1. Spirit Fanfics >
  2. A marinheira da Lua >
  3. A pedra da lua

História A marinheira da Lua - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiiiiii
Boa leitura

Capítulo 9 - A pedra da lua


— E de repente eu estava de marinheira — Do contava animado, enquanto Kim guardava seus casacos 

— E não ficou com medo?

— Estava apavorado — riu — mas… foi bom, ajudar… sei lá, depois foi tão legal. — sentou no sofá do outro — eu não quero ser uma guerreira e salvar o mundo de saia — riu — muito menos com aquela peruca gigante, que não faz sentido nenhum. — Jongin sentou ao lado dele no sofá

— Não vejo problema nenhum naquela saia — sorriu ladino 

— Mas você é primo do Park mesmo, dois pervertidos.

— Mas me conta, conseguiram ver os animais? 

— Sim, depois de todos acordados, seguimos pelo sítio, mas não ganhamos almoço, e tivemos que vir antes de ver o rio.

— Então metade do passeio foi perdido.

— Pelo menos ninguém se machucou. — sorriu 

— Que bom, — levou a mão fazendo um carinho no rosto do moreno — eu devia ter ido junto para que não tivesse medo.

— Jongin…

— Pode falar.

— Eu aceitei vir dormir aqui, mas se estiver com segundas intenções, pode esquecer.

— Tudo bem, eu te disse que não sou o bicho papão. Te chamei porque gosto de olhar para você, te ouvir, e te beijar, mas se nem isso você quiser fazer — se levantou — eu posso só olhar. — Do pensou um pouco, e se levantou 

— Beijar não tem problema — sentiu as bochechas queimarem, abaixou a cabeça, tinha sido muito oferecido, sentiu a mão do maior segurar seu queixo, o erguendo gentil

— Posso mesmo? — concordou sem ter coragem de responder, e teve os lábios quentes do maior nos seus, como se uma choque elétrico percorreu no seu corpo, se grudou nele, pedindo mais do beijo, abraçou seu pescoço, bagunçando os cabelos do maior, que apertou a sua cintura, a língua forte lutava com a sua, e ele gemeu, Jongin afastou a boca, deixando um fio fino de saliva ainda as ligando — tudo bem?

— Tá… — buscou os lábios do outro, que se afastou um pouco

— Você disse que não comeram nada, acho melhor comer alguma coisa — se afastou do menor seguindo para cozinha. Do sentou no sofá se sentindo quente, seu corpo todo estava fervendo.

— Eu não to com fome… — disse ainda tentando controlar a respiração

— Tem certeza, eu tenho muitas coisas aqui… — riu alto — não, eu não tenho, mas podemos pedir. O que acha?

— Não, vamos… vamos ver um filme, acho que vai ser mais legal. Posso usar seu banheiro?

— Claro. — Jongin disse voltando da cozinha, com alguns pacotes de salgadinho e pôs sobre a mesa de centro. Indo ligar a tv.


Do entrou correndo no banheiro, lavou o rosto apressado e não pode evitar de lembrar de Chanyeol rindo de si. “Está negando porque pensou, e se pensou é porque quer”

— Caramba, eu não posso querer, — disse para si olhando no espelho — mas o que tem se eu quiser? Estamos namorando, não é? — respirou fundo e voltou para sala. Jongin segurava um pequeno cristal na mão, ele pulsava uma cor cintilante.

— O que é isso? — Jongin olhou do cristal para ele

— É um cristal da lua, é como eu acho a minha marinheira — sorriu largo indo para ele, e o puxou pela cintura colando seus quadris — Está nervoso? 

— Na-não… eu… como assim usa ele para me achar? 

— Ele muda de cor de acordo com o seu humor, quer ver? — se inclinou dando um selar no pescoço do moreno, e o cristal pulsou mais forte.

