1. Spirit Fanfics >
  2. A minha garota (Yuri) >
  3. Momento divino

História A minha garota (Yuri) - Capítulo 16


Escrita por: Safira83

Notas do Autor


Boa leitura♥️

Capítulo 16 - Momento divino


Fanfic / Fanfiction A minha garota (Yuri) - Capítulo 16 - Momento divino

Dias depois 

Safira estava passando todo o tempo dedicado a sua irmã, dando força, segurando sua mão, e deixando seus dias mais leves, tanto que por alguns instantes Marina podia esquecer do seu diagnóstico terminal. Apesar de ser apenas um amigo, Bruno se comportava como alguém da família e também prestava todo o apoio, consequentemente ficou bem mais próximo a Safira, mas ela não queria pensar no amor, queria apenas pensar em Marina. As duas irmãs estavam caminhando pelo centro da cidade, enquanto tomavam um sorvete de casquinha, e conversavam observando as vitrines das lojas

1:00 horas da tarde 

Olha esse vestido! -Safira se encantou por uma vitrine próxima, e correu para olhar de perto, mas Marina ficou parada olhando o outro lado da rua- Marina? -ela estava olhando fixamente para a faixada de uma casa noturna com um leve sorriso- ei?

O que você acha?

De que? -Marina se voltou para Safira a olhando esperançosa, e Safira sorriu de volta

Mais uma idéia surgiu na cabeça de Marina, uma noitada qual ela nunca tinha tido na vida. Ela nem ao menos tinha roupa pra aquela ocasião, então elas foram em busca de algo que destacasse suas personalidade

Duas horas depois 

Depois de umas comprinhas, elas voltavam para casa pelo caminho mais longo a pé, e caminhavam tranquilamente curtindo o dia

A Bia tá quase que me esquecendo por causa do Bruno -diz Safira

Há ele gosta muito dela também, ele é um amor de pessoa

É sim, todo mundo sabe que ele é gentil e tudo mais -diz com irônia

Alguém tá com ciúmes!

Não, quem? Eu? Jamais!

Mas relaxa, ele é apaixonadinho por você, não tem que ter competição

Ele anda me ajudando muito, realmente, eu não tenho do que reclamar dele

É mana, acho que aos poucos ele vai ganhar seu coraçãozinho -Safira reagiu diferente, um leve sorriso surgiu no seu rosto- eu não disse!

Para Marina, tá me deixando com vergonha

Vergonha de que? Do amor?

Olha lá em, eu não disse que tô apaixonada!

Mas quem disse que precisa falar? O amor não se fala, não se mostra com palavras, e sim com atitudes. Bruno é diferente, se você estiver sentindo algo por ele diga, conte, mostre se, por que talvez quem sabe um dia possa ser tarde, e se não for por ele, que seja por outros -Carla subitamente veio a cabeça de Safira, ela fez um esforço para se livrar das memórias com ela- não fique por aí, esperando a hora certa, corra atrás do que deseja, e quando tiver em suas mãos... Há Safira, agarre com força e não solte nunca mais! Por que um amor vale muito, mais do que qualquer outra coisa -Safira apenas assentiu com a cabeça, ouvindo as sábias palavras de sua irmã

É maravilhoso sabia? -Safira fala

O que?

Ouvir você falar. A mamãe sempre dizia que você era muito inteligente, esperta, e também madura

Ela teve a grande sorte de ter duas filhas como nós, inteligentes, espertas, e maduras o suficiente. Tenho certeza que ela estará orgulhosamente feliz por isso -ela passou o seu braço por cima do ombro de Safira, e deu um beijo em seu rosto- por falar em família, você vai me acompanhar na viajem pra visitar nossos tios no sítio né?

Sim, não vejo a hora de revê-los, já faz tanto tempo

Eu vou ligar pra eles, eles vão gostar da notícia

Você vai contar ...

Não, acho melhor não. Melhor deixar assim, apenas como uma breve visita -Safira não discordou apesar de não achar certo. Marina deixou Bia com a babá, e foi se arrumar junto com Safira, ela estava tão empolgada, que um sorriso se instalou no seu rosto, e ela se sentia como uma adolescente prestes a ir para sua primeira festa

A noite

Safira já esperava por Marina pacientemente na sala, ela já estava pronta aguardando sua irmã

Safira! -ouve a voz da sua irmã, mas não a vê

Oi? -responde

Tá pronta?

Tô sim, desce logo!

Faz tanto tempo que eu não visto roupas assim

Vem logo Marina

Marina desce as escadas sorrindo, e ela estava deslumbrante, com um lindo vestido preto, um tanto justo, que desenhava sua silhueta

Meus Deus! Você tá maravilhosa -um sorriso radiante combinava com o batom dos seus lábios- vamos tirar umas fotos?

