História A minha História! - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Lysandre, Melody, Nathaniel, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Castiel
Visualizações 17
Palavras 2.072
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem curtinho pra vocês gente, boa leitura e comentem se devo continuar!!!

Capítulo 10 - Balada


Fanfic / Fanfiction A minha História! - Capítulo 10 - Balada

Pés em terra firme, como eu adoro isso. Chegamos no Brasil tem 2 minutos, estamaos esperando meu pai chegar para nos levar pra casa. Me sentei na cadeira, sendo abservada pelo meu irmão.

Mari- Perdeu alguna coisa coisa na minha cara? 

Fernando- Nada (como ela está mudada).

Ficamos um tempo esperando meu pai chegar, até que eu vejo ele do outro lado do vidro fazendo gestos malucos, deu uma leve risada e levanto da cadeira. Caminho até ele, sendo seguido por Fernando, abracei meu pai e entrei no carro, Fernando fez o mesmo, mas se sentou no banco da frente, junto com meu pai. A viagem toda eu fiquei no telefone falando com a Mia. 

*Telefone* 

Mia- Como é aí no Brasil?

Mari- Ah...é Brasil né.

Mia- E o que é um Brasil?

Mari- Sei lá, um lixo da vida. 

Mia- Não gosta do seu país?

Mari- Infelizmente não....

Mia- Mas aí parece ser tão legal, tem àquele "The Cristo Redentor" é isso?

Mari- Não kkkkk, algo parecido. Mas não é tão legal assim.

Mia- Porquê? Aí parece ser incrível.

Mari- Mia, existe assaltantes, armados com armas de porte grande ou facas, se você der bobeira, já era pra você.

Mia- Nossa, mas e a polícia?

Mari-É pra isso que eu vim, eles me chamaram para servir. Só que externamente.

Mia- Mas você vai estudar normalmente então?

Mari- Sim, só que vou fazer alguns trabalhos por aqui.

Mia- E o dinheiro?

Mari- 35 mil por mês.

Mia- Nossa! Até eu quero trabalhar aí agora!

Mari- Sua maluca kkkkkk

Mia- O velho da cantina veio me encher, vou desligar, beijos amiga!

Mari- Beijos!

Olhei para fora da janela, deparando com o cenário da minha casa. Abri a porta e retirei minhas coisas, abrindo a porta de casa e subindo diretamente para o meu quarto.

Arrumei tudo bem organizado, como estava acostumada no exército. E tomei um banho gelado. Abri meu armário e coloquei um short jeans de cintura alta e uma blusinha branca com um decote no seios e um All star branco. Sai de casa, observando a tarde bonita. (Aqui é tão calor!)

Fui em direção ao parque, e me sentei em um banco de madeira, próxima a uma árvore. Um moço passou vendendo sorvete e eu logo comprei um de morango. Voltei a me sentar no banco e ouvi um Garoto brincar com seu cachorro próximo a mim. Era aqueles negócios de jogar, e seu cachorro perfeitamente agarrava aquilo com a boca. Parei de observar os dois e olhei para frente, vendo um casal com seus 2 filhos brincando. Ela parecia feliz. Ouvi o garoto do meu lado gritar.

??- Cuidado Garota!

Eu olhei para a lado e vi o vulto preto em direção ao meu rosto, entrei em ação e o segurei com as mãos. Olho para a cara do rapaz que quase acertou minha cara, e por um momento eu sinto um choque percorrer pelo meu corpo, como eu não havia percebido? Ele estava na minha frente o tempo todo. Mas eu não vou deixar esse sentimento de medo me domar. Apertei meus olhos e percebi que ele não estranhou, e não percebeu quem era eu. Então estendo o negócio pra ele e ele segura 

Mari- Mas cuidado da próxima.

Ele me olha e se senta do meu lado, eu estremeço e me afasto um pouco. 

Mari- O que você quer aqui garoto?

Eu me levantei do banco, me afastando dele.

??- Só queria observar sua beleza de perto. 

Ele se levanta e se aproxima um pouco mais. Dei passos curtos para trás e ele dava passos curtos para frente, até eu bater as costas na árvore e ele se aproximar mais. Ele segurou nos meus ombros e eu logo passei meus braços por volta dos seus Braços e o bati com a palma da mão no seu peito. Fazendo ele soltar um gemido abafado ao cair no chão. 

Não quero que ele me descubra, então eu sai correndo, querendo sumir daquele lugar. Castiel não tinha me reconhecido, e eu confesso que também não o reconheci. Ele estava com os cabelos pintados de preto com a raiz mal pintada de vermelho. Corri até uma distância boa, em que ele não poderia me alcançar e então caminhei até em casa. 

Quando cheguei eu me tranquei no quarto e fui logo falar com a Mia, me jogando na cama e retirando o celular do bolso.

