1. Spirit Fanfics >
  2. A magia entre nós >
  3. Eu não devo contar mentiras

História A magia entre nós - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Felizes por que eu atualizei mais rápido dessa vez? Eu tô! Finalmente tive paz no EAD e bastante inspiração
Espero que gostem

Capítulo 6 - Eu não devo contar mentiras


Fanfic / Fanfiction A magia entre nós - Capítulo 6 - Eu não devo contar mentiras

Uma semana e meia.

Fazia uma semana e meia que Lizzie havia falado com Hermione na biblioteca.

Fazia uma semana e meia que Lizzie não tinha progresso em relação a Grifinória.

Todos os tipos de planos já haviam passado pela sua cabeça,mas nenhum deles conseguiu funcionar. Mas se consideramos o progresso em relação a Sonserina,tudo estava bem. Ela e Pansy não se desgrudavam e haviam construído uma forte amizade, Blaise resolveu ensinar tudo sobre Quadribol que Lizzie pudesse saber,o que fez os dois se aproximarem. E Draco… Draco havia se tornado um problema para o plano da loira. Ela sempre o considerou bonito, mas isso já estava no passado. Agora,tudo em Draco para ela era bonito, até o tom de voz arrogante.

Ela acompanhava os treinos da Sonserina,e ele fazia graça para que ela risse,ele a ajudava em poções e todo dia Lizzie ganhava 5 pontos pelo ótimo desempenho. A proximidade dos dois estava chamando a atenção de todos,e a loira acabou arrumando uma inimiga.

Astória Greengrass.

Que Astória não gostava de Lizzie por conta do dormitório e de Pansy não era segredo para ninguém,mas agora também tinha Draco. Não que isso fosse a maior preocupação do momento, aliás,estava longe de ser.

Dolores Umbrigde. A maior preocupação.

As aulas dela eram um inferno,mas pelo menos ainda não havia se tornado a Inquisidora e Dumbledore ainda estava por lá,mas não havia muito tempo. A primeira aula era da Sapa Rosa,junto da Grifinória.

- Ei - Lizzie voltou a prestar atenção ao seu redor com Draco a chamando - Vai ver o treino hoje, né?

- Acho que eu devia começar a cobrar pela minha presença nos seus treinos,Malfoy.

- Vai dizer que não gosta? - Retrucou com o meio sorriso que sempre usava para irritar Lizzie.

- O que eu vou dizer é que se continuarmos aqui conversando vamos nos atrasar pra aula da Umbrigde,vamos logo.

- Blás,me lembre porque exatamente aceitamos ficar de vela pra esses dois? - Pansy sabia muito bem que Lizzie estava "caidinha",que era como ela gostava de falar,por Draco e adorava usar isso para provocar a amiga.

- Sinceramente Pans, não faço idéia.

- Me poupem vocês dois,vai. Vamos antes que cada um perca 10 pontos pelo atraso. - disse já se levantando.

- Como vamos poder nos proteger?!

- Não há nada que precise se proteger,Potter!

Harry estava novamente discutindo com Umbrigde.

" Ele vai levar a outra detenção agora. Espera aí! Detenção! Como não pensei nisso antes?"

Lizzie se levantou, também exaltada.

- Não há nada?! Voldemort está de volta,pronto para arrancar nossas cabeças! - Harry a encarou, desconfiado,mas também parecia aliviado por ter suporte.

- Detenção! Para os dois! Todos dispensados!

Harry saiu da sala tão rápido que quase não foi visto,mas logo Hermione e Ron seguiram atrás dele.
Lizzie também pegou sua mochila, pronta para sair mas foi impedida por Draco.

- O que diabos foi isso?

- A verdade! Aquele lunático está de volta,e eu quero saber me proteger!

- Não tem do quê se proteger,Liz! O Lorde das trevas não vai atacar uma Sonserina assim do nada.

- Mesmo se essa Sonserina for uma nascida-trouxa?

