1. Spirit Fanfics >
  2. A marca (Vkook, Taekook) >
  3. Vermelho Violeta

História A marca (Vkook, Taekook) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Eu tenho que parar de simplesmente vim aqui de madrugada e jogar o capítulo pra vcs né? Kksksks é mais forte do que eu.
Boa leitura (◡ ω ◡)

Terá uma parte que o JK que irá narrar a história dele, é isso.

Capítulo 9 - Vermelho Violeta


Fanfic / Fanfiction A marca (Vkook, Taekook) - Capítulo 9 - Vermelho Violeta

— Eu estava na metade do meu terceiro ano do ensino médio — o alfa começa a falar deixando Taehyung confuso, mas ao mesmo tempo curioso e interessado no que viria a seguir — Por conta do trabalho dos meus pais eles viviam se mudando. Hoje em dia isso não mudou muito, a diferença é que eu sou maior de idade agora, então não preciso ir com eles, apesar de que quando eles me levavam, era por pura culpa por não me darem atenção, então sempre me obrigava a ir com eles, sendo que os mesmos nunca estariam em casa comigo. Enfim, nisso eu comecei a estudar em um colégio particular, e essa cidade para qual eu fui era Daegu.

Naquele momento o Kim entendeu aonde o Jeon queria chegar com aquela história.

— Nesse colégio, eu não era muito conhecido que nem em Busan, então vi uma nova chance de recomeçar, sabe? Com esse pensamento em mente, eu fiz amizade com os alunos menos privilegiados da turma — os nerds e otakus —, e entre esses amigos que eu fiz, havia um ômega. Eu nunca neguei para mim mesmo que sempre preferi ômegas machos do que fêmeas, e ver aquele ômega todo tímido e recluso — o que o deixava até fofo — eu senti que queria tê-lo, mesmo meu lobo me negando isso. Papo vai, papo vem, eu e este ômega começamos a nos interessar um pelo outro, tínhamos assuntos em comum, então fora fácil me ver completamente apaixonado por ele, eu adorava passar meus momentos ao lado dele, tudo era mais lindo e mágico. Porém, o tempo passou, tivemos nossa formatura, e eu completei meus dezoito anos. O lance que tínhamos nunca saiu de sorrisos tímidos, beijos castos e dar as mãos de vez em quando, sempre fui péssimo nessas coisas. Todavia, quando completei meus dezoito anos, com certeza iria querer algo a mais, se é que você me entende. 


O ômega entendia muito bem aonde ele queria chegar, por isso suas bochechas tomaram a coloração vermelha assim como seus lindos cabelos.


— Em um belo dia de primavera eu resolvi dar esse passo inicial, o que eu não sabia na época, é que eu sendo um lúpus não poderia me envolver com ômegas de classe baixa, e este fora meu maior erro. Nós estávamos na minha casa, meus pais como sempre estavam trabalhando. Eu fiz de tudo para aquela noite ser perfeita, comprei vinho tinto, queijo fino, enfeitei o lugar com fotos nossas, tudo tão maravilhosamente lindo e perfeito — falava com um brilho nos olhos — porém, quando estávamos terminando o ato, ele pediu-me para que eu o marcasse. E claro, como o bobo apaixonado que eu era, no calor do momento, aceitei ao pedido dele. Entretanto, essa fora uma das piores decisões da minha vida. Na hora em que tentei marcá-lo, era como se algo estivesse me impedindo; como se aquilo não estivesse sendo natural; como se eu estivesse me forçando a fazer aquilo. Com certeza ele acabou ficando impaciente, pedindo para ir logo, que aquele momento seria a união de nossas almas. Só que, eu não conseguia. Eu me forcei tanto para que as minhas presas saíssem pra fora, que aquela dor que senti foi agoniante, na hora, eu comecei a cuspir sangue, pois meu corpo estava rejeitando aquela ação. E consequentemente, ele ficou extremamente bravo e me empurrou de cima dele, enojado porque eu havia cuspido o sangue nele sem querer. E o que mais me machucou, foi o que ele me disse a seguir:


Você é um inútil! Nem para me marcar você serve! — Eu não entendi o porquê dele estar falando tais coisas, mas logo ele me explicou — Todo este tempo eu só estivesse ao seu lado para que você me marcasse! Assim, eu poderia finalmente ter a vida financeira que eu mereço! Mas nem me dar uma boa condição de vida você consegue, é apenas mais um alfa mimadinho que não recebeu amor de ninguém e ficou amarrado no primeiro ômega que te deu bola! 