*Mensagem*

Mari- Mia, está aí?

Mia- To sim senhora!

Mari- para de ser boba, eu vim falar uma coisa séria!

Mia- Agora fiquei curiosa, o que houve?

Mari- Lembra daquilo, que eu te contei...que havia acontecido comigo....

Mia- Aquela covardia?

Mari- Isso...

Mia- Me lembro sim, porquê?

Mari- Eu encontrei com ele no parque noje....

Mia- O QUE????? MAS IAI O QUE ACONTECEU??!

Mari- Mia! Não grita no telefone!!

Mia- Você chegou a falar com o safado?

Mari- Falei sim, mas ele não me reconheceu. 

Mia- Isso é bom, espero que ele não descubra tão cedo.

Mari- Acho que amanhã vai ser complicado. Eu vou ter que me apresentar para a turma, esqueceu?

Mia- Putz...verdade...e agora?

Mari- O único jeito é me revelar logo.

(Logo me veio uma ideia divina).

Mari- Mia tive uma ideia legal, vou resolver aqui e depois te ligo!!

Mia- Tchaau!


Me levantei da cama decidida a mudar. Me olhei no espelho e escolhi 3 cores, e elas foram: Branco, Azul, Preto. Eu nunca pintei meu cabelo com nenhuma dessas 3 cores, então eu pensei na mais diferenciada, e ela seria a Azul. Desci as escadas da minha casa com uma certa pressa, e me encontrei com Fernando na sala.

Fernando- Vai aonde maninha?

Mari- Fazer uma coisa radical, quer ir comigo?

Fernando- Claro! Essa casa tá um tédio!

Ele desliga a televisão a sua frente e se levanta, abrindo a porta e fazendo um sinal de passagem. Começo a rir da sua cara e atravesso a porta, encarando o mesmo cenário de algumas horas antes. Fomos para o salão mais próximo, e meu irmão logo intendeu o que eu iria fazer. 

Chegamos a um salão próximo de casa e então eu fiquei na fila de espera, vendo vários tons de azul. Fiquei até surpresa, e ficava me perguntando se ficaria legal, não queria fazer uma coisa para me arrepender depois. Então o moço me chamou e eu mostrei a tonalidade que eu queria pintar, ele sorriu e disse que eu fiz uma boa escolha, eu me sento na cadeira e vejo ele mexer nos meus fios de cabelos, que estavam na altura do meu ombro. 

*25 minutos depois*

Meu cabelo já estava quase pronto, eles só iam secar e finalizar o processo. Eu olhei para meu irmão, e ele tinha inventado de pintar o cabelo de branco. E eu concordei, ele logo se sentou do meu lado e o homem começou a lavar seus cabelos, preparando para pintar. 

Eles terminam de pintar meus cabelos, e eu me olho fixamente no espelho, Tentando achar aquela garota tímida, pura e cheio de sonhos que eu havia deixado naquele terraço. Queria ela de volta, queria meus sentimentos de volta, pois eles me pertenciam. Lágrimas começam a se formar nos meus olhos, e eu logo me repreendo, secando-as com as costas das mãos. Me levantei da cadeira, dando lugar para o próximo cliente, e então tirei uma foto para mia e a enviei.

*Mensagem*

-mari enviou uma foto-

Mia- Quem é essa menina cheia de vida?

Mari- Sua boba! Hahaha

Mia- esse país faz milagres?

Mari- Sinto como se eu já tivesse ouvido isso hoje....

Mia- Ficou linda, nem parece que é você. 

Mari- eu estou até me estranhando.

Mia- pare de bobeira, porque você está linda!!!!

Mari- Você acha?

Mia- Só não acho como tenho certeza. 

Mari- Já disse que eu te odeio?

Mia- se essa é a sua forma de dizer que me ama, sim! Você já disse!

Começo a rir ao ler sua mensagem. Ou olho para frente e meu irmão fazia poses horríveis se amostrando para mim. 

Mari- Se essa é a sua forma de sensualizar, pode acreditar, você está assutador!! 

Fernando- Ah vai! Eu sou um gato.

Mari- você é muito convencido!

Eu deposito um beijo na sua bochecha e nos retiramos do salão. Meu irmão estava lindo, e a cor dos seus cabelos realçava a beleza do seu rosto, com seus lindos olhos verdes claros. Eu e meu irmão somos idênticos, tirando os olhos. Ele nasceu com os olhos Verdes claros e eu com os olhos azuis Claros. Minha irmão tem a maior inveja da gente, porque ela saiu com os olhos castanhos. 

Caminhamos juntos, até chegarmos em casa.

Fernando- Vou ir a uma festa hoje, vamos comigo?

Eu iria recusar, mas logo me lembrei de que não iria fazer nada essa noite sozinha no meu quarto. Então revirei os olhos e pensei em todas as possibilidades, ele fazia uma cara de súplica.

