1. Spirit Fanfics >
  2. A marinheira da Lua >
  3. Não estamos sós.

História A marinheira da Lua - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


oiiiiiii
olha eu aqui heheheeheh
e ai? estão gostando?
boa leitura

Capítulo 3 - Não estamos sós.


KyungSoo tinha os olhos arregalados na tv, a personagem do jogo era exatamente uma versão sua, porém não tinha os cabelos em dois pompons gigantes, usava apenas um laço e as mechas soltas, ela lutava muito mais do que ele se imaginou lutando com aquela saia, e sempre aparecia um gatinho branco para ajudá-la.

— Quem é aquele ali?

— Artemis, é o pet dela, sabe rpg sempre tem. Ele carrega a barra do power.

— Ah…. Carrega o Power — pensou na Lua, ela dizia o que fazer bem de vez em quando.

— É demais, não é?

— Você disse que é real?

— Sim. Tem várias notícias sobre ela nos jornais online. 

— Hmmm pode ser publicidade do jogo.

— Eu também acho. Mas bem que eu queria ver essa guerreira de perto.

— Ah…. Eu não — suspirou

— Por que não?

— Porque já pensou esses monstros aparecerem também. Ah não, nem pensar.

— Ah larga de ser medroso. Eu bem que queria ser salvo por ela.

— Ah tá.

— Mas sabe o cara misterioso que algumas pessoas disseram ver, se parece muito com os monstros do jogo.

— Viu só, deve ser publicidade, da onde que ia aparecer um cara cuspindo bolas de fogo né — riu olhando para tela, olhou o relógio — eu tenho que ir Chan.

— Como assim? É cedo ainda. 

— Ah… eu tenho que fazer… — se levantou indo de costas para porta — … sabe minha mãe…. — a porta abriu com tudo batendo nas suas costas — aha!!! Que isso!? — se virou e viu um rapaz alto que nunca tinha o visto antes o encarando sério

— Ah, KyungSoo este é o meu primo, Kim Jongin. Esse é meu amigo Do KyungSoo.

— Sua mãe está chamando. — o castanho disse e se virou e saiu. Do ficou paralisado

— Ele… me ignorou?

— Jongin está na faculdade, ele é chato assim mesmo. Não ligue.

— Tudo bem, eu já estava indo mesmo. Até amanhã Chan.

— Até.

 


 

Lua estava entediada deitada sobre a escrivaninha quando o moreno entrou no quarto.

— Até que enfim, achei que tinha desistido de voltar para casa.

— Lua, existem mais marinheiras como eu? — a gata pensou um pouco

— Sim, no total as guerreiras milenares eram nove, antes da rainha Beryl iniciar a guerra. 

— Hm… e tem… outro gato como você?

— Onde quer chegar com essa conversa KyungSoo?

— É só uma pergunta.

— Sim, havia um outro guardião assim como eu, mas isso foi a muito tempo. Agora se transforme, nós já perdemos muito tempo. 

— Só mais uma pergunta, aquelas coisas que me atacam, eles não as pessoas né, o que eles fazem?

— Sugam a energia vital, para alimentar a rainha Beryl, e assim fortalecem o exército do Dark Kingdom

— Que provavelmente querem matar todos depois.

— Algo assim, podemos ir agora?

— Tá bem! — ele se transformou rapidamente e os dois saíram pela janela, Jisoo terminou de abrir a porta

— Então a gata fala mesmo. — a pequena sorriu animada.

 


 

— Está distraída hoje marinheira! — a gata gritou de qualquer lugar ao redor, mas o moreno não olharia estava tentando desvias das bolas de fogo que a criatura que o seguia cuspia.

— Aceito uma ajuda aqui! — e uma rajada intensa de bolas de fogo começar a ataca-lo, Kyung viu que iria morrer naquele momento, quando tropeçou e rolou pelo chão, ia morrer com certeza, sem nem ver a bendita princesa. Ergueu os braços para proteger o rosto e nesse momento, algo aconteceu. Seu corpo foi tirado do chão com agilidade. Ele abriu os olhos e se viu nos braços do mascarado. Estava muito feliz de não estar queimando com o fogo, mas sua felicidade passou quando sentiu a mão que segurava suas pernas. Ele estava sendo carregado como uma garota, é claro que estava vestido como uma garota, mas era bastante constrangedor, ter alguém tocando suas pernas. 

— Marinheira, acho que precisa agir mais e correr menos. — a voz grave do mascarado o fez ter uma arrepio, foi pousado com delicadeza em uma canto seguro da rua. E o mascarado lançou suas rosas contra a criatura a derrubando

— Sua vez marinheira! — disse e sumiu na escuridão.

— Tiara lunar ação! — a tiara voou e destruiu a criatura. Do correu para o meio da rua procurando por ele, mas foi em vão — Lua! Você viu para onde ele foi ?

— Não.

— Que droga! Quem é ele?

— Não sei se ele é nosso amigo ou inimigo, é melhor voltarmos.

— Se fosse nosso inimigo, teria deixado eu morrer com certeza. — resmungou 

— Dark Kingdom são muito espertos, podem estar tramando algo.

