História A menina da cadeira de rodas - Capítulo 20


Escrita por:

Visualizações 6
Palavras 3.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - Férias: Chuvas de despedidas.


Fanfic / Fanfiction A menina da cadeira de rodas - Capítulo 20 - Férias: Chuvas de despedidas.

Em sua casa estava, olhando pelo espelho e pensando como seria sua vida longe de quem o ama. Apesar de estar apaixonada e nunca ter admitido, sabíamos que não poderíamos suportar a distância.

-. . . . . . . . . Chloe se olhando no espelho.

-. . . . . . . . . Sua mãe subindo as escadas.

-Chloe já se arrumou?. . . . . Perguntou.

-. . . . . . . . . Ela calada e se olhando no espelho.

-Filha? Chloe!. . . . . . . . .Sua mãe o chamando.

-Sim já me arrumei. . . . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . Sua mãe estranhando.

-. . . . . . .Chloe olhando pra sua mãe através do espelho.

-Anda! Fala! O quê que foi?. . . . .Perguntou.

-Não nada eu tô bem. . . . . . Disse Chloe.

-Chloe!. . . . . . . .Sua mãe o chamando.

-Tá tudo bem mãe. . . . . . . Disse ela.

-Eu sei quando você está triste, dá pra ver nos seus olhos. . . . . . . .Sua mãe dizendo.

-. . . . . . . . . . . Chloe calada.

-E então. . . . . . . . . . .Ela preocupada.

-É que. . . . . . . . Chloe querendo falar alguma coisa.

-É que?. . . . . . . Sua mãe repetindo a mesma frase.

-Eu não quero ir embora. . . . . . . Chloe muito triste.

-Por que!? Você não queria sair daqui?. . . . .Disse.

-Eu sei mais é que. . . . . . .Eu tenho uma amiga. . . .E que. . . . . Chloe falando.

-Eu não acredito no que estou ouvindo. . . . . Disse ela.

-Ela é muito especial pra mim. . . . . .Disse.

-Chloe filha! Olha. . .Você vai fazer muitas amizades fora daqui. . . . . . Sua mãe dizendo.

-. . . . . . . . . Ela calada.

-Pode ser?. . . . . . . Perguntou.

-Pelo menos eu posso me despedir?. . . . . . Chloe perguntando.

-. . . . . . . . . . . . Sua mãe pensando.

Depois daquela confusão toda que eu tive com a Jennifer, todos os meus amigos ficaram com muita raiva de mim.

Tudo começou quando Samantha disse que foi a Jennifer que empurrou a Chloe pela escada. Fazendo com que eu surtasse de vez.

Imediatamente furiosa, subindo pelas escadas e empurrando uma vítima agressivamente.

Em seguida a minha avó me pegou pelos braços e me tirou de cima da pobre Jennifer.

-Sai de cima dela!. . . . . .Disse.

-Não!. . . . . . .Eu falando alguma coisa.

-Ellie calma!. . . . . . .Jack preocupado.

-Vem Alice levanta mano. . . . . .Wallace ajudando.

-Vem aqui menina!. . . . . . . .Minha avó me puxando.

-. . . . . . . . . . . .Eu calada e respirando rápido.

-. . . . . . . . . .Jennifer tossindo.

-Jennifer você está bem? Vem vamos. . . . . .Walter a levantando.

-. . . . . . . . . . . . . .Jennifer se levantando.

-Você está bem Jennifer?. . . . .Minha avó perguntando.

-Sim. . . . . . .Disse.

Ninguém sabia como a Chloe estava, mas esse clima de amizade, causou desavença, tudo por causa da minha prima.

-Todos voltam para o seus quartos agora!!. . . . . . .Minha avó falando duro.

-. . . . . . . . . . . . .Todos voltando.

-Vem Jennifer. . . . . . .Walter carregando a Jennifer.

-. . . . . . . . . . . .Jennifer me olhando com aquela cara.

-E você! Eu não acredito que você foi capas disso. . . . . . Minha avó me olhando.

Existe um ditado: "Seus amigos gostam de você, porém não te amam mais". Provavelmente era o que eu estava pensando naquele momento.

Depois das férias. . . . . . . . .

