História A Máscara - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Ayame, Bankotsu, Inu no Taishou, Inuyasha, Jaken, Kaede, Kagome, Kagura, Kanna, Kikyou, Kirara, Kohaku, Kouga, Miroku, Naraku, Rin, Sango, Sesshoumaru, Shippou, Souta Higurashi, Toutousai
Tags Inuyasha, Vampiro
Visualizações 43
Palavras 1.772
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora minhas princesas do agreste!! Era para ter postado na semana passada, mas aconteceu umas coisas aqui...
mas enfim, ta ai mais um capitlo fresquinho procês!!
Boa leitura e desculpem os erros.

Capítulo 20 - Capítulo 20


Kagome on

Assim que parti para o território dos Brujah's senti que estava sendo seguida, sem saber quem me seguia por estar contra o vento, aumentei o ritmo da minha corrida. Mas parecia que quanto mais eu corria, parecia que ele estava prestes a me alcançar, já podia senti-lo a poucos metros de mim. Eu precisava fazer alguma coisa.

Parei bruscamente e o ataquei sem aviso, agarrando seu pescoço e o levantando acima de minha cabeça.
- Calminha aí. - Reconheceria aqueles olhos dourados em qualquer lugar. 
- Que susto Inuyasha! - Falei soltando-o, levemente irritada. - Eu poderia te-lo matado!
- Até parece. - Riu debochado. - E então, onde esta indo? - Voltei a correr e ele me seguiu.
- Seu pai pediu para que eu avisasse aos Brujah's sobre o que esta acontecendo! 
- Entendo. - Disse para si mesmo. 
- E Miroku... o que seu pai disse a ele?
- Não sei, mas assim que meu pai e as outras foram com aquele mensageiro, Miroku os seguiu.
Fiquei meio preocupada com minha mãe, mas resolvi deixar essa preocupação de lado, pelo menos até voltarmos e decidir o que fazer.
Não demorou muito chegavámos ao clã de Sango, e nos dirigimos até sua casa. Assim que chegamos na frente da enorme casa, vi Kirara na porta de entrada, mas assim que sentiu nossa presença se virou. Dei graças por ser a mais doce daquele clã, a nos receber.
- Ola! - Disse com um sorriso amável.
- Kirara, os outros estão ai? - Perguntei meio urgente.
- Sim, entra ai. - Ela deu passagem e adentramos a casa. Na sala estavam os mais jovens que assim que nos viram se colocaram de pé.
- O que vocês querem aqui? - Perguntou um ruivinho. 
- Kouga e Sango estão ai? - Inuyasha se pôs na minha frente.
- O que vocês querem aqui? - Kouga perguntou com despreso, ele descia as escadas acompanhados de sua femea e de Sango.
- Precisamos conversar. - Falei ja me aproximando. 
- Com você eu posso até falar, mas não quero esse mestiço em minha casa!  - Não entendi o porquê de Kouga ter chamado Inuyasha daquela forma, mas resolvi que depois perguntaria a ele.
- Quem é mestiço, seu bosta?! - Senti uma aura maligna emanando de Inuyasha e fiquei em alerta.  Antes que Inuyasha pudesse avançar nele, eu o segurei. - Me solte Kagome! Eu vou matar esse maldito!
- Pode vir seu hibrido infeliz! - "Do que diabos esse Kouga esta falando?" - pensei. Os dois se encararam mortalmente, Inuyasha tentava a todo custo se soltar de mim, mas eu o segurava com todas as forças, pedindo para que ele parasse. Eu nunca havia visto Inuyasha com tanta raiva. 
Vendo que eu não conseguiria segira-lo por mais tempo olhei para Kohaku pedindo ajuda que rapidamente me ajudou a segura-lo. 
- Se acalme Inuyasha! - Pedi segurando seu rosto e virando para que me encarasse. - Agora não é hora para isso! - Foi então que percebi que seus olhos antes dourados, agora estavam num tom vermelho intenso. Fiquei completamente assutada com aquilo. Ele tentava se desvencilhar do meu toque em seu rosto, mas não deixei, dei um rápido selinho em seus lábios. - Por favor...
Ele então relaxou um pouco, mas permanecia com os olhos vermelhos.
- Certo... estarei te esperando la fora! - E saiu, batendo a porta com violência. 
Suspirei e voltei a olhar os dois que já estavam no pé da escada. 
- Me desculpem vir sem avisar mas Touga pediu que eu viesse alerta-los! - O tatuado fez cara de nojo quando falei o nome Touga, e isso me fez sentir uma raiva absurda dele.
- Não quero saber de nada vindo dele! - Disse ele com desinteresse. Aquela atitude dela ja estava me dando nos nervos.

