História A Minha Madrasta - Jeon Jungkook (BTS) - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, Girls' Generation, Red Velvet, Super Junior, TWICE
Personagens Cho Kyuhyun, G-Dragon, Irene, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Mina, Park Jimin (Jimin), Xiumin, Yuri
Tags Bts, Exo, Hoseok, Imagine Jungkook, Jin, Jungkook, Kook, Seokjin, Suga, Tae, Taehyung, Xiumin
Visualizações 250
Palavras 1.243
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, tudo bem?
Capítulo novo, boa leitura <3

Capítulo 40 - Chapter 38


Fanfic / Fanfiction A Minha Madrasta - Jeon Jungkook (BTS) - Capítulo 40 - Chapter 38

P.O.V Rabech ON

Tae-Noona! -Estralou os dedos em frentes ao meu rosto me fazendo sair dos meus pensamentos. -Tá bem? Devo chamar os médicos?

-Não. -Falei rapidamente. Já não suportava ficar um segundo se quer em hospital sem fazer nada. É horrível ser paciente, saudades do meu trabalho como médica. -To bem. Vamos embora, por favor. -Assentiu, abriu a porta do banheiro e nos retiramos dali.

Durante todo caminho Jungkook me parecia feliz, tentava puxar a assunto comigo o tempo todo mas eu mal o respondia.

Não gosto de trata-lo assim, mas minha cabeça não parava de pensar no Jyong. Mal parei pra pensar que já se passaram 10 anos depois de seu julgamento e agora ele vai ser solto.

Eu estava tão bem, tinha saído daquele inferno de cativeiro que Xiumin me colocou. Meu Jungkook solto e livre de toda acusação. Estava tudo perfeito para seguir minha vida bem, fazendo o que eu amo fazer e ao lado das pessoas que eu amo. Mas não... Sei que ainda vai acontecer muito mais.

Jungkook havia ficado quieto, não parecia mais animado, fitava a janela do carro em silêncio. Pedi ao Taehyung meu celular de solta e ele me devolveu.

-Por favor, vá mais rápido! -Falei calmamente ao Até que dirigia meu carro. -Quero logo chegar em casa.

Tae-Noona... Tipo, voltamos para casa do Jimin ou para casa do nosso appa? -Respirei fundo acalmando a minha ansiedade de chegar em casa.

-Pra casa. -Falei, em seguida soltei um suspiro lembrando do que passei naquela casa. Mas eu tinha que voltar.

(...)

Ao chegar em casa corri rapidamente para o meu quarto que estava dormindo separada de Xiumin, deixando Jungkook e Taehyung sem entenderem a minha atitude.

Tranquei a porta e me encostei na mesma enquanto eu digitava rapidamente o número do meu pai.

Ligação ON
Kyu-Alo.
-O senhor não veio, me prometeu mas não veio.
Kyu-Se acalme por que mesmo não indo, eu fiquei apar de tudo que se passava ai é agir através do Yoongi.
-Eu não precisava do grandioso advogado renomado Cho Kyuhyun. Eu precisava do meu pai!
Kyu-Minha princesa, entenda. Realmente não deu pra ir. O que eu iria fazer com a sua mãe? Se ela soubesse do que estava acontecendo com você, ela infartava.
-Appa... Jyong, será solto.
Kyu-Quê?! Já se passaram 10 anos!?
-Pelo amor de Deus, appa. Ele virá atrás de mim, e eu não sei o que eu faço, eu não sei!
Kyu-Acho qie não tem mais como adiar a minha viagem para Seul. O que tem que fazer é se recuperar, tem que está forte, se alimente minha filha.
-Appa... Eu to com medo!
Kyu-Se acalme. Dessa vez é serio, appa esta voltando pra Seul.
-Tudo bem então.
Kyu-Tchau filha.
-Tchau appa.
Ligação OFF

Encerrei a ligação em seguida de um suspiro. Me dirigi até a cama e deitei, respirei mundo mais uma vez e fechei meus olhos na tentativa de descansar, mas foi em vão, alguém não parava de bater na porta que aos poucos descobri pela que era Jungkook.

Levantei-me e caminhei devagar até a porta. Destranquei a porta e virei a maçaneta.

Jk-O que está acontecendo com você!? -Falou adentrando o quarto. Fechou a porta bem atrás dele e se aproximou na cama me fitando, esperando por minha resposta.

-Jungkook, conversamos depo... -Jungkook me corta.

