História A Maldição do Vira-Tempo - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Cedrico Diggory, Draco Malfoy, Harry Potter, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Fanfic, Harrypotter
Visualizações 7
Palavras 1.285
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Uma Possível Esperança


"Quero voltar porque na outra realidade não existe esse boato de que você é filha de Voldemort."

As palavras de Alvo ecoavam na minha cabeça a cada segundo, a ideia de viver num lugar onde as pessoas não me olhavam pensando que eu era filha do maior bruxo das Trevas me parecia tentadora, mas brincar com o tempo era algo tão perigoso eu não sabia o que fazer as meninas dormiam tranquilas ao meu lado e eu não conseguia fechar o olho um minuto sequer.

Acho que peguei no sono quando começou amanhecer porque assim que fechei o olho sem ti Maggie me sacudido:

- Pyx, acorde! Está na hora de levantar, você vai se atrasar para a aula desse jeito.

Abrir meu olho sem muita vontade e levantei para fazer a higiene matinal:

- você está Simplesmente horrível Pyxis, o que aconteceu?

- Não consegui dormir a noite inteira.

- A conversa com Alvo que te deixou assim?

- Não sei talvez.... anda, vamos descer para tomar café.

Bem estava esperando no salão comunal com um sorriso lindo no rosto, mas eu estava sem paciência para tudo isso:

- Bom dia!

Ele falou nos ver descendo Maggie respondeu e eu só balancei a cabeça:

- O que foi Pyx?

- Não dormi....

- Você pode descansar um pouco na aula do senhor Binns.

Concordei com ele, eu não queria descansar e sim descobrir se aquilo que Alvo falou era verdade, eu estava pensando em tudo o que ele havia falado, Alvo disse que eu tinha um irmão, como eu sonhava com isso! Ter um irmão não seria nada mau, mais tarde eu tentaria conversar com Alvo, saber mais sobre esse meu irmão:

- Senhorita Malfoy!

- Oh, desculpe professora.

- Preste atenção, já é a quarta vez que lhe chamo a atenção.

- Sim senhora.

Eu olhei para a minha mesa e eu havia derrubado toda minha tinta e ainda estragado cinco vagens.

A professora se aproximou da minha mesa, balançou a varinha limpando tudo:

- Não me faça tirar pontos por não prestar atenção na aula.

- Sim senhora!

- Caramba Pyxis, você está aérea mesmo!

- Desculpe Ben, mas eu preciso dormir.

- Calma, a aula já está acabando.

Sorri para ele, Benjamin era realmente um ótimo amigo, acabou fazendo todo o resto para que eu não me prejudicasse e na aula de História da Magia ele deixou que eu me apoiasse em seu ombro para dormir um pouco.

Na hora do almoço eu estava com menos sono, assim que começamos a comer Brice chegou com uma carta e estranhei, pois era de tia Gina:

"Oi Pyx, quero primeiro te dar os parabéns por estar se saindo tão bem nas aulas e quero te agradecer por ter achado Alvo, Harry me contou que você o viu na Floresta Proibida e contou para a professora Minerva.

Obrigada mesmo! Sei que Alvo mentiu em relação a amizade de vocês, e isso te faz grande, por ter passado por cima disso e o ajudou.

Obrigada, tia Gina!"

Olhei para a mesa da Sonserina, Alvo estava conversando com Léxie, ela segurava a mão dele e ria, aquilo me incomodou, não sei explicar o porquê:

- Você está bem?

- Sim, é uma carta da tia Gina.

- Por isso está olhando para Alvo desse jeito?

- Não Ben, estou olhando para ele, porque não consigo entender como Alvo mudou tanto.

- Quer saber? Vem comigo!

Benjamin se levantou e segurou minha mão e saiu me arrastando Castelo a fora:

- Ben, onde estamos indo?

- Daqui a pouco você vai descobrir!

Ele continuou andando e nossas mãos ainda coladas e eu não queria soltar.

Benjamin me levou até o sétimo andar e parou em frente a uma parede:

- O que estamos fazendo aqui?

- Você está precisando se divertir um pouco.

- Tá mas porque estamos aqui no sétimo andar nesse corredor vazio?

-  Feche os olhos!

- Ben, você está me deixando preocupada!

- Por favor Pyx, confie em mim! Feche os olhos!

Resolvi dar um crédito para Benjamin e fechei meus olhos:

- O que te faria mais feliz nesse momento?