-Eu não sei não Chloe. . . . . . .Sua mãe falando.

-. . . . . . . . . . . . . Chloe calada.

-Filha?. . . . . . . . . .Sua mãe chamando.

-Olha!. . . . . . . . . . . Chloe falando.

-O que?. . . . . . . .Sua mãe curiosa.

-Tá chovendo. . . . . . . .Chloe falando com tristeza.

-. . . . . . . . . . . . . . Chovendo muito forte.

-Mais é claro que está chovendo minha filha!. . . . . . . Sua mãe segurando em seus ombros.

-A chuva demonstra solidão. . . . . . Chloe dizendo.

-Da onde você tirou isso?. . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . Chloe calada.

-Chloe? Filha?. . . . . . Sua mãe chamando.

Antes depois. . . . . . . .

-Temos que levar a Chloe embora. . . . . .Minha avó dizendo.

-. . . . . . . . . . . . . Eu chorando no quarto.

-Não! Se eu levar ela embora a mãe dela vai surta de vez!. . . . . . . . Meu avô preocupado.

-Mas e então. . . O que vamos fazer?. . . . Perguntou.

-Por enquanto nada. . . . . Disse ele.

-E o que o médico disse?. . . . . . Perguntou.

-Ela tem que ficar de repouso, por enquanto, pois não pode levantar e saí por aí andando. . . . . Disse ele.

-Olha como ela dorme tranquilamente, coitada. . . . Minha avó preocupada.

Chloe teria dificuldades de andar, por isso, no dia seguinte, teve que usar uma cadeira de rodas, que pra variar era muito velho, mas que seria bem útil.

07:00 "o que foi que eu fiz" foi isso que se passava pela minha cabeça, os meus amigos? Eles devem estar irados comigo. E eu não sei o que fazer pra consertar isso.

-Ellie!. . . . . . . . . . .Jack me chamando.

-. . . . . . . . . . . Eu calada e pensando.

O mesmo horário em que eu estava olhando a cachoeira, foi o mesmo horário em que os meus amigos acordaram pra ver o verdadeiro caos que poderia acontecer a qualquer momento. Pra mim foi um verdadeiro caos esse lindo e maravilhoso dia.

-Como você está? Dormiu bem esta noite?. . . . . . . Minha avó tocando no rosto da pobre coitada.

A minha avó estava preocupada com a Jennifer, ela tocava em seu rosto para ver se tinha alguma ferida que eu tenho feito. Quando na verdade, as feridas estavam por dentro.

-Eu estou bem Sr. Francis. . . . . .Disse ela triste.

-Que bom. . . . . . . Minha avó sorrindo.

-Sr. Francis eu preciso ligar pra minha mãe. . . . Disse ela.

-Sim mas. . . . . . . . Minha avó tentando falar alguma coisa.

-Eu vou ir embora hoje. . . . . . Disse ela convencida de que era melhor assim.

-Mas porque?. . . . . . . .Minha avó triste.

-Bom. . . . Porque. Jennifer querendo falar alguma coisa.

-Bom dia Sr. Francis. . . . . . Walter dando bom dia.

O meu avô tinha me visto perto da cachoeira e me disse.

-Ellie?. . . . . . . Ele me chamando.

-Oi vô bom dia. . . . . . Eu dizendo.

-Bom dia Sr. Collins. . . . . Disse Jack.

-Bom dia, bom dia. . . . Meu avô feliz.

-Aonde você estava?. . . . . .Eu perguntando.

-No Jardim. . . . . . . Disse ele.

-Sr. Collins!. . . . . Jack o chamando.

-Sim meu filho?. . . . . . . Meu avô querendo saber o que o Jack quer.

-E a Chloe? Ela está bem?. . . . . Perguntou.

-. . . . . . . . . . . . Eu calada.

-Sim ela está bem, tá lá no quarto. . . O médico disse que ela tem que descansar e ficar de repouso, ela também não pode sair por aí andando pra não forçar. . . . Disse ele.

-Ela. . . Está aqui?. . . . Perguntei.

-Sim minha filha. . . . . . Confirmou.

-Tenho que ir. . . . . . . . Eu saindo correndo.

-Ellie aonde você vai?. . . . . . Jack perguntando.