Como assim?! E tudo que a gente viveu, não foi nada!? — Eu perguntei para ele. As palavras seguintes que vieram de sua boca eram como facas que me atingiram em cheio.

Nada nunca foi real, Jungkook! Eu fiquei com você apenas por interesse! Ou acha mesmo que algum ômega ou beta realmente se interessariam em você por amor? — fiquei calado — mas é muito inocente mesmo em, Jeon. Meu plano era que você me marcasse e assim eu engravidaria de você, te prendendo e finalmente tendo a vida dos sonhos. É verdade, eu sempre fui bem recluso perante os outros, mas é o que dizem não é? As aparências enganam, por isso você não é muito diferente de mim, se escondendo por debaixo da mídia, sejamos sinceros, nem você sabe quem é o seu eu de verdade.

Você… nunca me amou? — perguntei de cabeça baixa, por mais que eu estivesse muito machucado, tanto fisicamente quanto emocionante, percebi que tudo o que ele falava era verdade. O típico tópico filosófico "quem sou eu? De onde vim? E para onde eu vou?", Nunca soube responder nenhuma dessas perguntas. Logo mais palavras foram despejadas em mim como uma chuva de fogo.

Nunca, e acho que é bom esse aviso de que todos que demonstram interesse em você, é apenas por você ser rico e ter uma boa vida, e não por amor, você nunca saberá a sensação de amar alguém — ele disse bem perto do meu rosto, dava para se perceber em sua face o desdém que ele fazia de mim. — Adeus, Jungkook. Meu plano foi falho, mas acho que a sua vida toda foi um erro. 


— Depois disso ele se arrumou, pegou suas coisas, e foi embora, me deixando desamparado, engolindo o peso de suas palavras ainda. Foi a partir desse momento que eu percebi, que não adiantava com quem eu ficasse, todos eles ficariam comigo apenas por interesse. Eu notei que o que eu sentia por ele era empatia, porque apesar do peso de suas palavras — que carrego comigo até hoje — eu não deixei cair sequer uma única lágrima. Talvez se eu tivesse escutado meu lobo me avisando desde o início, não teria sofrido tanto. Por causa desse acontecimento eu nunca mais me envolvi com nenhum ômega ou beta, por isso os boatos a respeito de minha pessoa. Descobri um tempo depois que só poderia ter um relacionamento quando se tratasse de outro lúpus. Porém, era a última coisa que eu queria, eu nunca mais deixei ninguém sequer se aproximar de mim, pois para mim todos eles estariam fazendo isso apenas por interesse, pela imagem que eu passo para a mídia, e não pelo meu verdadeiro eu.


Dava para se sentir o peso das palavras do Jeon, ele dizia tudo aquilo com uma grande angústia no peito.


