1. Spirit Fanfics >
  2. A males que vem para o bem >
  3. Capítulo 05

História A males que vem para o bem - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Mais uma atualização saindo do forno quentinha 🤗✌️
Espero que gostem!
Boa leitura!

Capítulo 5 - Capítulo 05


Sasuke on…

- Papai! Papai! O senhor dormiu no sofá? 

- Oh droga!

Me sentei passando as mãos pelo rosto até os cabelos, eu bebi até apagar, não pensei que estava tão mal assim. Olhei pro meu pequeno e ele já estava fardado “droga!” Perdi a hora também.

- Bom dia Sasuri! Eu apaguei. *Lhe respondi e ele sorriu.

- Dá para ver papai… E secou uma… Duas… Três garrafas. *Disse contando as garrafas vazias jogadas no tapete, sorri amarelo.

- Bom, vou subir e tomar um banho rápido para não perdermos a hora. É rápido! *Disse me erguendo e indo pro segundo andar.

- Você dormiu aqui na sala? *Perguntou Karin.

- Não é óbvia a resposta? *Lhe devolvi seco passando por ela.

Entrei no quarto já tirando minha roupa com rapidez, não tinha muito tempo. O banho foi só para despertar mesmo, nem escolhi muito o terno que vestiria pegando o primeiro que vi; assim como a camisa, gravata e sapatos. Passei perfume e desci logo em seguida já com a pasta, peguei somente uma caneca de café e uma torrada para completar ainda estava cheio de ontem.

- Sasuke não…

- Tô sem tempo Karin. Vamos Sasuri, se não você chegará atrasado na escola? *Chamei e ele logo terminou, subindo correndo pro quarto para escovar os dentes.

- Sasuke sobre ontem… Eu sei o que fiz, foi errado, mas eu o amo e não sabia mais o que fazer. *Começou Karin “hum”.

- Amor distorcido esse seu… Olha Karin, o golpe da barriga não é o único golpe do mundo. Você poderia até fingir ser uma pessoa que não era para se aproximar de mim, mas preferiu jogar baixo e isso para mim não tem perdão. Então não tente conseguir agora. *Disse saindo da cozinha.

Logo depois Sasuri desceu as escadas e saímos, o saquê me fez pensar melhor e ontem mesmo já falei com o advogado da empresa. Mas Neji não trabalhava com casos familiares, me passou o número de outro advogado e eu estava louco que ele tivesse um horário pela manhã. Deixando Sasuri na escolinha liguei para ele que não tardou a atender…

- Nara Shikamaru, bom dia! Em que posso ajudá-lo? *Perguntou assim que atendeu.

- Bom dia, sou Uchiha Sasuke e preciso dos seus serviços. Tem horário livre hoje pela manhã? *Lhe respondi rezando que ele tivesse.

- Sim, pode ser às 8h? *Perguntou de volta e eu agradeci mentalmente.

- Sim, UchihaCop’s. *Respondi-lhe passando já onde iria me encontrar. - Deixarei seu nome na portaria. *Informei por fim e desligamos.

Estava ansioso agora, esse era um passo mais do que importante, era crucial. Eu estaria dando o pontapé para ter uma nova vida, refazer meus passos e, enfim, ser feliz. Cheguei na empresa e fui para minha sala, pedi para a secretaria avisar na portaria sobre o Nara e entrei no meu escritório. Trabalhei para ocupar a minha mente até ele chegar o que não demorou, ouvi batidas e informei que podia entrar.

- Prazer em conhecê-lo Sasuke! Meu cunhado Gaara fala muito de você. *Falou após apertamos as mãos.

- Ah! Você é o marido da Temari? Sabia que esse sobrenome não me era estranho. *Disse me lembrando enfim dele, não o conhecia muito bem e nem fui em seu casamento, não era íntimo da esposa dele.

- Exatamente! Mas em que posso lhe ser útil? *Perguntou se sentando.

- Bom, quero me divorciar. Mas não é tão simples assim… Meu casamento foi exigido pelo pai da minha esposa após descobrir que ela estava grávida de mim, o famoso golpe da barriga. Aceitei porque ele era ministro no momento disso e poderia causar algum escândalo. *Comecei explicando resumidamente tudo.

- Entendo. Gaara me contou sobre isso, sei bem como tudo ocorreu. Olha Sasuke, por ele não ter mais influência tenho certeza que não fará nada contra sua família, mas para que esse divorcio não se estenda é bom uma proposta bem “gorda” para Karin assinar. *Disse e isso me fez parar.

- Proposta bem “gorda”? *Perguntei sem entender.

- Sim, presumo que você não queira abrir mão da guarda do seu filho? *Perguntou e eu assenti que sim. - Então precisamos fazer que Karin deixe ele sobre os seus cuidados e só vindo visitá-lo de vez em quando, entende? *Explicou e eu comecei a entender ele.