Eu pensei que a Chloe estava no hospital, então eu corri para vê-lá, algo que deixou os meus amigos mais furiosos ainda.

-. . . . . . . . . . . . .

-Chloe tá acordada?. . . . . . . Eu perguntando.

-Oi. . . . . . . . . . . .Disse ela.

-Oi. . . . . . . . . Eu dizendo.

-Como você está?. . . . . . Perguntei.

-Bem. . . . . . . Disse ela.

-Que bom. . . . . . Saindo um sorriso.

-Ellie?. . . . . . . Ela me chamando.

-O que foi?. . . . . . Eu perguntando pra ela.

-Me desculpe. . . . . . Disse.

-Pelo o que?. . . . . . . Disse eu.

-. . . . . . . . . . . Ela ficou com vergonha de falar.

-Pelo o que?. . . . . . . Eu perguntando mais uma vez.

-Por estar apaixonada por. . .você. Disse ela envergonhada.

-. . . . . . . . . . . . . Eu com o rosto vermelho.

-. . . . . . . . . . . . . Ela ficou sem graça.

-Eu tenho uma coisa pra você. . . . . Eu dizendo.

-O que? O quê que é isso?. . . . . Perguntou.

-Um colar. . . . . Eu disse.

-Um colar?. . . . . Perguntou.

-Não é qualquer colar. Era da minha bisavó. . . . Custa uma fortuna. . . . . Eu dizendo.

-. . . . . . . . . . Chloe me olhando.

-Eu estou dando de presente pra você, porque você é muito importante pra mim. . . . . Eu dizendo.

-Esse colar. . . É você. . . Eu nunca vou te esquecer. . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . .Eu sorrindo.

-Eu posso te dar um abraço?. . . . . Perguntou.

-Claro!. . . . . . Eu dizendo.

-. . . . . . . . . . . Ela me abraçando.

-Agora vem, vamos, eu te carrego até lá em baixo. . . . . . Eu dizendo.

-Você vai conseguir me carregar?. . . . Perguntou.

-Tá duvidando é?. . . . . . Eu sorrindo.

-. . . . . . . . . . Chloe rindo.

Depois que eu desci as escadas e coloquei a Chloe na cadeira de rodas. Alice queria falar comigo, estávamos lá fora quando o pior aconteceu, você quer saber o que aconteceu?

-. . . . . . . . . . . Eu me encostando em cima das pernas da Chloe.

-. . . . . . . . . . . Chloe me acariciando.

-Ellie?. . . . . . . Alice me chamando.

-. . . . . . . . . . . Jack me olhando de longe.

-Oi. . . . . . . . . Disse eu.

-Podemos conversar a sós.

-. . . . . . . . . . . . Eu olhando pra Chloe.

-Tudo bem Ellie. . . . . . Disse Chloe.

Eu não queria que ela se machucasse. . . . . . . .

Eu e Alice conversamos na cozinha. . . . Minha avó estava no Jardim com o meu avô.

-Ellie falamos com o seu avô. . . . . . Disse ela.

-O que?. . . . . Eu perguntando.

-Nós vamos embora hoje. . . . . . Disse ela.

-Porque?. . . . . . Eu triste.

-Você ainda pergunta? Olha o que você acabou de fazer com a Jennifer!. . . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . . . . Samantha saindo pela porta.

-. . . . . . . . . . . . Eu calada.

-Eu sou a única que estou falando com você. . . . . . Disse ela.

-Alice, ela derrubou a Chloe na escada. . . . . Eu dizendo.

-É e como você sabe que foi ela?. . . . . . Perguntou.

-A Samantha disse. . . . . . . Eu falando.

-Eu não acredito que foi a Jennifer. . . . . Alice me olhando com raiva.

-Mas. . . . . . .Eu tentando falar alguma coisa.

-Você não é a Ellie que eu conheço. . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . . Eu olhando pra ela.

A Chloe estava me esperando lá fora, porém veio Samantha pra perturbar o seu dia.

-Oi lésbica. . . . . . . Disse ela para provocar.

-Sai daqui. . . . . Disse ela.

-E se eu não quiser?. . . . . . Perguntou.

-Se não eu falo pra todo mundo que foi você que me empurrou na escada. . . . . . Disse ela.

