1. Spirit Fanfics >
  2. A marca da Rejeição. (Jikook)(ABO) >
  3. Capítulo 49

História A marca da Rejeição. (Jikook)(ABO) - Capítulo 49


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 49 - Capítulo 49


Fanfic / Fanfiction A marca da Rejeição. (Jikook)(ABO) - Capítulo 49 - Capítulo 49

Jeon.

Dois meses depois...

Eu sigo contando às horas pra ver seu sorriso de volta.

Eu percebo que em tão pouco tempo, sem ouvir sua voz, suas risadas fofas, sem ter seu carinho, dói! Como eu consegui ficar tanto tempo distante, sem me dar conta disso?

Talvez seja, por agora estar prestando atenção, pois parando pra pensar com calma, já faz bastante tempo que Jimin não me chama de amor, ou fala comigo sem que eu pergunte algo.

Tenho colocado meu plano em prática, todos os dias, faço exatamente com planejei. Cuido das crianças, preparo o almoço, fico no quarto de brinquedos com meus filhos.

Quando está sozinho com às crianças, Jimin fala, brinca, sorri... Mas basta eu me aproximar, pra tudo mudar. Eu confesso que não sei mais o que fazer! Estou ficando sem ideia.

Como não carregar culpa? Como enfrentar tudo isso?

Levo minha família pra passar o dia com Yuna. Aproveito que Jimin está conversando com Lisa, para desabafar com Yoongi.

Conto toda história pra ele, digo como estou me sentindo... Principalmente a parte, de não saber mais o que fazer.

- Já pensou em procurar ajuda psicológica?- Yoongi fala enquanto observa as crianças.- De repente, o problema não está no que fazer, e sim como fazer... Talvez, alguma coisa que foi dita por você no meio dessa confusão, o feriu ainda mais do que já estava. Procura ajuda de um profissional, pois no meio dessa bagunça há três crianças que precisam da estabilidade emocional dos dois.

- Eu farei isso!- Digo concordando.- Eu vou aproveitar que levo Jimin uma vez por semana pra consulta, vou agendar a minha também. Pois sou obrigado a concordar que está sendo muito difícil pra mim...

- Por aí você percebe o quanto foi difícil pra ele passar por tudo isso, por três anos seguidos.- Yoongi diz me olhando nos olhos.- Pra você que estava fechado no seu mundinho particular, passou rápido, mas pra ele que lidava com três crianças sem um um suporte emocional, sabendo da fragilidade dos Ômega Lúpus. Imagina o quanto foi sofrido... Pra ele chegar ao ponto de tentar suicídio!

Fico em silêncio, pensando novamente em tudo que fiz.

- Já passou por minha cabeça desistir... Por saber que tudo isso foi causado por mim, e perceber que por mais que eu tente, nada muda...- Digo apoiando minha cabeça nas mãos, segurando forte em meus cabelos, os levando pra trás.- Se a causa da dor sou eu... Se eu desistir acabará a dor, o sofrimento dele termina.

- Claro que não!- Yoongi me olha assustado.- Mais um motivo pra você procurar ajuda psicológica! Se em pouco tempo você já está assim, imagina quanto tempo mais você vai suportar?

- Tá doendo muito, vê-lo chorar, se afastando sempre que tento me aproximar...- Digo com a voz embargada.- Eu não sei mais o que fazer! É muito difícil, Yoongi! Eu sinto sua dor, mas ele não permite que eu o ajude! Eu sei a causa, mas não sei o antídoto... Talvez se eu desistir, ele volta a ser feliz. Afinal, tudo isso foi causado por mim!

- Vocês estão doentes!- Yoongi afirma.- Estão esquecendo das crianças, que precisam de vocês? Que existe a tal ligação de almas, que se um morrer o outro também morre?

- Mas um de nós, vai acabar morrendo de tristeza e levando o outro de qualquer maneira,Yoongi!- Digo já chorando.- Ou o Jimin ou eu... Essa situação está insustentável! Você é a primeira pessoa com que desabafo, pois não tenho mais ninguém pra me ajudar.

Yoongi me abraça deixando eu chorar em seu ombro.

