História A Maldição do Vira-Tempo - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Cedrico Diggory, Draco Malfoy, Harry Potter, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Fanfic, Harrypotter
Visualizações 4
Palavras 1.903
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 50 - 36 horas


Narrador on

20:00 sexta

Pyxis está sentada com o irmão e Alvo na mesa da Sonserina, apesar de alguns olhares ela não liga, Scorpions é  seu irmão e Alvo seu amigo, e para ela, não será  as casas aqui na escola que vai a afastar deles, só que hoje uma das pessoas que não aceita essa aproximação não conseguiu ficar calada:

- Me admira muito saber que o filho de Harry Potter continue amigo dessa garota, sendo filha de quem é.

- Ora Chapman, será que só o fato de seu pai estar preso em Azkaban não é o suficiente para calar essa sua boquinha?

Scorpions falou calmo defendendo a irmã, Polly  Chapman olha feio, alguns alunos sorriem disfarçadamente, Pyxis olha para o irmão e fala:

- Deixa para lá Scorpions que não vale a pena, vejo vocês depois.

A garota se levanta e vai para sua mesa,  Grifinória, apesar de não parecer ligar, ela fica chateada:

- O que aconteceu?

Benjamin Suassuna, seu amigo quer saber:

- Nada Ben, só algumas pessoas que insistem em achar que são melhores que outras.

Scorpion levanta se aproximar da mesa da Grifinória;

- Oi gente, Pyx, vamos dar uma voltinha.

A garota que se levanta e acompanhou irmão para fora do salão principal, os dois param em frente à porta de saída da Castelo Scorpion abraça a irmã:

- Não fique assim!

- Às vezes é difícil sabe, eu tento fingir que não ligo, mas essa história de que Voldemort é meu pai... eu não aguento mais.

Mylle se aproximou dos filhos:

- Não estão pensando em sair a uma hora dessas, não é?

Scorpions se virou surpreso:

- Mamãe! É claro que não! Eu e Pyx só estamos conversando.

- Estão com problemas?

- Algumas pessoas ainda me atormentam sobre 'ele' ser meu pai.

- Ah meu anjo, não deixe que essas coisas te abalem. Você sabe que isso foi um erro grave de seu avô.

- Eu sei disso, mas é cansativo.

- O Ministério está tentando acabar com essa história. Eu juro que se pudesse colocaria um fim nisso.

- Eu sei.

- Bem eu vim para me despedir e pedir que os dois se comportem no fim de semana.

- Mande um beijo para o papai.

- Tudo bem.

Mylle deu um beijo em cada um e se encaminhou para a entrada do Castelo para poder aparatar e assim voltar para casa para seu marido, Draco Malfoy.

Pyxis olhava para as estrelas, ela não estava com vontade de conversar, mas queria a companhia do irmão, mesmo que fosse para ele ficar calado ao seu lado e ele sabia disso, mas já estava ficando tarde e ele sabia que os dois precisavam voltar para o dormitório:

- Pyx, precisamos ir para o salão comunal, está tarde.

- Pode ir, eu já vou.

Scorpions deu um beijo na irmã e saiu, ela ainda ficou olhando para as estrelas por um tempo, assim que ela se virou para ir para o Salão Comunal da Grifinória deu de encontro com alguém:

- Ora se não é nossa pequena Pyxis!

03:00 sábado

Draco acorda e percebe que sua mulher não está na cama, ele levanta e sai do quarto, percebe que a luz do quarto no fim do corredor está acesa e vai até lá, ele abre a porta e vê Mylle sentada no chão com as cartas de sua mãe espalhadas pelo chão:

- Mylle?

- Oi...

- Querida, o que faz aqui? São 3 horas.

- Eu....não sei ao certo...

Draco chegou perto da esposa e pegou sua carta, após ler ele sentou ao lado dela e  abraçou:

- Amor, isso é passado, pare de sofrer assim.

- Draco, tem tanta coisa que eu gostaria de entender, Voldemort causou tanta dor e mesmo agora depois de morto ele consegue atingir quem amamos.