Furiosa então, disse. . . . . .

-Você não vai contar nada, sabe porque?. . . . . . Ela falando em seu ouvido.

-Porque?. . . . . . . Perguntou.

-Por causa disso!. . . . . . Disse ela.

Chloe foi levada a força pelo celeiro e depois ela foi trancada lá, eu só percebi quando eu fui sair para vê-lá.

-Chloe?. . . . . . . . Eu desconfiada.

Os meus avós vieram do Jardim. . . . . . .

-Vô você viu a Chloe?. . . . . . .Eu perguntando.

-. . . . . . . . . . . . Samantha tinha corrido lá pra cima e se trancou no quarto.

-. . . . . . . . . . . Jennifer ficou abalada e quis ir embora o mais rápido possível daquele lugar.

-. . . . . . . . . . Os meus amigos não queriam falar comigo.

Enquanto isso. . . . . . . . . . .

-Como assim, ela não está lá em cima?. . . . . Perguntou.

-É que. . . . Eu ajudei ela a descer as escadas. . . . . Eu falando.

-O que? Ninguém mandou você fazer isso. . . . . Minha avó ficou furiosa.

-Mas. . . . . . . Eu tentando explicar.

-Mas nada! Não era pra você ter feito isso!. . . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . . . Jack ouvindo tudo.

-. . . . . . . . . . . . . Chloe gritando no celeiro.

-Ellie cadê a Chloe. . . . . . Pergunto Luísa.

-Ouviu isso vô?. . . . . . Eu perguntando.

-O que?. . . . . . Perguntou Jack.

-Não! Eu não ouvi nada. . . . . . Disse ele confuso.

-É a Chloe!. . . . . . . . . Eu correndo.

-Espera Ellie!. . . . . . . Jack correndo atrás de mim.

Ela estava no celeiro, pois sua voz estava surgindo de lá. . . . . . . . .

Chloe foi trancada no celeiro e ficou caída no chão, gritando por socorro. Ainda bem que ela não teve ferimentos graves que comprometesse as suas pernas.

-Chloe!!. . . . . . . . Eu abrindo o celeiro.

-Ellie me ajuda!!. . . . . . Chloe caída no chão.

O meu avô veio atrás e achou um absurdo aquilo que fizeram com ela. Trancar uma garota no celeiro por maldade? Quem será que faria isso?

-Deixa eu colocar ela na cadeira.

Ela ficou um pouco machucada. . . . . .

-Calma Ellie vai ficar tudo bem. . . . . . Disse Jack enquanto me abraçava.

Quando anoiteceu, o meu avô nos reuniu para ter uma conversa muito séria com a gente.

Quando ele falou duro com a gente, todos ficaram calados sem se quer dar uma resposta.

-Vocês não vão falar nada!!?

-. . . . . . . . . . . . Todos calados.

-Quem foi que trancou a Chloe no celeiro!?

-. . . . . . . . . . . . . Chloe ficou deitada no sofá.

-Bom! Não adianta eu pressionar vocês, voltam para o seus quartos. . . . . Disse ele.

Samantha ficou com medo, pois se todos soubesse que foi ela que causou todas essas atrocidades, acho que essa garota teria sério problemas.

Eu não sei porque a Chloe nunca contou que foi ela.

-Chloe quem foi que fez isso com você?. . . . . . Eu queria saber.

-. . . . . . . . . . . . Ela ficou calada, não queria falar quem foi que fez isso com ela.

-Chloe por favor! Eu preciso saber. . . . . . . . Eu estava insistindo.

-. . . . . . . . . . . . Ela não queria falar.

Eu olhei nos olhos dela, e percebi o quanto ela sofria. Eu senti que não podia ajudar. Será que era a Jennifer que estava fazendo isso com ela? Ou será que era tudo mentira? Eu não sabia o que fazer!
Então eu fui até a cozinha pra olhar o relógio e esperar a hora passar.

Quer saber o que aconteceu depois? As férias estavam acabando! As aulas batiam no tempo, insistindo que acabasse logo! E a Chloe havia se recuperado da queda que ela tomou após ter caído da escada. Porém os meus amigos ainda estavam revoltados comigo, só ficavam trancados no quarto pra não olhar pra minha cara.