— Tá bem, vamos voltar.

 

 

KyungSoo rabiscava o caderno distraído, sem perceber que desenhava o rosto do mascarado. Chan parou ao seu lado.

— Hm…. É o zorro?

— Quem? — olhou para o maior

— Máscara e chapéu. — Do olhou o desenho

— Não — riscou em cima 

— Ei, porque fez isso, estava muito bom.

— Não, não estava — se debruçou sobre a carteira.

— Eita, você tá pior que nunca neh — disse com graça — tem que dormir a noite Soo, ou vai bombar nas provas.

— Ah, e eu não sei. 

— Ei, sabe o que eu vi no jornal?

— Não…

— Que a guerreira mascarada está na nossa cidade combatendo humanoides devoradores de homens. 

— Você precisa parar de ver esses jornais sensacionalistas Chan, isso não é verdade.

— É sim, to falando.

— Ha-han… 

 

 

— Tiara lunar ação! — o moreno jogou a tiara, e o humanoide foi partido ao meio. Ele catou a tiara no e ar e voltou a correr. Lua quase não conseguia o acompanhar, ele estava muito motivado a encontrar a princesa naquela noite.

— Marinheira! Espera! — Do saltou sobre os telhados e correu rapidamente, vendo outra criatura e pulou já o derrubando — você está bem? — a gata disse assustada

— Não. — respondeu num resmungo, olhou a lua no céu — temos que voltar.

— Está bem.

 

 

A gata entrou e ficou olhando o garoto voltar ao normal. 

— Eu gostei de ver, estava mais animado hoje.

— Precisamos conversar Lua. — sentou na cama cruzando os braços

— Claro.

— Você disse que tinha uma lenda, sobre o tal tuxedo mask. Quero saber essa lenda.

— Hm…. Bem, ele era um guerreiro do reino…. E…

— Está escondendo o que?

— Não estou escondendo nada, é que… as minhas memórias foram afetadas pelo congelamento espacial, não consigo me lembrar de tudo daquela época.

— Congelamento, ok. — suspirou — vamos dormir, que amanhã eu tenho aula — deitou na cama puxando a coberta. Lua subiu nos pés da cama e se aninhou ali.

 

….

 

O despertador tocou pela décima vez quando finalmente conseguiu acordar o Do. Ele levantou ainda mole para desligar o objeto quando viu que horas eram.

— Ahaaaaaa!!! — deu um berro que fez a gata saltar da cama

— Um inimigo?

— Estou atrasado!!! — saiu correndo catando a roupa.

 

 

Assim que bateu o sinal da segunda aula, KyungSoo entrou na sala, Chan segurou o riso.

— Tem que parar de jogar durante a semana Soo.

— Eu também acho. — se debruçou na carteira — teve algo importante?

— Não, já uns vinte questionários. Duas provas, e um trabalho em dupla.

— Ta me zuando?

— Claro — riu — só lição mesmo. Ei vamos jogar lá em casa que te empresto meu caderno.

— Tá.

 

 

— Você é muito ruim! — Chan disse com graça pegou o controle e começou a atacar os vilões. KyungSoo se encostou na sua cama e acabou pegando no sono, estava muito cansado. O maior nem percebeu apenas continuava jogando. Jongin abriu a porta.

— Chanyeol, sua mãe.

— Que coisa. — pausou o jogo e correu ver o que era, Jongin ficou parado na porta olhando. Kyung acordou e olhou para frente, vendo o outro em encarar 

— Não tem casa, não? — disse levemente irritado e saiu da porta.

— Urg…. O pessoa sem o que fazer. — olhou o controle — vamos jogar. — nem teve tempo de dar play, lua estava na janela

— Te procurei em toda parte. Vamos, mais criaturas da rainha Beryl estão atacando.

— Tá, me espera lá fora. — soltou o controle e correu para fora, dando um tchau rápido pro amigo.

 

 

Assim que chegou na rua, Kyung bateu nos bolsos mas não achou a caneta. 

— Eu deixei em casa.

— Mais um motivo para ir direto para casa! — os dois começaram a correr

— Eu tenho vida tá.

— Muita vida, jogar videogame. — os dois já estavam na esquina de casa, quando uma criatura apareceu na sua frente

— Caramba.. 

— Corra, você não é páreo para ele assim 

— Ahaaaa!!! — disparou na corrida mas um dos braços estranhamente longos bateu nas suas costas e ele caiu no chão

— Maninho! — a voz aguda da irmã soou na rua. 

— Droga, vai para casa Jisoo. — ela bateu nos bolsos até achar a caneta brilhante e jogou para ele

— Toma!

— Miau. — Lua disse olhando a cena. 

— Merda… — Do resmungou. Saltou pegando a caneta, se transformou no ar e já desceu atacando a coisa, que logo virou pó. Quando olhou de volta para sua irmã. Ela já está no portão de casa.

— Vamos marinheira, precisamos buscar a princesa da lua.

— Claro, vamos.





 

 


Notas Finais


dae?????
até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...