Draco arregalou os olhos,Pansy levou a mão a boca completamente em choque e Blaise paralisou.

- É,pois é. Sou uma nascida-trouxa.

- Por que não falou nada? - Pansy perguntou tão baixo que Lizzie quase não ouviu.

- Por que? Olha a reação de vocês! Sabe, sangue não importa nada pra mim,e também não deveria pra vocês. Nós somos amigos, mas agora parece que vocês nem querem olhar na minha cara. - Os olhos da loira já estavam marejados.

Ela não sabia definir se era bruxa antes,mas agora que era sabia também que era uma nascida-trouxa. Essa era outra das preocupações que ela havia tido nessa semana,mas ela realmente achou que já que estavam tão próximos o sangue não importasse tanto para eles.
Claramente estava errada.

Irritada,ela foi em direção a porta sem querer olhar pra nenhum dos três novamente. Andou rápido,nem prestando atenção,mas esbarrou em alguém no meio do caminho. Alguém que havia escutado toda a discussão.
Quando levantou o olhar para ver quem era deu de cara com Theodore Nott,outro sonserino com quem havia conversado poucas vezes porque sempre acabava com ele lançando uma cantada que a deixava completamente envergonhada.

- Foi mal,Nott.

- Ô,calma aí,eu te acompanho.

- Não precisa,vou na biblioteca,quero ficar sozinha. - e saiu da sala.

Saiu tão rápido que não percebeu que havia mais uma pessoa que havia escutado tudo. Hermione estava ao lado da parede, completamente impressionada com tudo que havia escutado.

------------------------------------------------------

Lizzie ainda irritada estava sentada na biblioteca tentando prestar atenção no livro que havia escolhido,o qual nem o título sabia. De repente, alguém sentou a sua frente.

- Olha,tem várias mesas vazias, será que dá pra fazer o favor de escolher outro lugar? - A pessoa não se levantou - Você é surdo ou… Hermione?

- Eu ouvi sua discussão com o Malfoy.

- Não entendi onde quer chegar.

- Olha,eu não sei porque,mas você parece confiável  e ao mesmo tempo,sei que está tramando alguma coisa. Ninguém que faz amizade com Malfoy, Parkinson e Zabini vira amiga da Luna,ou tenta fazer amizade com alguém da Grifinória. Então se quer mesmo que eu confie em você,vai ter que me contar exatamente o que pretende.

Lizzie riu.

- Qual a graça?

- Eu deveria saber que não ia conseguir enganar você. - olhou ao redor se certificando de que ninguém estava por perto - Tudo bem,vou te contar. Mas duvido que vá acreditar.

- Vale a tentativa, certo?

- Certo. Bem, não sou de Ilvermony. - Hermione ajeitou a postura como se dissesse "Eu já sabia" - Sou de outro mundo,um mundo onde vocês não existem, são apenas ficção. Sei tudo sobre o futuro, e até sobre o passado. O que eu pretendo aqui, é ajudar que o futuro seja melhor,salvando algumas pessoas das trevas ao trazer ela pro lado do Harry,seu lado.

Hermione não disse nada por um bom tempo, até que dei risada.

- Espera que eu acredite nisso?

- É a verdade.

- Prove.

- Ano passado,no final do Baile, você e Ron brigaram. "Da próxima vez,crie coragem e me chame para o baile antes que outra pessoa chame e não como última opção",foi o que disse a ele, não foi? - A castanha arregalou os olhos assustada - No segundo ano, Harry e Ron entraram na sala comunal da Sonserina com poção Polissuco porque acharam que Draco era o Herdeiro de Salazar Slytherin. Você não foi porque confundiu um pelo de gato com cabelo o que a fez ficar horrível. No terceiro ano, você usava um vira-tempo para assistir as aulas e foi com ele que salvaram Sirius Black.

- Como isso é possível?

