1. Spirit Fanfics >
  2. A minha garota (Yuri) >
  3. Desintoxicação

História A minha garota (Yuri) - Capítulo 10


Escrita por: Safira83

Notas do Autor


Olá! Esse capítulo não é tão longo
Mas eu senti uma emoção grande em escrever essa parte da história, espero que você sinta o mesmo que eu senti, coloquei todas a minhas emoções em cada palavra!



Boa leitura! ♥️

Capítulo 10 - Desintoxicação


Fanfic / Fanfiction A minha garota (Yuri) - Capítulo 10 - Desintoxicação

Carla off

Safira on

Safira se encontrava totalmente acuada, Branca tinha feito ela vestir suas roupas e a amarrou na poltrona da sala de estar. Ela estava com medo, e não sabia ao certo o que realmente aquela mulher estranha queria. Branca estava sentada no sofá observando Safira

Você até que é uma gracinha -diz Branca com deboche

O que você quer? Quem é você?

Há meu bem, não não . Você não me conhece? Mas Carla me conhece muito bem, o que eu quero? Pergunte para Carla, ela saberá lhe dizer

O que você tem a ver com ela?

Há ela não te contou? Que danadinha, escondeu nosso amor durante todo esse tempo que esteve com você

Que amor?!

Você quer um café? Ou quer um chá? Por que a história é longa. A muito tempo atrás Carla e eu fomos casadas, éramos apaixonadas, ou melhor, ainda somos. Durante seis anos dediquei minha vida para ela, a mulher que eu mais amei! Mas derrepente, tudo mudou, ela se distanciou de mim, começou a me agredir, e até tentou me matar. Ela me abandonou na Itália e veio para cá me deixando para trás, foi tão difícil, eu não tive um dia de paz depois que tudo aconteceu. Mas agora, ela disse que me queria de novo, mas disse que estava se distraindo com alguém, só não sabia que esse alguém era você -Branca a olha de cima a baixo

Não... -os olhos de Safira se enchem de lágrimas

Hó sim meu amor. Ela disse que queria meu perdão, e que precisava de mim novamente, então eu vim até ela, mas encontrei com você. Você não achou que Carla gostaria realmente de você, achou?

Safira off

Carla on

Carla ficou alguns segundos paralisada olhando a foto de Safira, estava surpresa, jamais tinha passado pela sua cabeça de que ela tinha algum vínculo familiar com ele. Ela engoliu toda aquela informação a seco

Doutora? -o homem a despersa

Ela sai em meios seus pensamentos, e volta a realidade. O que ela faria agora, se arrancasse a vida do homem que estava agonizando de dor na sua frente, levaria caos e tristeza para a vida de Safira, e isso era a última coisa que ela queria. Carla aproximou seu rosto do rosto de Pedro, e olhou bem no fundo dos olhos dele com raiva- o diabo ainda não te quer por lá -ela sai da sala e seus homens ficam confusos

Doutora, quer que a gente finalize?

Não. Só fiquem de olho nesse filho da puta, mais nada. Joguem em uma ribanceira, sei lá, de um jeito de parecer tudo muito normal, mas o mantenham vivo, quero ele vivo, entendeu? -o homem assente com a cabeça

Carla não acreditava, como nunca tinha avaliado e juntado as peças para perceber que ele tinha parentesco com Safira? Precisava voltar para seu apartamento, e saber notícias de Branca, ela estava preocupada

Minutos mais tarde

Quando chegou em casa, percebeu que a porta estava destrancada, desconfiada ela abriu a porta e encontrou Branca e Safira 

Que bom que chegou Carla! Sabia que é feio deixar duas damas esperando? -debocha

Branca -diz espantada 

Esse é meu nome, incrível como você não o tira da boca -Carla olhou para Safira e viu que ela estava totalmente nervosa, ela chorava muito, e aparentava estar com muito medo- conta pra ela amor, a nossa linda história romântica, que nunca teve um fim

Do que você fala?

Não se faça de sonsa, sei muito bem que adora fazer isso -se levanta, e se aproxima de Safira e coloca a faca sobre seu pescoço

Nossa história foi há muito tempo, e isso não me interessa mais Branca. Agora solta a Safira 

Há, agora você fingi que nada aconteceu. Mas só eu sei de tudo

Você está louca -Carla falava de uma maneira fria e tranquila 

Louca, sim, claro . Eu sempre fui louca, louca por você Carla

Então é por isso que veio?

