História A meow? - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Tags Regyular, Soonwoo
Visualizações 144
Palavras 1.271
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOltei :3

(juntei alguns capítulos para diminuir o tanto, não estranhem ter voltado pro oito)

bom, deixa eu compartilhar minha felicidade com vcs... eu já tava AMANDO o cabelo rosinea do Soonyoung, ai eu lembrei que eu precisava de fotos dele com cabelo rosa pra fazer a capa da fic — que por sinal fiquei satisfeita com o resultado —, e ele só usou o cabelo assim pra fazer o “cosplay” de jihoon naquele halloween lá, então eu fiquei 2x feliz pelo cabelinho rosado do ícone

eh isto

Capítulo 9 - Oito


Fanfic / Fanfiction A meow? - Capítulo 9 - Oito

ΞWonwoo congelou e sentiu uma leve pontada no coração. Takashi, uma das pessoas que ele sempre confiou, fez isso? Como assim?


— O que você disse?! 

— Isso mesmo que ouviu, Wonwoo, por causa dele você entrou na emergência com alto nível de intoxicação.

— Intoxicação? – Perguntou incrédulo.

— Envenenamento.

Jeon falhou a respiração. — Mas... Isso não é possível, deve ter sido sem querer.

— Como alguém “sem querer”– Fez aspas. — Derruba veneno na comida de outra pessoa?

— Olha, eu não sei! – Sentou-se na cama com ambas as mãos pousadas no rosto. — Só não entendo...

— Wonwoo. – Soonyoung chamou-lhe e recebeu à atenção. — O veneno estava na minha comida, ele queria me envenenar. Não você.

O maior fechou os olhos fazendo um leve esforço para relembrar-se. Suspirou ao obter sucesso. — Verdade, lembrei agora...

— Talvez a gente devesse parar de falar nesse assunto. – O ruivo sugeriu sorrindo fraco.

— É... – Aquele tom de voz do outro denunciou sua tristeza.

— Vamos, se anima, pelo menos você ‘tá vivo. – Soon falou igual aqueles típicos otimistas.

— Pelo menos você está vivo. 

Hoshi franziu a testa estranhando. — Mas aposto que me desejava morto, até agora só dei trabalho, imagino que irá devolver eu pro Kushito. – Zoou, mas no fundo falava sério.

— Claro que não.


O gatinho corou mais que seus pelos, mas disfarçou o constrangimento. 

— Duvido.

— Vou agora mesmo te comprar, só pra aprender a não duvidar mais de mim... – Jeon ameaçou levantar da cama, porém foi impedido por um Soonyoung preocupado.

— Você tem que repousar Wonu! – Pediu empurrando o maior de leve, para que ele voltasse a posição anterior.

— Eu que tenho que cuidar de ti, não o contrário. – Cruzou os braços acompanhado de um bico birrento.


Soon riu soprado daquele expressão. Quem visse-os agora deduziriam que eram conhecidos há um bom tempo.


— Falando nisso... – Olhou para o teto pensativo. — Tenho que te dar as vitaminas, já volto! – E simplesmente saiu do cômodo muito rápido, descendo as escadas e deixando Wonwoo perdidinho.


Hoshi abriu a geladeira e viu um saquinho plástico com alguns potinhos e um papel, deixou os recipientes no mármore da pia, desdobrou o sulfite e rolou os olhos na escrita japonesa:

“Três pílulas no intervalo de seis horas (duas vezes ao dia)

1 = azul, 2 = vermelha, 3 = amarela

Assim que uma for engolida, esperar quinze segundos para ingerir a próxima

NÃO ERRAR A SEQUÊNCIA!”


Virou os três coloridos comprimidos na palma da mão e pegou um copo com água — não conhecia muito bem a cozinha, mas tinha noção de onde ficavam as louças e o bebedouro.

Voltou para as escadas e a cada degrau ele dava um leve passo, evitando molhar tudo. Conseguiu chegar devolta no quarto vitorioso já que não deixou uma gota sequer cair no piso.


— Aqui o remédinho! – Nem o próprio Soonyoung soube de onde tirou aquela frase, ainda mais com a vozinha afinadamente fofa.


Wonwoo pegou o copo de vidro na mão direita e esticou a outra esperando que as pílulas fossem depositadas ali.

O ruivo pronto para derrubar os comprimidos na palma alheia lembrou-se das instruções e puxou de volta fechando as vitaminas no punho.

— Calma! Presta atenção! – Hoshi assustou Jeon com o grito. — Primeiro a azul, depois a vermelha ai a amarela... E tem que ter um tempinho de quinze segundos pra tomar a outra.


Soonyoung sorriu fraco e o esverdeado revirou as orbes.

— Quanta frescura... – Logo em seguida fez os tais passos do remédio, uma de cada vez no intervalo dos segundos pedido.