"Babaca!"

- Sango! - Ele tentou segurar a garota, que se aproximava de mim, mas ela afastou sua mão bruscamente.
- Não enche Kouga! - Disse irritada. - O que Touga quer?
Comecei a contar o que estava acontecendo e que ele havia pedido para que ela e seus amigos fossem embora, com medo que algo acontecesse a eles. Tanto ela quanto os presentes na sala ouviam atentamente. Assim que terminei de relatar tudo ela olhou para os demais, depois voltou a me encarar.
- Muito obrigada Kagome, pelo aviso. - Disse séria. - Mas não iremos a lugar algum!
- Mas... - Tentei protestar, mas ela me cortou.
- Não iremos deixar Touga na mão...
- Diga isso por você! - Kouga se aproximou de nós. - Aquele mestiço é amigo lobisomens! - Tanto eu quanto os outros ficamos surpresos com a revelação, somente Sango pareceu não ter ligado.
"Depois preciso que Inuyasha me fale sobre isso!"
- Você pode falar o que for! - falou ela para o tatuado. - Mas jamais deixarei alguém como Touga, que sempre nos tratou como filhos!
- Mas Sango, se o que Kouga disse for verdade... ele está quebrando uma regra! - Disse a baixinha, Sara, acho que esse o nome dela.
- É... e onde está essa regra? - Perguntou. - Que eu saiba não existe nenhuma que fale sobre isso.
Silêncio.
Sango novamente se virou para mim.
- Eu irei com você Kagome! - Disse. - Não irei obrigar ninguém a vir também... mas pensem bem em tudo o que Touga fez por nós. E me digam... ele realmente merece nosso despreso?
Dito isso saimos. 

  
Narradora on 

Castelo dos principes

Touga, Naomi e Kaede permaneciam de joelhos, haviam chegado ao castelo não fazia muito tempo. No imenso salão, todos os membros do clã Tremere estavam presentes, demonstrando o mesmo nojo que seu antigo ancião, que agora se intitulava principe. Naraku e sua esposa Kanna, olhava para os anciões a sua frente, ambos com um sorriso zombeteiro.
As duas vampiras mantinham a cabeça baixa, enquanto o prateado olhava para Naraku com sua postura altiva. Vez ou outra ele olhava para o imenso lobo sentado ao lado do trono, Lycaon os olhava com desinteresse, seus olhos vazios fez com que Touga percebesse que havia algo de muito errado com seu velho amigo.
- Ora, ora ... Como vão meus amigos? - Disse se levantando de "seu" trono e indo na direção dos três, parando ao lado de Naomi. Nenhum dos três respondeu, Naraku então foi até o prateado que desde que ele havia se aproximado de Naomi, não tirou os olhos dele. - O que foi Touga?... preocupado com alguma coisa?
- Naraku... para de rodeios e diga logo o que você quer de nós três. - Falou mostrando sua irritação. Naraku gargalhou com a irritação do Taisho
- Acalme-se amigo... prometo que chegaremos lá. - Voltou a andar até seu trono e se sentou. - Primeiro: gostaria de saber onde está o clã Brujah?
Silêncio.
Naraku bufou descontente.
- Lycaon, arranque a cabeça dela! - Ele apontou na direção de Kaede. O imenso animal se levantou nas patas traseiras e se aproximou de sua vitima, e antes de deferir o golpe no pescoço da vampira, Naomi gritou, fazendo Lycaon olhar para seu "dono" pedindo por sua ordem, Naraku apenas levantou uma das mãos, pedindo que parasse.
- Eles não virão! - Falou com os olhos assustados. 
- Como assim? - Perguntou ele desconfiado voltando seu olhar para o Taisho.
- Eles estão de partida desse continente! - Mentiu.
- Sei... - O ancião dos Tremere disse debochado. - Lycaon, mande alguns de seu clã até o território dos Brujah's. 
- O o q-que você pretende Naraku? - Perguntou Kaede. Ele a ignorou e continuou a falar com o lobisomem.
- Se eles ainda estiverem la... - Olhou nos olhos de Touga, Naraku percebeu uma leve preocupação vinda deles.  - Mate os! - Abriu um sorriso cruel.

