História A maldita caixa - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Ação, Amizade, Amor, Aventura, Colegial, Revelaçoes, Romance, Sexo, Suspense
Visualizações 6
Palavras 668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 3 - A caixa


Fanfic / Fanfiction A maldita caixa - Capítulo 3 - A caixa

Chego em casa exausta, chamo minha mãe mas pelo jeito ela foi trabalhar, subo as escada e entro no meu quarto,jogo minha mochila no chão,e vou até o meu guarda-roupa,pego uma calça moletom e uma camisa regata,vou até o banheiro, tomo um banho e assim que acabo percebo que esqueci da calcinha,me enrolo na toalha, pego minhas roupas e vou até o quarto,entro e vou andando até o meu guarda-roupa quando várias coisas acontecem ao mesmo tempo, eu tropeço em algo, minha toalha cai e as roupas que estavam na minha mão voam longe,levanto com uma dor no joelho,me enrolo na toalha de novo e fico pensando como sou lerda mesmo,duas quedas no mesmo dia,pego as roupas espalhadas pelo chão e visto,pego meu livro e o diário na mochila,quando algo prende minha atenção a tábua que eu tropecei a alguns minutos,coloco os livros de volta na mochila e continuo observando,com certeza tinha algo de estranho nela,me aproximei e me ajoelhei,ah sabia que tinha algo de estranho,levanto um pouco mais a tábua solta e com cuidado para não desprender do chão observo e realmente tem algo embaixo, mas eu não conseguia pegar.

Resolvi tomar logo uma atitude,puxei de vez a tábua que logo se despregou do chão,minha iria me matar,mas esse pensamento logo foi embora quando finalmente conseguir identificar o objeto que antes estava embaixo da tábua,era uma caixa velha de madeira meio arranhada e muito empoeirada,fiquei com um pouco de nojo de pegar nela,mas resolvi pegar mesmo assim, levanto com ela nas mãos e algo cai no chão,havia um bilhete em cima dela e eu nem tinha percebido,me agachei,peguei e comecei a ler em voz alta:

Por favor me ajude.

Eu estou presa, e somente você pode me ajuda,guardei algo muito perigoso dentro dessa caixa,algo que impõe um risco enorme sob a minha família,você com certeza deve ser meu descendente,então confio a você essa enorme responsabilidade,que é abrir essa caixa e me ajudar,se não estiver preparada guarde ela de volta e abra somente quando estiver preparada ,essa caixa pode mudar sua vida ,eu não posso dar a meu filho ele é novo demais,não tenho muito tempo,preciso de ajuda.

Talvez pode ter passado vários anos,mas o perigo permanece,não tenha dúvida

Com muito desespero ,Violleta Blunk 1930.

A caligrafia estava tremida,como se a mulher estivesse realmente apressada.

Fico um tempo com a caixa numa mão e a carta na outra com muito cuidado ponho a caixa e o bilhete de volta no buraco que se formou no chão, coloco a tábua de volta no lugar vou até a cama com o olhar e a mente longe.

Eu tenho algo perigoso no meu quarto?

Quem é essa Violleta?Provavelmente minha antepassada já que essa casa vem passando de geração a geração.

Será que ela ainda precisa da minha minha ajuda?

Já se passaram quase muitos anos.Talvez isso pode ser uma brincadeira.

Depois de um tempo pensando,resolvi fazer a única coisa que poderia me ajudar agora,resolvi pesquisar o nome dela no google, só apareceu um resultado,uma página policial de desaparecimentos.

VIOLETTA BLUNK

Violetta era uma mulher de 30 anos,desapareceu em junho de 1930, até hoje a policia não encontrou nenhuma pista do caso,no horário do desaparecimento ela estava sozinha dentro de casa,o marido foi trabalhar e o seu único filho estava na escola.

A policia,investigou durante muitos anos o desaparecimento,mas desistiu devido a falta de pistas,Violetta desapareceu dentro da sua própria casa na cidade de ******** ,no bairro Santa Clara,numero 110.

''Esse desaparecimento estar sendo um choque á todos na cidade, pois ela é muito querida por todos'',relatou um vizinho para um jornal no mês que ela desapareceu.

(Foto de Violleta)

Catarine deixou seu celular cair,o som dele se chocando ecoou pela casa vazia,ela não estava acreditando:

1-Violetta Blunk é minha antepassada.

2-Houve um desaparecimento dentro da minha própria casa,pois aquele o endereço da casa de Violetta é o meu endereço.

3-Ela tinha algo realmente perigoso dentro do seu próprio quarto.

Estranho,tenho a impressão de já ter visto essa mulher em algum lugar...


Notas Finais


Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...