1. Spirit Fanfics >
  2. A minha garota (Yuri) >
  3. Sereia

História A minha garota (Yuri) - Capítulo 8


Escrita por: Safira83

Notas do Autor


Me perdoem pela demora pra postar, estava um pouco ocupada

Boa leitura! ❤️

Capítulo 8 - Sereia


Fanfic / Fanfiction A minha garota (Yuri) - Capítulo 8 - Sereia

Após a conversa sua e de Marina, Safira meditou sobre a noite que teve com Carla e resolveu ligar para ela 

Pronto -Carla atende

 Oi, sou eu Safira. Tudo bem? 

Há oi, tudo 

Eu estava aqui... pensando, e lembrando de tudo... fiquei com vontade de ligar para você

 Estava pensando em mim?

É... Na verdade, eu ... Eu não parei de, pensar em você -Carla fica em silêncio- desculpe, imagino que eu esteja te atrapalhando

 Não você não me incomoda... Por que não nos encontramos hoje a noite?

 Eu acho ótimo! Conhece aquele restaurante Mon bistrô? 

Conheço sim 

Então nos vemos lá okay?

 Claro. 

Está bem, até logo!

Beijos! 

Ela podia se sentir muito bem por que veria aquele rostinho de novo. Ao pensar nisso borboletas dançaram no seu estômago junto com ela, depois daquela noite, Safira pensou que a relação entre as duas seria completamente diferente agora que tinham ficado mais próximas. 

8:00 horas da noite  

No quarto, já arrumada, Safira se olhava no espelho para ter certeza de que não estava tão exagerada ou tão simples demais. Suas bochechas podiam até doer de tanto sorrir. Alguém bateu na porta e ela convidou para entrar 

Safira? -Marina entra fechando a porta atrás dela- onde vai toda arrumada assim?

 Vou sair -se ajeita olhando para o espelho 

É com a tal pessoa que você tá me escondendo? 

Eu não estou escondendo nada. Só na quero presipitar as coisas, como eu estou?

 Está linda -ela elogia

 Você acha mesmo? -ela a olha 

 Claro. De novo não vamos te ter para o jantar mas, não tem problema. Se divirta  

Obrigada! 

Mas te peço, se for dormir fora de novo me deixe uma mensagem está bem? Só pra eu saber

 Tá bom

 Safira off 

Carla on 

Carla já havia se arrumado, mas ao tentar abrir a porta para sair, se lembrou de que esqueceu seu relógio e voltou para colocá-lo. De repente memórias se destravaram na sua mente

 >>Flashback on<<

Como eu pude confiar em você! -Carla está com um revólver em mãos apontando para alguém, e está completamente desequilíbrada, chorando e muito nervosa- Todos esse anos, eu dei a minha vida, eu dei tudo, tudo que era mais precioso, como eu pude... Você não merece nada do que eu te fiz, tudo mentira! Você foi uma mentira! Você é uma das pessoas mais repugnantes que eu já conheci! Isso acaba agora! 

>>Flashback off<< 

Carla tratou de se livrar de tais lembranças e saiu para o seu destino. Quando chegou no restaurante percebeu que, aparentemente Safira não tinha chegado, então pediu uma mesa para dois e ficou a sua espera. Após alguns minutos ela chegou, elas pediram um vinho para inciar o jantar e começaram uma conversa

Sua irmã perguntou algo para você? -Carla pergunta 

Ela ficou muito curiosa pra saber onde e com quem eu passei a noite

 E você disse? 

Não teria por que eu dizer. Foi apenas uma noite, não quero que ela fique sabendo de tudo que ocorre na minha vida

 Entendo. E agora vai continuar a me chamar de senhora? 

Sim, senhora Carla -debocha e um sorriso sútil surge no rosto de Carla

Eu tenho que dizer que, a poucos dias eu estava saindo com um homem, e confesso que ele é uma pessoa interessante mas, algo me fez tirar ele da minha mente

 E o que, ou quem, te fez tirar ele do seus caminho? 

Uma mulher -olha diretamente nos olhos de Carla- uma mulher maravilhosa, espetacular, cheia de mistérios, mas incrívelmente linda 

Um pacote completo! Essa mulher é tudo isso?

 Tudo isso, e mais um pouco

 Sortuda você né?

Muito! -as duas sorriem- você já teve muitos relacionamentos?

 Não, não muitos. Fui casada uma vez

 Por quanto tempo?

