História A Magia Por Trás Das Lâminas - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias League Of Legends (LOL)
Personagens Akali, Shen, Syndra, Zed
Tags Drama, Luta, Romance, Syndra, Zed
Visualizações 148
Palavras 1.761
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Esporte, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoje é dia de tresme do bresque do xesque do disque do plesque do jesque do queisli deio dele do mês que dosesqui do fesqui do resqui quesli mosqui noli dobiti ino sino fino nino nino ino fino uri nutrino reino ovino opino do tino do crino do cino do bino do rino do emo do creme do xene do reme do lene do trisco do cisco do tino do latrino do bovino pepino menino rino crino sino.

Boa leitura xd xd

Capítulo 5 - Uma Proposta - Parte 2 (Conhecendo Kayn)


Fanfic / Fanfiction A Magia Por Trás Das Lâminas - Capítulo 5 - Uma Proposta - Parte 2 (Conhecendo Kayn)

- N-não foi isso que eu quis dizer! - Suas bochechas estavam coradas, ela se vira de costas para ele totalmente envergonhada.

- Tem certeza? Talvez tenha sido um deslize da sua parte, não é mesmo? - Perguntou Zed. Ele se aproximou dela a passos silenciosos e tocou seu ombro com uma das mãos, com a outra ele tocou os cabelos da loira. Os toques dele novamente a davam arrepios, eram como uma hipnose instantânea, que a fazia simplesmente se desligar de tudo a sua volta e se concentrar apenas naquilo. Ela fecha seus olhos lentamente, sentindo cada dedo percorrer por entre seus fios, era realmente viciante.

- Ai, para com isso! Olha, eu aceito ficar aqui com uma condição. - Disse ela se libertando, mesmo totalmente contra sua vontade, dos toques dele. 

- E qual seria? - Zed retorna ao seu assento, ele coloca seus dois pés em cima da mesa e retira um papel de uma gaveta próxima. 

- E-eu quero um quarto todinho pra mim, e que eu possa comer a hora que eu quiser! E-eu também quero um ursinho de pelúcia bem grande! - Disse ela com agitação. O ninja pareceu não entender muito bem no começo, tendo assim que pensar por certo tempo, mas concordando logo em seguida. 

- Muito bem. - Ele responde. Zed se levanta de sua cadeira com o tal papel em suas mãos e o entrega a Syndra. - Este é um pequeno resumo do que faremos essa semana, começando a qualquer hora depois que você acordar.

Ela observava o papel com o tal resumo. Zed elaborou atividades de concentração mágica, exercícios físicos, resistência e reflexos. Syndra estranhou o fato de não haver nada relacionado ao equilíbrio, já que seus monges a ensinaram a seguir sempre por este caminho antes de serem mortos por ela. Mas ela não questionou, muito pelo contrário, se sentiu curiosa aos métodos novos que poderia aprender, mas ao mesmo tempo nervosa e confusa com eles. 

- Espera, dieta? - Perguntou apontando para a palavra dentre os outros itens da lista. - Eu não quero fazer dieta! 

- Ah, não? E como pretende treinar Muay Thai estando gorda? - O ninja disse com um tom irônico. 

-  G-gorda? - Ela olha para o seu corpo, estava tendo a ilusão de estar acima do peso, não notando o sarcasmo do ninja. - E-eu não sou gorda, você está mentindo! 

- Ah, claro que não. Lembra aquele dia em que você caiu da árvore? Até uma maçã cairia mais lentamente do que você... - Zed explode em uma risada sonora. Syndra junta suas mãos e olha para baixo, a lágrima queria muito descer, ela sabia disso. - Ei, garota. É brincadeira, relaxa. 

- Idiota... - Respondeu um pouco triste, mas aliviada. 

- Bom, sem mais delongas, meu pupilo irá te levar ao seu quarto. - Zed se levanta novamente. - Kayn! 