Tá bem -Marina se colocou no meio da sala, e fez diferentes poses, e Safira fez vários clicks

Tá ótimo, olha- ela a mostra as fotos que acaba de tirar

Espero que eu ainda saiba dançar

Claro que sabe! Vamos! -ela a puxou pela mão, pegaram o carro e saíram

20 minutos mais tarde 

Elas passaram pelos seguranças da entrada da casa noturna. Com música alta, e luzes coloridas, deixavam o ambiente movimentado, já haviam muitas pessoas animadas bebendo e dançando. As duas se dirigiram até o bar e pediram dois drinks leves, Marina podia se sentir observada por alguns homens que se encontravam ali perto dela

Eaí? Tá gostando? -pergunta Safira

A música é bem alta né? -Safira sorriu- mas é legal - o lugar era de distração e dança, então Safira insistiu para que elas fossem dançar juntas uma música eletrônica, apesar de não saber tanto Marina se permitiu se deixar levar e seguiu os passos de sua irmã. A música já comandava seu corpo e ela podia sentir uma sensação revigorante, nunca sentida antes. Já um pouco cansada, Marina foi até o bar e pediu uma água, e se encostou no balcão observando o movimento a sua volta

Tudo bem? -um homem se aproxima

Tudo -Marina responde bloqueando aproximação sem olhar para ele

Por favor, um drink pra essa bela mulher -ele se volta para o barista e assim colocam uma taça do lado de Marina

Eu agradeço a sua gentileza, mas eu não quero -ainda sem olhar para ele ela fala

Eu faço questão -ele sorri

Obrigada mas... -quando Marina resolver se direcinar para o homem insistente percebe que ele era também muito encantador

Seu nome? Ou eu ainda deveria te chamar de bela mulher? -diz sorrindo com seus olhos penetrantes

Marina...

Meu nome é David, é um prazer em conhecê-la -Marina fica em silêncio pois ainda estava hipnotizada pelos seus olhos cor de mel- Me diga Marina, você acredita em milagres?

Talvez

Deixa eu te contar uma coisa. Eu tive um dia terrível hoje, tudo, literalmente tudo deu errado pra mim, um dia bem difícil, e adivinha ao ver você aqui nesse lugar, tudo melhorou. Você acredita? -Marina sorri balançando a cabeça negativamente- me senti bem, ao ver você do outro lado do bar, como se fosse mágica, não acha incrível?

Você só pode tá brincando

Não, tô te falando a verdade

Você chama isso de um milagre? Eu chamo de milagre é alguém ter a sorte de ter uma segunda chance de vida -Marina diz isso tranquilamente enquanto David fica confuso- Você costuma sempre agir assim?

Como?

Toda vez que vem aqui, costuma contar essa história para as mulheres?

Não, aliás é a primeira vez que venho aqui. Eu nem tenho a chance de sair tanto assim

Tá bom -fala em tom de irônia

Uma vez que Safira percebe que Marina a deixou na pista de dança, volta para o bar, e a vê conversando com um rapaz desconhecido

Oi! -Sem pensar, Safira pega a taça que estava do lado de Marina e bebe em um gole só- pode me apresentar seu amigo?

Ele não é meu amigo

Ainda -David a interrompe

David, é o nome dele

Prazer, Safira -se direciona a David

Prazer é meu -responde David- vocês estão juntas?

Somos irmãs -responde Marina

Uma ótima genética

Os três conversaram por um bom tempo ali, David era falante e divertido, e se mostrava completamente interessado em Marina, mas ela não dava a mínima importância. Ele cantava ela a todo momento, e mandava diretas mas ela sempre rebatia

Horas mais tarde

As duas já se encontravam um pouco cansadas, já era tarde então resolveram ir embora

Vocês já vão? -Pergunta David

Sim -diz Safira

Deixa que eu levo vocês

Estamos de carro, agradeço

Marina -David a chama e entrega para ela um cartão com seu número- me liga, pra gente tomar alguma coisa -Marina apenas sorriu e saiu logo atrás de Safira. Dentro do carro não paravam de dar risada sobre o ocorrido na boate

Olha pra ela, chamou atenção dos caras!

Eu não acredito nisso, ele teve a coragem de me dar o número dele! Você viu? É muito sínico -ela joga o cartão para fora da janela do carro

Não joga, ele até que era bonito vai!

Bonito, mas não é pro meu bico. Vamos esquecer esse maluco... Tenho mais uma idéia pra fechar a noite -Marina estacionou o carro e pediu que Safira descesse. Elas caminharam até a beira da praia, tiraram seus saltos e se sentaram na areia

Melhor que praia, é a praia de noite -Marina olhou as ondas do mar que vinham e voltavam, podia se ouvir as ondas muito melhor agora que não havia passantes por perto- posso te pedir uma coisa?

Qualquer coisa -Safira responde

A gente pode ficar de mãos dadas, e os olhos fechados? Quero sentir esse momento com você -Safira entrelaçou seus dedos com os de Marina e assim fizeram. Fecharam seus olhos ouvindo o silêncio da rua, e o barulho da natureza. Uma lágrima escorreu dos olhos de Safira, ela pensou guardar aquele momento pro resto da vida, desobedecendo Marina abriu os olhos, e admirou o rosto de sua irmã, em segredo jurou pra sí mesma estar ao lado dela até o fim

Eu te amo Marina -sussurrou Safira

Eu também te amo -respondeu ainda de olhos fechados 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...