História A melhor amiga da minha mãe ( Imagine Kim Jisoo ) - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, TWICE
Personagens Jisoo, Kim Taehyung (V), Lisa, Mina, Nayeon, Personagens Originais, Rosé, Sana
Tags Blackpink, Chaelisa, Imagine Jisoo, Jisoo, Kim Jisoo
Visualizações 196
Palavras 2.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ChaeLisa😍💕✋

Capítulo 16 - Sem perceber comecei a gostar de você


Fanfic / Fanfiction A melhor amiga da minha mãe ( Imagine Kim Jisoo ) - Capítulo 16 - Sem perceber comecei a gostar de você

Não consigo acreditar! "aquele homem" que eu achava que era uma boa pessoa, é um homem desprezível! Sem escrúpulos! Ainda bem que Jisoo não se opôs de me falar, o que aconteceria se eu aceitasse ficar lá?! Não quero nem imaginar!

S/N acorda antes de Lisa, se arruma e saí de lá sem que ela perceba. Tenho que vê Jisoo, saber como ela está depois de tudo que aconteceu! Não posso deixá-la sozinha num momento desses! Droga... esqueci que a Jisoo mudou de casa! Já sei! Vou mandar uma mensagem!

Mensagem on

— Jisoo, me manda seu endereço onde você está morando agora! Às 6:31

— Pra que?! Você devia estar no colégio nessas horas! Às 6:35

— Para de enrolar e me diz! Eu preciso ver você! Às 6:36

— Tá bom... eu moro no bairro XXXXXX, rua XXXX, N° XX. Às 6:36

Mensagem off

S/N chega no local determinado, uma casa bem humilde comparada com a outra.

— Então S/N? Qual o motivo dessa visita repentina?

— Eu queria vê como você estar! Depois do que aconteceu ontem...

— Só isso?

— Como assim "só isso"?! Eu nem consegui dormir pensando em você!

Jisoo sorrir. — Sabe, às vezes eu acho que não te mereço, a única coisa que eu tenho de mais precioso é você!

— Jisoo... - Acarecia o rosto de Jisoo suavemente. — Você é única! Eu não quero ninguém se não for você! - Se abraçam. — Eu... eu também quero te contar uma coisa! Eu não vou mais trabalhar pra "aquele homem"! Eu vou arranjar um emprego bem melhor! Você vai ver!

— Não S/N! Você não pode! Esse é um ótimo emprego! Você não pode desperdiçar essa chance!

— O QUE?! Se eu ficar lá não vou nem conseguir olhar pra cara daquele homem! Não quero vê-lo nunca mais!!!

— Ele nem deve ficar muito casa! E você sabe que precisa muito desse emprego! Se não faz isso por você... faz isso pela sua tia S/N!

— Mais... ficar naquela casa é como um labirinto pra mim! Vou me perder de qualquer forma!

— Não quero ouvir desculpas! Ah... quase ia me esquecendo! - Se aproxima de mim e me beija. — Tenha um bom dia amor!

Ahh só ela mesmo pra me convencer! Mais ter que voltar praquela casa vai ser um grande sacrifício. S/N retorna com suas atividades, ela vai até a escola , entra na sala e vê que Lisa já tinha chegado bem antes dela.

— S/N! Por que saiu antes de mim?! - Diz Lisa.

— É que... eu tinha que fazer "uma coisa" antes de vir pra escola!

— Que coisa?

Rosé percebe que S/N havia chegado ao colégio, então ela se aproxima das duas, interferindo na conversa.

— Oi S/N! Oi Lisa! Desculpa se eu tiver interrompido o papo de vocês.

— Não tem problema!

— Não se preocupa! - Diz Lisa.

— Aproveitando o momento... S/N, você vai voltar lá em casa? Sabe... eu não entendi por que você saiu correndo daquele jeito junto com aquela sua amiga, alguma coisa te encomodou?

— Não foi nada... eu já me decidi! Vou morar com vocês, desculpa ter saído daquele jeito!

— Ahh sério?! Que bom! Tenho que contar pro Tae! E meu pai! Sabe... meu pai gostou muito de você!

— É mesmo? - Faz uma cara de desgosto.

— Ah... Lisa, você vai na minha casa né? - Diz Rosé com os olhos implorando, e sua voz com tonalidade de fofura.

— É cla... claro que eu vou! - Diz Lisa travando a voz de nervoso.

— Ah então... Rosé eu tenho um compromisso muito importante hoje! Será que eu posso começar o meu trabalho amanhã? - Invento uma desculpa para deixar Lisa e Rosé sozinhas.

— Pode sim!

Depois que bate o horário de todos irem pra casa, lá estava Lisa no portão da escola esperando Rosé, suas mãos suavam de nervoso. Rosé chega e as duas vão caminhando para chegar em casa.