--

Nascido em Noxus, Shieda Kayn e seus semelhantes foram recrutados como crianças-soldado, uma prática nefasta praticada apenas pelos comandantes mais cruéis do império de Boram Darkwill. Após uma desastrosa batalha no Placídio de Navori, a invasão deliberadamente se transformou em uma prolongada e desgastante guerra. A compaixão ioniana era uma fraqueza a ser explorada; Noxus sabia que os guerreiros hesitavam antes de executar alguém que poderia ser inocente. Assim, mal conseguindo segurar a espada que lhe fora dada, o primeiro dia de batalha de Kayn também prometia ser o último.

Avançando sobre a província de Bahrl, as forças noxianas aportaram na foz do Rio Epool. Kayn e as outras crianças eram uma vanguarda relutante que enfrentava grupos desorganizados de nativos que tentavam defender seus lares dos persistentes invasores. Enquanto seus jovens companheiros eram aniquilados ou fugiam do campo de batalha, Kayn não mostrava nenhum sinal de medo. Ele soltou sua pesada espada e apanhou uma foice caída, virando-se para encarar os ionianos estupefatos no exato momento em que os noxianos se infiltraram pelo flanco. Foi um massacre inimaginável...

Dois dias depois, quando a notícia já tinha se espalhado por todos os territórios do sul, a Ordem das Sombras chegou àquele cenário aterrador. Seu líder, Zed, sabia que esta área não tinha nenhuma relevância tática. O massacre fora apenas um aviso. Noxus não teria piedade.

Foi então que um pedaço reluzente de aço chamou sua atenção. Uma criança de no máximo dez anos estava deitada na lama, apontando sua foice quebrada para o mestre assassino e com punhos retesados e ensanguentados. Os olhos do garoto expressavam uma dor incompatível com sua idade, mas que ainda assim transmitia toda a ira de um guerreiro calejado. Esse tipo de tenacidade era algo que não podia ser ensinado. Zed viu nesse garoto, nesse sobrevivente noxiano abandonado, uma arma que poderia se virar contra aqueles que o mandaram até aqui para morrer. O assassino estendeu a mão e recebeu Kayn na Ordem das Sombras.

--

- Que estranho... Kayn geralmente não demora aos meus chamados. Onde será que ele está? - O mestre comentava, impaciente. Já haviam se passado longos minutos desde que Kayn havia sido chamado, mas ele não apareceu. 

Zed decide ir até a varanda de seu escritório. Ele abre uma porta que dava para fora e se debruça em um parapeito. Syndra o seguiu após sentir o cheiro da deliciosa brisa noturna que invadiu a sala, a lua cheia e o lento balançar das folhas a enfeitiçaram. Ela se aproxima lentamente, tentando não fazer nenhum barulho, já que ele estava um pouco nervoso. Chegando ao lado dele ela começa a observar a majestosa lua que se apresentava a sua frente, era um espetáculo. O brilho que ela emitia combinava com a natureza ioniana, a magia da terra pegava parte da essência dela e abençoava tudo em sua volta, inclusive, aos que apreciavam tais eventos. 

- Você gosta? - O ninja pergunta a surpreendendo um pouco. 

- Do que? 

- Da natureza. Posso perceber que você aprecia bastante pela forma de como suspira. 

- Sim, eu gosto. - Respondeu ela com uma voz doce. - Minha mãe me levava todas as noites pra colhermos flores no Jardim Lótus. Era muito bonito lá, cheio de pessoas e lanternas brilhantes. O problema é que... - Uma breve pausa, um soluço. - As pessoas corriam de mim, alguns até me chamavam de monstro ou bruxa, eu não entendia o por que. Eu só...- Ela se interrompe após Zed tocar seu ombro. 

O ninja, surpreendentemente, começou a retirar lentamente sua máscara de metal, gerando uma expectativa e um misto de medo e euforia na maga. Mas havia outra máscara por baixo, uma máscara de ninja tradicional cor negra. Mas ela não se decepcionou, muito pelo contrário. Poder observar os próprios olhos do Mestre das Sombras com tão pouco tempo de convivência com certeza era um privilégio para poucos. Instintivamente ela eleva sua mão ao rosto dele, era possível sentir a pele, parcialmente, sob o pano. O olhar dos orbes escarlates era penetrante, atraente, e, para as vítimas de Zed, mortal. 