Eles queriam que as férias acabassem logo!

Eu nunca vou esquecer desse dia! Porque foi o dia mais desagradável da minha vida!

Tudo começou quando a Chloe olhava as estrelas do céu.

Os meus amigos ficaram alí no canto sentados a mesa.

Samantha só invejava a Chloe pelo lindo vestido e o seu longo cabelo.

O Jack chamava muita atenção! Ele usava um lindo terno naquele lindo jardim.

-Ellie?. . . . . . . . Ele me chamando.

-Sim?. . . . . . . . . Eu fiquei encostada em uma árvore enorme que estava no jardim.

-Você quer dançar?. . . . . . . . Disse ele enquanto sorria.

-. . . . . . . . . . . . . A Chloe ficava olhando pra mim.

-Eu não sei. . . . . . . Acho que perdi a graça em "Dançar".

Eu já sabia o que ela sentia por mim! Eu só queria saber quando foi que tudo isso aconteceu! Porque ela se apaixonou pela pessoa errada? Ainda mais por mim, que sou uma mulher! Será que foi sem querer? Se os meus amigos souberem disso, eles vão fazer de tudo pra arruinar o meu dia! Porque eu sei que todos eles estão revoltados.

Acho que eu preferia a Chloe como amiga! Ou como inimiga!

Pra melhor amiga! Isso passou dos limites.

O meu avô admirava as flores do jardim e a minha avó falava com a minha mãe pelo telefone.

-Mãe como é que está a Ellie?. . . . . . Perguntou curiosamente.

-ela está bem!. . . . . . . Disse ela.

-Que bom mãe! Então está tudo bem por aí?. . . . . . Perguntou.

-Tá sim! Tá tudo bem. . . . . . . Ela mentiu.

-Fala pra Ellie que eu mandei beijo e que eu não vejo a hora dela voltar pra casa tá bom?. . . . . . Minha mãe mandando recado.

-Tá pode deixar minha filha. . . . . . . Disse.

. . . . . . . . . .A Luísa admirava a beleza da Chloe.

. . . . . . . . . .Frederick roncava sobre a mesa.

. . . . . . . . . .James cortava as unhas.

. . . . . . . . . . E Phil só se escondia de baixo da mesa.

Chegou o momento mais ridículo da minha vida! Okay! Eu vou contar! Quer saber o que significa "Ninguém imaginariam que eles ficariam juntos"? Você vai descobrir!

-Eu não quero. . . . . . . . Eu virando o rosto.

-Por que? Você está triste?. . . . . . Disse ele.

-Confusa. . . . . . Eu não acredito que fui eu que disse isso.

-Confusa? Como assim?. . . . . .Perguntou.

-Eu acho que. . . . . . . Minha cabeça estava cheia de dúvidas.

-Tá tudo bem aqui?. . . . . . Chloe perguntando.

-A Ellie nem me pediu perdão pelo o que fez. . . . . . Jennifer queria que eu pedisse perdão pra ela.

-Deixa ela pra lá Jennifer, amanhã de manhã a gente vai embora. . . . . Alice falando.

-. . . . . . . . . . .Walter olhava pra mim com tristeza.

Acho que ele queria saber por que eu fiz aquilo com a Jennifer.

-Não é nada Chloe. . . . . . . Jack falando com ela.

-. . . . . . . . . . Eu olhando para o Jack.

-Por que não deixa ela em paz Jack?. . . . . Chloe agiu sem pensar.

-. . . . . . . . . . . . Eu olhando pra Chloe.

-O que? É você que tem que deixar ela em paz Chloe. . . . . . . . . Disse Jack.

-A Ellie não te ama Jack. . . . . . . Disse ela.

-Chloe para com isso. . . . . .Eu tentando falar alguma coisa.

-Porque ela está falando isso Ellie?. . . . . Perguntou.

-Tá acontecendo alguma coisa ali. . . . . Disse Jennifer.

-Por que ela está apaixonada pela Ellie!!. . . . . . . Gritou Samantha.

Eu não desejo esse momento constrangedor pra ninguém. O meu coração acelerava muito rápido.

-O que?. . . . . . . Jack olhando pra mim.