- Procura ajuda, o mais rápido possível!- Yoongi fala enquanto passa a mão nas minhas costas.- Eu vou conversar com Lisa, pra ficarmos mais próximos de vocês pra dar suporte. Mas o essencial agora, é a ajuda de um profissional.

Depois de um tempo, Jimin e Lisa voltam a se sentar conosco. Ficamos mais um tempo observando as crianças brincando.

No final da tarde estamos voltando pra casa, as crianças conversando no banco de trás, e Jimin como sempre, com a cabeça recostada no vidro da janela do carro, em silêncio.

Por mais que eu tente ser forte, essa situação está acabando comigo. Eu não tenho mais estrutura psicológica pra lidar com isso.

Após dar banho nas crianças e colocá-las pra dormir, vou até a varanda, me sento e fico pensando em tudo isso. Fico tentando uma nova tática, algo que me ajude a ajudá-lo, a nos ajudar...

Eu amo tanto minha família, e vê-los sofrendo por minha causa, faz minha dor multiplicar.

Me sento próximo da grade, fico ali olhando as estrelas, me lembrando do início da nossa relação, do medo que ele sentia de ser reprovado por mim, por ter opiniões... Da sua timidez, do jeitinho fofo, do sorriso infantil... Do nosso primeiro desentendimento, da nossa primeira vez, nosso casamento... Tudo que vivemos, me faz entrar em um choro compulsivo. Fico ali, chorando por um longo tempo. O pensamento em desistir, martelando em minha cabeça, cada vez mais forte, por não suportar mais tanta tristeza... Tanto a que vem dele, quanto a minha. Me deito no sofá, e fico ali, tentando suportar mais uma vez, mais uma noite... Confesso que está sendo difícil demais pra mim.

Nem sei que horas fui para o quarto, Jimin já está dormindo por causa dos antidepressivos. Me deito ao seu lado, deixando mais uma vez as lágrimas saírem.

Eu já tentei conversar, já pedi perdão, já demonstrei meu amor de diversas maneiras, mas nada faz a situação mudar. Não vejo outra saída a não ser desistir... Se não consigo mais fazê-lo feliz, pois sua infelicidade é causada por mim.

O dia amanhece sem que eu consiga dormir um minuto sequer. Me levanto, após o banho e higiene matinal, vou preparar o café da manhã. Cuido das crianças, deixando elas brincando, vou para o quarto, deixo o café sobre o criado mudo, e vou acordar Jimin.

- Bom dia, meu amor.- Digo fazendo um carinho em seus cabelos. Uma nova tentativa, ou talvez minha última.- Vem tomar seu café.

Assim que ele se levanta, deixo o quarto, seguindo pra varanda, onde me sento mais uma vez pra pensar em algo que possa me ajudar.

O dia vai passando lentamente. Jimin mais uma vez me ignorando quando tento conversar, me afastando quando tento me aproximar... Eu percebo que não há mais nada que eu possa fazer.

Fico mais um tempo pensando... A noite chega, após colocar a crianças pra dormir, eu vou até nosso quarto. Jimin está saindo do banho.

- Jimin... Eu estive pensando.- Digo e ele continua sem me olhar.- Tudo que estamos passando, foi causado por mim. Eu percebi que sou o motivo da sua infelicidade e por mais que eu que eu tenha tentado, percebo que não há mais como lutar contra isso... Não tem mais o que eu possa fazer pra que você volte a sorrir, ou viver... Então, sabendo que eu sou a causa, eu tomei uma decisão... Essa é nossa última conversa, se houver algo que eu possa fazer, me diz agora... Ou não haverá outra oportunidade.

- O que você quer dizer com isso?- Jimin pergunta sem me olhar.

