História A mente louca de Miguel - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Casal, Fobia, Loucura, Luta, Tortura
Visualizações 3
Palavras 1.106
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Um pouco de ação!

Capítulo 15 - A luta


Fanfic / Fanfiction A mente louca de Miguel - Capítulo 15 - A luta


         Miguel escondidamente coloca uma faca nas suas costas, sem Ana perceber e ela pensa que ele se feriu, ele diz que lutou com um mendigo, mas, depois se afastou e saiu porque justamente tinha ouvido alguém bater na porta. Ana cuida dele, porque ela sabia um pouco de medicina, além disso o corte não havia sido profundo.

Eles passam a noite juntos e Miguel está inquieto, de dia ele sai com a desculpa que vai achar algum emprego, Ana fica feliz e deixa ele ir.

Miguel vai a frente a uma igreja e senta ali, observando a movimentação na frente da praça, de repente ele vê uma cena, um menino sendo agredido e vitima de bullying, ele bufa deixa a cena acontecer, após ele vai atrás do menino que o maltratou, ele entra em um beco, pega ele na orelha e bate a cabeça dele contra a parede, há uma lixeira ali perto, ele coloca o menino dentro e pensa no que vai fazer.

- Agora vejo! Não sou o único a ter sofrido! Mais e mais gente continuam a sofrer! O que devo fazer agora? Isso é por você ter falado palavreados aquela criança. - Miguel pega e rasga a boca da criança.

Depois ele fura os olhos da criança com algum objeto no lixo, depois escreve uma placa: Eu fiz bullying com meu colega, por isso, não mereço viver!

Miguel cola a placa furando a testa do menino e de noite o joga no meio da praça, as câmeras filmaram ele, mas, ele usou capuz e mascara.

De noite Ana a questiona novamente por ter chegado tarde, ela começa a desconfiar, mas ele inventa que ficou negociando com um outro cara, mas, não deu certo.

De manhã cedo ela vê as manchetes do menino morto, eles informam que o horário do crime foi por 22 horas e Miguel só havia chegado depois, isso o deixa nervosa.

- Bom dia! - Fala Miguel das escadarias.

Ana se assusta e deixa a panela cair.

Miguel vem se aproximando devagar e percebe Ana com medo, isso o deixa alegre por dentro e resolve brincar com ela.

- Poderia sair daqui para mim terminar de lavar a louça? - Fala Ana tentando disfarçar seu nervosismo.

Miguel tenta abraçar, mas ela se desvia.

- Sabe o que acho? Que você acha que eu matei aquele menino, certo? E sabe o que? Fui eu sim, e agora o que vai fazer? - Fala Miguel tentando se aproximar, mas ela migra para sala.

- Você não mudou! Continua o mesmo! Quando desapareceu você forjou isso! - Fala Ana quase em lágrimas.

- Não exatamente! O Miguel de antes sentia algo e se importava com os outros, embora não parecesse, ele matava quando alguém lhe fazia mal, eu mato também, mas, não sinto nada por você, por isso posso te matar se quero, mato se sentir falta de matar! - Fala Miguel confiante.

Ana paralisa e após reage.

- Você mentiu sobre que não pode usar os poderes contra você, usarei em legitima defesa. - Fala Ana tentando arremessar Miguel na parede, mas seu poder falha.

Miguel, porém, arremessa ela contra parede e fala:

- Não menti exatamente! Você realmente não pode usar seus poderes contra mim, mas o original com poderes pode! Deixa eu explicar melhor. Ao ser atingindo por um meteoro, digamos que me tornei dois, a parte mais cruel virou um espírito e te deu poder, porque eu não podia passar o poder pra mim mesmo, te ameaçei para passar para ele, te convenci, e realmente ele me ajudou muito, ele disfarçava bem que era uma boa pessoa, mas ele só não fazia nada porque não havia poderes! Ele era do bem, mas, as pessoas a destruiram e ele depois não foi legal! Na hora que ele me matou, ele desapareceu assim como eu, nossos corpos finalmente se fundiram e aqui estou diferente sem sentir nada, mas sabe eu apenas podia viver, mas isso não tem graça, estou pensando se devo te matar ou não, apareci várias vezes em espelhos e pra te ameaçar e enganar vocês e consegui! Fiquei com medo que eu mesmo descobrisse meu plano e você também. Você podia ter salvo ele, matando ele ou mudando a mente dele impedindo ele de fazer isso, embora a segunda seria quase impossível eu e ele se conheçemos bem, somos um e outro de certa forma, tirando a parte de que ele nunca te mataria, pois ele realmente te amava. - Termina Miguel explicando tudo.

- Então como devemos fazer um final épico, eu poderia te matar usando as pontas dos meus dedos, mas, isso seria sem graça, lembra dos nossos treinamentos de luta? Essa é a chance de você me ganhar! Se me matar e tirar a parte má de mim, Miguel sobreviverá e poderá viver com ele! Vale usar qualquer objeto com excessão de armas e poderes para mim e está valendo. - Miguel fala e após corre em direção a Ana.

Um pouco antes de Miguel se chocar com toda força na parede Ana se desvia, Ana toca um celular contra ele, após tenta chutar sua cara,mas ele evita pegando na perna entortando e jogando contra um canto.

Ela corre até as escadas e Miguel vai atrás e lá eles lutam, ela está em pouca vantagem da altura, mas, ele novamente consegue pegar uma de suas pernas e a joga fora das escadas, ele vai em cima dela e tenta a enforcar.

Ela vê uma garrafa de cerveja ao seu alcance, pega e quebra na cabeça dele duas vezes, o que faz ele se afastar, ela corre em direção ao quarto no segundo andar tentando se trancar, mas, antes ele chega e a derrubando no chão após abrir a porta com força.

Ela começa a tocar o despertador e objetos que estão no quarto e ele se defende, ela pega o abajur para acertar ele, os dois lutam pelo domínio do objeto, Ana pisa forte no pé de Miguel e dá uma colonhada na cabeça, ele já se encontrava sangrando.

Ele consegue tirar objeto dela, depois de lutar e a empurra com raiva em direção a janela, quebrando- a, eles caem do segundo andar e se machucam e ficam parados até se recuperar.

- Você é boa! - Fala Miguel rindo, mas com dor.

- Desista! Pare! Ainda posso te convencer disso? - Fala Ana também dolorida e deitada no chão.

- Não sou mais ele, não vai dar certo seu drama! - Fala Miguel rindo.

Os dois começam a se levantar devagar. Miguel usa seu poder para arrancar duas placas de rua e joga um para Ana, ele arranca a parte de cima, só fica os cabos pra eles lutar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...