Os meus amigos levantaram da mesa e chegaram perto.

-. . . . . . . . . . . . O meu avô nem percebeu.

-. . . . . . . . . . . . Minha avó estava falando no telefone com a minha mãe.

-Chloe?. . . . . . . . . Luísa puxando o vestido da Chloe.

-O que? não! Isso não é verdade! Da onde você tirou isso Samantha!?. . . . . . Eu fiquei com medo agora.

-Ela tá mentindo. . . . . Antes do Jack entrar no quarto pra segurar a Chloe, eu vi vocês duas juntinhas. . . . Eu fiquei assustada e chamei o Jack.

-Isso é verdade Ellie?. . . . . . Jack me olhando com tristeza.

-O que está acontecendo aqui?. . . . . . Jennifer perguntando.

-Isso é tudo mentira Jack. . . . . Eu explicando.

-Então por que você atacou a Jennifer daquele jeito? Você nunca foi assim!. . . . . Disse Samantha.

-. . . . . . . . . . . . Jennifer me olhando com muita raiva.

-Eu posso explicar. . . . . . . Eu tentando falar. 

-Vocês sempre estão juntas, não tem um minuto que elas se separam. . . . . . . Samantha debochando.

-Ellie?. . . . . . . Jack falando.

-Jack?. . . . . . . Eu vermelha.

-Do que ela está falando?. . . . . . Disse Jack.

-Eu sabia. . . . . . . .Alice falando.

-Então aquele beijo falso era tudo verdade?. . . . . . Disse Wallace.

-Que Beijo? Do que vocês estão falando?. . . . . . Eu confusa.

-Depois daquela briga que a gente teve com a Violeta, vocês duas se beijaram. . . . . . . Disse Jennifer.

-Não!. . . . . . . Eu falando.

-Eu também vi a Chloe tentando entrar no quarto da Ellie várias vezes. . . . . . . Samantha exagerando.

-Ellie?. . . . . . . . Chloe tentando falar.

-O que não! Isso é loucura! A Chloe é minha amiga só isso. . . . . . Eu falando.

-Ellie?. . . . . . . . Chloe me chamando

-Então porque você está tão intimidada?. . . . . . Perguntou.

-Sabia que tinha alguma coisa aí. . . . . . Disse Jennifer.

-Chloe?. . . . . . . . Luísa puxando o vestido da Chloe.

-Ellie vocês estão. . . . . . . Jack querendo falar.

-Ellie?. . . . . . . . Chloe querendo falar comigo.

-Sim Jack! É exatamente o que você pensou em dizer! A Chloe e a Ellie estão namorando!!. . . . . . Disse Samantha.

Todos olharam pra Chloe, depois olharam pra mim.

-O que está acontecendo aqui?. . . . . . . Meu avô perguntando.

A Chloe deu vários passos pra trás e depois saiu correndo.

-Chloe aonde você vai?. . . . . . . Eu perguntando.

-Então é verdade. . . . . . . Jack me olhando com os olhos tristes.

-Jack. . . . . . . . . . Eu tentando explicar.

-Não Ellie! Eu não deveria ter vindo quando você me chamou. . . . . . Disse ele.

-Eu sinto muito. . . . . . . Eu falando.

Então eu saí correndo pra ir atrás da Chloe, eu vi ela entrando pela floresta.

-Chloe!. . . . . . . . Eu gritando.

-. . . . . . . . . . . . . . Chloe se escondendo atrás das árvores.

Chloe correu até o penhasco eu consegui alcança-lá.

-Chloe. . . . . . . Eu chamando ela.

Ela deu dois passos pra trás.

Dava pra ver uma pedra caindo lá em baixo.

-Ellie?. . . . . . . Disse ela.

-Chloe sai daí, não dá mais nenhum passo. . . . . . Eu falando com ela.

-Se eu não posso ficar com você. . . . . . . Disse ela.

-Que? Não! Não! Vamos ficar juntas pra sempre. . . . . . Eu tentando conversar.

De repente a Chloe deu mais um passo pra trás. Então ela caiu, mas eu consegui segurar o seu braço à tempo.

-Chloe não solta. . . . . . . . Sua mão estava escorregando.