- Professor Dumbledore disse que é um feitiço proibido que uniu os nossos mundos. Escute, não quero interferir em nada além de dar uma leve ajuda,por isso preciso da confiança de vocês.

- Mas,e sobre o futuro? O que sabe?

- Se eu te contar, nunca vai acontecer.

Nessa hora, Lizzie ouviu um barulho na estante atrás delas. Levantou assustada e puxou a varinha para verificar,mas não havia nada lá.

- Estranho…

- Ei, você pegou detenção também,pode tentar conversar com o Harry.

- Então confia em mim?

- Se Dumbledore confia,eu também confio.

-------------------------------------------------------

Lizzie estava voltando da última aula para o dormitório,para depois ir para a detenção,onde com as orientações de Hermione iria começar sua amizade com Harry.
Durante o dia, não falou com Draco,nem com Pansy e muito menos com Blaise, não que eles parecessem fazer questão.
Entrou na comunal que estava vazia,exceto por Pansy no sofá que logo encarou a loira.

- Liz,posso falar com você?

- Agora não,preciso deixar isso e ir para a detenção.

- É rápido.

Bufou, não ia escapar da conversa.

- Tem dois minutos.

- Sinto muito. Você tem razão,sangue não deveria importar tanto. Você é uma amiga incrível,e ser nascida-trouxa não muda isso. Tenho certeza que os meninos vão mudar de idéia também. Me perdoa?

Lizzie não respondeu,mas abraçou a morena. Estava feliz por pelo menos Pansy ter entendido.

- Tá perdoada,Pans. Mas agora eu realmente preciso ir.

- Ok,boa sorte lá.

- Com a sapa? Só Felix Felicis pra ajudar. - as duas riram.

-----------------------------------------------------

Quando chegou a porta da sala da Umbrigde, Harry também estava chegando.

- Boa noite,Potter.

- Por que fez aquilo? - "Bem que Hermione disse que ele ia querer fazer perguntas"

- Aquilo o quê?

- Me ajudar, confirmar que era verdade.

- Exatamente por isso,porque é verdade.

A porta a frente deles foi aberta interrompendo a conversa.

- Ah, vocês já estão aqui. Entrem.

A sala de Umbrigde era de queimar os olhos com tantos tons de rosa, alguns que Lizzie nem sabia que existiam.

- Vão escrever algo para mim,sentem-se. Creio que o  senhor Potter já sabe o procedimento,aqui estão as penas.

Não era só Harry que já sabia o procedimento,Lizzie já estava preparada para o corte que se formaria em sua mão.

- Escrevam 1 metro e meio de pergaminho com a frase "Eu não devo contar mentiras". Podem começar.

Lizzie e Harry começaram a escrever enquanto Umbrigde observava. A cada letra a dor ficava mais forte na mão da loira,mas ela não ia demonstrar fraqueza. E a cada linha tentava se distrair pensando em outras coisas,mas seus pensamentos sempre caíam em Draco e na briga da manhã o que parecia fazer a dor aumentar. Poderia estar agora vendo ele se exibir durante o treino de quadribol,mas a vida não é um conto de fadas,certo?

Ela não sabia quanto tempo demorou, mas os dois finalmente haviam terminado. Foram liberados e Harry já ia seguir para a Grifinória quando a voz de Hermione soou na cabeça de Lizzie "Fala pra ele que você acredita nele e que também quer lutar contra aquele-que-não-deve-ser-nomeado e vai dar tudo certo"

- Aí,Potter. O Profeta Diário é uma grande palhaçada. Não deixa isso te afetar, também quero ver aquele desgraçado morto.

- Valeu,Miller. Até que você é uma Sonserina que presta.

- Sabe, vocês Grifinórios julgam todos nós Sonserinos como malvados sem nem nos conhecer antes. Acho que isso fala mais sobre vocês do que sobre nós.

- Talvez tenha razão. Boa noite.

- Boa noite,Harry.


Notas Finais


Espero ver vocês logo❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...