Eu sou completamente louca por você, mesmo que você tenha mandado matar minha família. Ela te contou bonitinha? Ela matou toda a minha família -Safira estava confusa, não entedia o que se passava, e não sabia em quem acreditar, com uma faca afiada marcando seu pescoço ela não conseguia raciocínar direito, só pensava em sair dali o mais rápido possível. Enquanto as duas discutiam por trocadilhos, ela só chorava desesperadamente

Branca, eu te peço, solta ela, o que tem para ser decidido é entre mim e você, deixa a Safira fora disso 

Agora você pensa assim? E a minha família? Você pensou neles?! Há não você não pensou, você só mandou tirar a vida deles e já era! Você achou que tudo tinha acabado não é Carla, não, nada acabou. Olha só, como o mundo da voltas, você está aí, nervosa, preocupada, será que você vai sentir falta se eu cortar o pescoço dessa florzinha? Esse é o trabalho dela docinho, matar pessoas, a advogada é só um disvarsse para a sua verdadeira vocação

Chega Branca!

Não, ela tem que saber com quem está lidando. Você não tem medo docinho? Medo de que ela te mate? Por que ela tentou me matar, só não me matou por que sabe que eu tenho algo muito precioso pra ela. Cuidado, ela pode tentar te matar se você não fazer o que ela quer -diz sorrindo maliciosamente

Safira não tem nada com isso, ao contrário da sua família, que tinha muito a me dever, nosso passado já não me interessa mais Branca, e não devia interessar a você também. Vamos, solte a, e eu darei tudo o que você quiser, sem tempestade em um copo d'água

Você acha que eu sou idiota? Eu te conheço mais que a sua própria mãe sua cretina! Sei seus truques, de a porra da sua arma, agora! -Carla pegou seu revólver, deixou no chão e lançou para os pés de Branca- muito bem meu amor -Branca desamarrou Safira e a trancou no banheiro do quarto de hóspedes 

Você a ama? - com o revólver de Carla nas mãos, ela se aproxima e ficam frente a frente 

O que você quer?

Sim, a ama. Eu nunca a vi lutar por alguém assim. Só vi dessa forma comigo... Éramos tão felizes, você se lembra? Há como a gente transava, era tão bom sentir você comigo, nós duas éramos incríveis juntas, em todos os sentidos, será que você não se lembra? 

Disse certo, éramos felizes. Até você e sua família me roubarem, além de me extorquir durante anos, me tirou o que era mais precioso na minha vida 

Você me traiu Carla! -aumenta seu tom de voz- Me colocou contra a sua família inteira, me afastou da sua vida! Da empresa, dos negócios da família, como achou que eu me sentiria?!

Você colocou seus valores acima de uma vida. Você achou mesmo que seus princípios poderiam ultrapassar uma vida? Não qualquer vida, a de uma criança... -Carla move seus olhos para os lados procurando um refúgio para não chorar- uma criança, uma menina 

>>Flashback on<<

Branca está com uma carro em uma rua movimentada em frente a uma escola, ela observa tudo atentamente. Ela avista uma mulher e uma pequena menina saindo de mãos dadas do portão da escola, então pisa o pé fundo no acelerador e atropela as duas e foge 

>>Flashback off<<

Eu não sei como você se deita, sabendo que matou o meu bem mais precioso, eu não sei como você vive, sabendo que tirou a vida de um anjo, eu não sei como você tem a coragem de me olhar, sabendo que a arrancou de mim -Carla respira fundo- a minha filha, ela não tinha feito mal nenhum a você, ela não teve culpa de nada. Eu não sei em que momento não percebi que você estava se transformando em um monstro, que você tinha perdido o amor por mim, e por você mesma. Eu devia ter te matado quando tive a oportunidade. O que realmente você quer? Quer o meu dinheiro? A empresa, os negócios, a minha cabeça? Eu te dou, eu te dou, sabe por que? Por que eu já estou morta a muito tempo, sabe quando eu morri? Naquele dia em que você a matou, a minha alma foi junto com a dela, e nada, nada mudou. Eu estou morta por dentro desde aquele dia, em que você tirou a minha menina dos meus braços -uma lágrima escorre do seu olho- então, pode me matar, pode matar o meu corpo, por que eu não me sinto viva a muito tempo, e não vai fazer diferença nenhuma, você acabar comigo agora, por que, o que me fazia levantar todos os dias era ela, e você, soube fazer tudo muito direito. Você quis tirar as minhas forças, a minha alegria, a minha felicidade, e conseguiu. E ainda tem coragem de querer desinterrar o passado de novo, então fique, fique avontade, eu não vou te empedir -Branca engoliu a seco todas aquelas palavras que Carla havia lhe dito. Antes ela tava convicta de que queria a machucar, mas foi ela quem saiu machucada. Segura de que Branca não tentaria ferir  ningué, Carla libertou Safira, elas apenas se olharam e ela saiu correndo embora. Branca continuava estática no meio da sala, agora parecia exausta e triste, não conseguia nem ao menos olhar nos olhos de Carla, já ela parecia uma leoua a encarava sua ex mulher, agora sua inimiga com coragem- vamos, acaba com tudo, não foi pra isso que você veio? 