— Naquele dia, após tudo isso, eu peguei minha jaqueta indo para a rua, nisso acabei por esquecer o celular em casa, tamanho desatento fiquei. Estava apenas estava seguindo por aí sem rumo, sem nada na cabeça, meus pensamentos divaga-vam nas palavras que o ômega havia me dito. Eu pensava que nunca iria experimentar o amor na sua forma verdadeira e mais pura, pois nem sequer amor fraterno eu tive, quem dirá um amor que consumiria a minha alma? Com esses pensamentos em mente e divagando pelas ruas de Daegu sem nenhuma expectativa de vida, acabei esbarrando em um grupo de alfas. Todos eles olharam para mim e me disseram para pedir desculpas, entretanto, na hora eu não estava ligando para praticamente nada, então com raiva pelo meu silêncio, o grupo — que se consistia em mais ou menos cinco alfas — me arrastou brutalmente para um beco escuro, começando a me xingar e desferir socos e chutes em mim. Foi assim que eu ganhei essa cicatriz. — Jungkook toca sua cicatriz na bochecha, dando mais entendimento ao Kim sobre sua vida. — Eu sabia que era devidamente mais forte que todos eles, só que na hora, eu senti que merecia aquilo. No fundo eu sentia que eu merecia toda aquela dor e sofrimento; que o universo estava me dando um punição por nascer lúpus; por não conseguir marcar alguém que eu considerava importante; e que no final na verdade eu não sentia nada, só gostava da sensação de namorar e trocar carícias. Contudo, foi naquele momento que meu lobo sentiu que algo importante para ele estava em perigo — nessa hora, o alfa olha para o Kim, involuntariamente pegando na mão do ômega, este que sabia que se tratava dele, pois a história se assemelhava com a que ele lhe contou antes — meu lobo se contorcia dentro de mim, como se precisasse salvar esse algo importante, eu sentia que se não fizesse isso eu morreria juntamente ao meu lobo de tanto ressentimento. — Jungkook deixava explícito tudo o que sentiu naquele dia — Sem nem que eu percebesse, seguindo apenas meus instintos, segurei fortemente o punho do alfa que me batia, na hora expressei toda minha raiva e força, precisava me apressar. Como um flash de luz, acabei me transformando em um grande lobo, e com isso eu derrotei cada um deles, não me lembro ao certo o que eu fiz, mas consegui derrubar eles ao ponto de chegarem ao desmaio. Quando voltei ao meu normal estava completamente desnudo, então peguei as roupas de um dos alfas que havia me atacado. Percebi que eles eram traficantes por causa das drogas que encontrei com eles, então liguei para a polícia com o celular deles mesmo, falando o local em que eles se encontravam, e deixei como se fosse uma denúncia anônima. Após ter feito tudo isso, eu finalmente comecei a correr e deixei meus instintos me guiarem na direção correta, e foi naquele momento que encontrei você — Jeon olha diretamente nos olhos do Kim — meu lobo me levou até você, Taehyung. E quando eu cheguei perto de si, no momento que seus olhos me encontraram, era como se eu estivesse me afundando em um profundo oceano, onde eu sequer iria conseguir sair de lá, estava completamente imerso em seus olhos e sentia que poderia me afogar diretamente neles. Meu lobo por um breve momento ficou calmo, como se ele tivesse encontrado o que tanto procurava, talvez o oceano em seu olhar não fosse uma tempestade, mas sim uma calmaria. E outra coisa que mais me fascina, é que quando olhei para você todas as minhas preocupações e frustrações de outrora foram embora. 


Jungkook dizia tudo aqui com um brilho nos olhos, ao mesmo tempo que tudo era confuso para ele, ainda era incrível o sentimento que sentiu por um estranho na época.


— Depois que te deixei no hospital, de alguma maneira meus pais ficaram sabendo do ocorrido. Pelo o que parece, a descrição que os alfas deram para a polícia de quem os havia pego, era definitivamente parecida comigo. E mesmo que eu tenha feito uma boa ação, ainda tinha o fato de que me transformei na frente deles. Meus pais sem se importarem se eu fiz algo bom ou não, me fizeram arrumar rapidamente minhas malas, e assim fomos embora de Daegu. Me lembro que eles ainda pagarão uma certa quantia, para que todas as testemunhas que presenciaram aquilo ficassem caladas e não criassem polêmicas — Jungkook ri em desdém, mas logo se acalma — Bom, eu passei boa parte da minha vida esperando reencontrar aquele ômega de olhos azuis, nos quais eu me sentia no próprio céu. Pensava que nunca mais iria encontrá-lo, e como o havia visto  em Daegu, as chances de revê-lo eram amenas, contudo, olha só, o destino nos reuniu novamente.


O Jeon sorriu confortavelmente para o Kim, deixando o clima leve. Taehyung entendia exatamente o que o Jeon havia passado, era como se os dois tivessem presenciado os piores momentos de suas vidas ao mesmo tempo, tudo porque não respeitaram a regra do destino.


Uma lenda que na verdade era real, assim como nossas mãos que se tocam na vida atual — Jungkook chama a atenção do ômega mais uma vez, acariciando os dedos do mesmo — eu poderia me recusar a acreditar nessa lenda, Taehyung. Todavia, quando eu lembro da parte em que diz: o alfa impossível será de amar, até seu ômega encontrar. De alguma forma eu me identifico, pois antes de te conhecer eu não tinha esperança nenhuma, mas agora, eu sinto como se estivesse fazendo o certo pela primeira vez na vida, como se você fosse o certo. Nós podemos tentar fugir disso, Taehyung, mas não podemos negar que pertencemos um ao outro.


