História A Melhor Amiga Do Meu Irmão - Capítulo 45


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Jackson, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 82
Palavras 1.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIIIIIII!
Não me matem, de novo. Kkkkk
Divulguem a Fanfic e comentem o que estão achando.
Até as notas finais.

Capítulo 45 - Quem ele pensa que é?!


Já havia pegado minhas malas, meu rosto estava inchado por conta que chorei muito. Minha mãe já havia me ligado, ela estava chegando, todos que passavam por mim, cochichavam algo ou riam... o que me deixava pior.

- S/N... - Cruzei os braços e continuei olhando para frente. Mordi meu lábio para continuar segurando o choro. - É sério que vamos terminar por algo estúpido?

- Estúpido? Estúpido é você, primeiro fica se esfregando com outras garotas, e outro garoto não pode por a mão no meu rosto. Imagine se eu batesse em cada garota que chega em mim para falar o quanto você é gato, ou que já pegaram você, ou até mesmo que eu não sou boa o suficiente! - Deixei as lágrimas caírem, quando Yoongui ia se aproximar minha mãe buzinou atrás de mim. - Até. - Peguei minha bolsa e entrei no carro.

- Minha netinha, o que aconteceu? - Perguntou me abraçando.

- Nada vó tá tudo bem... - Limpei as lágrimas. - Oi mãe.

- Oi filha. - Ela não fez muitas perguntas, percebeu que eu estava mal, e só queria ficar quietinha na minha...

- E então, vamos ficar em casa hoje. Amanhã saímos. - Deitei minha cabeça em seu ombro. 

- Sim... Eu ia sair hoje, mas não tô no clima. 

- Tudo bem, vamos descansar. - Passou a mão nos meus cabelos.

- E o vovô? 

- Ficou em casa, estava esperando a netinha dele.

- E como foi o jogo? - Minha mãe perguntou, parando no sinal vermelho.

- Foi ótimo, ganhamos. E eu fiquei com o solo da Sara...

- A mãe dela me ligou, ela está em casa. Não sabemos o que ela tem.

- Talvez eu passe ver ela depois.

- E o Yoongui? Como ele está na escola? Ele se forma na universidade esse ano? - Mordi o lábio segurando minhas lágrimas de novo.

- Ele tá bem, ele é inteligente né... Está indo bem. Se eu não me engano é o último ano dele sim, nossa eu tô velha. - Ri soprado. - Ano que vem eu me formo.

- Seu curso é rápido, vai trabalhar com o que?

- Não sei direito, eu estava pensando em enviar uns currículos nas férias. 

- Faz muito bem, vai arrumar emprego rapidinho.

- Assim espero, aí chegamos. - Abriu o portão, e minha mãe Estacionou.

- Vovô! - Gritei, saindo do carro, fui direto até ele o abraçando.

- Minha neta, como você está?

- Estou bem, na medida do possível. - Peguei minha bolsa. - Vou guardar minhas coisas. 

- Depois lave as mãos, e venha comer. - Assenti, entrei em casa e Candy veio correndo até mim. - Oi vida. - Abaixei a pegando no colo, ela começou a lamber meu rosto. Subi até amanhã meu quarto, joguei minha bolsa no chão, então pulei na cama com ela.

- Oi. - Olhei para o lado, e Jimim estava entrando pela janela.

- A gente tem um negócio chamada porta. - Ri da cara dele.

- Oi Candy. - Se sentou do meu lado. Ergui minha cabeça, a apoiei em seu colo. - Como você está? - Tocou a ponta do meu nariz.

- É... - Foi só o que consegui responder. - Eu não vou mais sair hoje.

- A mais vai. 

- Não vou, não.

- Você não manda, vai sim. - Fiz bico. - Vai.

- Então eu vou. - Bufei. - Tu veio voando? Eu sai primeiro.

- Logo depois que você saiu, meu pai passou lá.

- E o Yoongui?

- Chegou em casa, não falou com ninguém, foi direito para o quarto.

- Jimim, cara eu tava pensando. A gente se forma em um ano. - Estalei a língua no céu da boca. 

- Não muda de assunto. 

- Não tem o que conversar... - Fechei os olhos. - Ele quis terminar, você viu. 

- Mas você é que disse a palavra final. Não vai se arrepender?

- Provavelmente... Mas eu tô cansada! As pessoas só falam, e falam. Pra que se intrometer no relacionamento dos outros.

- Eu tô com um pressentimento.

- Qual? - Abri os olhos.

- Ele vai aprontar algo.

- Tipo?

- Não faço idéia.

- Filha vem comer! - Minha mãe gritou lá de baixo.

- Bora, vem almoçar. - Levantei do seu colo, indo até a porta.

- Opa comida. - Me seguiu, descemos lá, e todos olharam para nós.

- Da onde ele surgiu?

- Da janela. - Sentei na mesa, e Jimim se sentou ao meu lado.

- Tá...  - Colocou mais um prato na mesa. - Podem comer.

- Obrigada pela comida.

- Obrigado pela comida. - Começamos a comer. Meus avós estavam na mesa também, comemos todos juntos. É bom ver a mesa cheia, sempre é só eu, e as vezes minha mãe...