Você pode não acreditar em mim, mas eu ainda te amo Carla -ela jogou o revólver no chão, respirou fundo, e saiu. Ao ver a porta do seu apartamento ser fechada por Branca, Carla desabou, largou-se no chão e pois se a chorar compulsivamente. Ela estava em pedaços, dilacerada, dizer aquelas coisas para Branca não foi tão difícil. Memórias que estavam guardadas a sete chaves agora estava sendo destrancadas, Branca sugou todas as suas energias, ela não tinha forças nem para se levantar do chão. A poderosa Carla Biano tinha sido derrubada 

Carla off 

Safira on 

Safira correu daquele apartamento desesperada. Se passavam milhões de coisas na sua mente, e ela não entendia nada, as coisas que aquela mulher maluca tinha falado, o fato de Carla parecer conhecê-la, ela não sabia nem o que fazer. Não conseguia nem esconder seu nervosismo, estava aflita e quando chegou em casa, se lançou no abraço reconfortante da sua irmã. Marina perguntava do por que estar tão afligida e nervosa, mas ela não queria contar 

Safira off 

Carla on 

Carla pegou no banheiro um de seus remédios mais fortes que tinha para derruba-la , ela não queria estar mais consciente, e os tomou para dormir. Sua mente estava pesa, a lembranças da sua filha voltaram a tona, seu coração apertou, e ela não conseguia parar de chorar, ser forte não era sua escolha naquele momento 

Carla off 

Safira on 

Deitada em seu quarto, Safira tentava juntar as peças do que tinha acontecido. A mulher dizendo que já tinha estado com Carla, se isso fosse verdade, por que ela escondeu? Por que Carla mentiu tanto pra ela? Matar pessoas? Aquela mulher acusou Carla de ter mandado matar uma família, e ela respondeu de uma forma que pareceu ser verdade, com quem realmente Safira tinha estados todos aqueles dias? Com uma mulher inescrupulosa, com um caráter duvidosa, e perigosa, como ela pode não perceber com quem estava se envolvendo? Todas aquelas ligações misteriosas, as encomendas chegando de forma estranha, Safira se perguntava por que só tinha percebido depois de uma maluca ameaçar a sua vida. Como voltaria a trabalhar? Não podia, teria que pedir demissão, continuar ali, era perigoso, depois de tudo que ouviu. Mas Safira precisava descansar, ou pelo menos tentar fechar os olhos, sem que se lembrasse daquele momento horrível que viveu 

Safira estava perplexa, passou todos aqueles momentos ao lado de Carla, e não percebeu nenhum traço de maldade, pois não tinha, pelo menos não com Safira. Depois de ouvir aquelas coisas de Branca, Safira ficou com medo e assustada, ela realmente acreditava que sua chefe, sua paixão, era uma advogada criminosa, que tinha mandado matar pessoas, tudo pra podia se encaixar. Por que uma mulher entraria no apartamento de Carla facilmente, e diria todas aquelas coisas a toa? Não era possível, com certeza para Safira era tudo verdade. Ela colocou na mente que Carla era uma mulher ambiciosa e má, e não queria mais olhar para sua chefe, só pensava em pedir demissão e deixar aquele trauma para trás. Do outro lado, Carla se mantinha desabada, botar tudo aquilo para fora foi uma desintoxicação, que lhe custou muito.

Há anos atrás, Branca tinha roubado o dinheiro da empresa da família de Carla na Itália, o casamento não ia bem, e uma traição por parte de Carla tinha sido descoberta por Branca, ela ficou transtornada, espumando de raiva, vingativa, e queria destruí-la. Então tomou a pior decisão, decidiu matar sua filha, com um atropelamento, sem socorro, a pobre menina morreu no local, e Carla ficou desamparada. Carla até tentou matar Branca, mas foi empedida por seus parentes. Passou por terapia, pisquiatra, médicos, tudo para reerguê-la, ela conseguiu depois de anos se estabilar um pouco, mentalmente. Mas Branca, como um fantasma aparecia e sumia da sua vida para extorquir sua família com uma informação que eles não podiam deixar escapar. Agora Carla não sabia mais o que fazer, parecia que tinha voltado no tempo, e estava sozinha, não pensava em mais nada, apenas na dor, e no sofrimento que voltavam












Notas Finais


No próximo capítulo vocês vão entender melhor todo esse drama do passado entre Carla e Branca, aguardem...


Até o próximo capítulo ✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...