1. Spirit Fanfics >
  2. A memória mais linda - Hinny >
  3. Como se eu conseguisse

História A memória mais linda - Hinny - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente! Eu queria muito escrever sobre meu casal favorito, então aqui vai...

Capítulo 1 - Como se eu conseguisse


Fanfic / Fanfiction A memória mais linda - Hinny - Capítulo 1 - Como se eu conseguisse

GINNY WEASLEY POV

Harry é um herói, o meu herói... Embora muito infelizmente eu já não o possa chamar de meu nada

Ainda dói muito não o poder abraçar cada vez que o vejo... Beijar, tocar, tudo o que eu sempre quis, mas agora aquelas tardes em hogwarts parecem algo tão distante, tão inalcançável... 

Passou uma semana desde que o lado negro caiu, que voldemort foi morto. Eu ainda não superei as mortes, os gritos, o sangue, tenho muitos pesadelos. Mas o que mais me assusta é a ideia que insiste em ressurgir de nunca mais beijar Harry.

 Ele está me evitando, eu sei. Eu sinto que de cada vez que estamos para ficar a sós, ele sai apressado da divisão. Ele tenta não falar nada diretamente para mim, e merlin sabe o quanto isso dói 

Ele veio viver para a toca por tempo indeterminado, porque não consegue entrar no Girmnauld Place, ainda sofre por sirius. 

Agora onde quer que ele vá há flashes a segui-lo, pessoas a apontar, a pedir autógrafos, gente completamente louca e sem vergonha. Com o Ron e a Hermione não é diferente, mas as pessoas são discretas com eles ao menos.

Sinto que cada vez passo mais tempo no meu quarto, a pensar e a chorar, sem saber como aliviar a dor imensa que me consome e os pesadelos que não me deixam nem de dia. George não voltou a sorrir, mal sai do antigo quarto de Bill, eles trocaram porque George não aguentava ficar no quarto que outrora partilhou com fred. 

Harry e Ron começaram o treinamento de aurors, embora nunca tenham feito os NIEM's. Eles não podiam ser melhores no que fazem, arrasam com a casa... Hermione começou um trabalho no ministério, mas acho que logo será promovida, nunca a vi tão empenhada.

Oiço o familiar som de uma materialização nos jardins, e instintivamente olho para a janela, foi um hábito que adquiri. Como se de repente Fred se fosse materializar ali e diria alguma piada sem graça ao entrar em casa, arrancando gargalhadas de George. 

Era Harry. Harry e Ron, na verdade, mas eu só olhava para harry. Ele estava cada dia mais bonito.

Moreno de cabelo bagunçado, o charme único dos Potter, olhos verdes vivos com os óculos redondos. Pele bronzeada e corpo musculado que vem adquirindo desde os 11 anos, quando entrou para a equipa de quidditch.

Meu merlin, que Deus grego. 

HARRY POTTER POV

Tanta coisa se passou em uma semana. Passei de procurado para herói do mundo bruxo. Voldemort morreu e todos me idolatram. 

Não consigo dormir sem ser atormentado pelas memórias, pela culpa, então foco-me ao máximo no treinamento para auror, o meu sonho. Quando olho para o horizonte ainda me vêm flashes de hogwarts destruída, corpos por todo o lado, feitiços a voar pelo ar, sem destino, simplesmente para matar. Morte. Era o que a guerra se resumia. 

Famílias vinham me agradecer mas eu só conseguia pensar em quantas foram destruídas. Os weasley, a minha família preferida no mundo. Acolheram-me quando eu não tinha ninguém, e agora sofriam por Fred. A culpa era minha, se eu tivesse feito algo, se eu tivesse visto, podia tê-lo protegido... 

Ron descrevia-me o seu treino de hoje enquanto eu acenava de tempo em tempo perdido em meus pensamentos.

Logo nos materializamos na toca, a minha nova casa. Eles eram a minha família, e tratavam-me muito melhor do que a minha família de sangue, nem era comparável aos dursley. 

Entramos em casa e fomos diretos para o quarto de Ron, e depois de a porta ser fechada Ron lançou um feitiço para ninguém nos ouvir. Arqueei uma sobrancelha para a ação e ele disse 

-Olha Harry, temos de conversar. Está mais do que na hora de tu e a ginny conversarem... Se nao gostas mais dela diz-lhe de uma vez cara...

-Não gostar mais dela? Eu sou doido por ela. Mas não é assim tão simples e tu sabes. E eu pensei que tu, acima de qualquer outro, se oposiria a essa conversa!

-Admito que me incomoda, mas cara, até um cego veria que ela está cada dia mais triste. Nunca vi a ginny tão feliz como nos tempos em que vocês estavam juntos... É óbvio que se gostam e está mais do que na hora de acabarem com esta merda e conversarem!

-É, talvez tenhas razão, mas...

-Sem mas porra! Vais agora no quarto dela e encerram este assunto

-tabom, tabom... Estás cada dia mais parecido com a Hermione, se calhar tu é que devias adotar o seu apelido depois do casamento

-cala-te Potter

Eu saí e fui direto para a porta do seu quarto. Estendi a mão para bater mas a coragem faltou-me

Boa Harry, mataste voldemort mas não consegues bater à porta... 

Mas logo pensei em o quão maravilhosas foram as tardes com ginny em Hogwarts, e isso deu-me forças suficientes para enfrentar o que tanto tenho evitado.

-Entre- a sua voz soou firme, mas eu conheço-a e sei que está a camuflar os verdadeiros sentimentos, a tristeza que a vem consumindo

Eu entrei devagar e hesitante

-Ah, Oi Harry! - ela sentou-se abruptamente na cama quando me viu, muito nervosa.

-Oi ginny, eu acho que temos de conversar

-Sim, também acho que sim.

-Temos de falar sobre o nosso namoro. Eu quero realmente desculpar-me pela maneira que terminei com você, eu estava genuinamente preocupado. E agora...

Ginny interrompeu-me antes que eu pudesse dizer o quanto eu gostava dela

-Harry, se me vens dizer que conheceste outra rapariga, que me esqueceste, está tudo bem, é sério. Eu realmente gosto de ti e quero que sejas feliz e embora eu adoras se que fosse com você eu a...

Era o que eu precisava, ela gostava de mim. Não a deixei acabar o discurso sobre eu ser feliz com outra pessoa e beijei-a. Envolvi-a pela cintura e ela correspondeu prontamente. Entramos numa bolha de compreensão e saudade, e as nossas línguas matavam a saudade que tínhamos um do outro. Fiz questão de deixar tudo o que sentia claro neste beijo.

-Esquecer-te? Como se eu conseguisse--eu murmurei e logo ela me beijou de novo, e ficamos ali, por minutos, ou talvez tenham sido horas de beijos e carícias, enquanto desfrutavamos da companhia um do outro e matavamos saudades... 


Notas Finais


Voldemort killed my parents. He was nothing more than a murderer.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...