História A Magnet - Imagine Taehyung - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Yugyeom
Tags Bambam, Bangtan Boys, Bts, Escolar, Hentai, Jackson, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Luta, Rapmonster, Romance, Shoujo, Suga, Taehyung, Yugy
Visualizações 171
Palavras 1.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltoooooooooouuuu!

Gente, queria pedir desculpas pela demora, depois do ocorrido, eu entrei em um bloqueio mental com a fic que eu não conseguia sair disso. Daí agora pouco, acordei ouvindo Euphoria comecei a pensar em um modo de sair desse bloqueio da fic e adivinhem? EU SAÍ! KDPAOKDPOSADOPAK

Aproveitem, que agora eu pretendo postar pelo menos uma vez por semana.

Ahhh! Agradeço novamente pelos favoritos!!! Agora vou deixar de enrolação, prometo :]

Capítulo 25 - Help


Fanfic / Fanfiction A Magnet - Imagine Taehyung - Capítulo 25 - Help

S/N ON

 

Eu já tinha chorado tudo que podia, parecia que minha vida não ia melhorar e nem piorar mais, saber que eu teria que aparentemente largar todo mundo que eu tinha feito amizade, estava praticamente me deixando sem um pingo de alegria. Voltei quase que me arrastando para casa, ora ou outra eu limpava meu nariz em minha blusa, não queria voltar e ter que encarar o olhar preocupado dos meus pais, mas também não queria deixá-los morrer de preocupação por me ter fora de casa. Sentei em um dos degraus que dava para a porta de casa, nem me preocupei em saber se estava sujo ou não. Abracei minhas pernas tentando inibir o frio cortante que levemente balançava a parte da saia do vestido. Respirei fundo tentando controlar a nova onda de choro que me invadia, ia ser tão difícil daqui para frente. Me levantei preguiçosamente e abri a porta de casa, na esperança de que meus pais não me dessem nenhuma bronca.

 

— Finalmente! — Minha omma se jogou aos meus braços e me apertou de forma ansiosa. — Está tudo bem? — Se afastou analisando meu corpo e logo meu rosto, vendo-o todo inchado e vermelho pelo choro. — Filha, o que houve? — Pegou meu rosto com suas mãos pequeninas, eu só neguei com a cabeça afundando meu rosto em seu abraço.

 

— O que ho- — Meu appa apareceu na sala e desesperado nos abraçou. — Por onde esteve? Sabe como ficamos preocupados? — Não consegui conter o choro que se instalou em minha garganta.

 

— Querido. — Minha mãe falou terna. — Agora não… — Sua mão envolta de minha cintura, foi o suficiente para me conduzir ao sofá. — Que tal um chocolate quente com marshmallows em cima? — Apenas assenti sem falar nada, o que eu menos queria era falar no momento, passados alguns segundos o cheiro de chocolate invadia minhas narinas enquanto eu recebia um cafuné calmo no colo de omma.

 

Logo estava sorrindo com uma caneca gigante do olaf cheia de pequenos marshmallows. — Eu amo vocês. — Disse segurando pela alça da mesma. Me permiti cheirar mais uma vez antes de tentar beber um pouco.

 

— Cuidado, está quente. — Appa informou sentando-se ao meu lado.

 

— Está uma delícia. — Bebi um pouco e me permiti preencher pelo carinho que aquela caneca ali continha, não era só chocolate. Era amor. — Obrigada. — Os olhei com lágrimas nos olhos já. — Obrigada por serem meus pais.

 

— Filha… — Ambos falaram juntos, se olharam cúmplices e rimos.

 

Era ótimo saber que eu ainda teria eles ali como antes, como sempre foi. Tirei meu vestido com calma, colocando-o no cesto de roupa suja que tinha em meu banheiro, me olhei no espelho e resolvi lavar o rosto, que agora só estava pouco inchado, tirei a leve maquiagem e tomei um banho quente, sentia todo meu corpo relaxar com o jato forte do chuveiro. Eu viajava meu pensamento vendo as mini gotículas que escorriam pelo vidro fosco do box.

 

Como seria a semana que vem? Era o que eu pensava enquanto terminava de me secar e partia para o quarto, a fim de colocar um pijama quente. Mesmo que fomos liberados, ainda tínhamos uma prova geral para fazer, não era como se pudéssemos fugir disso. Nos deram alguns dias de “férias” para podermos fazer assim algumas aulas extras e prova.


 

JIN ON

 

Já tinha passado uma semana desde que tudo aconteceu, eu não estava totalmente curado, mas eu já podia ir para a escola, mesmo não querendo. Arrumei o uniforme mais uma vez em frente ao espelho de casa. Quase não dava para ver que tinha uma mancha amarelada em volta de um dos meus olhos. A cada vez que eu via, eu lembrava da voz do cara que me batia ecoar.

