História A minha garota - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lesbicas, Romance
Visualizações 30
Palavras 980
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi nenês. Me desculpem a demora e n desistam de mim.

Boa leitura!

Capítulo 9 - Floricultura


   Amanda

Eu acordei as 8 horas e pouco, fui ao banheiro, fiz minha higiene matinal, voltei ao quarto, arrumei o quarto, me arrumei, logo depois desci as escadas.

Sentei para comer e tomei meu café.

Alguns minutos depois eu já havia terminado.

Lavei a louça e fui limpar a casa.

Limpei a casa, não estava tão suja. Estava pensando no que fazer para o almoço, talvez um macarrão ao molho branco, depois de um tempo pensando, fui fazer o macarrão.

Peguei os ingredientes e fui fazer. Do nada Natália estava nos meus pensamentos, o que é bom, talvez... Eu tenho tanto medo de perder aquela garota, ela é importante para mim, eu sei que não devia pensar assim, se ela é importante para mim, farei ela saber que é, eu acabei queimando a minha mão na panela, aquilo ardeu tanto, meu Deus.

Terminei o macarrão e fui arrumar a mesa para comer, minha mão estava dolorida, mas estava tudo bem.

Eu terminei de comer, eram 1:30 já, logo Natália estaria em casa, mal posso esperar para vê-la, sim, estou com saudade.

Lavei a louça e arrumei toda a bagunça que fiz na cozinha.

Subi lá para cima, fui ao quarto, peguei minha toalha e fui para o banheiro, tomei um banho morno para relaxar, sai do banheiro e fui para o quarto me arrumar, coloquei um shorts, uma camisa e um tênis. Eu estava olhando para a janela e fiquei pensando em ir numa floricultura perto daqui, então desci as escadas, escrevi um bilhete e peguei dinheiro.

Liguei o alarme da casa e fui.

Estava andando em direção a floricultura e avistei um garoto lindo, mas não liguei, ele me olhou e veio correu atrás de mim.

Garoto: Oi moça.

Amanda: Ah, oi.

Garoto: Como se chama?

Amanda: Amanda, e você moço?

Garoto: Bruno. Gostei do seu nome.

Amanda: Nome bonito. Obrigado!

Bruno: Aonde está indo?

Amanda: Estou indo numa floricultura, e você?

Bruno: Que legal! Eu estou sem rumo algum, só andando mesmo.

Amanda: Interessante.

Bruno: Muito.

Bruno: Mora aonde? Nunca te vi por aqui.

Amanda: Bom, eu morava em outra cidade, mas morava aqui quando era menor, meus pais querem voltar e cá estou eu.

Bruno: Tá morando sozinha?

Amanda: Não, estou na casa da minha melhor amiga de infância, os pais dela são os amigos dos meus.

Bruno: Entendi.

Bruno: Quem é sua amiga?

Amanda: Natália, conhece?

Bruno: Conheço sim.

Bruno: Ela estuda no mesmo colégio que eu.

Amanda: Legal. Já se falaram alguma vez?

Bruno: Já, um ano nós ficamos na mesma sala, viramos amigos, mas depois nos separamos, ela é uma ótima pessoa.

Amanda: Que triste. Sim, ela é uma ótima pessoa, porém um pouco grossa demais.

Bruno: Sim kk.

Amanda: O que faz da vida?

Bruno: Trabalho com meus pais no restaurante deles, estudo, apenas, e vc?

Amanda: Bom, eu só vou estudar por enquanto, mas logo espero está trabalhando.

Amanda: O que faz no restaurante dos seus pais?

Bruno: Eu sou atendente, um faz tudo vamos dizer.

Bruno: Mas quero seguir como cozinheiro.

Amanda: Sério? Nossa, que legal!

Bruno: Sim, eu amo cozinhar, de paixão mesmo.

Amanda: Que bom.

Bruno: Você pode me passar seu whatsapp para viramos amigos?

Amanda: Posso sim, me passa seu celular que eu coloco meu número.

Bruno: Tá bom.

Ele me deu o celular, eu coloquei meu número.

Bruno: Obrigado moça legal.

Amanda: De nada.

Bruno: Gosta daqui?

Amanda: Sim, muito.

Bruno: Que bom.

Amanda: E você, namora?

Bruno: Não, e você?

Amanda: Bom, eu sinto algo por alguém.

Bruno: Que legal, quem?

Amanda: Minha amiga.

Bruno: Complicado.

Bruno: Gostar de amigo(a) é foda...

Amanda: Muito.

Bruno: É a Natália?

Amanda: É sim.

Bruno: Já disse a ela?

Amanda: Não, eu sou hetero para ela, apenas sou uma curiosa.

Bruno: E você é apenas uma curiosa?

Amanda: Não, mas não sei nada sobre minha sexualidade, só sei que gosto de mulheres também.

Bruno: Logo você se entende, relaxa, ninguém precisa de rótulos para ser feliz, não se esqueça disso.

Amanda: Obrigada.

Bruno: De nada.

Amanda: Qual é a sua sexualidade?

Bruno: Sou bi.

Amanda: Nossa, que foda.

Bruno: Sim.

Amanda: Seu pais te aceitam?

Bruno: Sim, mas demorou, tipo, demorou muito, mas agora me aceitam do jeito que sou.

Amanda: Que ótimo!

Bruno: Sim.

Eu e Bruno conversamos um monte, até chegarmos na floricultura, aonde comprei uma rosa, amo rosas, então voltamos para casa, a gente continuou conversando muito, ele é legal, engraçado, meu tratou muito bem, eu simplesmente quero ele como amigo.

Cheguei no portão da casa, eram 15 horas e pouco já, então conversamos mais um pouco, eu dei tchau a ele e pedi que me chamasse no wpp, entrei, abri a porta, estava um tudo num silêncio maravilhoso, é tão bom isso, amo demais.

Coloquei a rosa num vaso, com água, depois subi, abri a porta, Natália estava deitada, dormindo, tirei minha roupa, e deitei com ela.

Ela estava sem roupa, comecei a passar minha mão pelo seu corpo, ela se arrepiou e soltou um gemido, então beijei seu pescoço, então ela virou para mim e ficou me olhando.

Amanda: Está tudo bem? - Ela estava me olhando séria, um leve medo talvez.

Natália: Está tudo bem sim.

Amanda: Como foi seu trabalho?

Natália: Foi tudo bem, foi bom, nada demais.

Amanda: Que bom.

Natália: Limpou a casa?

Amanda: Sim.

Natália: Obrigada.

Amanda: Por que?

Natália: Porque quando eu chego em casa tenho que limpar, eu estava com sono.

Amanda: Ah meu bem, de nada então.

Natália: Eu vou voltar a dormir ok?

Amanda: Tudo bem então, vou dormir contigo então.

Natália: Tá bom.

Ela virou, e voltou a dormir, eu comecei a fazer cafuné nela, depois abracei seu corpo e dormi com ela.

Depois acordamos, descemos as escadas, e fomos tomar chá, fizemos o chá e fomos tomar assistindo tv

Natália: Você é tão linda!

Amanda: Obrigada, meu amor.

Já tínhamos tomado o chá, estávamos assistindo tv. Ela chegou perto de mim e me beijou, ela acabou me deitando no sofá, passou a mão pelo meu corpo, chegou na minha calcinha e começou a tirar ela, tirou a calcinha, e começou a me masturbar, logo depois começou a me chupar, meu corpo estava tão quente, eu gemia, fazia meu corpo se contorcer, ela realmente é boa nisso.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...