- Ei...Eu não vou deixar que nada aconteça com Pyxis, eu prometo!

- E se não conseguirmos? E se a gente falhar?

- Isso não vai acontecer, Voldemort está morto.

Eu sei...mas....

- Amor eu acho que você anda muito cansada não quer tomar um pouco da poção do Sono para descansar?

- Talvez seria uma boa ideia, eu não tenho dormido direito.

- Voltou a ter pesadelos? - Mylle não respondeu - por favor Mylle, não esconda de mim.

- Sim  eles vêm com uma certa frequência, mas sempre é a mesma coisa.

- Vamos para o nosso quarto, vou te dar um pouco de poção e te dar muito carinho.

A mulher aceitou um pouco da poção e dormiu pouco tempo depois, era certo que sua cabeça precisava de descanso.

04:40 sábado

Uma sombra se encontra no andar inferior da mansão Malfoy, se trata de uma pessoa, uma mulher, ela se aproxima da parede e em poucos segundos parece se evaporar e some.

07:00 sábado

Draco Malfoy levanta e deixa sua esposa ainda na cama, ele desce, pretende preparar algo que ela goste, mas assim que chega no andar inferior nota uma coisa estranha,  ele se aproximou da parede que levava ao porão, se abaixou, e contemplou o objeto que lhe chamara a atenção, Draco esticou a mão e pegou e sentiu uma dificuldade em retirar o pedaço de pano, pois ele estava preso a parede, com um pouco de esforço conseguiu tirar o pedaço de capa:

- Estranho, como isso foi parar aqui? E ainda embaixo da parede.

Ele colocou no bolso traseiro e foi para a cozinha, resolveria isso depois, agora ele iria cuidar da esposa.

09: 00 sábado

Scorpions já estava sentado no Salão Principal a um bom tempo e sua irmã ainda não havia aparecido:

- Talvez ela vá dormir até mais tarde hoje.

Alvo falou ao ver seus três amigos entrando no Salão sem Pyxis:

- É...talvez, vou falar com Kayla.

O garoto se aproximou dos três:

- Oi Scorpions.

Maggie falou sorrindo, ela desenvolvia uma leve paixão por ele:

- Minha irmã ainda está dormindo?

- Eu achei que ela já estivesse aqui, quando acordamos ela já não estava na cama.

- Pensando bem. - Kayla falou. - Eu nem a vi indo dormir ontem.

- Como assim?

- Depois que vocês dois saíram do salão principal não vimos mais Pyxis.

12 :30 sábado

Mylle estava deitada no colo de Draco e os dois conversavam, a poção do sono realmente havia ajudado, ela se sentia mais leve por ter dormido bem e agora as coisas que a preocupavam realmente pareciam ser só um sonho ruim.

Passaram a tarde inteira de bobeira e ao chegar a noite Mylle não estava tensa, no entanto ela acordou de madrugada com o próprio grito.

3:00 Domingo

Completamente abalada Mylle começou a pegar as coisas, ela voltaria para Hogwarts, precisava ver Scorpions e Pyxis, ela tinha que ter certeza de que eles estavam bem.

Draco conseguiu acalmar sua esposa, ambos voltaram a deitar, no entanto ele havia ficado preocupado com ela, Mylle não era de se descontrolar dessa forma.

E se ela estivesse certa? E se seus filhos realmente estavam correndo perigo?

Draco permaneceu acordado passando a mão no rosto da esposa, que acabou adormecendo.  Ele preocupado, pensando em dar um fim nesse sofrimento de Mylle, estava cogitando a ideia de usar o vira-tempo de seu pai, mas acabou afastando esse pensamento e dormiu.

9:00 Domingo

- Como assim ninguém viu minha irmã? Temos que contar para a diretora Minerva.

- Espera aí!  - Rosa que estava sentada ao lado falou. - Pyxis deve estar querendo chamar a atenção, e contando para a diretora Grifinória vai perder pontos.

- Eu não acredito que estou ouvindo isso! Minha irmã não faz esse tipo de coisa, ela está sumida desde sexta, e se fosse Hugo? Você também iria esconder da diretora?