— Pronto! – Kwon pegou o copo da mão alheia e pôs sobre a escrivaninha ao lado da cama.

— E agora?

— Agora você tem que repousar. – Sentou-se na beira do colchão.

— Eu já repousei demais no hospital. – Cruzou os braços sobre a barriga.

— Só deita ai e dorme! – O felino disse rindo baixo.

— Me faz companhia? – Pediu acompanhado de algumas piscadelas.

— Eu ‘to sem sono! – Cortou o assunto descaradamente.

— Não pedi para dormir. – Soou áspero.


Soonyoung bufou interiormente e foi com um rosto vermelhinho para debaixo das cobertas, que foram erguidas pelo mais alto, dando passagem pra si. Deitou centímetros longe do outro, evitou contanto físico e visual. Porém fracassou.

O mais alto se aproximou e rodeou os braços magros no corpo do menor que reagiu arregalando os olhos e deixando a boca entreaberta de surpresa.

— W-wonu... – Amaldiçoou toda sua geração por gaguejar em um momento desses.

— Relaxa, precisamos criar um laço já que vai viver comigo agora, não acha? – Perguntou com os olhos fechados evitando pressionar o gato com seu olhar.


O menor tinha suas bochechas mais rosadas que seus fios. 

— É... Acho. – Sorriu minimamente. Ah aquela sensação de proteção e conforto que Jeon transmitia-lhe era muito boa que até amoleceu seu corpo, de tão quentinho que estava o abraço.

Mas aquele entrelaçar não era gostoso apenas para o híbrido. Wonwoo também amava ouvir e sentir o ronronar morno em frente ao seu rosto.

Em questões rápidas de minutos, ambos dormiram. Mesmo Soonyoung já estivesse descansado horas suficientes para um bom sono, aquele carinho deixou-o confortado ao ponto de voltar a cochilar.


Com os olhos semicerrados, o ruivo acordou e seu olfato apurado sentiu um cheiro muito bom pairando pela casa.

Rolou na cama e espreguiçou-se estralando os ossos, limpou a cara de sono com as palmas da mão e enfiou os dedos arrumando o cabelo, por fim ele olhou o seu redor vendo que estava completamente sozinho.

Saiu do colchão e desamassou o moletom, desceu as escadas sendo guiado pelo aroma de algo delicioso e virou entrando na cozinha. Lá pode ver o maior encostado no fogão, cheio de panelas e pratos à sua volta, dava-se para ver claramente que estava bem perdido no que fazia.


— Você sabe cozinhar? – Fez Wonwoo dar um leve pulinho e virar automático de susto.

Se recompôs passando a mão pelo falso topete. — Dá pra sobreviver.


Kwon caminhou até a bancada e se encostou na mesma observando o desastre culinário que era o mais alto.

— Isso é um bom sinal?

O esverdeado andou até o mais baixo e esticou-lhe uma colher com pedaços de carninhas. — Diga você. – Levantou as sobrancelhas insinuando que o outro abrisse a boca.


Feito bebê comendo papinha, Hoshi degustou a carne se deliciando. Mastigou fazendo uns barulhos estranhos, mas que atraiu a atenção do outro.

— Olha, eu diria que falta mais uma boa quantidade de sal. – Levantou o indicador imitando um chefe francês sofisticado.


Ambos riram juntos e em seguida suspiraram ainda com os sorrisos nos rostos, encararam-se que nem dois bobos apaixonados.


Jeon espantou os devaneios e voltou ao fogão. — Arruma a mesa que eu já levo.


Soon sabia onde ficavam os talheres e as louças, mas e a toalha? Wonu percebendo a falta de movimentos alheios indicou ao outro a localidade do tal objeto.


Wonwoo escovava os dentes enquanto olhava o ruivo pela fresta da porta.

— Quer escovar os dentes? Pode usar a minha escova. – Bateu o utensílio no canto da pia retirando o resto de pasta.


Com o rosto todo coradinho, Soonyoung aceitou e andou até o banheiro, logo fazendo a higiene dentária. 


— Vou passar uma água... Se quiser depois você vem. – O mais baixo assentiu com a cabeça saindo do cômodo dando privacidade ao de madeixas verdes água.


Andou até a cama e ouviu a porta ser fechada. Se jogou no colchão com os braços abertos, inteiramente perdido no rumo que sua vida estava tomando.

“Não velho, o que está acontecendo comigo? Eu estou gostando... dele? Porra!” Fitou o teto suspirando pesado. “Eu só ia usa-lo para me levar embora, mas agora eu não sei mais o que quero.”

Imerso nos pensamentos, Hoshi assustou assim que ouviu gritos do maior vindo do banheiro.


— O que foi Wonu?! – Indagou preocupado.

— Eu não trouxe a toalha de banho, pega ai pra mim.

Ξ


Notas Finais


me desculpa se tiver erros, confesso que estou com muito sonokkkj

*obrigado favs ;u;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...