Mari- Tá! Tudo bem! Vamos.

Ele da pulinhos e me abraça. 

Mari- Tá bom, tá bom, sem esse grude-grude!

Mari- Que horas?

Eu queria me permitir a curtir, não queria ficar presa em casa, remoendo tudo que aconteceu comigo. 

Fernando- As 20:00 

Mari- Tá bom...

Eu subi pro meu quarto, pegando o telefone e vendo a hora 18:34 

Fiquei aquele tempinho olhando umas roupas "junto" com a Mia.

*Vídeo chamada*

Mari- Pode ser esse?

Mia- Já disse que não! Pega o outro.

Mari- De novo? Meu deus!

Mia- Pare de reclamar, vá logo!

*Peguei o vestido branco com estrelinhas corais, ele tinha um jeito bem princesa*

Mari- Eu vou para uma balada, não para uma festa de gala!

Mia- Eu não consigo me conter, você tem lindos vestidos!

Mari- Trate de se concentrar.

*Fiquei olhando parar o meu quarda-roupa, e vi um vestido que tinha comprado e usei só uma vez*  

Mari- acho que achei um perfeito!

*Virei o telefone em direção ao vestido*

Mia- Vai pro banheiro agora!!!

*Entro no banheiro e visto a roupa*

Mia- Está perfeito! É esse!

Mari- Obrigada Mia, agora eu vou desligar!

Mia- Ok ok, bye bye!

Desliguei o telefone e olhei para o relógio: 19:26 eu ainda tinha tempo. Tomei um banho quente e lavei o cabelo, coloquei um aplique azul, deixando os cabelos compridos batendo na minha bunda. (Imagens parecidas com a roupa dela nas notas finais).

Como eu estava com o cabelo molhado, eu fiquei no banheiro por alguns minutos secando. Sai do banheiro, coloquei o vestido e um tênis da Adidas branco. Olhei para o relógio e já eram 19:48, ouvi meu irmão me chamar lá embaixo e então eu coloquei a cara na janela. 

Mari- Fala?

Fernando- A balada e longe, vai demorar alguns minutos, temos que ir agora!

Mari- Tá, eu já estou pronta.

Dei uma passada bem rápida pelo meu quarto, peguei minha bolsa e passei um blush fraco nas bochechas. Desci as escadas e Fernando estava lá com alguns amigos dele, que me olhavam de boca aberta, só faltava babar. 

Fernando- Tirem os olhos, quem escostar nela eu arranco o pinto fora!

Ele passa os braços pelos meus ombros, e os meninos tentam olhar para outra coisa. 

Mari- E então? Vamos?

Eu olho para eles. 

??- Claro, claro, vamos para o meu carro.

Um menino de cabelos Castanhos saiu pela porta, apertando no botão para abrir o carro e logo ouvimos o barulho. Um menino de cabelos Brancos sorri pra mim.

??- Ninguém aqui se apresentou, eu Sou o Marlon, aquele de cabelos castanhos é o Ken, e esse de cabelos Loiros é o Lukas.

O Platinado apresentou todos os meninos pra mim.

Mari- Eu sou a Mariana.

Estendo a mão e ele a segura de uma forma estranha e a beija. Fiquei chocada com seu ato e puxei minha mão de volta. O Ken logo buzinou para a gente entrar no carro, e logo saindo de casa. Eu me sento no banco de trás junto com meu irmão, Marlon e Lukas. Meu irmão ficou na janela do lado esquerdo, do lado dele ficou Marlon depois ficou Eu e do meu outro lado ficou Lukas.

Eu estava no meio dos dois, e aquilo estava me deixando perturbada. Eles estavam em silêncio, então decidi puxar um assunto.

Mari- Quantos anos vocês tem?

Fernando- 20 

Dei língua pra ele.

Marlon- 22

Lukas- 19

Ken- 23

Marlon- E você Mari? Tem quantos anos?

Mari- 17

Eles olharam pro meu irmão.

Marlon- ela é menor ainda, não pode entrar na Balada 

(Mal sabia eles que eu podia).

Mari- Relaxa!

Ken- Chegamos, desçam que eu vou estacionar lá embaixo.

Descemos e logo conseguimos ouvir a música alta do lado de fora, queria saber como o povo lá de dentro estava aguentando isso. Entramos na balada e a mulher pediu nossos documentos. Eu estendo minha carteira e a mulher me olha com os olhos arregalados.

Mari- Eles estão comigo, vamos entrar.

A mulher confirmou e deu a pulseira pra cada um. 

Mari- Vamos!

Quando eu dou um passo e olho para frente eu me deparo com uma cena ridícula, que nojo! Não queria ter visto isso, e não queria que ele estivesse aqui! Que azar! 



*Continuo? Continuo?* 








Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...