-Eu quero morrer. . . . . . . Chloe chorando.

-Chloe não diga isso!. . . . . . . Eu gritando.

O seu braço estava quase soltando. . . . . . .

Eu gritava e chorava. . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . Começou a chover.

-Não!!. . . . . . . . . . O seu braço se soltou.

. . . . . . . . . . . . Eu não consegui segurar.

Será que ela morreu? Felizmente não!

-. . . . . . . . . . . . Jack conseguiu pegar o braço da Chloe quando ela se soltou da minha mão.

-Jack?. . . . . . . . . Eu olhando pra ele.

-. . . . . . . . . . . . . Jack olhando pra mim.

-. . . . . . . . . . . . . Eu olhando pra ele.

-Vamos me ajuda!. . . . . . . Disse ele.


Então eu ajudei o Jack a puxar o braço da Chloe para que ela não caísse. Conseguimos por pouco.

Depois o meu avô conseguiu nos alcançar.

-Oh meu Deus!. . . . . . . Meu avô desesperado.

-. . . . . . . . . . . . . Eu deitada no chão e toda suja de lama.

-. . . . . . . . . . . A Chloe também.

-Deixa que eu carrego ela. . . . . . . . Meu avô dizendo.

Quando chegamos em casa a minha avó começou a chorar.

-Graças a Deus! Eu estava tão preocupada. . . . . . Disse ela.

Os meus amigos contaram pra ela. . . . . . .

Estávamos sujos de lama, inclusive o meu avô.

Tomamos banho e jantamos. . . . . . . .

Todos estavam sobre a mesa. . . . . . . . .

Mas os meus amigos estavam decepcionados comigo.

Depois cada um foi para o seu quarto sem qualquer explicação.

Poderíamos ter ficado até o natal. Mas não ficamos, graças às coisas que tem acontecido por aqui. . . . . . . . . .

Amanheceu. . . . . . . . . . . .

Todos se despediram dos meus familiares. . . . . .

-Fica com Deus minha filha. . . . . . . . Minha avó falando.

-Você também Sr. Francis. . . . . . . . Alice se despedindo.

Os meus amigos não queriam me levar pra casa. . . . . . . . . .

Então eu fiz questão de pedir para o meu avô me levar, eu e a Chloe. . . . . . Mas antes disso.

-Jack?. . . . . . . . . Eu querendo falar com ele.

-. . . . . . . . . . . Jack calado e triste.

-Eu queria te agradecer por ter salvado a Chloe à tempo. . . . . . . Eu agradecendo.

-ADeus Ellie. . . . . . Disse ele.

Eu me lembro do momento em que ele virou as costas pra mim.

Parecia tudo em câmera lenta. . . . . . . .

Eu olhava ao redor, e sentia que estava perdendo os meus amigos. . . . . Até aquele que eu amei.

Meu avô olhava pelo retrovisor, parecia que ele sabia que eu estava triste.

A Chloe segurava a minha mão, porque se sentia insegura.

-. . . . . . . . . . Eu olhando ela segurando a minha mão.

-. . . . . . . . . . Ela olhando pra mim e sorrindo.

-. . . . . . . . . . Eu sorrindo pra ela mas triste ao mesmo tempo.

O meu avô achou um pouco estranho.

Quando eu cheguei em casa a minha mãe ficou perto da porta me esperando.

O meu pai também. . . . . . . . . . .

A Chloe foi embora pra casa de pressa. . . . . . . .

Eu só falei com ela depois de. . . . . . . . . . .

-Hein Chloe? Da onde você tirou isso?. . . . . . . . Perguntou.

-Mãe?. . . . . . . . Chloe querendo falar alguma coisa.

-O que?. . . . . . . . . . . Perguntou

-O que você faria. . . . . Se estivesse apaixonada por uma. . . . . . . . . Ela não consegue falar.

-Por uma?. . . . . . . . Sua mãe querendo saber do que se trata.

-Mulher?. . . . . . . . . Chloe terminando a frase.

-Olha filha, isso é nojento, mas porque você está me fazendo esse tipo de pergunta?. . . . . . . Perguntou.

-. . . . . . . . . . . . . Chloe calada.

-Você não está. . . . . . . . . Quando sua mãe ia terminar de falar.