 

“Avisa ao chefe que o recado foi dado.” O homem pelo qual tinha arrebentado todo seu corpo falava ao celular. “Em pensar que ele realmente se apaixonou me assusta.” Parou com as botas próximo ao meu rosto, estava pronto para receber mais um chute, quando ele abaixou, ainda com a cara coberta e declarou. “Tenho pena de sua amiga, um amor doentio desses…”

 

— Kim Seokjin. — Omma gritou do primeiro andar, me despertando dos pensamentos. — Você irá se atrasar.

 

Passei por meu quarto, pegando minha mochila colocando-a atrás das costas. Depois que sai na rua andando, eu lembrava dos meus amigos contando que minha melhor amiga S/N havia terminado o namoro com Kim Taehyung da maneira mais estranha possível. Ela claramente se afastou e só hoje eu iria vê-la. Estava mais ansioso que o normal, ainda mais depois do contato que Suga fez comigo, eles fizeram um tipo de grupinho para descobrir como Jaebum a chantageava, o que para mim era uma paixão doentia, para eles era só mais uma vez que Jaebum queria perturbar a paz do nosso amigo V.

 

Assim que cheguei na sala, revirei os olhos ao ver que SooHin já havia ficado sabendo do término de ambos e parecia mais um urubu em torno da carniça. Sentei em minha cadeira, vendo o lugar vazio ao meu lado. Será que ela viria hoje? Logo todos foram chegando aos poucos, Jimin, Jungkook, Yoongi, Namjoon e Hoseok. Todos, absolutamente todos, trocaram olhares cúmplices e de imediato enojaram a cena de V voltando a ser quem ele era, ao lado da metida da SooHin. A sala estava barulhenta como sempre, mas logo que minha amiga chegou, foi um silêncio absoluto. Ela nos encarou no fundo da sala e deu passos lentos, sentou-se ao meu lado sem dizer nada e abriu um livro qualquer, pegou seus fones de ouvidos e pude ouvir a música bem alta estourar. Os olhares de ‘o que vamos fazer?’ foram trocados. O que eu poderia fazer?

 

Incrivelmente a aula toda foi assim, ora ou outra eu olhava ela de soslaio, Taehyung parecia mais nervoso que o normal, era nítido o chateamento dos dois, era como se ambos se quisessem, mas sempre tinha alguém para atrapalhar. Peguei seu caderno de sua carteira, causando um risco enorme, já que a mesma escrevia nele. Comecei a escrever, já que a sala estava em silêncio apenas fazendo os exercícios que o professor de história havia passado.

 

“Quando vai falar comigo direito novamente?” Entrei o caderno, ela leu brevemente e me olhou fazendo um bico fofo nos lábios. Juntou as sobrancelhas enquanto escrevia algo e me entregou o caderno.

 

“Mas eu falei com você, não?” Li e reli, a olhei com cara de tédio. E escrevi novamente.

 

“Como pode ter se esquecido de ter falado ou não com um cara lindo como eu?” Entreguei vendo um sorriso fraco sair de seus lábios.

 

“Você não muda. ¬¬” Fez uma carinha fofa, me tirando um riso, ouvi um pigarro vindo do professor e voltei a fingir que escrevia minhas respostas, mas na verdade eu perguntava algo.

 

“Que tal comermos juntos hoje?” Ela leu e olhou em volta. Puxei novamente o caderno e escrevi. “Só eu e você.”

 

Ela apenas assentiu, fazendo o sinal tocar. Puxei seu punho assim que levantei e comecei a arrastar ela para longe dali, era hora de conversar sério com a mesma.  

 

— E então. — Indaguei assim que chegamos no ginásio.

 

— Então o que? — Fala olhando para os pés.

 

— Por que você aceita ser ameaçada? — Seu olhar se voltou para mim assustada.

 

— Não sei do que você está falando. — Ela entrou na defensiva. — Se é só isso que veio me dizer, eu já vou.

 

— Não vai comer? — Levantei de imediato vendo ela sair aos poucos, se virou e me olhou por cima do ombro, com o olhar tão triste, que eu nem me lembrava quando tinha visto-a assim. Talvez, nunca.

 

— Eu não tenho fome. — Sua voz soou fraca e saiu me deixando ali desnorteado por seu olhar tão triste e penetrante, era como se ela gritasse por socorro sem ao menos emitir som algum.

 

— Até quando você vai negar ajuda? — Sussurrei triste, coloquei as mãos nos bolso e parti para sala, sem o mínimo de vontade de ir para onde meus amigos estavam.



 


Notas Finais


Caso vocês tenham reparado na mudança da escrita, eu estou um pouco influenciada pela escrita de outra fic que estou fazendo. Sim, eu tinha inspiração pra outra... Mas eu vou postar em breve, estou fazendo com uma amiga


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...