História A minha História! - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Lysandre, Melody, Nathaniel, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Castiel
Visualizações 45
Palavras 1.776
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem curto só pra fazer uma passagem chata skksksksms

Capítulo 19 - Sonho? Não, pesadelo!


Fanfic / Fanfiction A minha História! - Capítulo 19 - Sonho? Não, pesadelo!

Me levantei sem ligar em estar pelada. Fui até a cozinha e fiz um café da manhã caprichado. Estava virada provando as coisas que eu tinha feito até sentir alguém bater na minha bunda. Sorri e me virei. 

Mari- Bom dia.

Cast- Bom dia.

Ele estava com a vou mais rouca que o normal, ele tinha acabado de acordar e já estava tão sexy. 

Cast- Para de me provocar.

Mari- Provocar com o que?

Cheguei perto dele.

Cast- olha só...

Eu ri e fiquei na pontinha dos pés, dando um beijo quente nele. Me virei e peguei um pedaço do bolo que eu tinha feito. 

Mari- Vê se tá bom

Ele comeu um pedaço e me olhou.

Mari- O que? Esta ruim?

Eu fiz uma cara preocupada.

Cast- Está uma delícia

Ele sorriu e me pegou no colo, me fazendo girar. Comecei a gargalhar e gritar.

Mari- Aah Castiel seu maluco!

Ele me colocou no chão. 

Cast- Agora coloca uma roupa. 

Eu estava saindo da cozinha, quando senti um tapa forte da minha bunda. Dei um pulinho e gemi. E riu. Ele me deixa completamente louca, ele era tão perfeito. Subi as escadas e entrei no quarto, prendi o cabelo em um coque bagunçado e abri as gavetas do meu armário. Procurei por uma roupa boa, e nada. Estava indecisa. Peguei então um short jeans preto e uma croped da mesma cor. Coloquei meu sutiã e então ouvi o barulho da campainha. 

Desci rápido para atender, que até esqueci da blusa, só me lembrei quando abri a porta. 

Mari- O que está fazendo aqui?

Erick- Nossa já estou sendo recebido assim?

Ele me olhou de baixo pra cima. Eu olhei para baixo e vi que estava sem sutiã. Me escondi atrás da porta e então Castiel saiu da cozinha.

Mari- Vá embora daqui!

Erick- Ah porque aqui está tão divertido.

Cast- Que porra está acontecendo aqui?! 

Ele me olhou e segurou a porta, me tampando.

Cast- Coloca a blusa...

Coloquei ela no mesmo momento e então olhei para o Erick.

Mari- Como sabia que eu estava aqui?

Erick- Tenho meus contatos paixão.

Cast- Com quem pensa que esta falando?

Ele segurou Erick pela barra da camisa, fazendo ele sair do chão. 

Mari- Castiel... calma.

Cast- Suma daqui antes que eu te coma na porrada. 

Erick sorriu e olhou para mim.

Erick- Acha que eu tenho medo do seu namoradinho?

Castiel no mesmo momento jogou ele no chão e começou a bater nele, ele viu o vaso de flores do lado da porta e quebrou um deles na cabeça do Erick. Ele desmaiou e o Castiel continuou a bater nele. Eu gritei para ele parar mas nada adiantou, eu não iria conseguir tirar ele de cima do Erick.

Até que dois garotos chegaram e seguraram o Castiel, tirando ele de cima do Erick. Eles empurraram o Castiel, que avançava encima do Erick, um moreno ia colocar a mão em mim para me puxar, eu segurei a mão dele é dei um chute na sua cintura, fazendo ele por a mão sobre o local e cair no chão, gemendo por conta da dor.

Eu ia dar mais um chute no garoto, mas o outro de cabelos brancos me segurou pelas costas e me parou, eu dei uma cotovelada no ombro dele e um pisão no pé. Ele me soltou e quando eu me virei para bater nele Castiel me segurou me abraçando.

Cast- Calma, esses eu conheço, calma relaxa...

Ele beijou minha testa e eu afastei ele dando um tapão no seu braço, o mesmo reclamou.

Mari- Nunca mais faça isso! Está me ouvindo? Nunca mais!

Cast- Me desculpa... aí.

