Neville estavam sentados juntos. Eu estava indo sentar junto com Harriet quando as pessoas começaram a ir para fora. Garanti que tinha uma varinha a mais guardada no bolso.

- Se esconda,ok? - falei para a loira mais nova antes de sair também. Parei ao lado de Draco e entrelacei nossas mãos.

- Quem é aquele que Hagrid carrega? Quem é? - Gina pergunta,meu coração dói por ela.

- Harry Potter está morto! - Voldemort grita.

- Não!

- Cale a boca,garota idiota! Harry Potter está morto! Morto!

Todos os Comensais riram. 

- Sintam-se a vontade para se juntarem a nós. Venham e prometo que suas vidas serão poupadas.

Vi quando Lucius e Narcisa vieram a frente, mas Draco não estava confuso ou sequer pensando no que fazer. O queixo estava erguido, ódio brilhava nos olhos.

- Draco,venha. Venha para casa, vamos.

- Já estou em casa. - ele respondeu apenas,a mão apertou mais a minha. Não era Hogwarts de que falava.

- Uma péssima escolha,Draco, péssima escolha. - Voldemort disse com deboche,olhando diretamente para mim, apenas encarei.

Neville se adiantou,o Chapéu Seletor na mão,mancando.

- Bom,confesso que esperava mais. - mais risadas,por um momento esqueci da magia e só queria quebrar os dentes deles com as próprias mãos - E quem seria você?

- Neville Longbottom.

Mais uma vez riram.

- Bom,Neville,tenho certeza que acharemos um lugar para você.

- Eu gostaria de dizer algo.

- Com certeza todos nós vamos gostar de ouvir.

- Não importa que Harry está morto.

- Agora não,Neville. - McGonagall interrompeu.

- Pessoas morrem todos os dias! Amigos, família... Perdemos o Harry esta noite,mas ele ainda está conosco. Aqui. - ele aponta para o coração - Ele não morreu em vão. Mas você vai,porque está errado! E ainda não acabou!

Neville puxa a espada e Harry pula do colo de Hagrid. Gritos de alegria começam a ser ouvidos. Comensais começam a fugir.

- Harry! - grito e jogo a varinha para ele que pega e ataca Voldemort.

- Covardes! - Bellatrix grita de raiva aos Comensais que fugiam.

Toda a batalha recomeça,cada um indo para um lado. De longe uso um feitiço e solto as cordas que prendiam Hagrid. Ele joga, no mínimo, três Comensais longe.

Corro junto com Draco para dentro do castelo. Derrubamos um Comensal cada antes de chegar ao Salão. Nessa hora nos separamos,e cada um correu para um lado. 

Pansy estava duelando com três ao mesmo tempo. Fui até ela e duelei com dois deles, até que mais três Comensais se juntaram e nos cercaram. Larguei a varinha e lancei Impedimenta com as mãos derrubando os seis ao mesmo tempo. Não conseguia prestar atenção na conversa entre Voldemort e Harry enquanto mais Comensais chegavam.

Olhei para o lado onde Harriet deveria estar. Ela estava escondida entre os bancos. Desisti de usar a varinha e lancei um feitiço escudo em volta de onde ela estava. Mais três Comensais apareceram,Pansy derrubou dois deles de uma vez enquanto eu derrubei o terceiro que vinha pelas costas dela.

Mas tudo cessou quando Voldemort caiu. Morto no meio do cômodo. Comensais aparataram no mesmo segundo fugindo e os alunos começaram a gritar em alegria. Respirei aliviada quando gritei junto, abraçando Pansy e vendo Draco e Blaise comemorando do outro lado da sala.

------------------------------------------------------

Quando havia ganhado todos aqueles ferimentos não sabia dizer,mas Madame Pomfrey estava levando um bom tempo para cuidar de todos eles que agora ardiam. Esperei que todos os feridos mais graves pudessem ser acomodados, transferidos ao Saint Mungus para vir. Restavam agora em Hogwarts apenas a Ordem e o corpo docente.

- Aí! Isso é realmente necessário,Madame Pomfrey? - reclamei quando ela fez mais um ponto no machucado aberto em minhas costas. Disse que preferiu utilizar um método trouxa neste ferimento específico.

- Sim,e está quase acabando. - ouvi Draco dar uma risadinha ao lado da cama enquanto me esperava e lhe dei um peteleco.

- Aí! Que que eu fiz?

- Riu da sua namorada.

- Prontinho. - a enfermeira avisa - Pode ir agora.

- Muito obrigada. - ela sorri em resposta.

Sigo com Draco até o Salão de volta. Agora todos conversavam e riam. Meu tio havia acordado e estava melhor do que se poderia imaginar,sua esposa chegou algumas horas depois do final da batalha. Blaise conversava alegremente com Neville enquanto Pansy parecia confusa,e completamente maravilhada, pelo o que quer que Luna estivesse contando. Hermione lançou um sorriso amigável a nós enquanto Rony ao seu lado enchia a boca com tortinhas.

- Nunca imaginaria isso acontecendo. - Draco comenta ao meu lado.

- Que ganharíamos a guerra?

- Não. Que eu faria parte da vitória, que estaria do lado certo da história. Ou eles. - diz indicando nossos amigos - Salvou nossas vidas,Lizzie.

- E vocês salvaram a minha. Me deram um lar. 

Nos encaramos por um segundo antes de ele se inclinar para me beijar.


O final de uma guerra,o início das nossas vidas.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...