História A Mentira ( Imagine T.O.P) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Big Bang, T.O.P
Personagens Personagens Originais, T.O.P
Tags Choi Seung Hyun, Top
Visualizações 15
Palavras 1.514
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - A Bela adormecida


Nos olhamos por alguns segundos, aproximamos nossos rostos e nos beijamos. 

Os lábios de Choi são tão doces...a sensação de finalmente poder toca-lo é maravilhosa.

Ele me envolveu nos braços dele, estávamos tão colados que eu pude sentir os batimentos cardíacos do Seung Hyun. Eu quero ficar assim com ele para sempre...

Unni, acorda sua preguiçosa. 

Senti alguém me cutucando e acabei acordando. Dormi na sala de aula de novo, sorte a minha é que o professor não notou. 

— Porque você me acordou? — perguntei para Jiwoo, a filha da mãe que me tirou do meu maravilhoso sonho.— Estava tendo um sonho tão bom. Porque você me acordou? 

— Por que a sala de aula é um lugar para estudar e não dormir. — me deu uma vontade enorme de bater nela, mas eu respeito muito a Jiwoo. É ela quem me passa cola quando eu preciso em dia de prova. — Se quiser dormir vai 'pra sua casa e deita na sua cama. 

Se eu sou uma garota de 19 anos que leva um sermão quase todos os dias de uma menina dois anos mais nova do que eu... é culpa dos meus pais. 

Se eles tivessem escolhido a Inglaterra ao invés da Coréia do Sul para o meu intercâmbio, — não tive o direito de escolher o lugar onde queria estudar— eu não estaria mais no ensino médio e muito menos estaria sendo humilhada dessa forma. 

Eu não dormir muito bem essa noite, fiquei olhando minhas redes sociais e acabei vendo uma publicação de alguém, essa pessoa compartilhou uma foto do TOP. Ele é famoso, tem gente compartilhando fotos dele o tempo todo, mas essa em específica eu também aparecia. 

Alguém nos fotografou no restaurante. Bem que eu tinha notado vários olhares sobre nós ontem, nem tinha me importado com isso antes, mas agora me incomoda saber que tem uma foto minha espalhada em tudo que site, principalmente os de fofocas. 

Algumas pessoas já criaram o boato dizendo que eu sou namorada do Choi. Eles me chamam de " a loira das trevas" ou "Bela Adormecida", esse último apelido foi por causa do meu falso desmaio. Fizeram questão de espalhar fotos do meu "desmaio", tem até memes com elas.

Nunca fiquei tão feliz por usar um disfarce e ninguém descobrir minha verdadeira identidade. Me sinto como o Clark Kent ou o Peter Parker. Porém mais tarde, quando eu for ao museu vestida de Kim Yumi, vou ficar morrendo de vergonha de olhar para os outros. 

Existe uma frase que vai me motivar a encarar meus medos : " Se você quiser ver um arco-íris, primeiro tem que aprender a gostar da chuva". 

Traduzindo para o meu "idioma" : Se você quer o Choi Seung Hyun, então enfrente os paparazzi, os fofoqueiros, os Sasaengs e etc.


[...]

Duzentos quadros. A Yumi pintou duzentos quadros só esse ano, ela devia está bastante estressada.

O senhor Bang e os outros especialistas em arte, — inclusive o Choi — avaliaram cada pintura, detalhadamente. Isso levou cinco horas, eu perdi cinco horas da minha vida que nunca mais vou recuperar. 

— O quê acharam? — perguntei assim que terminaram a avaliação. 

— Bom...— Bang parecia pensativo. — Estou impressionado! Suas obras são incríveis, bem detalhadas e ainda causam arrepio só de olhar. O nosso leilão será um sucesso, não é mesmo senhores? — todos concordaram com o Bang. — Agora nós já podemos marcar a data do leilão. 

Fiquei aliviada por eles terem gostado de todas as pinturas. Se eles não gostassem eu estaria morta. Tudo deu certo, ainda bem.

— Senhorita Kim. — um homem esbelto me chamou, ele me parecia familiar. — Posso falar com você a sós? — estou com um mal pressentimento. 

 Sim. — fomos para um lugar mais reservado. Tenho certeza que eu o conheço, não consigo me lembrar de onde. — O quê você quer falar comigo? 

— Foi você mesma quem pintou aqueles quadros? — perguntou desconfiado. 

— Claro que foi. — eu fiquei nervosa com a pergunta, mas respondi da forma mais calma que eu pude. — Porque duvida?

— Você é amiga da Park Yumi, não é? — confirmei. — O seu estilo se parece muito com o dela, por isso que eu fiquei em dúvida. Sabe? É muita coincidência vocês terem o mesmo estilo e o mesmo nome. Coincidência demais. 

