1. Spirit Fanfics >
  2. A minha garota (Yuri) >
  3. Deus realmente é justo?

História A minha garota (Yuri) - Capítulo 14


Escrita por: Safira83

Capítulo 14 - Deus realmente é justo?


Fanfic / Fanfiction A minha garota (Yuri) - Capítulo 14 - Deus realmente é justo?

Carla off

Safira on

O corpo de Safira estremeceu, sentiu sua garganta fechar, e as palavras não saiam da sua boca. Se não estivesse sentada, teria caído sem forças no chão, ela apertou o braço da cadeira e Bruno percebeu seu nervoso. Enquanto Bruno fazia perguntas pro médico para saber exatamente do que se tratava a doença de Marina, ela tentava se conter. O medico explicava, mas aquelas palavras já não faziam mais sentido, para ela soava uma sentença de morte que arrancaria mais um pedaço do seu coração. Bruno percebeu sua aflição, ele também estava extremamente abalado, os dois reuniam coragem para que assim que Marina acordasse, contar a ela

Bruno e Safira entraram no quarto em que Marina estava, como pode uma pessoa aparentar estar saudável e estar morrendo ao mesmo tempo? Safira se perguntava tentando não acreditar que aquilo era possível, ela se aproximou de Marina com um olhar de tristeza

Como você se sente? -disse engolindo a seco

Eu me sinto bem, aquela dor forte passou, vocês conversaram com o médico? -Safira olha para Bruno que estava do seu lado

Ele vai vir aqui conversar com você, e explicar tudo -diz Bruno

Mas como assim? Eu já não posso ir pra casa? -dito essas palavras o médico abriu a porta do quarto e entrou

Oi Marina 

Olá doutor, eu sinto que estou bem agora, você fez exames? O que é que eu tenho?

O médico explicou cuidadosamente tudo para sua paciente. Era como se uma bomba relógio estivesse na cabeça de Marina, que a qualquer momento poderia explodir, não se sabia ao certo quanto tempo de vida ela tinha, podiam ser anos, meses, ou até dias, era incerto. Safira não aguentou, ver sua irmã desabar daquela maneira, era tão difícil, ela caiu em choro, e Safira lhe ofereceu abraço, dezenas de pensamentos rodeavam a mente de Safira, ela não sabia o que pensar, tudo que queria era continuar dando suporte para Marina, e ajudá-la no que precisasse

Dia seguinte 

5:00 horas da manhã

O médico receitou que Marina se alimentasse bem, fizesse exercícios, e não tivesse nenhum tipo de estresse, independente do quanto tempo que lhe restava. O silêncio durante o caminho de volta entre eles era ensurdecedor, ninguém acreditava de verdade que aquilo realmente acontecia. Quando os três chegaram em casa, não encontraram Pedro, a casa não apresentava nenhum indício de que ele havia estado por lá, mas eles estavam tão perplexos com tudo que nem se perguntaram por onde ele andava 

Você quer que eu fique com vocês? -pergunta Bruno 

Não precisa, Bia está desde ontem na casa de uma amiguinha, pode ficar tranquilo

Tranquilo eu não vou ficar, mas prometo estar aqui com vocês amanhã -Bruno ajeitou os cabelos dos olhos de Safira, isso foi o suficiente para que Safira encostasse a cabeça no seu peito e começasse a chorar descontroladamente. Ele cedeu apoio e carinho -escute Safira, precisa ser forte está bem? Sua irmã precisa de você, ela precisa de todos nós nesse momento, você não tá sozinha, tá bom?-ele beijou sua testa, e após alguns minutos já não estava mais lá. Safira se recompôs, e foi até Marina, ela estava deitada, recolhida na cama 

Marina -Safira entra e se senta do seu lado, as duas apenas se olharam e começaram a chorar abraçadas uma a outra, Safira podia sentir o desespero e a tristeza que tomava conta das duas 

Poucas horas mais tarde 

O celular de Safira tocou, com tudo que acontecia naquele momento, ela nem ao menos tinha estado com o aparelho em mãos até alguém ligar 

Alô -Safira atende

Oi Safira -voz de Pedro

Pedro onde você está? 

Eu não posso te explicar, mas preciso que me faça um favor. Diga pra Marina que eu não posso estar aí por uns dias, mas que volto em breve 

O que? Pedro o que está acontecendo? Pode me dizer?

Não, eu não posso. Mas por favor, diga a ela 

Pedro, volte pra casa, eu não sei o que você está fazendo mas, você tem que voltar, há algo que... -Pedro a interrompe 

Safira, faça o que eu digo, diga a Marina, avise ela. É só por alguns dias 

Pedro Marina está doente 

O que ela tem? 

Uma doença terminal, e ela precisa de você, de todos nós -segundos se passaram e Safira não ouviu a voz de Pedro- Pedro por favor... -ele desliga a chamada. Safira não fazia idéia do que Pedro ia fazer dalí pra frente, ele poderia vir para sua casa e estar junto da sua família, ou não teria um pingo de compaixão, e continuaria longe, era imprevisível saber o que ele faria

Safira? -Marina a chama 

Oi 

Onde Pedro está? Ele não dormiu em casa -Safira não sabia o que dizer, não queria mentir para sua irmã, mas dizer a verdade lhe machucaria- não precisa me dizer nada... Eu já sei, ele não está mais do meu lado -seus olhos se encheram de lágrimas, ela tentou se segurar e se sentou 

Eu estou aqui do seu lado -Safira pega nas suas mãos, se agacha na sua frente, e a olha diretamente nos olhos- você sabe, eu te amo mais que tudo neste mundo, e jamais vou te abandonar, nunca, disso você pode ter certeza. Eu sempre vou estar do seu lado, sempre, até o último minuto 

Uma hora depois

Quando a sobrinha de Safira chegou, correu para o abraço de sua mãe. Sem que Bia percebesse Marina tentou abraça-la mais tempo que o normal, a menina contava como havia sido o dia que dormiu fora, e sua mãe a escutava atentamente. Marina ainda não tinha forças pra contar para sua filha, ainda era tudo muito recente e Safira concordou em não dizer nada também

Dia seguinte 

Dormir não era exatamente o que elas tinham feito naquela noite, pensamentos turbulentos passavam pela mente de Marina e Safira. Como prometido, Bruno chegou pela manhã 

Como foi a noite? -ele pergunta 

Não consegui dormir nada. Como nos deitamos sabendo que a qualquer momento podemos perder alguém? 

E Marina, onde ela está? 

Eu fui ver ela, tava deitada com a Bia

E Pedro?

Nem deu as caras, me ligou dizendo que não podia vir para casa e que eu tinha que avisar pra Marina. Quando eu contei, ele simplesmente desligou, eu não sei o que se passa na cabeça dele 

Eu vou procurar ele, vou tentar encontrá-lo

Parece um filme que se repete, um pesadelo que eu to vivendo de novo. Será que -Safira toma uma respiração profunda- será que Deus é justo? Será que ele não vê? Por que isso? Não tá certo -Bruno não conseguia dizer nada, apenas a abraçou com força, ele queria estar ali pronto para protegê-la






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...