História A Menina Atrás Da Máscara - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 6
Palavras 1.692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tou a escrever isto de madrugada mas isso VCS já sabem. É smp o mm
Bjs e boa leitura

Capítulo 5 - 11 de Agosto de 2018


Fanfic / Fanfiction A Menina Atrás Da Máscara - Capítulo 5 - 11 de Agosto de 2018

Oie gente, sabem quando uma imagem define tanto tu agora que achas que foi feita mesmo para ti? Prontos, essa sou eu e essa é a minha imagem.

Sei que estou postando em pouco tempo mas se não contar o que me vai na alma poderia voltar a cortar me e isso é uma coisa que evito fazer. Se me voltar a cortar ninguém nunca saberá e eu vou ser mais falsa com os meus sentimentos do que já sou e para além dos sentimentos, vou mudar muito e talvez apanhar a minha 8ª depressão

Mais uma coisa antes de começar a relatar o dia de hoje é o que me esqueci de dizer ontem... Já á muito tempo que não tinha está sensação, a sensação que não podes chorar pois ficarão preocupados e queres evitar mentir ao máximo por tanto apenas te escondes por trás da máscara, a sensação de me aliviar deste peso todo mas sem sobrecarregar ninguém, está sensação de me voltar a cortar...

Hoje acordei cedo (último dia que dormi em casa do meu pai yeyyyyyyyy) porque supostamente iria praiar para a Figueira da Foz. Tudo bem até descobrir (minha irmã disse) que eu iria de férias. O que me estranhou logo foi o porquê de ela dizer "vocês" e não "nós" por isso logo lhe perguntei: 

- Porque vocês e não nós?

Irmã: Porque não fui convidada

- Não! - Fiquei super chocada - O Henrique (namorado da minha mãe) não te convidou?!?! Porquê? 

Irmã: Sei lá.

- Ah, ah. Mas... Mas... - Fiquei mais de meia hora sem exagero a raciocinar a informação... PORQUE CARALHOS ELE NÃO A CONVIDOU? Pensei que iria falar com a minha mãe porque achei estranho ela não ter feito nada e aproveitei a manhã de praia e a tarde para passear por lá (já que estava demasiado frio na praia). Vinha no caminho para casa a ler fics e a tentar memorizar uma piada que o meu pai sempre conta, não tem muita piada mas como ele diz tem. É uma mistura de francês com inglês por tanto vou meter o que ele diz e a tradução:

Quero um pão para moi (moi {lê se muá} -> eu) e mais dois pães para mais dois mois (mois não existe mas ele diz para serem mais 2 pessoas) que lá ficaram fora.

Quando cheguei a casa a minha mãe ainda não estava em casa mas vi que ela tinha deixado o relógio dela em casa e como boa filha que sou comecei a usá-lo e como é um "MI Band" da Xiaomi da para contar as pulsações entre várias outras coisas como o ciclo do sono. Quando ela chegou em casa ficamos a falar e jantamos e quando a minha irmã e a minha avó estavam ns onde eu fui falar com a minha mãe: 

-Oh mãe, porque é que o Henrique não convidou a mana? - fiquei a olhar muito séria para ela então ela viu que era sério e parou o que estava a fazer para me dar atenção

- Sei lá porquê... Sabes que o feitio dela não é fácil de aturar - verdadeeeeee - e ela fez alguma coisa que ele não gostou e não acha que ela merece - diz ela a procurar uma desculpa para o ato do namorado

-  Mas ela tem tanto o direito de ir como eu. Ela fez asneira. Sim fez. Mas eu fiz uma asneira pior e ele perdoou me, porque não a consegue perdoar a ela? - já estava a fazê-la ficar mais atenta a mim

- Pois, isso eu não sei e nem vou falar com ele. Quem paga as férias é ele eu simplesmente não posso fazer nada. Tu também não foste convidada - aí eu paralisei mas depois relaxei - mas vens por acréscimo.

- Eu sei mas ela tem tanto direito como eu. Ela também merece - digo - Mas tu não falas com ele e também não o tou a pedir para o fazeres EU MESMA falo com ele. É que isso indignou me muito ele não a convidar

Ela fez uma cara de "Então tá bem" e eu fui me arrumar para sair de casa um pouco. Estávamos as 3 a sair de casa quando a minha mãe assim para a minha irmã (elas vão as duas á frente e eu atrás então não sei se elas repararam que eu tava a ouvir):

Mãe: - já não lembro bem o que ela disse no início porque só comecei a ouvir bem no meio- Mas tu ganhava muito mais em ser amiga dele...

Mana: Eu sei mas...

Mãe: Ganhavas muito mais em saber fechar a boca e apenas ouvir- aí eu já entendi tudo. A minha irmã tinha sido direta demais (coisa típica dela) e ele ficou aziadinho e amuado (feitio da mrd o dele) e não gostou. Mas eu quero que ele se foda a minha irmã tem todo o direito em expressar a opinião dela tal como eu faço mas decidi apenas falar com ele e exclarecer tudo com ele e no caminho tive a pensar no plano todo.