— Não, não pode saber o que eu sinto, — escapou do abraço, e sentou no sofá pegando o controle da tv

— Como quiser. — guardou o objeto no bolso e sentou ao lado do menor — espero que goste de comédias, eu adoro esse filme — passou o braço por trás do moreno o puxando para si, e ficaram assim um bom tanto do filme

— E se eu quiser… — Do pensava alto, enquanto não conseguia se concentrar no filme, sentiu um selar no pescoço

— Me diz o que quer e eu faço… — o maior lambeu seu pescoço e chupou levemente

— Eu não… quero nada… — a boca do Kim continuava no seu pescoço, e uma mão foi para a sua coxa, apertando ali sutilmente 

— Adoro aquela saia sabia… — desceu um pouco o beijo, afastando a gola da camisa

— Pervertido…. — disse num fio de voz, sentindo a mão do outro, roçando sua intimidade sobre a roupa

— Só não gosto da peruca — Do virou o rosto procurando o do castanho

— Eu também não… — colou a boca na do outro, e um beijo urgente começou, Jongin o encostou no sofá e ficou sobre ele, as bocas ainda num beijo interminável, a mão do Kim seguiu para a sua camisa do uniforme, abrindo os botões. O menor parou de responder o beijo, os dois se encararam

— Você não quer? 

— Acho que… — saiu de baixo do Kim e se levantou arrumando a roupa — não, é melhor eu ir para casa.

— Que isso, eu parei, não vou te atacar, se você não quer.

— Eu quero, só acho que é cedo demais. E se eu ficar, posso te dar a impressão errada.

— Tudo bem, eu te levo.

— Não, eu vou ficar bem — seguiu para porta pegando o casaco 

— Tá tudo bem KyungSoo?

— Tá, é só… nos vemos amanhã — sorriu e saiu, Jongin pegou o cristal no bolso estava pulsando em vermelho



Do andou a passos lentos, não tinha certeza se estava fazendo a coisa certa, mas precisava se controlar. Caminhou distraído, e só percebeu onde estava indo quando parou em frente ao templo. Deu um passo, e lua saltou na sua frente.

— Miau! É melhor não entrar.

— Lua — suspirou — você está bem? Estão cuidando bem de você?

— Claro meu querido, agora você precisa ir para casa.

— Tudo bem, eu só… o tuxedo mask voltou a aparecer?

— Não, não o vimos nenhuma vez. Porque a pergunta?

— E o que é uma pedra da lua?

— Miau? Uma pedra da lua, serve para encontrar alguém, se tivéssemos uma poderiamos procurar a princesa com muito mais precisão, mas são extremamente raras, e não conseguimos uma aqui na terra.

— E ela pode ver os sentimentos da pessoa que está procurando?

— Quantas perguntas, eu não posso responder agora, vá para casa, vou ir ao amanhecer.

— Obrigado, — se virou e correu pela rua tomando distância do templo.


….



KyungSoo estava alerta na janela do quarto, quando viu a gatinha preta se aproximando.

— Lua…. — suspirou — que bom que veio.

— Me desculpe por ontem, não estava lhe expulsando, mas o templo…. Sabe a marinheira de Marte é bastante enérgica.

— Tudo bem, mas pode me falar mais sobre a pedra da lua?

— Claro, eram relíquias antigas e muito poderosas do reino de Millenium. Depois da guerra poucas delas restaram. 

— E alguém do dark kingdom, poderia ter uma?

— Se tivessem já teriam encontrado a princesa da lua, mas acredito que não tem.

— E como funciona para fazer a pedra procurar alguém?

— É um feitiço conjurado sobre ela. Não é complicado, até você conseguiria fazer, mas como eu disse é quase impossível conseguir uma pedra da lua. Mas como você sabe disso?

— Tivemos uma excursão na escola, e uma das criaturas de dark kingdom tinha um cristal no peito, ele sugava a energia das pessoas.

— Aquilo não é uma pedra da lua — a gata disse quase rindo — a rainha Beryl que as criou, ela pretendia imitar o poder das pedras da lua, mas é impossível. Os cristais negros, apenas acumulam energia para alimentar seu exército de criaturas, e o rei das sombras. Mas não podem achar alguém.

— Ahn…. Está bem, obrigado Lua, me deixou bem mais tranquilo.

— Eu também, porque se alguém tivesse uma pedra da lua estaríamos muito encrencado. Agora eu tenho que ir.

— Boa caçada Lua. — a gatinha saltou pelos telhados sumindo rapidamente.




Notas Finais


🤭🤭🤭🤭🤭🤭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...