1. Spirit Fanfics >
  2. A marinheira da Lua >
  3. Descoberta

História A marinheira da Lua - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiiiiiii
Boaleitura

Capítulo 5 - Descoberta


Chanyeol caminhava tranquilo a noite, tinha saído comprar guloseimas. De repente estava tão frio, e nem deveria, era primavera. Apertou o passo, queria chegar em casa logo. Uma neblina estranha começou a surgir na rua, e o castanho se sentiu num filme de terror.

— Ótimo, pena que eu não estou em Tokyo. — resmungou. E logo a sua frente apareceu um cara estranho, ele parecia cambalear sobre as pernas — que seja só um bêbado… 

— Urrrr — a coisa gemeu e começou acelerar na sua direção. Chan disparou na corrida, e logo viu bolas de fogo sendo jogadas na sua direção

— Ahaaaa!!! Socorro!! — uma bola de fogo passou do seu lado, e ele caiu no chão, protegendo a cabeça

— Marinheira rápido! — ele olhou para a direção da voz, e viu um vulto de um gato. E logo em seguida uma garota saltou das sombras derrubando o homem, e lutando com ele. O garoto olhou impressionando, em poucos instantes a criatura foi destruída, e a marinheira corria sobre os telhados novamente

— Vá para casa garoto! — a voz feminina gritou, e ele se virou rapidamente. Sem perceber que quem tinha falado era a gata e não a marinheira.


….


KyungSoo estava debruçado sobre a carteira, Chan chegou pondo a mochila sobre a mesa, acordando o moreno.

— Oi… Chan…

— Cara, você não vai acreditar.

— Imagino que não — esfregou as mãos no rosto

— Eu fui salvo pela marinheira da justiça!

— O que!? Era você?

— Como assim era eu?

— Ah… na rádio… estavam falando sobre uma louca mascarada … — mentiu rápido

— Sim. Eu fui numa loja de conveniência a noite, e fui atacado por um louco. Quando de repente, ela apareceu. Soo, ela é linda. — suspirou lembrando da visão da marinheira — ela é tão incrível quanto no jogo.

— Ah… que legal…

— Mas você sabe… que ela tinha o cabelo diferente.

— Diferente como? — olhou torto para o maior

— No jogo ela tem o cabelo cumprido, mas a garota que me salvou tinha dois pompons gigantes.

— Ah….

— E a voz… parecia uma canção…

— Ela falou com você? — curvou a sobrancelha

— Sim, ela disse… Vá para casa. Foi mágico.

— Ah… — escondeu o rosto tentando não rir — que sorte a sua.

— Acho que ela gostou de mim.

— Por que?

— Ah, ela sei lá, só acho.

— Maneiro… agora para de sonhar que o professor chegou.

— Talvez você devesse parar de dormir também — riu 

— Talvez ….




Do corria sobre os muros logo atrás da gata. Tinha melhorado muito seu equilíbrio sobre os saltos, já não caia a um bom tempo. Viu um dos monstros seguindo pela rua.

— Ali! — saltou atrás, a gata pulou também — tiara lunar! — o arco dourado bateu algumas vezes, e o monstro caiu no chão.

— Muito bem marinheira.

— Isso ai! — Do fez uma pose exagerada, e ele e a gata riram, mas logo sua animação terminou, quando mais duas criaturas surgiram na sua frente — eles sempre vêm em bandos?

— A energia da princesa está mais forte aqui, eles devem ter sentido. Ataque marinheira! — a gata subiu sobre o muro 

— Ah claro, como se fosse fácil assim! — correu desviando dos monstros, não conseguiria atacar os dois ao mesmo tempo, já que não se alinhavam — acho que eu preciso de mais armas! — reclamou e uma rosa cruzou o ar quase como uma flecha, passando ao seu lado, e cortou a perna do monstro o fazendo cair

— Agora marinheira! — a voz firme soou, causando um arrepio no Do, ele lançou a tiara contra os monstros, que finalmente estavam alinhados, o arco dourado ricocheteou entre eles, e os destruindo, Soo esticou a mão pegando a tiara e a lançou novamente dessa vez na direção do mascarado. Ele segurou no ar com destreza e saltou para a rua se aproximando do moreno

— Não perca isso marinheira. — pegou sua mão colocando nela

— Você quase me acertou! — reclamou pegando a tiara

— Eu não erro. — sorriu de canto e deu uma piscadinha, e novamente saltou se afastando rapidamente 

— Ei!