Eu ia chegar ao pé dele e nem lhe dar um beijinho apenas dizer um Olá seco. Isso não é ser mal educada, apenas deixar claro que alguma coisa não está bem. Quando ele quiser falar comigo eu já vou avisando no início "Olha, eu vou ser direta porque não estou disposta a fazer joguinhos para evitar que fiques todo chateado porque não tou com paciência". E quando ele for me perguntar o que tenho começo a falar com ele que a minha irmã tinha o mesmo direito de estar ali comigo. Se ele vier com cenas como o facto dela ter escondido da mãe que foi a Londres ou ter removido a amizade do face deles eu respondo que toda a gente comete erros e que ninguém é prefeito. Eu também cometi muitos erros e mais graves que todos esses e tou aqui não estou? Então porque ela não pode? Quando eu conseguir e se eu conseguir que ele se arrependa ele também não a vai convidar mas se me perguntar para o fazer eu digo que não porque ele fez asneira agora como diz o ditado, "Cada um colhe o que semea". Mas muito provavelmente isso não vai acontecer porque eu não vou ter coragem ou simplesmente vou esquecer mas duvido que vá esquecer porque quem tem irmãos sabe e ele devia saber mais que ninguém que se fazem alguma coisa a ela é o mesmo que fazer a mim.

Mas agora deixando esse assunto de parte porque ele não merece nem um pouco da minha raiva quero falar sobre amigos. Denovo? Sim porque parece que os problemas não acabam. Hoje entre o tempo que cheguei a casa e ir embora fui passear a minha cadela então decidi ligar para a minha melhor amiga mas em modo de anónimo do mesmo para ouvirmos a a voz dela. Que saudades de a ouvir o dia inteiro... Liguei 1 vez, ela atendeu e eu eu internamente, a 2ª vez ela não atendeu então eu decidi ligar ao meu namorado em modo Anonymous (anónimo) também. Ouvi lo dizer "tô", "como tem o meu nº?", "Quem é?" E uma vez que ele perguntou como eu tinha o nº dele eu decidi falar só para ouvir mais tempo a voz dele. Falei pouco tempo mas como ele tava a beira da estrada não dava para ouvir bem o que ele dizia. Sei que me disse uma vez que me amava e nessa altura eu senti uma dor forte no coração e apenas disse "Tenho de ir"... "Fica lá com a tua puta adeus" e desliguei logo. Nem deu tempo para ele falar. Ele tentou me ligar mais 2 vezes mas eu não atendi, não sei porque mas não consegui. Liguei denovo para a minha melhor amiga e desta vez ela atendeu mas calou se. Depois de um tempinho as duas caladas eu decidi falar. Ela disse que eu a assustei, falamos mais 2 frases até que a ouvi a dizer: 

-Joguem aí que eu depois jogo com o vencedor.

Aí eu paralisei, a minha mente parou. Ela estava com gente em casa e nem me disse nada. Logo depois ouvi uma voz de uma rapariga a dizer "Está bem". Ela depois continuou calada enquanto eu processada tudo até que eu falei

- Eu... -exitei antes de falar tudo rápido - Eu preciso ir... Ahn, adeus -e desliguei logo.

Nessa altura senti uma dor tão forte no peito que a última vez que a senti foi quando tava a sofrer e a ter ataque de ansiedade que até fui ao hospital. Mas hoje eu até cheguei a baixar me e grunhir de dor mas depois levantei a cabeça e acabei de passear a minha cadela. Quando cheguei a casa fui abrir a gaveta onde guardei as lâminas e fiquei a chorar baixo com elas na mão. Fiquei lá com elas na mão enferrujadas um pouco até que vi se aquilo cortava ou não e felizmente para muita gente mas infelizmente para mim elas não cortavam... Voltei a guardá-las no sítio e fui fazer uma busca frenética (como os drogados procuram droga quando estão quase em crise de abstinência) mas não encontrei afiadeiras em lado nenhum. Acho que já as tinha desmontado todas mas agora estavam ferrugentas e assim não contam um crlh. Deitei me na minha cama, de lado e fiquei a balançar me meio a tremer como se eu tivesse em pânico mas fiquei a pensar. Não sei no que mas fiquei a pensar.

 Também o facto de não saber notícias da minha amiga virtual não ajudou nada... Ela nao me falou nem um oi hoje mas ela já me tinha avisado que estava com a mãe então deve estar ocupada e eu entendo. Ela não tem nada para comigo mas falar com ela fazia me bem, pelo menos fazia me sentir que tinha alguém que gostava de falar comigo mas a ela não culpo de nada porque ela só foi hoje, eles já estão assim á quase uma semana...

Mesmo assim se me perguntarem se tou bem vou dizer que sim porque fingir é mais fácil que explicar


Notas Finais


Oie, tou aqui a passar só para dizer que como não responderam no último capítulo vai ficar como está, vou publicar apenas e somente quando sentir a necessidade de desabafar...
Bjs e #Fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...