História A Mina Que Ele Zuava - Capítulo 77


Escrita por:

Postado
Categorias Ariana Grande, CNCO
Personagens Ariana Grande, Christopher Vélez, Erick Brian Colón, Joel Pimentel, Richard Camacho, Zabdiel De Jesús
Tags Ariana Grande, Gabby Sanders, Joel Pimentel
Visualizações 59
Palavras 1.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 77 - Segunda Temporada: 38


Fanfic / Fanfiction A Mina Que Ele Zuava - Capítulo 77 - Segunda Temporada: 38

Enfim brasileira, pois é, é assim que eu me sinto quando ponho os pés nesse lugar.

Certamente estou sendo mineira também porque oh terrinha boa é essa Minas Gerais.

— Georgeeee, seu filho da puta! — o abraço. — Que saudade de tu nego.

— O auge preta, fala não...essa daqui deve ser nossa princesa Any, certo? — ele diz olhando a Any que dorme em meus braços.

— Essa bagunceira é. —afirmo sorrindo. — Maravilhosa minha preta.

— Diego tá no futebol, você não sabe a anciedade desse cara para te ver nega, nem dormiu essa noite. — George diz rindo. — O tempo inteiro era: já amanheceu? Quero ver a Suh. — rimos.

Fomos para o carro e ele foi rumo ao campo de futebol para vermos o Diego, móh saudades desses putos, eu tava.

— Liga o som aí nem, o que cê quer ouvir? — ele pergunta ligando o som.

— Hoje é dia de TBT

Tô bebendo todas e lembrando de você

Mas chorando aqui só tem o violão

Cada recordação apago com litrão...— cantarolei.

— Aaaf mano canta não caralho! — Luíza diz rindo da minha cara.

— Então vamos assim óh... cerveja, sal e limão...— George puxa o bonde.

— Não gente, pelo amor de Deus canta algo que preste! — Luíza diz entediada.

— E o que presta pra você, vossa senhoria Luíza Fernandes? — George pergunta irônico.

— O auge nego: Me liga toda hora, briga me xinga e chora

Vou falar tá, quero não não, diz some, some.

Só tivemos um lance e tu tá nessa dor

Eu te garanti prazer não garanti amor....— ela cantarola e George coloca Hungria no bluetooth do carro.

— Sai do meu pé... Sai do meu pé

Me diz Deus oque eu faço sai do meu pé

Sai do meu pé... Sai do meu pé

Nós só tivemos um lance sai do meu pé.. — cantamos juntos e começamos a rir.

— CANTA AÍ LUÍZA! — George grita.

— Troca o disco por favor, foi um lance não amor

Pena que tu se apegou, e na curva tu rodou

Que papo de namorar, eu até fico contigo

Aliança não é pra mim... Algema é pra bandido. — Luíza canta e nós começamos a rir.

— Mas que bagunça é essa....— Felipe acorda e eu começo a rir da sua cara toda amassada.

— Tá com fome mamãe? — pergunta e ele assente coçando os olhinhos. — Muita, preto? — ele assente novamente. — Tem uma lanchonete ótima a poucos metros, vamos parar e comer, ok? — ele concordou e se deitou no colo da Luh novamente. — Pode soltar o som aí Geh! — peço e ele põe a música novamente. — Eu não posso te agradar, me desagradando

É meu jeito de viver, os 12 meses do ano

Quem sabe nos 35, ou melhor nos 40

E da pegação a idade me aposenta! — canto apontando pro George que começou a rir.

—Só me liga pra xingar, muita falta de respeito

Mais acho que é falta mesmo de vir dormir no meu peito

Quer um colo eu dou carinho eu te trato igual princesa

Mais não vai querer herdar o seu trono de alteza. — ele diz e me encara com deboche.

Paramos na lanchonete e comemos como se não comessemos a dias, mas viagem de avião é foda viu? 

A Any essa vagabunda só acordou na hora do rango e dormiu de novo.

Aproveitamos para comprar algumas bebidas, não demorou muito para chegarmos no campo de futebol, assim que o Diego viu a gente já ficou todo histérico, o jogo acabou e nós fomos para casa ficamos a tarde toda zuando com ele e abusando da paciência dos meninos.

— Porra nega, queria que seu homem tivesse vindo, eu ia usar e avisar daquele gostoso. — Diego diz me arrancando risadas.

O Diego é hetero, mas pensa num cara fã de LGBT, porra e o pior é que ele fica abusando meu homem, liga pra mim, aí ele e Joel começam a conversar de futebol e coisas de homem eu fico onde? Com cara de tonta.

A noite foi caindo e eu acomodei as crianças na cama, mexi nas redes sociais e decidi dar uma ligado pro Joel.

~Chamada de vídeo~

— Oi môh! — ele sorri ao me ver. — Tava assistindo jogo.

— Tô vendo...— digo ao ver a bagunça de pipoca na sala.

— Awn....Oh Sueleeeeem...que boquinha nervosaaa! — Diego e George começam a gemer igual doidos.

— Para mano! — digo rindo.

— Que isso Vey? — Joel pergunta rindo. 

— Esses doido aqui gemendo. 

— OOOWN JOOOEEEEL! — George geme e eu o encaro assustada.

— Cara, você não bate bem da cabeça, tô em chamada com meu homem, posso? — pergunto tentando me manter séria.

— JOEL EU ME MASTURBO PENSANDO EM VOCÊ! — Diego grita.

— Gente... seus amigos são normais? 

— Não amor, eles não são... então só liguei pra dar boa noite, pra você bom dia né? — rimos. — As crianças já estão na cama, amanhã te ligo. — mando beijo no ar.

— Te amo, se cuida e cuida das crianças. — ele manda beijo no ar. 

— Ei nem, só uma pergunta... sexo virtual?

Problemas femininos, Joel. — digo e ele assente.

— ELA TÁ MENSTRUADA, MENS...TRUADAAAA... ENTENDEU? — George entra na frente da câmera. — É O PERIODO QUE A PEPEKA FICA APAIXONADA! 

— Sai daqui filho do cão! — bati nele. — Não dá idéia môh, são doidos. — digo já com o rosto queimando de vergonha.

— Eu sei o que é uma menstruação George, me poupe dos detalhes.

— Poxa cara, só quis ser educado. — George diz e dá dedo do meio para  Joel. — Cuzão.

— Bbom môh, era isso fui, te amo.

— Amo tu. — ele manda beijo. — Volta logo.

— Antes mesmo que você possa dizer: é nozes, nas fritas! — rimos do meu trocadilho, sem graça.

~Chamada de vídeo~ 

— Cadê Luíza Geh? — pergunto colocando meu celular para carregar.

— Disse que ia fazer uma visita para o priminho dela, aquele "fulano" lá. — ele diz maldoso.

 — Essa Luíza não perde tempo...— negyyei com a cabeça rindo da situação.

— Pior é que ela corta prós dois lados né? — assenti.

— Aquela ali é a maior devoradora de pepekas que eu conheço.  — afirmo.

— Luíza é bi assumida, na moral. 








Continua...


Notas Finais


Perdoem os erros 😴🌛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...