- E você, Jimim. O que vai fazer depois de se formar?

- Eu estava pensando de enviar currículos nas férias, eu e a S/N.

- Isso, é mais fácil preciso da base da carona. E esse aí tirou carta, mas eu não saio de carro com ele nem ferrando.

- Pô Roxy, dirijo mó bem.

- Ata, não. - Continuei a comer.

- Ah, a Roxy vai sair hoje.

- Mas ela tinha dito que não ia.

- Pois é vó, né Jimim?

- Mas ela vai, ela ama boliche.

- Tá, tá. - Terminei de beber o suco. - Tô cheia.

- Satisfeita. 

- Não eu tô cheia mesmo. - Jimim levantou e se jogou no sofá. - Vai fazer o que mais tarde? - Me joguei no sofá, colocando meus pés nele.

- Hum... só tenho o boliche de planos. - Pegou seu celular do bolso. 

- Alá o Jin me mandou mensagem.

- O Jin? 

- Sim. 

- Deixa eu ver. - Pulou nas minhas pernas.

           Kakao Online (Jin)

- Roxy, então. O Yoongui Márcia outro rolê com alguns dos meninos.

- Como? - Levantei do sofá desacreditada.

- Ele chamou a gente para ir em um bar, mas a gente queria chamar você. Dai ele disse que não.

- E vocês querem ir com ele?

- Nós queríamos sair com os dois.

- Se quiserem ir com ele, nós saímos outro dia.

"Jin está gravando áudio" - Apertei o áudio.

~ Não fala pra ele, mas a a gente vai no novo bar que abriu no centro, aparece lá.

" Gravando Áudio "

~ Opa, Jin. Adoro, eu vou sim. - Suspirei - Nós vamos. - Jimim falou.

- Beleza, até.

- Até.

              Kakao Offline

Joguei meu celular no sofá, fui andando até a porta. Jimim levantou e colocou a mão na porta.

- Onde você vai?

- Agredir o Yoongui.

- Mesmo? Esse é o seu plano?

- Mano, quem ele pensa que é?! Os amigos não são só dele! 

- Você não vai fazer isso. - Assenti, Jimim se afastou da porta, rapidamente abri ela e comecei a correr pela rua. - Menina do céu! - Jimim começou a correr atrás de mim, dobrei a esquina do condomínio indo na direção da casa dele.

Coloquei a senha na porta, tirei meus sapatos, corri até o andar de cima. Chegando no quarto do Yoongui soquei a porta.

- YOONGUI! - Bati na porta.

- Tá maluca? - Abriu a porta, empurrei ele, o mesmo Segurou minhas mãos me precionando na parede.

- Quem você pensa que é?! Marcar outro rolê, e não deixar os nossos amigos me chamar.

- Eu só precisava de um tempo com eles! Não precisava desse draminha todo!

- Palavras erradas companheiro. - Jimim falou encostando na porta.

- Draminha?! É sério?! Então tá bom, quer ir para o bar, vai. Não estou te impedindo! Mas depois não se arrependa.


- O que você quer dizer?

- O que eu quero dizer, que eu sou solteira. - Cruzei os braços, Jimim Arregalou os olhos, e foi saindo de fininho do quarto.

- Ah então você é solteira?

- Foi você que disse não foi?! - Eu não estava pensando, só saiu...

- Roxy, vai pra casa e se acalma.

- Você não manda em mim, Yoongui. - Me soltei dele. - Você me deixa tão brava! Agora você está livre para ir com aquelas líderes de torcida.

- Eu quero ir com uma líder de torcida mesmo.

-

- Ah quer?! Então vai o que você tá esperando!!

- A única líder de torcida que eu quero está bem na minha frente. - Puxou meu pulso, colando nossos corpos. 

- Eu não quero brigar com você... Mas chega de ciúmes, das duas partes...

- Chega de ciúmes, e também não ligue para os comentários, porque eu amo você. - Me beijou.

- E agora, você vai pagar o meu boliche.

- BOLICHE!!! - Jimim Gritou do corredor.


- Eu tenho que passar no mercado. - Yoongui falou me abraçando mais forte. - Vem comigo?

- Rolê daora. Topo. - Me soltou, foi até a escrivaninha pegar a chave do carro. 

- Vamos. - Entrelaçou nossos dados, Ri soprado, descemos as escadas.

- Ou eu tô indo na sua casa.

- Porque?

- Eu vou jogar baralho com a sua vó.

- Beleza, se tu for no meu quarto. Joga a mala do closet e fecha a porta.

-

- Ok. - Sai da casa, eu e Yoongui fomos para o carro, entrei, coloquei meu cinto ele fez o mesmo.

- Qual é a lista de compras?

-

- Tá no meu celular. - Assenti, peguei seu celular, coloquei meu dedo para levar a digital e o celular abriu. - Tá na conversa com a sua mãe?

- Tá. - Entrei no Kakao dele, pesquisei pela sua mãe, e comecei a ler a lista do mercado.














Notas Finais


E o casal ataca novamente, e agora será que vai seguir juntos. Ou não?
Leiam para saber.
Comentem o que estão achando. E até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...