 Seis anos 

 Uau, deu certo por um bom tempo

 Sim, por seis anos, posso dizer que sim

 E esse casamento terminou a muito tempo? 

Há dez anos atrás 

Desde então você nunca mais se relacionou com outras pessoas? Quer dizer, seriamente?

 Não tive tempo, depois desse término minha mente e meu corpo se direcionaram somente para os negócios, sem tempo para conhecer outras pessoas. Vamos ler o cardápio? -desvia o assunto- qual será seu pedido?

 Carla off 

Safira on 

Pela mudança brusca de assunto, Safira percebeu que aquela conversa estava se tornando desconfortável para Carla e então ela encerrou as perguntas referente ao seu passado. O jantar tinha sido ótimo, elas se conheceram mais, e Safira percebeu do porque Carla era conhecida como megera, pois ela sempre se mantinha rígida e fechada. Como alguém se fecha completamente para o amor por dez anos? Aquilo não se encaixava na cabeça de Safira, algo de muito ruim tinha acontecido com o seu casamento, que poderia ter deixado traumatizada ou qualquer coisa parecida. Mas, pelo menos ela agora estava se abrindo e conhecendo Safira melhor, e ela aparentava estar feliz. 

Mais tarde 

Carla se ofereceu para levar Safira para sua casa, ela ainda tinha um bloqueio que a impedia de ter uma intimidade com Safira e ela a respeitou, ainda dentro do carro elas se despediam

Obrigada por me trazer até aqui 

Eu que agradeço por você alegrar as minhas noites -elas se beijam delicadamente, com um selinho por fim. E Carla solta um sorriso satisfeita- eu tenho um ótimo lugar para irmos amanhã

Que lugar seria esse? 

Eu tenho uma casa na cidade vizinha, um lugar incrível. Passamos o dia, e voltamos a noite, o que acha?

Eu acho ótimo, todo o tempo que eu puder passar com você será bom para mim -ela da um selinho na sua boca 

Nós vemos então 

Tchau! - o que foi mesmo que você havia dito Safira? Que não queria se envolver com ninguém por um tempo. Ou você não queria se envolver com alguém que não fosse a Carla? Parecia feitiço, as duas estavam intrelassadas, Safira tinha mudado sua cabeça completamente em relação a sua chefe. Estar perto dela era como uma carga de energia que ela precisava receber. 

Dia seguinte 

7:00 horas da manhã 

Safira off

Carla on 

Carla arrumou uma pequena mala para sua estadia na casa praiana que ficava na cidade vizinha. Ela combinou um local para buscar Safira e pegaram a estrada para ir a cidade ao lado, só ficava algumas horas de distância, não era muito longe 

2:00 horas depois 

Era uma casa que alguns parentes de Carla costumavam se hospedar quando vinham visitá-la, ou quando ela queria relaxar da confusão do meio da cidade

Carla off 

Safira on 

A casa era enorme, e se localizava na beira da praia, precisava apenas dar alguns passos, sair do deque da piscina que encontrava uma praia particular, sem movimentações alheias 

Que casa linda! -Safira olha em volta da sala 

Meus pais custumam ficar aqui de vez em quando, quando vinham me visitar -ela olha pelas portas de vidro que avistavam o mar aberto- eu mandei os funcionários comprarem algumas coisas pra gente -um homem uniformizado entra na casa 

Senhora Carla, bom dia 

Leve isso pro quarto principal -ordena Carla. Safira pega sua mala para subir junto

Deixe que ele leve Safira 

Não precisa, está leve 

Esse é o trabalho dele

Não tem necessidade, eu levo -ela sobe atrás do rapaz

Minutos mais tarde 

Não tenho tanto tempo de vir aqui -caminha para a cozinha -mas esse lugar é bom, e eu gosto 

Eu também achei lindo -ela a segue- Poderia morar aqui 

É ótimo sim -ela abre a geladeira e pega uma jarra de água- meus pais não vem tanto aqui mas, gosto de tê-la, quando eu precisar, estará aqui a minha disposição 

O dia não poderia começar melhor! -abraça Carla pelas costas 

O dias está lindo, o lugar é bom ... 