Taehyung entendia muito bem a onde o Jeon queria chegar, ele sabia no fundo de seu coração que o alfa estava certo, mesmo se ele tentasse fugir ou negar aquilo, não adiantaria, pois era mais do que certo, eles pertenciam um ao outro e tudo o que estava acontecendo em volta deles, deixava isso claro. Mais uma vez a grande referência a uma guerra de corações, travadas por seus lobos e eles mesmos.


— Rapazes? — as senhoras saem para a varanda, perguntando pelos jovens. Jungkook e Taehyung se viraram para olhá-las — eu sei que é realmente difícil acreditar em tudo isso, mas, temos algo que talvez faça vocês acreditarem — Yerim tira de trás de si um livro de coloração marrom, parecia estar meio desgastado pelo tempo — como vocês devem saber, um lúpus só nasce de pais puros, então os seus bisavós com certeza eram lúpus também, só que suponho que eles estejam mortos, não é mesmo? — os dois confirmam com suas cabeças — acontece que meu bisavô também era um lúpus, porém, ele não era apenas um lúpus comum — As duas se dirigem até o banco de madeira que havia na varanda, insinuando para que ambos as seguissem. Eles ficaram de frente para as duas, apoiados na cerca da área. A alfa deu continuidade. — Meus bisavós eram a reencarnação dos reis, assim como vocês. — dito isso, os dois mais novos ficaram chocados, olhando um para o outro e novamente focando seus olhos nas senhoras. — Pode se dizer que meu bisavô era alguém muito romântico, então ele sempre descrevia todas as sensações que tinha em seu diário. E aqui está escrito tudo o que ele sentiu quando encontrou o alfa dele. — entregou o diário para Taehyung — meu outro bisavô era alguém que passava a imagem de durão, mas todos os desenhos que estão no diário fora ele que fez, inclusive a capa dele, durante as gerações da minha família sempre prezamos em e preservar este diário, para que se por acaso um próximo descendente também nascesse com os olhos azuis, teria onde encontrar respostas. Infelizmente, eu e Yongsun não fomos capazes de continuar essa linhagem — apertou a mão da ômega que a transmitia conforto — contudo, vocês chegaram na hora certa, este diário foi feito para pessoas como vocês, então eu irei dar-lhes este diário.

— Mas, não é algo muito importante para a senhora?! — Taehyung perguntou, visivelmente encabulado com a situação.

— Como eu lhes disse antes, este diário foi feito para se caso houvesse mais descendentes dos reis, todavia, como eu falei outrora, eu e Yongsun não pudemos completar a linhagem, e eu creio que agora se existirá apenas uma descendência de betas — disse a última parte rindo, pois era verdade, difícil seria um alfa se casar com um beta formando outro bebê alfa — então, vocês são as pessoas certas para receber esse diário. 

Após as senhoras terminarem de conversar com os mais novos, Taehyung alisou a fina capa de madeira, no qual havia pequenos relevos onde outrora fora o título do livro. O livro exalava um cheiro de mofo, pois já era algo antigo, incrível era ver que as páginas mesmo depois de tanto tempo continuavam intactas. Yerim e Yongsun haviam entrado para dentro de casa, alegando que iriam preparar a mesa para o café que tinham comentado mais cedo, Jungkook se voluntariou para ajudá-las e foi junto a elas. O Kim ficou sozinho do lado de fora, sentado no banco de madeira — que a momentos antes era ocupado pelas velhinhas simpáticas.  Tratou de abrir o livro e vasculhar um pouco de seu conteúdo, e logo no começo dele, as frases escritas deixaram o Kim com uma sensação de estar lendo um livro de romance.


Vermelho Violeta


Dizem que o fio do destino é vermelho

E eu tive certeza disso quando encontrei seus olhos de cavalheiro

O escarlate que me trazia conforto e calma

E para você me entreguei de corpo e alma

O vermelho que significa paixão

E como o sol que ilumina, você me tirou da escuridão

A mistura do vermelho e o azul, que vira um violeta

O violeta que significa amor

E só com você estou livre da dor

Séculos podem se passar, mas minha alma sempre irá buscar pela metade dela

E só você pode completar ela.