- Eu estou dizendo que, eu já fiz de tudo que eu pudia pra tentar reverter essa situação.- Digo com a voz embargada.- Já provei meu amor de diversas maneiras, já fiz tudo que podia, mas nada mudou. Se não houver mais o que fazer, eu vou arrumar algum jeito de devolver sua felicidade, já que eu não consigo mais te fazer feliz. Eu sei que você suportou por três anos, mas em nenhum momento, você me chamou pra conversarmos... Eu estava trabalhando, eu sei que não justifica. Eu sentia sua tristeza, mas eu não entendia o motivo. Na minha cabeça, estava tudo bem... Eu estava trabalhando, não estava faltando nada pra vocês que sempre foram minha prioridade. Eu não te traí, não faltei com respeito ao nosso casamento, nunca levantei a voz pra você ou te maltratei de forma consciente... Eu sei que ser abandonado dói, mas eu procurava te dar carinho o máximo que eu podia. Eu nunca te impedi de me tocar, me beijar, ou até mesmo deixar claro o seu desejo, Jimin... Então, eu entendia que você estava cansado, por cuidar de três crianças o dia todo, e ainda trabalhar na academia... Isso era uma forma de te respeitar... Eu também sinto desejo por você Jimin, eu sentia falta de fazermos amor, mas tínhamos três crianças pra cuidar... Cada um do seu jeito... Eu confesso que está sendo muito difícil pra mim, tentar achar uma forma de te fazer feliz novamente e não encontrar.

- Então, para de tentar!- Jimin diz me olhando brevemente.- Eu nunca te pedi pra tentar me fazer feliz... Esquece de uma vez essa história de felicidade, Jeon! Eu vou continuar aqui, mas não há mais o que ser feito!

- Então, essa é sua resposta?- Pergunto. - Eu não posso mais te fazer feliz, seu amor por mim acabou? É isso que você está dizendo?

Jimin não me responde, continua fazendo algo que não sei o que é.

- Você vai ficar bem a partir de hoje.- Digo me levantando, secando minha lágrimas.- Eu tentei, Jimin, você sabe que eu tentei... Infelizmente, não consegui te devolver a felicidade ao meu lado. Eu matei o seu amor por mim, mas esqueci de matar o meu amor por você...

Saio do quarto, deixando ele sozinho. Me sento na varanda, deixando minha dor sair, dando a ele, um tempo pra pensar.

O tempo passa e nada muda. Então, volto no quarto,vejo ele dormindo.

– Adeus meu amor, você vai ser feliz novamente.–  beijo seus cabelos e saio do quarto, decidido a por um fim nessa dor angustiante. Passo no quarto das crianças, olho seus rostos, beijo seus cabelos.

–Não há outro jeito. Sei que vocês sentirão a minha falta, mas é melhor que ver a infelicidade do seu pai, sabendo que fui eu quem causou tudo isso...– Digo chorando.– Vocês já se acostumaram a ficar sem mim uma vez, vão se acostumar de novo.

Fecho a porta do quarto, deixo meu celular sobre a mesinha, pegando a chave pra sair.

– Jeon!– Jimin me chama.– Não faz isso!

– Eu não aguento mais ver todo o sofrimento que eu causei Jimin – Digo sem o olhar.– Como você mesmo disse pra eu fazer... Vou parar de tentar te fazer feliz... Eu vi que não há mais o que eu possa fazer.

– Eu não disse pra você me deixar...– Jimin fala.– Eu disse que não há mais o que fazer, mas eu vou continuar aqui... Ao seu lado, por você, por nossos filhos...

– Do que adianta ficar Jimin?– Deixo meu choro sair com força.– Eu não tenho mais motivos pra tentar, você mesmo disse pra eu parar, deixou claro que não me ama mais! Você poderia ter feito algo e não fez, eu fiz e nada adiantou... Então qual o sentido de continuarmos com isso? Sabendo da infelicidade de ambos?

– Eu não disse que não te amo!– Jimin diz.

– Mas também não disse que ama. Eu perguntei e você não respondeu. Então, eu entendo que a resposta é não, você não me ama mais...– Sinto seus braços envolvendo minha cintura.

– Eu nunca deixei de te amar...– Jimin encosta seu rosto nas minhas costas.– Não faz isso... Não me deixa...

Deixo a chave cair da minha mão, me virando pra ele. Seguro seu rosto, tomando seus lábios num beijo cheio de saudades e amor...

Jimin pula em meu colo, circulando minha cintura com as pernas, e meu pescoço com seus braços, retribuindo o beijo com a mesma intensidade.

– Vamos descansar, amor.– Jimin diz com seu rosto em meu pescoço.– O remédio está fazendo efeito.

Se gostou da leitura, não esqueça de deixar seu voto. Obrigada!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...