— Onde você quer chegar? — ele já estava me assustando com aquela conversa. Será hoje o dia que a mentira irá se desfazer? 

 Acho que você não sabe que eu sou irmão da Yumi. — sabia que o rosto dele era familiar. — Ela não pode ser uma artista, ela iria envegonhar a nossa família com os desenhos toscos dela.— como é que essa praga pode ser da mesma família que minha amiga? — Eu espero mesmo que esses quadros sejam seus, porquê se não for eu mando você e ela 'pra cadeia, entendeu?

— Você não vai fazer isso pois os quadros são meus.

— Acho bom. 

Ele saiu e voltou para dentro do museu. Era só o quê me faltava agora, por quanto tempo eu vou conseguir continuar com essa mentira? 

— Yumi? — era a voz do Seung me chamando. — 'Tá tudo bem? Aquele homem parecia irritado com você. 

— Você estava nos espionando? — tínhamos ido para o lado de fora do museu conversar, TOP estava com os outros bem longe da gente, pelo menos foi o quê eu achava. 

— Er... estava. — confessou. — Mas eu juro que não ouvi nada do que vocês disseram. — ainda bem que ele não ouviu.— Está tudo bem? 

— Sim, está. 

Tivemos um breve momento de silêncio. Daqueles que acontecem quando você está envergonhado e não sabe se continua conversando com a pessoa ou sai de perto dela. 

— Está com fome? — ele perguntou. — Eu estava pensando em ir na lanchonete agora, quer ir comigo? 

— Sim.


[...]

— Os olhares das pessoas te incomodam, não é? — Seung Hyun percebeu o quanto eu estava desconfortável com os outros nos olhando. — Não ligue para eles, são só curiosos. 

— Você viu os boatos que criaram sobre nós depois de ontem? 

— Sim, mas não se preocupe com isso. São só boatos inventados por gente que não tem o quê fazer. E nós dois sabemos que tudo é mentira. 

— Como você consegue lidar tão bem com isso? 

— Eu tive que aprender a lidar com esse tipo de coisa.

— Entendi.

A lanchonete que estamos não está cheia, mas mesmo assim ainda me incômoda o fato de ter três pessoas que não param de nos olhar. 

— Falando em boatos... você tem namorado? — ele fez mesmo essa pergunta? — Desculpa a minha curiosidade. 

— Não, não tenho. E você? — também tenho o direito de ser curiosa. 

— Também não. 

— Acho isso estranho.

— Estranho? O quê é estranho? 

— Um cara legal como você ser solteiro. 

— A vida de Idol tira muito o meu tempo e também todas as mulheres que se aproximam de mim são um bando de falsas.

— Falsas?

— É, elas se aproximam de mim dizendo que gostam das mesmas coisas que eu e etc. Mas no final elas só querem o meu corpo e o meu dinheiro, é claro. — eu não sou a primeira "falsiane" na vida dele. Que merda!— Eu 'tô cansado disso, ninguém vê que eu sou muito mais do que um rosto bonito. Por isso já desisti de ter um relacionamento sério com alguém. — ele tomou um gole de suco. — Sabe, aquele dia no museu, eu achei estranho você não me conhecer. Sou muito popular entre as pessoas da sua idade. 

— É que eu não curto muito música pop. Eu até ouço de vez em quando, mas eu prefiro música clássica. — podem me chamar de antiquada ou do quê quiserem. Eu não me importo. — E eu nunca vi nenhum dos filmes em que você atuou. 

— Humm... você não é coreana, né? — estava demorando 'pra ele fazer essa pergunta. — Você também não tem nenhum traço asiático. 

— Eu sou brasileira...— iih! Falei demais.

— Seus pais também são brasileiros? 

— Não. Eles são coreanos, eu não tenho traço asiático porquê fui adotada.— Mentira número 3.

Ah. — não era isso que eu esperava ouvir dele. Seung pegou o seu celular e conectou os fones de ouvido. — Eu acho que você devia escutar nossas músicas, mesmo não gostando. São muito boas, você não sabe o quê está perdendo. 

— Nossas músicas? 

— As músicas do Big Bang. — ele me entregou o lado "R" do fone. — Escuta essa aqui, é uma das nossas músicas mais famosas. 

A música que ele pôs 'pra tocar se chama If you.

 Eu gostei. — disse.

— Sabia que ia gostar. — ele sorriu. — Qualquer dia desses eu posso te apresentar aos outros membros, bom  , nem todos. Só um, já que os outros ainda estão no exército. 

Tive uma leve impressão de que Seung Hyun está tentando fazer com que eu vire fã do Big Bang. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...