- Mas que proposta seria essa? *Lhe questionei e ele levou a mão no queixo, analisando.

- Ela casou por dinheiro e status. Com o divorcio ela perderá o status então vai querer dinheiro para manter a vida que está acostumada a ter. *Disse destrinchando os pontos.

- Verdade! Um minuto Shikamaru? *Pedi pegando meu celular. - Esse tipo de proposta é “gorda” o suficiente para você? *Perguntei-lhe mostrando meu celular.

- 599.000.000.000.000... Porra! Oh se é! *Exclamou surpreso. 

- Então der entrada no processo, quero me divorciar o mais rápido possível. *Disse e ele assentiu.

Nos levantamos e apertamos nossas mãos e o Nara saiu, voltei a me sentar na minha poltrona bem melhor. Sentia que aos poucos o peso sobre meus ombros ia saindo, eu estava caminhando para ser livre dessas amarras e fazer meu filho feliz.


Foi um dia, um dia para preparar tudo, recebi no escritório o e-mail informando sobre a audiência de reconciliação, sorri - O Nara é rápido em?! *Pensei satisfeito. - logo depois ele me ligou.

- Uchiha Sasuke, falando!

- Bom dia Sasuke! Presumo que já recebeu a intimação? 

- Sim.

- Ótimo! Karin deve também está recebendo. Estarei lá no dia e qualquer dúvida é só ligar.

- Ótimo trabalho Shikamaru! Pode deixar, ligarei. 

Voltei para o trabalho muito mais feliz, meu divorcio estava tão perto, já sentia o gosto da liberdade… Nunca mais acordar e ver a Karin, chegar em casa sem ter sua voz irritante para me receber, sem ter aquela sensação de nojo. Eu estarei livre dela, enfim.

Fui para casa mais leve ao fim do expediente, mas preparado, pois sabia que ela iria reclamar. Estacionei o carro na rampa e desci, assim que abri a porta só ela estava na sala, respirei fundo e entrei. Passei por ela sem falar nada, ela se levantou…

- Você não pode fazer isso comigo Sasuke-kun. *Começou ela com voz de choro, revirei os olhos.

- Eu já fiz Karin… Para mim já deu, deu tudo. Esse casamento, essa farsa. Sasuri não está feliz, eu não estou feliz e você também não está. Vai ser melhor assim! *Disse e ela me encarou com os olhos arregalados.

- Melhor assim? Melhor para quem? *Perguntou aumentando a voz.

- Para todos. Você já perguntou ao seu filho se ele gosta dessa vida? Em que o pai não abraça a mãe dele, nem a beija, nem dormem juntos como os pais dos amiguinhos? Karin, nós fingimos isso e eu estou cansado… Farto! *Lhe respondi e ela chorou mais.

- Sasuke, por favor, não faça isso comigo… Eu te amo!...

- Não mesmo… Você ama o meu dinheiro e o status que ele lhe dá. Chega Karin! Para mim não dá mais e está decidido. *Falei por fim me soltando dela e subindo a escada.

- Sasukeee! Não me deixe… Sasukeee! *Gritava a ruiva e eu revirei os olhos achando tudo ridículo.

- Olá pequeno! *Falei vendo Sasuri com a cabeça para fora do quarto. - Vem cá! *Chamei pegando ele no colo.

Entrei no quarto e pedi para a babá sair nos deixando sóis, assim ela fez. Me sentei na cama colocando ele em meu colo, baguncei seus cabelos.

- Papai… Vai mesmo deixar mamãe? *Perguntou-me com os olhinhos negros tristes.

- Sim, me desculpe Sasuri? Eu fui um péssimo pai, não vi que tudo isso lhe faria infeliz… Assim como a mim e sua mãe. *Lhe respondi e uma lágrima escorreu dos seus olhinhos.

O abracei deixando ele chorar, sabia que separação era difícil pros filhos independente de idade e para idade dele era pior ainda. Mas aos poucos ele foi se acalmando e se afastou limpando os olhinhos com as mãos.

- Eu sei papai… O senhor não é um péssimo pai é o melhor do mundo e eu amo o senhor. *Falou e meu peito se encheu de alegria, o abracei novamente.

- Eu só quero o seu bem pequeno… Você é a pessoa mais importante da minha vida, você é o centro dela. *Falei agora chorando também.

- Papai não chora… Tá tudo bem. *Disse Sasuri e eu o encarei.

- Eu tô chorando de alívio, pensei tantas coisas… De você me odiar. Eu te amo meu pequeno e tudo que faço e por você. *Disse e ele me abraçou.

- Eu sei papai, eu sei. *Disse-me encarando e sorrindo, lhe sorri também.

Saí do seu quarto mais leve ainda, tomei banho e desci. Naquele dia não jantamos nós três juntos, mas dessa vez em muito tempo come leve. Com essa decisão, só será eu e meu filho agora e eu estava feliz com isso.