— Marinheira, não pode deixar que ninguém pegue a sua tiara. — lua já estava ao seu lado

— Tá! — voltou a andar




O menor andava de cabeça baixa, passos pesados, tropeçou alguma vezes até quase cair. E Chanyeol o segurou 

— Soo, o que você tem? Tá doente?

— Não, é só sono.

— O que você anda fazendo? Já dava tempo de ter zerado o jogo.

— Ah Chan…. — olhou pro maior — podemos.. vamos para sua casa.

— Tá, vai me dizer o que está acontecendo?

— Vou… agora vamos 



KyungSoo entrou primeiro no quarto do amigo, e segurou a porta até ele entrar, para então trancar a porta. O castanho o olhou curioso

— Vamos lá, o que é? 

— Ta, isso tá me sufocando a algum tempo — respirou fundo, o maior o olhou assustado

— Como assim? Tá usando drogas?

— Não.

— Devendo para alguém?

— Não — tirou uma caneta do bolso — tá é isso aqui.

— Ahn? —Chan não entendeu, o menor respirou fundo — roubando?

— Pelo poder da Lua.

— Hm!? — uma luz brilhou forte, e assim que diminuiu. A marinheira estava no meio do quarto. Chan estava de boca aberta.

— Então… é isso. Eu sou a marinheira da Lua.

O maior abriu a boca sem conseguir montar uma frase, muitas coisas rodaram na sua mente até finalmente conseguir falar algo

— Soo… você tá mó gostosa.

— O que!? Chan! Eu te conto que sou a marinheira da lua, e é tudo o que tem a me dizer? Que eu tô gostosa?

— Mas você tá.

— Ai não. — sentou emburrado na cama do amigo

— Tá, tudo bem, foi você que me salvou?

— Sim. Fui eu.

— Uau…

— E desde quando você é a marinheira da Lua?

— Desde o começo do semestre.

— Uau…. — o maior olhava ainda admirado— mas Soo… você virou mulher?

— Que pergunta é essa? Claro que não! É só a roupa. — Chan riu animado

— Agora eu entendo porque estava tão cansado, e se incomodando com a saia curta.

— Sim. — suspirou

— Mas… e a princesa da lua? É de verdade?

— Se é de verdade não sei, mas estou procurando por ela, e não está em lugar nenhum.

— Isso é ruim. — os dois ficaram em silêncio

— Bem, deixa eu tirar isso. 

— Não! Espera, deixa eu tirar uma foto.

— Que parar de ser pervertido Chanyeol!!

— Não é isso!

— É sim! — alguém bateu na porta, Do se transformou rápido e o maior correu abrir a porta. Seu primo estava ali

— Sua mãe perguntou se querer bolo. — deu uma olhada do Park para o Do e se virou sem esperar a resposta.

— Tenho a impressão que ele não gosta de mim. — Kyung disse baixo

— Acho que ele não gosta mais de nada. Sabe, Jongin era bem legal antes da faculdade. Mas agora, nem jogar comigo quer.

— Deve estar estudando demais.

— Vamos comer bolo.

— Vamos.



O bolo da mãe do Park era muito bom, e KyungSoo quase esqueceu todos os seus problemas, pelo menos até chegar em casa e a Lua estar o esperando.

— Isso são horas de chegar? Você reclama de não poder dormir, mas não se esforça na nossa meta.

— Lua… deixa de ser chata. 

— Então vamos logo. — se transformou, e os dois seguiram pelo telhado.



O céu tinha muitas nuvens, e a lua quase não aparecia. O ar frio se espalhava. Soo parou algumas vezes olhando inconscientemente para o céu.

— Está sentindo a princesa?

— Não, devemos estar longe, vamos continuar.

— Ta bem. — os dois seguiram pela rua e uma neblina mais densa começou a subir — Lua....? 

— Só pode ser o Dark kingdom… — a voz da gata foi muito baixa, como se estivesse se afastando, o moreno parou de andar

— Lua? — não teve resposta — ótima hora para sumir — resmungou e deu um passo cego pela neblina, quando ouviu um gemido rouco, era o som de uma das criaturas, provavelmente seria um deles. Do se preparou para correr, não tinha muitas opções, principalmente que sua tiara não se transformava numa espada ou algo assim. Um arrepio subiu pela espinha quando pode ouvir mais gemidos na névoa, tinham mais criaturas ali

— Ok… — deu um passo para trás, novamente olhou para o céu não havia nada, a lua não estava lá — Ta bem! — disse alto — se querem me atacar que venham!





Notas Finais


Dae????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...