— Então Rosé, sua casa é muito grande?

— Ahh não muito! - Diz modesta.

— Ahh sei. - Diz acanhada.

— Lisa! Você tem alguma coisa? Tá meio estranha hoje!

— Nada! Nada!

Lisa não se sentia confortável toda vez que fica junto com Rosé, pois não consegue disfarçar muito bem seus sentimentos. Elas conversaram por horas que não se deram conta que já tinham chegado no local percorrido.

— Olha só! Chegamos! Entra Lisa! Não tenha vergonha!

Lisa entra na casa sem intervenção, apesar de querer muito ficar junto com Rosé, não sabia como dizer isso à ela, afinal ela não sabia se os mesmos "gostos" eram iguais.

— Rosé! Acho que a gente se esqueceu do Tae!

— Ah! Não se preocupa! Ele disse pra mim, que depois da escola ia sair com uns amigos.

— Ufaa!

Quando Lisa adentrou a casa não ficou reparando nos móveis luxuosos e caríssimos, seu olhar ia diretamente à Rosé.

— Vamos assistir um filme de terror! Que tal invocação do mal? - Diz Rosé.

— Ah vamos! Eu amo terror!

— Vou fazer as pipocas! Me espera aqui!

— Olha só, sabe fazer pipoca! Kkk!

— Aish Lisa! Não é por que eu tenho condições financeiras, que eu vou ser uma filhinha de papai!

— Aish tabom! Não se irrite!

— Eu nunca conseguiria me irritar com você... - Acarecia o rosto de Lisa com delicadeza.

— É... é melhor você fazer logo as pipocas! Enquanto isso eu coloco o DVD! - Diz nervosa.

Rosé sai de sala e vai para a cozinha, deixando Lisa sozinha colocando o DVD. Não demorou muito para que Rosé retornasse, ela chegou com um ponte cheio de pipoca e duas latinhas de refrigerantes para acompanhar enquanto assistem.

— Vou dá o play ok? - Diz Lisa.

— Ah vai logo! - Diz animada.

Lisa deu o play e começa o filme, tudo estava perfeitamente bem, mais depois de algumas cenas, Rosé parecia espantada, tremia, parecia estar morrendo de medo, logo Lisa nota.

— Rosé, tá tudo bem? Você está com medo?

— Aish, eu não tenho medo dessas coisas! - Rosé dizia não estar com medo, mais Lisa sabia que era mentira pois seu rosto não enganava. Logo após Rosé dizer "não ter medo" as janelas abriram por conta da forte ventania, começou a chover e o céu ficando cada vez mais escuro, até que derrepente acontece uma queda de energia e tudo fica completamente escuro.

— Ahh socorro! Um mostro! Me ajuda! - Rosé pula em cima de Lisa desesperada.

— Calma! Só faltou luz! Logo vai voltar!

Não demorou nem muitos minutos e logo a luz volta, Rosé não tinha percebido que tinha pulado em cima de Lisa, aquela situação "constrangedora" fez ela ficar bastante envergonhada e sem jeito.

— Olha só a hora! Tenho que ir pra casa! Tchau Rosé gostei muito do filme! - Se levanta rapidamente.

— Ei Lisa! Mais ainda nem terminamos o filme!

— Vemos outro dia! Agora eu tenho que ir para casa!

— Fica! - Puxa o braço de Lisa. — Eu te chamei aqui... por que eu queria te contar uma coisa...

— Que coisa?

Rosé não falou nenhuma palavra, apenas abaixou sua cabeça.

— Rosé eu preciso...

— Eu te chamei! Por que... por que... eu queria saber por que você me evita?!

— Eu te evito?! Eu nunca fiz isso! Normalmente quem faz isso é você!

— Eu?!

— Sim! Toda vez que eu me aproximo você inventa alguma coisa pra não ficar perto de mim!

— Não é isso...

— Então o que é?!

— Desde que eu cheguei na escola, você foi a primeira pessoa com quem eu havia falado e a primeira com quem eu me simpatizei, seu jeito agradável e extrovertido me fez me aproximar cada vez mais de você, permitindo que eu te conhecesse mais! E apesar de nos conhecemos à pouco tempo... você conseguiu dominar meus sentimentos, eu já não te vejo mais como amiga! Eu... quero ser mais que sua amiga... quero ser sua namorada!

Lisa fica em choque! Não dizia nada, não falava nada, havia só o silêncio... mais naquelas circunstâncias não era fácil ficar quieta, Lisa não esperava por isso, nunca imaginou que Rosé correspondia aos seus sentimentos e muito menos que iria tomar atitude.

— Rosé... eu... sem querer comecei a gostar de você! Não sei como aconteceu, só sei que... não quero que acabe!

