História O Meu Amado Tio. - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Jared Leto
Personagens Jared Leto, Personagens Originais
Tags Drama, Jared Leto, Romance
Visualizações 79
Palavras 1.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - A folga


Fanfic / Fanfiction O Meu Amado Tio. - Capítulo 10 - A folga

Hoje o dia nasceu belo e meu dia também estava pra ser belo depois do que aconteceu com tio Jared.

Abro meus olhos com sol radiante que entrava pela minha janela um raio solar que atravessava pela meu veneziana e acordei me despreguiçando gostoso, depois de ter me informado sobre sexo, minha mente começou ficar maliciosa e me foquei em tudo sobre o assunto desde da provocação ate o momento.

Ontem senti algo que me incentivou mais ainda pesquisar sobre; ontem meu tio veio aqui, não pude evitar olhar ele com malicia depois do que eu vi ele fazendo com sua esposa horrorosa, quando ele se aproximou colocando sua mão sobre minha cabeça senti algo que me fez estremecer sentir um calor, que queimava meu corpo por inteiro, nunca tinha sentido tal sentimento depois daquilo.

Quando ele passa sua mão sobre meu cabelo bagunçando fiquei com vontade de agarrar ele e fiquei pela primeira vez sentir abraçar seu corpo de forma diferente, nao um simples abraço de carência e enquanto eu arrumava meu cabelo a malicia em meu olhar correu solta e percebi que ele estava me olhando, aproveitei fiquei provocando fazer sedução, mexendo no meu cabelo e olhar fatal, *mas eu não sei o que seria provocação fatal vai vendo, mas fiz* quando terminei ele me olhando, nao podia deixar de abraçar, ja que ele é meu tio nao da nada, ninguém levaria na maldade e me aproximei o abraçando, nossa, nunca tinha abraçado ele com malicia e depois que vi seu corpo semi-nu no seu quarto tinha que sentir como seria ter eles em meus braços, comecei alisar minhas mãos em suas costas sentindo seu corpo, foi tem possessivo meu toque nao sei se ele percebeu e seu cheiro era tão bom que me despertava vontade de ter ele, quando de repente sinto algo perto da minha barriga, um volume estranho que nao deu tempo pra saber o que era e foi dai que me tio se afastou de mim, será que ele... Não! Não pode ser, acho que foi impressão minha e preciso, tenho necessidade de abraçar sentir seu corpo junto ao meu.

Me levanto, vou tomar banho que aquela sensação voltou em meu corpo nada melhor um banho pra relaxar esta sensação, quando estava levantando pra ir no banheiro alguém bate na porta.

- Entra - falei sabendo que era meu pai.

- Oi princesa - fala com a cabeça pra dentro - vim avisar como hoje é sábado vamos na casa de praia de sua avó - falou meu pai com sorriso enorme.

- Tá bom, vamos só nós tres? - lhe pergunto

- Não princesa, seu tio e a esposa dele também vai! - exclamou ele

- Hum - faço som - as crianças também vão? - lhe faço outra pergunta

- Não, me parece que a mãe de Julia veio da Inglaterra e me parece que vão ficar so com ela pra matar saudade, tá bom! - falou meu pai

- Tá bom pai, vou arrumar minhas coisas pra gente ir - falei pra ele que me deu um sorriso e fechou a porta

Levantei da cama fui no guarda-roupa escolhi algumas roupas so tinha preta e tinha 2 branca de alcinha que minha mãe tinha comprado que nunca usei, hoje eu vou usar elas, peguei dois shorts pretos curtos, 2 biquínis e depositei encima da cama, fui procurar a mochila e achei na sequencia guardei dentro, deixei encima da cama

Fui tomar banho rápido e vesti um shorts curto com uma blusinha preta de regata, passei lápis penteei meu cabelo fazendo rabo de cavalo mais minha franja ficou como de sempre bem gótica tampando minha testa enorme, coloquei meu chinelo estava pronta.