- Ben, eu não sei talvez....

- Pyxis, se concentre! O que mais você gosta de fazer?

- Eu gosto de voar.

- Ótimo! E você gostaria que nesse momento  estivesse voando num campo de quadribol?

- Sim, isso ia me deixar bem feliz!

- Então se concentre, deseje um campo de quadribol!

- Quê?

- Faça isso Pyxis!

Desejei estar em um campo de quadribol e ouvi um barulho,  abri meus olhos e uma enorme porta estava aparecendo na minha frente, olhei para Ben e ele sustentava um enorme sorriso:

- O que é isso?

- A Sala Precisa!

- Não....creio!

Sorri para Benjamin e entramos e lá atrás daquela porta estava um campo de quadribol:

- Vamos nos divertir um pouco?

- É claro!

Respondi para Ben e corremos para alcançar as vassouras, peguei a  Goles e voei para o alto, Ben veio logo atrás de mim:

- Vamos ver quantos gol conseguimos fazer?

- Vamos!

Fizemos uma regra rápida e  começamos a brincadeira,  Benjamin era um ótimo goleiro e eu, modéstia parte, realmente seria uma das melhores artilheiras que Grifinória já teve.
Não sei por quanto tempo ficamos brincando, mas Ben realmente me fez esquecer meus problemas com Alvo, depois deitamos no meio do campo e ficamos olhando para o céu:

- Isso foi sensacional!

- Foi mesmo!

- Você vai fazer o teste para goleiro, não vai?

- Não sei....

- Ah qual é Benjamin Suassuna! Você é ótimo, precisa fazer esse teste.

- Vou tentar, mas por você, então se eu não passar e ficar deprimido, a culpa será toda sua!

- Ei!

Benjamin deu risada e ficou em pé e estendeu a mão para mim:

- Vamos, ou ficaremos encrencados!

Levantei e saímos da Sala Precisa, percebi que estava com muita fome:

- Que horas são?

Benjamin olhou seu relógio e me olhou assustado:

- Quase oito!

- Merlin! Ficamos tanto tempo assim lá dentro?

- Acho que sim! Agora precisamos correr.

Descemos correndo para o Salão Principal e assim que entramos olhares vieram na nossa direção e o que mais me assustou foi o da diretora Minerva.

- Acho que estamos encrencados.

Sentamos ao lado de Maggie e Kayla, e comecei a me servir:

- Onde vocês estavam?

- Nos divertindo.

Respondi enchendo minha boca com purê, Maggie abaixo a voz:

- Alvo veio te procurar.

Olhei para a mesa da Sonserina e Alvo estava olhando para mim, ele fez um sinal que queria falar comigo, balancei a cabeça concordando:

- Olá senhorita Malfoy!

- Diretora!

Fiquei em pé e senti o sangue fugir do meu corpo:

- Quero que vá até a minha sala assim que terminar seu jantar.

- Sim senhora.

Ela se afastou e fiquei olhando ainda com cara de assustada:

- O que você aprontou dessa vez, pentelha?

Tiago perguntou me puxando para eu me sentar outra vez:

- Nada...pelo menos eu acho...

Assim que terminei minha janta levantei e fui até a sala da diretora Minerva, ela me mandou entrar e sentar, todos os diretores, inclusive vovô me olhavam sérios:

- Senhorita Malfoy, a senhorita voltou a conversar com Alvo?

- Sim senhora.

- Isso é bom, Alvo precisava de amigos.

- Diretora, mas foi ele quem se afastou.

- Eu sei senhorita, mas você ter aceitado a amizade dele de volta é de grande valia.

- Eu...

- Alvo passou o ano passado praticamente sozinho, você é uma amiga muito valiosa.

- Obrigada diretora,  mas por que está me falando isso?

- Quero que o ajude, Alvo parece perdido e confuso, uma amizade como a sua pode o ajudar a encontrar um rumo.

- Eu o ajudarei.

- Obrigada. E se ele se comportar de forma estranha quero que me conte.

- Sim senhora.

Saí da sala da diretora, ela afinal queria que eu ajudasse Alvo, então talvez essa volta no passado faria sentido, uma esperança de que as cosias poderiam se acertar cresceu dentro de mim:

- Oi.

- Alvo! Oi, eu queria mesmo falar com você.

- O que é?

- Prepare tudo o que precisa,  eu vou te ajudar!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...