--------- x --------

Na sexta da mesma semana foi a nossa audiência, cheguei acompanhado do Shikamaru, do meu filho, do meu irmão com a esposa, dos meus pais e do Naruto. Karin estava com os pais e o advogado, ela finginha um choro pois via que não era real.

- Você vai pagar caro, Uchiha… Caro por cada lágrima que minha filhinha está derramando. *Falou o pai dela e eu lhe olhei feio.

- E o que eu chorei quem vai pagar? Ela só está recebendo o inevitável. *Falei sério e seco o homem deu um passo a frente.

- Senhor se contenha… Posso lhe acusar por ameaça e agressão, a escolha é sua? *Interferiu o Nara e eu sorri sínico, o homem se afastou.

- Sasuke-kun, por favor? Eu lhe amo…

- Chega Karin! Tenha um pouco de amor próprio, nem que seja agora e pare com isso. *Falei rigoroso e ela se encolheu.

- Senhor e senhora Uchiha? O juíz vós chama. *Avisou um rapaz e assim fomos.

- Vai da tudo certo filho. *Disse dona Mikoto me dando um beijo, assenti.

- Vai ficar tudo bem campeão. *Disse bagunçando os cabelos de meu filho que sorriu levemente.

- Boa sorte teme! Estamos aqui fora torcendo por você. *Disse Naruto e eu sorri, coloquei minha mão sobre seu ombro dando um leve aperto.

Itachi fez o mesmo, me senti ainda mais forte… Eu tinha meu filho do meu lado, minha família e amigos, tudo ia dar certo. Caminhei atrás do Nara entrando na sala, ficamos em pé esperando o juiz mandar a gente sentar, Karin soluçava e já estava me dando raiva.

- Podem se sentarem. *Mandou e sentamos e de frente para o outro. - O pedido de divórcio foi feito pelo Uchiha Sasuke, qual o seu motivo para tal pedido filho? *Me questionou olhando para mim.

- Meritíssimo, meu casamento ocorreu por uma gravidez não desejada, mantive esse casamento até hoje por achar que meu filho merecia uma família completa, mas nunca amei a mãe dele. E vendo que nenhum de nós três estávamos felizes, resolvi pedir o divórcio. *Lhe respondi sendo sincero.

- Senhor Sasuke, não há como vocês conversarem e se acertarem? Não acredito que essa jovem seja tão ruim ao ponto de não amá-la. *Questionou apontando para Karin.

- Para dizer a verdade meritíssimo? Não. Eu não posso provar, mas a noite que meu filho foi gerado eu estava dopado e não estava totalmente consciente dos meus atos. Num entanto, Karin sim. E por isso não consigo se quer gostar dela. *Lhe respondi.

- Protesto! O senhor não pode levar em conta isso meritíssimo? Como ele mesmo disse não tem provas é uma acusação falsa e maldosa para tentar denegrir a imagem de minha cliente. *Protestou seu advogado e eu o olhei feio.

- Não é isso que pretendo fazer meritíssimo, não estou aqui para denegrir ninguém, mas é a verdade e ela sabe disso é o que importa para mim. Só quero me separar, não vou mais nós condenar a isso. Eu estou pensando no meu filho, não em mim. *Falei e encarei o juíz que assentiu.

- Qual a sua proposta senhor Sasuke? *Perguntou e Shikamaru tirou o papel da pasta entregando ao magistrado.

- Nossa! É uma proposta generosa senhor… 730.000.000.000.000 é isso mesmo? *Perguntou após o espanto.

- É tudo o que meu cliente tem atualmente no seu banco, sem tirar mais nenhum tustão. *Respondeu o Nara e eu encarei Karin que estava surpresa. - E mais, senhorita Karin terá também uma casa. A casa que eles moram e o carro que ela digirir. *Completou o castanho e eu assenti.

- É uma proposta irrecusável. *Falou o juíz se virando agora para Karin. - E então senhora Uchiha, aceita a proposta? Pelo valor aqui escrito, uma casa e um carro a senhora aceita a dissolução de seu casamento e passa a guarda do seu filho Uchiha Sasuri para o pai. *Perguntou o homem e ela me encarou e depois o advogado.

- Ah e esse valor é fora o do advogado. Meu pai pagará os honorários dele. *Completei e seu espanto foi maior.

- Você está louco para se ver livre de mim, né Sasuke? *Perguntou e eu fiquei quieto, Shikamaru achou melhor não responder.

- Vamos dar um pequeno intervalo enquanto a senhorita pensa, voltamos em 10 minutos. *Pediu o juíz e assim aceitamos.


- E então senhora Uchiha, já tem a sua resposta? *Voltou a perguntou o juíz e Karin me encarou, já não chorava mais.

- Eu… Eu...


Notas Finais


😳 olha mesmo sendo Sasuke delícia, com tantos zeros assim eu bem que aceitava 😅
😘 E até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...