A companhia é melhor ainda -beija seu pescoço 

Como poderia melhorar -ela se vira e Safira a beija 

Elas decidiram aproveitar o dia quente. Tinham alguns caiaques e pranchas guardados e então elas resolveram dar uma volta de stand UP. No céu havia poucas nuvens e o sol estava a brilhar, elas podiam ver até tartarugas e alguns tipos de peixes nadando em cardumes pela água 

Meio dia 

Depois do passeio elas voltaram para se alimentar, e estavam descansando juntas na rede do deque da piscina 

Pronto? -o celular de Carla toca e ela atende 

Me recordo sim -ela se levanta e sai rapidamente e vai para o parapeito do deque como se quisesse enconder a conversa 

Safira pensava, era apenas um dia, um dia as duas juntas, ela precisava de sua atenção, mesmo que Carla parecesse super ocupada e dura, com Safira ela se desmanchava completamente. Ela foi até Carla e se encostou no parapeito junto a ela e sorriu, elas trocaram olhares mas Carla continuou sua conversa. Como uma criança atentada Safira acariciava seu rosto para chamar sua atenção 

Ok ... É, você pode me enviar -Carla tenta se concentrar. E mais uma vez Safira tenta tenta-la e se aproxima do seu rosto e beija sua bochecha. Carla ignora, e ela começa a beijar seu pescoço de forma que a desconcerta, mas gentilmente Carla tenta continuar sua ligação sem se pôr contra Safira. Seus beijos e carinhos continuam e ela a olha querendo mais atenção, mas continuar aquela ligação era impossível, sua pele arrepiada e sua vontade de beija-la não deixavam mais falar. Safira pegou seu celular e desligou 

Você quer? - Safira provoca 

Eu quero você -Safira joga o seu celular no sofá e caminha de costas até a piscina desamarrando seu biquíni enquanto a olha maliciosamente 

Claro -ela olha para o lado sorrindo 

Então vem -tira seu biquíni deixando seus seios amostra e pula na enorme piscina- vem! -Carla tira seus óculos escuros e entra pela borda da piscina atrás de Safira. Ela mergulha e nada até chegar a ela, sobe para cima -minha sereia -Elas transformam em um beijo de língua molhado, Carla toma o controle e segura seus cabelos molhados e comando o movimentos dos seus rostos, o beijo intenso arranca o ar das duas e elas param. Elas ficaram na piscina alguns minutos abraçadas e trocando carícias 

A noite 

Por insistência de Safira ela estava preparando o jantar, Carla queria que seus funcionários providenciassem tudo mas, ela quis colocar suas práticas culinárias na cozinha. Carla descia as escadas e viu Safira cozinhar e cantar baixinho uma música qual ela não conhecia, sem que ela percebesse ela parou e ficou cerca de um minuto a observando 

Você está aí -ela a percebe- por quanto tempo estava me olhando? 

Tempo suficiente para perceber que você canta tão bem quanto cozinha -se aproxima

Você tem que provar a comida da minha irmã, aquilo sim é saber cozinhar. Eu só sei algumas práticas de sobrevivência e algumas receitas que eu aprendi com a minha mãe. Prova -ela pega uma colherada e serve na boca de Carla 

Tá uma delícia 

A minha mãe antes de ir, adorava juntar a família, reunir os parentes. A gente sempre se reunião todo o ano pra almoçar junto, tinha ano que a gente tinha que almoçar do lado de fora por que não cabia dentro de casa, mas quando ela se foi, a tradição se foi junto com ela, eu não tive coragem de organizar os encontros sem ver ela lá na cozinha brincando e sorrindo sabe? 

Imagino que deve ter sido muito difícil 

Sim. E agora, a família se separou, juntas de verdade são só minha irmã e eu. Ainda bem que somos muito unidas, ela me ajuda e eu ajudo ela. Mas, olha só, eu consegui -ela pega um prato e começa a monta-lo 

Conseguiu que? 

Ficar ao seu lado -Elas se olham 

Você fala... sei lá você fala de um jeito...

De um jeito emocionada? 

De um jeito apaixonante 

Vem. Vamos jantar minha sereia 

Ao irem para a sala de jantar, Carla se depara que Safira tinha arrumado lindamente a mesa, tudo romântico e delicado 

Que caprichosa -Carla diz 

Para nós! -elas se sentam 

Cada vez mais que Safira tentava mais ela se entregava. As vezes pensava estar indo rápido demais, mas era tão bom sentir aquilo, era tão bom sentir aquele frio na barriga, era tão bom olhar para Carla e sentir que ela também gostava dela. As vezes se martirizava, sua chefe, não era correto aquilo acontecer, mas depois queria apenas se entregar, viveria só uma vez para não fazer o que quer? 












Notas Finais


Até o próximo capítulo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...