- P-por que não tira o resto? - Questionou em meio aos toques. - Me deixa ver seu rosto, por favor. 

- Assim como você, meu passado também não foi bom. Acho que não é a hora certa para... 

Zed é interrompido por alguns sons vindos da floresta a frente deles. Ele recoloca sua máscara em poucos segundos e saca suas lâminas, seus olhos estavam atentos e sua mente estava alerta. Ao longe ele conseguia ouvir algumas vozes, inclusive uma que ele reconheceu na hora. 

- Ai, amor... Só mais um pouquinho! - Uma voz feminina e sensual podia ser ouvida juntamente de um barulho entre arbustos. 

- Não! Zed vai me matar se eu demorar mais do que isso. - A voz masculina respondeu. 

- Você vai pelo menos me ver amanhã? Aquela vastaya de nove caudas me ensinou uns truques legais pra gente... ai... brincar. 

Os dois apenas observavam e escutavam tal conversa atentos, mas ligeiramente estranhados. A voz feminina falava com gemidos entre suas falas, como se estivesse sendo... Bom, você entendeu. 

Após alguns segundos a conversa se cessa. Do arbusto sai nada mais nada menos que Shieda Kayn, porém de uma forma a qual Syndra realmente não esperava o encontrar, pelo menos, não da forma a qual Zed havia o descrito. A regata branca que Kayn usava estava rasgada com marcas de unha, seus longos e belos fios estavam bagunçados e era possível ver uma marca de chupão em seu pescoço. Pelo que parecia, ele havia notado a presença de Zed imediatamente após ter saído do arbusto, então começou a disfarçar. 

- Boa noite, mestre! - Disse ele a Zed. O ninja apenas fez um cumprimento com a cabeça, mas Syndra sentia que o ninja gostaria muito explodir em uma gargalhada pela forma a qual ele fechava seus punhos e soltava algumas risadinhas por debaixo da máscara. - Matei dois leões hoje, mestre, dos bem grandes! Você sabe... Aqueles de 8 metros de largura e dez de comprimento... 

- Então você teve um dia de caçador? Interessante... Caçou vastayas também? - O ninja tentava manter seu tom de voz, mas a ironia passava em algumas palavras. 

- Creio que não, mestre... 

- Muito bem, suba aqui, eu quero te apresentar a alguém. 

O Ceifador assente com sua cabeça e se aproxima de uma parede de pedras, iniciando assim uma habilidade chamada "Passos das Sombras". Passos das Sombras consiste em usar a velocidade de movimento juntamente com a magia das sombras, transformando o praticante em uma sombra que poderia se locomover por entre paredes ou terrenos por certo tempo. Era arriscado para novatos ou pessoas com menor experiência fazer isso em terrenos grandes demais para atravessar, tendo o risco de ficarem presos por lá até sua energia se restaurar, tendo consciência de que a mesma não se restaurava rapidamente em terrenos grandes. 

(Shieda) Kayn no chão ao lado de Syndra, apoiando Rhaast, sua foice, ao seu lado. 

- Kayn, conheça Syndra, a Soberana Sombria e nova integrante da Ordem das Sombras. 

- Shieda Kayn, o ninja mais habilidoso depois de Zed. - Kayn gentilmente pega a mão de Syndra enquanto se curvava em uma reverência, depositando um beijo na mesma logo em seguida. 

- Oi, sou a Syndra. 

- Avah...

- Kayn, leve Syndra para um tour pelo templo, depois leve-a ao quarto vago ao lado do meu. Peça Hinata para que faça essas adaptações aqui... - Kayn recebe um papel de Zed cujo haviam algumas requisições que a maga havia dito cerca de uma hora atrás. 

- Será um prazer, mestre. 

 


Notas Finais


Parte da lore de Shieda Kayn foi adicionada para incrementar a história. Créditos totais a Riot Games.

Rolou uma piadinha no final ali que eu tlgd e.e

Até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...