Jk-Conversamos agora! -Ditou alto e firme. -Eu havia saído da cadeia, passei esse tempo todo pensando em você, sentindo sua falta e nem se quer mal olha nos meus olhos.

-Jungkook, por favor... Eu to cansada. -Suspirei alto.

Jk-Ainda me ama? -Falou triste. Lhe encarei observando seu semplante triste porém preocupado e com medo da minha resposta.

-Jungkook! -Aproximei devagar sendo seguida pelos olhos do acastanhado. -Eu... -Respirei fundo, ergui as mãos para envolve-las nos ombros de Jungkook, mas tecido com receio.

Pela a primeira vez da vida me sentia insegura de mim, sentia que eu era insuficiente pra ele nesse momento.

-Jungkook... Não fale besteira. -Recuando pra atrás mas fui impedida pelas as mãos do mais novo que segurou firme minha cintura.

Jk-Como quer que eu não pense isso vendo o modo que está me tratando, uh?! -Apertou minha cintura e me puxou pra perto. -A unica coisa que me resta pensar é que não me ama mais. -Falou rouco quase que sussurrando no meu ouvindo. -Se eu estou pensando besteiras, então me responda! Ainda me ama?

-Amo, amo muito. Mas do quê tudo nesse mundo. -Sussurei agarrando firme o corpo de Jungkook em um abraço desesperado enquanto chorava sem cessar.

Jk-Nonna! -Falou meu nome juntamente com um suspiro. -Não sabe como é bom ouvir isso.
Eu também te amo, senti tanto sua falta você não faz ideia. -Me prenssou mais ainda contra seu corpo enquanto distribuia selinhos molhados por meu pescoço. -Que tal matarmos a saudades?!

-Por favor Jungkook, não. -Tentei sair de seus braços mas não adiantou. -Eu ainda tenho muito dores por meu corpo e... Manchas e não quero que me veja assim.

Jk-Quero lhe mostrar que eu te amo de todos os jeitos possíveis e pra mim, sempre será linda. -Falou calmo e com um lindo sorriso que eu tanto amo no rosto. Levou uma mecha de cabelo pra de trás da minha orelha e me deu um beijinho na minha bochecha. -Vamos começar por um banho, eu preciso tirar o cheiro de cadeia de mim. -Rimos juntos.

Jungkook segurou minha mão e me guiou para o banheiro em passos calmos. O observei retirar sua camisa e pude vê que ele havia emagrecido um pouquinho, mas nada que lhe tirasse a beleza que ele tem.

-Tão lindo. -Me aproximei, passei vagarosamente as mãos por seu abdômen enquanto distribuia selinhos por aquela área.

Jungkook levou as mãos para minhas costas, arrastou minha blusa pra cima. Hesitei por um momento mas logo deixei com que ele tirasse minha blusa. Agarrei em seu corpo novamente na tentativa de que ele não podesse vê aquela área exposta do meu corpo.

Senti o mais novo abri rapidamente o meu sutiã. Hesitei em me afastar e deixar-lo me vê, o mesmo sorriu enquanto se abaixada na minja frente. Abriu os botões da calça e abaixou aquela peça juntamente com a minja calcinha.

Pronto! Estava nua na frente do homem mais perfeito pra mim, e não me sentia nada confortável. Senti seus lábios dar beijos por minhas coxas, subindo passando por minha barriga, seios, ombros, pescoço até chegar em meis lábios.

Tomou meus labios para si em um beijo quente, romântico, desesperado na procura de matarmos a saudade que tínhamos um do outro. Aquele estava sendo o nosso primeiro beijo depois de dias separamos que na verdade foram anos.

Envolvi meus braços por seu pescoço sem separar o beijo. Jungkook o tempo todo acariciava minha bochecha com uma mão enquanto a outra passeava pela a lateral do meu corpo.

Separamos o beijos degavar e com vários selinhos. Jungkook se distanciou de mim e caminhou para a banheira, ligou a torneira e preparou bolhas de sabão. Estendeu sua mão na minha direção, segurei firme enquanto ele me ajudava a entra na banheira.

Sentei na mesma sentando as espumas juntamente com a água limparam meu corpo. Jungkook retirou sua calça e em seguida sua box. Entrou na banheiro e sentou-se atrás de mim.

Jk-Noona, relaxa. -Passou as mãos por minhas costas fazendo uma tímida massagem com medo de me machucar. -Já acabou, noona. Agora somos eu e você.

Não, não havia passado. Pelo ao contrário, o pior ainda está por vim!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...