Ele reclamou do tapão.

Mari- você merecia mais. 

Os meninos se levantaram. E eu olhei para eles um pouco envergonhada por ter batido neles, sem querer.

Mari- Me desculpem, não era minha intenção machucar vocês.

??- Tudo bem, nós já estamos bem.

O de cabelos brancos sorriu.

Cast- Esse é o Matheus e esse é o Marcos, meus amigos de infância.

Mari- Prazer meu nome é Mariana.

Matheus- Prazer é todo nosso.

Mari- alguém me ajuda com esse cara aqui?

Marcos- Claro, eu ajudo. 

Mari- vamos levar ele lá pra baixo.

Eu segurei ele por um braço e Marcos pelo outro. Saímos de lá, deixando Castiel conversando com Matheus. Eu ia entregar Erick para um porteiro que tinha aqui perto de casa, ele era meu amigo, já morei em um prédio aonde ele trabalhava. Ele ligaria para uma ambulância que levaria Erick para o hospital. 

Coloquei ele sentado em um banco e estava ligando para o porteiro. Quando senti alguém passar a mão na minha bunda. Era o Marcos eu me virei revoltada.

Mari- Porque fez isso? Sabe que eu namoro seu amigo, me respeita.

Eu ia bater nele, mas ele me segurou pelos braços e me olhou nos olhos.

Marcos- É melhor você sair de perto dele, antes que sobre pra você!

Ele apertou meu braço.

Mari- Para, está me machucando. Eu vou dizer tudo para o Castiel.

Marcos- Diga, abra sua boca pra você ver se eu não acabo com você.

Mari- Tenta a sorte, eu não tenho medo de você.

Dei uma joelhada no seu membro e vi ele se contorcer de dor. Saí de lá correndo até chegar na porta de casa. Abri e vi os meninos sentados no sofá, logo que eu pisei em casa senti alguém atrás de mim, colocando uma arma na minha cabeça. 

Ótimo, não podia piorar, eu sabia que era coisa do Erick. Dei um gritinho, fazendo os mesmos que estavam na sala me perceber. 

Cast- Solta ela Marcos!

Marcos- Não chega perto!

Matheus- Tá maluco cara?

Eles estavam realmente preocupados. Eu olhei de canto de olho e vi a base da arma aberta, estava sem balas. Então eu suspirei olhei para os meninos da sala, e apontei com os olhos para o Castiel a gaveta da mesa da sala.

Eu tinha 2 pistolas escondidas estratégicamente pela casa, uma estava naquela gaveta e a outra escondida pela cozinha. 

Fiquei chamando a atenção do Marcos e Castiel foi andando cuidadosamente até chegar próximo da gaveta. Ele abriu e pegou uma pistola rosa Gold que eu tinha, trouxe especialmente dos estados unidos.

Achei que o dia seria melhor. Que merda, Castiel em um movimento rápido jogou a arma em minha mão e eu ouvi um barulho estridente no meu ouvido e uma dor na cabeça. 

Olhei para frente e vi meu corpo caído com um tiro na cabeça, eu entrei em choque. Estava tremendo, e de repente, tudo ficou preto.

Mari- AAAAHH!

Acordei assustada, dando graças a Deus por ser só um sonho, por causa do meu susto Castiel acordou e me segurou pela cintura.

Cast- Meu amor o que aconteceu?

Mari- Nada foi só um sonho ruim, na verdade.... pesadelo.

Cast- Está tudo bem, eu estou aqui.

Ele me deu um selinho e me apertou contra ele. Sorri ao me lembrar de ontem, e me lembrei que ele merecia uma vingança.

Me levantei e percebi que ainda estava pelada.

Cast- Nananinanão, pode voltando aqui já!

Ele se levantou e foi até meu armário, eu olhei para ele confusa. Ele retirou uma calcinha de renda azul e um sutiã da mesma cor.

Ele arrumou a calcinha e se abaixou, esperando eu colocar a perna, pra ele por a calcinha. Segurei em seus ombros e coloquei minha perna por dentro da calcinha, depois a outra, ele subiu minha calcinha de leve, fazendo ela ficar perfeitinha em mim. Depois ele veio com o sutiã, ele abriu as alças e eu coloquei meus braços. 