Do lado de fora na janela, Miroku ouvia tudo atentamente, e vez ou outra olhava ao seu redor, verificando se alguém havia o visto ali. Mas não demorou muito ele percebeu que dois vampiros se aproximavam, mas percebeu que nenhum dos dois havia o visto. Esperou que eles saissem e voltou sua atenção para dentro.

- Você não pode fazer isso Naraku! - Naomi levantou o rosto e passou a encará-lo. - Os principes irão te punir!
Naraku novamente gargalhou alto. 
- Eles não irão fazer nada, querida Naomi. - Novamente ele se levantou e ficou de frente para ela, fazendo com que ela se levantasse e carinhosamente ele passou a mão no rosto da vampira. - Eu os matei.
Os três o olharam incrédulos, tentando digerir o que ele havia dito.
- I-Isso... não é possivel! - Kaede colocou as mãos em frente os olhos. 
Touga o olhava atonito, mas logo a raiva o tomou por completo. Seu ódio por aquele vampiro nunca havia sido tão abrasador quanto agora, saber que seu pai havia sido morto, o fez perder toda a calma que ele sempre demonstrava ter. Ele se levantou e em questão de segundos ja estava com suas mãos ao redor do pescoço daquele antigo ancião, os olhos vermelhos vibravam de raiva e cada musculo se contraia de vontade de mata-lo.
- MALDITO!! - Ele gritou enfurecido. EU IREI TE MATAR! - naraku abriu um sorriso perverso. 
- Lycaon! - E sem aviso o enorme lobo pegou o prateado com uma mordida no pescoço e o chaqualhou com violência, depois foi lançando do outro lado do salão. Touga sentiu uma dor intensa em seu pescoço, tentou se levantar, mais foi inutil, pela brutalidade que fora lançado ele provavelmente havia se machucado gravemente. Naraku se aproximava lentamente de onde ele estava e assim que se aproximou dele, se agachou a sua frente  e disse:
- Não se preocupe Touga, logo você e seus preciosos membros de clã irão se juntar a eles... - Ele então se virou para as vampiras, e sorriu com o medo que as duas demostravam no rosto. - E logo depois será a vez dos outros clãs também.

Miroku olhava a cena com um leve tremor pelo corpo, sua raiva era evidente para quem quer que o visse ali, e estava a ponto de entrar naquele salão e fazer Naraku pagar pelo que havia feito, tanto ao principes, quantos ao pai de seu melhor amigo. Mas ele não poderia faze-lo, pois primeiro de tudo ele teria que avisar Inuyasha e os outros, e pensar no que iriam fazer.
 Rapidamente desceu de onde estava e se pôs a correr de volta para o território Gangrel, ele precisava urgentemente avisar aos demais. Caso contrário tanto seu clã quanto os outros seriam dizimados.


Notas Finais


E então minhas princesas... o que acharam... ficou bom ou pessimo?
Comentem o que acharam...
muito obrigada pela presença de vocês, até o proximo!!

"Ahh!!!!!! Acho que já havia falado antes ( ou não)... mas estou preparando uma nova fanfic, e vai ser diferente das outras fic que ja fiz.
Ela vai ser uma continuação do anime.
Ja até preparei alguns capitulos, mas so posterei depois que terminar essa fic e a 'My Escape.' "


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...