— Então não deixe que acabe. - Sussurrou.

Lisa se aproxima vagarosamente, põe suas mãos no ombro de Rosé, e à beija bem lentamente, permitindo sentir os gostos dos lábios, conforme o beijo ia aumentando a intensidade Lisa descia suas mãos, até chegar na cintura de Rosé, puxando ela com calma, Lisa era cautelosa, sabia do que estava fazendo.

— Você já fez isso antes? - Diz Lisa.

— Não... por isso... seja gentil comigo!

Lisa sorrir fraco. — Eu posso tentar, mais me desculpa se eu não conseguir. Logo em seguida, deitou Rosé no chão da sala e desferiu beijos no pescoço até à clavícula, tirou sua blusa e à dela com muita facilidade.

— Sempre tive vontade de fazer isso. - Diz Rosé.

— Isso o qu... - Rosé não conseguiu terminar a frase, pois Lisa passou a lamber seus mamilos, que já estavam endurecidos, contornando com a língua e olhando profundamente nos olhos da garota, Rosé já estava transbordando, seu corpo e sua respiração estavam quentes, Lisa mordiscou a parte sensível do bico do peito fazendo com que Rosé gemesse baixo e cravasse suas unhas.

— Eu quero que minha primeira vez seja com você! - Diz Rosé com a voz rouca e abafada. Aquilo deixou Lisa com " mais vontade" de desfrutar do momento, suas pernas formigavam e dentro de sua intimidade piscava, o controle e a cautela de Lisa já se perdiam. Lisa desceu uma de suas mãos pelo belo corpo escultural da jovem, chegando no shorts ela desabotuou o zíper, expondo a calcinha de Rosé, ainda com o short e à calcinha Lisa adentrou por dentro da intimidade tocando o clitóris e os massageando, Rosé mordia os lábios para se conter.

— Lisaa! - Esconde seu rosto, ficando corada, ao mesmo tempo que Rosé era fofa, sem perceber ela ficava sexy, seu gemido manhoso agradava há Lisa. O lado vulnerável de Rosé se mostrava, já estava começando a perder a vergonha, seus fluídos escorreram e já não podia mais aguentar. Os dedos de Lisa continuavam com a masturbação lenta e demorada, cada segundo que se passava Rosé desejava Lisa dente de si.

— Eu vou cuidar de você! Nunca vou te deixar sozinha! - Diz Lisa. Iniciando a atitude Rosé à beija, sem parar com os movimentos, era um beijo mais folgoso, cheio de ardência. Lisa susperou quando Rosé sugou seu lábio inferior, não esperava por isso, cada vez mais ela se surpreendia.

Lisa segurou o queixo de Rosé, e as duas se encaravam olho no olho, se encatavam só com os olhares, repentinamente Lisa segurou ela pelos quadris os virando inesperadamente, deixando na posição que deixava Rosé mais a vontade, Lisa se preocupava a todo momento se estava agradando, não queria em nenhum momento machucala mais também queria enche-la de prazer.

— Eu posso? - Diz Lisa.

— Pode...

Rosé afundou sua cara de tanta vergonha, mais demostrava que também queria, sua pele entrava em arrepios a cada toque, Lisa retira o shorts junto com a peça íntima, sem aviso prévio ela adentrou os dedos na entrada molhada que facilitava o deslizamento, Lisa se aproximou deixando seus seios esmagados contra às costas de Rosé, ela podia sentir o coração de Lisa pulsar forte.

— Está ouvindo? - Lisa pega a mão de Rosé e põe no seu seio esquerdo. Seu coração não parava de palpitar, acelerava às batidas conforme Rosé se aproximava.

— Lisa! Está... está batendo rápido demais!

— Eu fico assim, toda vez que estou com você!

Um sorriso dócil brotou no rosto de Rosé, Lisa retirou seus dedos na entrada e à abraçou por trás.

— Rosé... eu quero que você saiba, que pra mim isso não foi só sexo! Você é muito mais que isso! Esse momento vai ficar marcado pra sempre em minha memória! Você me fez vê o que eu realmente eu quero... e eu quero você! Foi sua primeira vez então... pra mim, foi como desabrochar uma flor, que acabou se ser regada e cuidada, então me desculpa se não gostou! Se eu fui agressiva! Se... desculpa  eu sou uma idiota!

— Ei! Ei! Lisa! Você muito gentil comigo! Nunca ninguém me tratou assim.

— É sério?!

— Se eu não quisesse, não teria permitido!

— Ahh! - A abraça. — Eu... te... a... mo!

Continua...


Notas Finais


Que HOT fofo gente😶😂❤🌝
O que vai acontecer quando a S/N voltar pra aquela casa?( O retorno da S/N🔥😂 )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...