Ele me virou e fechou o fecho do sutiã. Antes de me virar deu um beijo na minha nuca que me fez arrepiar, o mesmo soltou uma risada ao perceber isso.

Descemos para comer, já que a Brincadeira de ontem deu uma fome danada. Chegando lá eu me sentei na bancada e fiquei olhando para ele.

Mari- Tô com fomeeeeeeeee

Cast- Que tal um macarrão com queijo?

Mari- Mas aí precisa de queijo mussarela e queijo cheddar.

Cast- Vamos no mercado então.

Mari- Preguiçaaaa

Cast- Vamo vamo!

Ele me segurou pela cintura e me pegou no colo, eu passei minhas pernas pela sua cintura e dava gritinhos misturados com risadas. 

Colocamos uma roupa de frio, já que o tempo não estava colaborando. Descemos as escadas e eu peguei minha bolsa com minha carteira. Saímos de casa conversando sobre coisas aleatórias. 

Mari- Coca-Cola ou Pepsi?

Cast- Não tomo muito refrigerante, mas prefiro Pepsi.

Mari- For favorita?

Cast- Cinza. E a tua?

Mari- Roxo

Cast- Série favorita?

Mari- Hmm, acho que TVD....

Cast- aquela dos vampiros?

Mari- sim...E a sua série favorita?

Cast- Ah eu não vejo série né, prefiro filmes.

Mari- de terror é claro!

Cast- Os melhore filmes são os de terror, vamos concordar.

Mari- Nada haver, os de ação é mil vezes melhor.

Cast- Ação? O que é ação perto de Terror. 

Acabamos o papo quando chegamos no mercado. Escolhemos os queijos e compramos uma Pepsi, nos dois achamos Coca cola horrível, aquilo é veneno e ninguém sabe. Então fomos até o caixa, comprei até umas balinhas lá. 

Castiel se recusou em deixar eu pagar a conta e acabou pagando e eu não pude fazer nada. Chegamos em casa e começamos a preparar tudo, Castiel não é muito bom na cozinha mas sabe cortar que uma beleza. Ele cortou todos os queijos e jogou por cima do macarrão que eu cozinhei. 

Fiquei um tempo mexendo na panela enquanto ele me olhava, sentado no balcão. Esperei o queijo derreter e fechei a panela. Arrumei a mesa e me sentei do lado do Castiel. 

Ouvi a campainha e então fui abrir a porta. 

Mari- Oi?

??- Castiel tá aí?

Cast- Quem é amor?

Ele olhou para um menino de cabelos vermelhos um pouco mais claros que o dele e fez uma cara de tédio. 

Cast- O que você está fazendo aqui?

Ele abriu mais a porta, ficando na minha frente. O garoto estava me comendo com os olhos, literalmente. 

??- Qual é maninho, sabe que a mãe tá bolada comigo...

Cast- E ela te tirou de casa?

(Maninho...)

??- E você é o único que pode me dar um quarto pra ficar, olha esse casarão.

Cast- Vou pensar no seu caso Noah. 

Noah- Vai... por favor!

Ele olhou pra mim, eu sorri e concordei com a cabeça. Tirei ele da minha frente e dei um sorriso.

Mari- Chegou na hora certa, estamos fazendo macarrão, entra aí.

Ele entrou e eu fechei a porta. 

Mari- Aliais, meu nome é Mariana, pode me chamar de Mari.

Sorri e andei até a cozinha, abrindo a panela para conferir o macarrão. Provei e ele estava ótimo. Tirei a panela do fogo e coloquei encima da mesa.

Depois de comermos eu fui para o quarto, depois de mostrar ao Noah o dele. Castiel entrou para o banho e eu fiquei sentada na cama, mexendo no celular.

Ouvi o barulho da porta e então me virei para olhar, quando vi Noah já estava encima de mim, segurando minha boca e me deitando na cama. Sua outra mão passava na minha coxa e eu me debatia e gritava abafada. Senti sua mão de aproximadar da minha intimidade e então......



CONTINUO? CONTINUO?





Notas Finais


Comentem se devo continuar, estou escrevendo a todo vapor kskskks amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...