-Não! Não! É só uma pergunta. . . . . . . . Disse ela.

-Acho bom mesmo. . . . . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . Chloe segurando a mão no peito.

-Eu deixo você se despedir da sua amiga tá bom?. . . . . . . . Disse ela.

-Obrigada mãe. . . . . . Chloe abraçando sua mãe.

Chloe foi me visitar, mas não foi uma visita qualquer. Eu estava sentada na cama quando ela entrou no meu quarto.

-Oi?. . . . . . . . . . Começou a sair lágrimas de despedidas nos olhos da Chloe.

-. . . . . . . . . . . . Eu olhando pela janela.

Tinha um carro parado na frente da minha casa e um caminhão com os móveis passando.

-O que é isso?. . . . .Eu querendo saber o que estava acontecendo.

-. . . . . . . . . . Chloe olhando pra mim.

-Você vai mudar?. . . . . . . Eu perguntando pra ela.

-. . . . . . . . . . . Ela balançando a cabeça com sinal de que quis dizer "sim".

-Você não pode ir embora. . . . . . . Eu começando a chorar.

-. . . . . . . . . . . . Chloe me olhando com aqueles olhos azuis inocentes.

-Eu não tenho ninguém. . . . . . . . Eu falando.

-. . . . . . . . . . . Chloe me olhando.

-Os meus amigos me odeiam, o Jack me odeia. . . . . . . Eu dizendo e chorando ao mesmo tempo.

-As pessoas. . . . . . Elas aparecem do nada. . . .Chloe falando.

-. . . . . . . . . . . Eu chorando.

-Depois elas desaparecem do nada. . . . . .Chloe falando.

-. . . . . . . . . . . . Eu ouvindo.

-E depois elas nunca mais. . . .Disse ela.

-Voltam. . . . . . . . Eu terminando a frase.

-Eu trouxe uma coisa pra você. . . . . . . . Chloe me trouxe um colar.

-Um colar?. . . . . . . . . Perguntei pra saber.

-É pra você nunca se esquecer de mim. . . . . .Ela dizendo.

-. . . . . . . . . . . . . Sua mãe buzinando.

-Eu tenho que ir. . . . . . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . . Eu olhando pra ela.

-. . . . . . . . . . . . Ela dando dois passos pra trás.

-Antes de ir embora. . . . Será que eu posso. . . . .Chloe estava com vergonha de falar.

-Sim. . . . . . . . . . Eu dizendo.

-. . . . . . . . . . . Chloe me deu um abraço e depois saiu correndo.

-. . . . . . . . . . . Chloe descendo as escadas.

-Eu vou me arrepender de fazer isso. . . . . . . Eu falando sozinha.

-. . . . . . . . . . . . . Chloe descendo as escadas.

-Chloe espera!. . . . . . . . Eu falando.

-. . . . . . . . . . . . Ela me olhando com o guarda chuva na mão pra não se molhar.

-. . . . . . . . . . . Estava chovendo.

-. . . . . . . . . . . . Eu me aproximando.

-O que foi?. . . . . . . Perguntou.

-. . . . . . . . . . . . Eu encostando as minhas duas mãos em seu rosto.

-. . . . . . . . . . . . Chloe me olhando.

-. . . . . . . . . . . . Eu toquei no seus lábios.

-. . . . . . . . . . . . Será que eu fiz isso para agrada-lá?

-. . . . . . . . . . . . Lindsey estava passando quando me viu beijando a Chloe.

-. . . . . . . . . . . . Chloe deixou o guarda chuva cair no chão.

-Eu não acredito nisso. . . . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . Chloe entrando no carro e indo embora.

-. . . . . . . . . . . . Eu entrando em casa.

-Eu preciso ligar pra violeta. . . . . . . Disse ela.

-. . . . . . . . . . . . Começou a chover mais forte.

Parece meio bobo mas. . . . . Se juntar as palavras "despedir" e "chuvas". . . . Acho que combina com despedidas de chuvas. . . . . Eu digo isso porque. . . . . . Eu nunca mais vou ver a Chloe.

O sino tocou! E todos já sabiam da fofoca que a Lindsey fez, o que você faria se você estivesse no meu lugar?




























Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...