Rosa não respondeu e olhou para o irmão sentado junto aos colegas,  Scorpions se levantou e foi saindo do salão principal, assim que ele chegou no corredor Alvo o alcançou:

- Scorpions, espere!

O garoto parou por um instante:

- Vai comigo até a sala da diretora?

- Você quer mesmo fazer isso? Pense bem, talvez ela esteja na Sala Precisa.

- Alvo, tem pouco tempo que convivo com minha irmã, você a conhece tem muito mais tempo, acha mesmo que Pyxis ficaria todo esse tempo na Sala Precisa?

- Não....

- Então, com certeza aconteceu alguma coisa com ela e por essa razão eu preciso contar para a diretora, meus pais precisam saber disso.

Scorpions respondeu e começou a nadar em direção à sala da diretora Minerva, Alvo sentia que deveria impedir o amigo de qualquer forma, mas não sabia o que fazer para isso, ele pegou a varinha, ele iria estouporar Scorpions, só assim ele o pararia,  no entanto assim que eles viraram o corredor Pyxis vinha caminhando tranquilamente:

- PYXIS! O que aconteceu? Onde você estava?

- Como assim onde eu estava? Estava no Salão Comunal, e estou indo tomar café.

A garota agia como se nada tivesse acontecido, como se não estivesse sumida a quase dois dias:

- Pyxis, espera! - Scorpions segurou o braço da irmã. - posso falar com você primeiro?

- Tudo bem...

- Alvo, nós já iremos para lá.

Alvo se virou, não queria deixar os dois sozinhos, no entanto não sabia o que fazer para ficar e por isso voltou para o Salão Principal.

- O que foi Scorpions? Por que está me olhando assim?

- Porque você estavasumida desde sexta, onde estava?

- Eu não estava... - ela olhou para o irmão e percebeu que ele realmente estava preocupado. - pensando bem, eu não me lembro de ontem ter ido para o salão comunal depois que você foi deitar.

- Ontem? Pyx, você sumiu sexta.

- É, e hoje é sábado.

- Não, hoje é domingo, aconteceu alguma coisa com você. Precisamos descobrir o que é.

- Mas como faremos isso?

- Não sei.

12:00 domingo

Mylle e Draco estavam sentados almoçando, ele percebeu que sua esposa ainda estava abalada pelo sonho que teve a noite, mas a conhecia muito bem para saber que ela não queria falar sobre isso:

- Por que não aproveitamos que está uma tarde agradável e vamos até o Caldeirão Furado? Ou até o Três Vassouras, aí depois te deixo em Hogwarts.

Mylle sorriu para Draco, ela sabia que ele estava tentando a fazer esquecer dos pesadelos:

- Eu adoraria, afinal faz muito tempo que não tomamos uma cerveja amanteigada juntos.

Assim que os dois saíram de casa uma sombra se infiltrou na mansão e mais uma vez sumiu perto da parede.

Ele estava próximo de colocar seu plano em prática.

16:00 domingo

- Eu já disse Scorpions, eu não me lembro de nada. A única coisa que consigo me lembrar é de você me dando boa noite.

- Vamos contar para a mamãe.

- E vamos falar o quê? Que eu sumi e estou com amnésia? Sabe o que ela vai fazer? Vai surtar, papai vai querer que o Ministério levante um inquérito e sem contar que mamãe vai ler minha mente, você quer que ela descubra sobre nossa viagem no tempo dessa forma?

- Não, isso a deixaria furiosa e extremamente preocupada. Mas eu ainda quero descobrir por onde você esteve.

- Eu também,  mas vamos tentar resolver isso sozinhos.

Os dos irmãos resolveram manter segredo, no entanto Scorpions ficou pensando quem teria interesse em deixar sua irmã desaparecida por esse tempo.

20:00 domingo

Draco se despede da esposa em frente aos portões de Hogwarts, ela entra e segue tranquila para sua sala, tudo parece estar na mais perfeita ordem, no entanto ela nem desconfia que coisas estranhas aconteceram é que poderá alterar tudo o que ela conhece.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...