Sai do quarto fui até a sala e deixo minha bolsa, encontro meu pai tomando café lhe beijo sua cabeça sento na outra ponta, odeio ficar de frente com sua esposa.

- Bom dia princesa - me da um sorriso - ja esta pronta pra ir na casa de sua avó e você está linda - falou ele

- Bom dia e obrigada, estou sim papai - falei pegando as coisas pra comer.

- Nossa seu tio esta demorando - falou olhando pra fora.

- Eles vão com a gente? - perguntei

- Sim, eles vão princesa - falou ja estava nervoso pela demora do meu tio.

Continuamos tomando café, quando aparece meu tio com sua esposa abraçados entram dando risada, se aproximam da cozinha nos cumprimentando a todos da mesa até eu, quando ele se aproxima de mim bagunçando minha franja, estava amarrado e olhei pra ele com um sorriso de canto, ele me olhou disfarçou e se aproximou do meu pai, ficaram conversando entre eles, continuei tomando meu café e fica olhando pra ele enquanto terminava, ficava com olhar de malicia pra ele, tio Jared vira e  mexe ele olhava pra mim percebendo meu olhar sobre ele, precisava disfarça por causa da baranga que estava com cara de bosta pra mim, fazia sorrisinho maldoso pra ela de provocação... Sentia aurora dela de raiva querendo me matar nesta hora meu pensamento * me levantei da cadeira e me aproximei do meu Tio lhe puxei o dando um beijão e abri meus olhos ficava encarando ela... Julia olhava e mostrei meu dedo do meio pra ela, que saio dali * mas vontade de fazer isso não faltou em fazer, depois do que se passou fiquei impossível, me mudei de solitária para perigosa, me sinto tão boa sem bad e meu tio foi a pessoa que me tirou do mundo solitário para querer ter alguém ao meu lado, sorte que foi ele quem me deu meu primeiro beijo e nao aquele idiota do Austin.

Tudo pronto pra nossa ida para a casa de minha avó e quando íamos sentar no carro começou aquilo senta aqui não sento ali, eu e meu pai ja estávamos dentro esperando eles decidirem, a mulher do meu tio estava la fora e a minha madrasta queria que ele sentasse na frente ele não queria, quando ele entrou dentro sentando no meio do carro, ela acabou sentando na frente e a mulher dela sentou na outra ponta, nos duas estava perto da porta separadas com meu tio no meio.

Eu na viagem inteira ficava olhando pra fora, quando encosto a cabeça perto da porta estava me dando sono, quando meu pai vira bato a cabeça e passo a mão do lado que bati meu tio começa dar risada e olho pra ele com cara de dor, quando vejo seu sorriso parece um remédio para minha dor e começo encarar ele sorrindo perfeitamente com aqueles olhos azuis voltado pra mim, quando percebia que seu sorriso estava se desformando e olho pra ele, sem perceber encosto minha cabeça em seu ombro ali adormeço.

Quando chegamos meu pai freio me fazendo jogar a cabeça pra frente, foi ai que senti sua mão segurando meu rosto e abri meus olhos comecei encará-lo, ele também quando sua esposa faz som com a garganta.

- Chegamos querido, venha vamos sair - falou ela em um tom serio e saindo do cara.

Levanto minha cabeça lhe dou um sorriso me aproximo rápido dele lhe dou um selinho com sorriso de canto, saio do carro e ele ficou com os olhos arregalados do meu roubo de seu beijo.

Ja estavam todos ja fora e meu pai abrindo o porta-mala peguei minha mochila, todos caminharam até a casa aonde minha avó Rosalinda estava nos esperando com sorriso enorme em seu rosto e meu tio com meu pai lhe abraçaram fiquei parada pra trás, nao tinha muito contato com ela e muito menos aproximação, quando meu pai com meu tio me chamaram pra me aproximar e ela veio me abraçando.

Entramos todos pra dentro pra descansar e alguns matarem a saudade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...