Ao lado do poema bem escrito, havia uma violeta desenhada. Taehyung passou a mão na mesma, sentindo a textura da folha, percebeu pequenas letras escritas abaixo da flor, e com um pouco de esforço conseguiu decifrar o que estava escrito.


"Se violeta significa amor, e o violeta na verdade também pode ser roxo, então eu roxo você. 

Ass: Sua alma gêmea"


Foi nessa hora que Taehyung percebeu que tudo aquilo que lhe falaram era verdade, estava mais do que certo nos versos da antiga lenda, mas com a confirmação de que pessoas antepassadas deixaram escrito, seu lobo era sim, a reencarnação dos antigos reis. O amor que eles tinham um pelo outro sempre fora tão grande, que foi capaz de atravessar gerações e queimar nos corações jovens de cada época. 

— Tae? — Jungkook aparece novamente do lado de fora — Yerim e Yongsun noona está te chamando para comer, e não é por nada não, mas o bolo está cheirando muito bem e… tudo bem com você? — Jungkook percebe que o Kim não parava de o encarar o livro.

— Tudo sim. — Taehyung disse e fechou o livro

— Bom, então se está tudo bem, você me daria a honra de me acompanhar em um belíssimo e delicioso café da tarde com duas senhoras gentis? — Jungkook estende sua mão para o Kim.


Naquele momento, o avermelhado percebeu que aquele gesto entre ele e o alfa seria mais comum do que pensava. Lembrou da primeira vez que pegou na mão do alfa, o que não faz mais muito tempo. Naquela hora era como se tudo se alinhasse em sua vida, a mão quente de Jungkook acalmava seu interior mais do que qualquer coisa que já havia sentido. Apenas um singelo toque fazia o corpo do Kim se eletrizar por inteiro, seu lobo amava a sensação e ele estranhamente também gostava.

— Aceito. — Sorriu e pegou na mão do alfa, que sorriu de volta para si.

Taehyung odiava admitir para si mesmo, mas sentia que mesmo sem seu lobo e essa história de reencarnação, ele se sentiria atraído pelo alfa de cabelos compridos e estilo marrento de qualquer jeito. Sem nem se dar conta, estava se deixando a paixão dentro de seu peito florescer cada vez mais por Jungkook. 

Eles estavam entrando em um novo ciclo de suas vidas, onde aprenderiam a amar um ao outro. Pois, nessa guerra de corações, eles não podiam deixar de amar um ao outro mesmo que tentassem. Jungkook a partir do momento que contou sua história sobre seu passado para Taehyung, acabou deixando tudo para trás, seu ego, seu orgulho e todas suas frustrações.

Agora bastava apenas Taehyung confiar no alfa e deixar seus monstros para trás também.






Notas Finais


Eu lembro que há uns dois caps atrás eu estava feliz por termos chegado a marca dos 1.800, e de lá pra cá estamos com quase 1.870???? Meu Deus! Eu fico em choque que vcs estejam dando valor para minha fic sério, amo ainda mais quando vcs comentam e assim eu posso interagir com cada um de vcs.

Enfim, gostaram do capítulo? Sendo sincera é meu segundo favorito fora o "encantamento dos olhos" (cap 7), eu amei trabalhar com esse plot sobre as almas gêmeas, a reencarnação dos lobos deles, dei duro em cada poema e tô soft que deu tudo certo. Sentiram dó do Jeon como eu senti tbm? Eu fico sad com o passado dele.
Perceberam a referência as falas do trailer da fanfic? E a música do trailer? E também o "eu roxo você"? Aai eu amei esse plot do começo ao fim, mas calma que ainda tem muita coisa pra acontecer hehehe
Até o próximo, onde saberemos finalmente o que aconteceu com o Tae naquela noite hehe

Trailer da fanfic: https://youtu.be/FM6GoS9L-1c

(Estou pensando seriamente em fazer um segundo trailer com mais informações kssks, mas por enquanto não vou sair desse)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...